FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

10. A história de J.J.


Fic: A MISSÃO --Quando ódio pode virar amor -


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: Desculpa a demora, não esqueci de vcs não, é por pura falta de tempo mesmo, faculdade, to fazendo meu TCC, me mudei de novo de casa... rs , enfim, estive realmente ocupada...
O Cap é a história do J.J., dediquei um cap. a ele pq no final da história ele será importante...
Espero que gostem e comentem.

Bru Black

________________________



- Onde fica a sala?- Pergunta Hermione irritada.


Rony reluta em responder, mas por fim ao perceber o olhar letal de Malfoy decide dizer.


- Sexto andar, sala 605.


Quando estavam fora da sala do Rony, Hermione agradeceu a ajuda de Malfoy.


- Obrigada por me ajudar, lá na sala do imbecil do Rony.


- Não foi nada.


- Mesmo assim eu preciso agradecer, ter você ao meu lado foi muito bom.


Malfoy foi pego de surpresa com a declaração de Hermione, ainda espantado somente assentiu.


Hermione estava colérica, nunca havia sentido tanto ódio por alguém que ela nem conhecia, esse J.J, seja lá quem fosse, tinha ajudado seu ex-marido a prejudicá-la e o pior, a havia colocado em perigo, seu espírito já estava preparado para encontrar uma pessoa baixa, de má índole e asquerosa, mas ao entrar na sala de J.J  ela se surpreendeu, o senhor atrás da mesinha minúscula não passava  a impressão de nenhuma daquelas coisas que ela havia imaginado, ele não parecia ser asqueroso e por incrível que pareça, parecia ser uma boa pessoa.


A sala de J.J era minúscula e com aspecto de muito antiga, poderia ser muito bem um antigo almoxarifado que agora utilizavam como sala, sua mesa era tão antiga quanto a sala, com lascas de madeira faltando nos cantos e pés bambos, em cima dela havia pilhas e pilhas de pergaminhos e atrás da mesa encontrava-se J.J. Ele era baixo, tão baixo que somente sua cabeça e um pedaço mínimo do seu peito apareciam enquanto ele estava sentado, seu cabelo era crespo e muito curto, rugas envolviam todo o redor de seus olhos cansados, bondosos e tristes.


Jenkins não aparentava ter mais de 50 anos, sua roupa era um desleixo total, a camisa outrora branca, hoje era bege, com manchas por toda sua extensão, o casaco recostado na cadeira era preto, ou fora um dia, hoje era mais uma mausoléu de sujeira. Apesar de muito curto seu cabelo ele ainda conseguia aparentar estar sujo. De um modo gera, Jenkins era um sujeito que podia ser até bonito se ele quisesse, se voltasse a se arrumar, até  mesmo as roupas, apesar de estarem arruinadas pela sujeira aparentavam ser de boas marcas, antigas, mas de boas marcas.


Hermione se perguntava o que tinha acontecido com aquele homem pra ele ter se arruinado tanto, no meio de seus devaneios é que ela se lembrou o motivo de estarem lá, sua ira voltou como um estopim de pólvora aceso.


O homem atrás da mesa olhava sem entender o que a aurora Hermione Granger fazia com aquele homem loiro e alto no meio de sua sala. Meio minuto se passou com uma troca de olhares furiosos e confusos até que Hermione falou.


- Você é Jonny Jenkins?


- Sim, a aurora precisa de alguma coisa?


- Você sabe quem é esse homem ao meu lado?- J.J. olhava confuso para Hermione, não entendendo o sentido da pergunta.


- Não sabe? Não tem nem uma idéia J.J? – Disse Hermione em um tom sarcástico.


Com a evidente falta de resposta, Hermione continuou.


- Este aqui é Draco Malfoy, alguém conhecido? – A compreensão atravessou o rosto de Jenkins como um choque.


Com a falta de resposta, Hermione deliberadamente colocou a varinha em cima da mesa em um gesto claro de intimidação.


 - Então conhece o Malfoy ?


- J-já ouvi falar.


A paciência de Hermione estava no limite, aquele joguinho a estava irritando.


- Eu estou perdendo minha paciência Jenkins, quero que você me fale TUDO e agora.


Jenkins  ainda estava hesitante, quando Malfoy falou.


- Olha aqui meu chapa, é melhor você falar logo, eu não queria estar no seu lugar quando ela se irrita. – Hermione olhou para Malfoy com espanto, afinal nunca havia ouvido ele falar assim.


- OK. Eu sei quem é o Malfoy.- Disse J.J.


- E? Só isso? Só vai falar isso?- Hermione bufava, aquilo já estava longe demais, era muito para uma pessoa só, as emoções eram tamanhas que não cabiam mais dentro dela, de repente a sala minúscula de J. começou a girar e ela sentiu o chão faltar.


 


_ Hermione, Hermione, consegue me ouvir?- Era uma voz suave, distante, Hermione conseguia ouvir mas não encontrava sua voz. _ Hermione, por favor, fala comigo.


Ao abrir os olhos, Hermione viu Malfoy ajoelhado ao seu lado, a preocupação era evidente em seu rosto e para sua surpresa, ao seu lado encontrava-se J.J com o semblante igualmente preocupado.  


- Aurora Granger? A senhora está bem?


- Sim.. desculpa o que aconteceu?


- Você desmaiou Hermione, tem certeza que está bem?


Com cuidado Malfoy ajudo-a levantar.


- Eu não queria aborrecê-la desse modo, me desculpe. – Disse J.J.envergonhado.


- O que você tem contra mim? – A voz de Hermione estava tingida de dor ao perguntar isso. – Porque você quis me prejudicar na missão?


- Eu, contra você? – Jenkins pareça mortificado que Hermione tivesse chegado a essa conclusão. – Eu não tenho nada contra você não senhora, eu fui obrigado, somente isso.


- E porque?


- É uma longa história, você não gostaria de saber.


- É lógico que eu vou querer saber, isso mudou minha vida.   


- Tudo bem, se vocês querem ouvir, eu conto. Há muitos anos atrás eu me casei com uma mulher linda, amável e que parecia gostar de mim, no começo nosso casamento até era feliz, porém, depois de um tempo ela começou a ficar estranha, distante. Depois que nossa filha nasceu o relacionamento ficou muito ruim, ela me acusava de amar mais a nossa filha do que a ela, quando Annie completou 1 ano minha esposa foi embora e me deixou Annie para cuidar.


- Ta tudo bem, tudo ótimo, mas até ai eu não vejo motivo para você arruinar minha vida. – Interrompeu Hermione.


- Já disse que nunca quis te destruir, eu simplesmente estou tentando contar como tudo aconteceu. _ J.J. parou um momento para respirar e continuou.-  A partir do momento que ela foi embora a Annie se tornou a razão da minha vida, ela era uma garota doce, tinha olhos castanhos esverdeados, um rosto de porcelana.- Ao mencionar a filha seus olhos se encheram de água.


- O que aconteceu com Annie? – Perguntou Malfoy.


- Quando completou  15 anos ela se revoltou com o fato de não ter mãe e se envolveu em um mundo que não era adequado a ela, passava a maior parte do tempo na Travessa do Tranco com as pessoas mais horripilantes possíveis, tivemos inúmeras brigas, mas de nada adiantou, no fim ela acabou me abandonando e fiquei anos sem vê-la.


- Eu sei que ainda não parece ter nada a ver com o fato de eu ter ajudado seu marido, mas logo você entenderá. – Disse Jenkins.


- Nessa época eu acabei começando a beber, afinal Annie era tudo pra mim e ficar sem ela era um tormento, no começo eu bebia pouco,  mais foi ai que minha história começou a se entrelaçar com a do Rony, ele foi convocado para capturar um comensal chamado Rockfoorti. Ele conseguiu capturá-lo e com ele sua parceira, Annie Jenkins.


- O que? – Perguntaram Hermione e Malfoy juntos


- Sim, minha filhinha linda, era agora parceira de um comensal. Quando capturaram os dois ela estava doente e em duas semanas ela acabou falecendo em Askaban.


Draco e Hermione se olharam com pesar.


- Logo depois disso, eu entre em depressão, minha vida não tinha mais sentido, eu nem sei te dizer como sobrevivi esses 2 anos, eu não vivia, somente sobrevivia, não consigo nem me lembrar de coisas que aconteceram.


- E o que te fez retornar a vida?- Perguntou Malfoy.


- A mais ou menos 6 meses o Rockfoorti fugiu, quando eu soube disso, eu fiquei furioso, fui tomado por um ódio que eu jamais senti, eu sempre fui uma pessoa pacifica, mas aquele homem mudou minha filha, ele transformou minha lindinha eu uma pessoa que eu não conseguia mais reconhecer.


- E o que você fez? – Perguntou Hermione.


- Eu o cacei pelo mundo, demorei 1 mês, mas consegui achá-lo. – Jenkins parou um momento, como se tivesse tomando coragem para dizer algo. – E o matei.


- O QUE? – Perguntaram os dois.


- Eu o matei, não consegui pensar em nada, quando o encontrei o matei, tudo que eu queria é que ele deixasse de existir.


- Mas isso não faz sentido... – Disse Hermione.- O Rony que o pegou, esse foi o maior caso da carreira dele.


- Esse foi o favor que ele me fez. – Disse J.J.


- Ainda não entendi. – Draco disse.


- O Rony foi designado para pegar o Rockfoorti, mas quando ele chegou eu já havia matado o Rockfoorti, eu sabia que minha vida estava arruinada, que minha carreira e minha liberdade já eram, então o Rony me disse que ele fingiria que ele tinha capturado o Rock mas que eles haviam duelado e Rockfoorti foi morto sem querer, com isso eu ficaria livre, mas devia um favor a ele.


- Mas que filho da puta! – Hermione não se conteve.- Ele não fez nada alem de ficar com o crédito do que uma outra pessoa fez, e ainda cobrou um favor.


- Me desculpe Sr. Granger eu não sabia que isso iria a prejudicar, ele só veio aqui e me disse que o dia de retribuir o favor tinha chegado e que eu tinha de encaixá-la na missão que o Sr. Malfoy foi designado.    


Hermione estava muda, ela tinha ido armada para falar com J.J., tinha imaginado uma pessoa cruel, fria e desprezível, mas ao encontrá-lo se deparou com um homenzinho simpático com uma história triste que foi usado pelo seu ex-marido.


- Hermione vamos embora, não temos mais nada o que fazer aqui. – Disse Malfoy.- Ele já disse tudo, não há nada que possamos fazer em relação ao passado, melhor irmos logo e nos concentrarmos na missão.


Hermione despertou de seu transe particular e concordou com a cabeça, já estavam se levantando para ir embora quando J.J. falou.


- Vocês não vão fazer nada comigo? – Perguntou J.J incrédulo.- Não vão me ameaçar? Me entregar? Nada?


- Não.- Disse Malfoy olhando para Hermione procurando uma confirmação.


- Não vamos fazer nada com você Sr. Jenkins, não sou como meu ex-marido, eu vim aqui em busca de respostas e eu já as tive, obrigada por sua sinceridade. – Disse Hermione enquanto se dirigia em direção a porta.


- Esperem!- Disse Jenkins.- Obrigado


Malfoy olhou para o pequeno sujeito a sua frente e sentiu uma súbita comoção ao se imaginar no lugar de Jenkins.


- Sr. Malfoy? – J.J. se dirigiu para mais perto de Malfoy.- O senhor ainda namora a senhorita Katherine?


- Como sabe de Katherine? – Indagou Malfoy.


- Estou muito grato por não me entregarem, por isso estou lhe alertando Malfoy, Katherine não gosta de você.


- Porque diz isso?


- Porque o pai dela trabalha aqui no Ministério, e ele também estava sabendo de que o senhor ia ser chamado para uma missão, ele não tinha nenhum interesse  até que soube que se colaborasse com a missão sua fortuna seria devolvida, depois disso ele veio aqui conversar comigo confirmar isso.


- Mas eu já namoro a Kath a algum tempo, antes da missão.


- Demora algum tempo até uma missão ser preparada, mas sim, quando vocês começaram a sair juntos ainda não tinha missão alguma.


- Então como pode dizer eu ela não gosta de mim?


J.J. olhou para o chão constrangido.


- Me diz - pressionou Malfoy.


- A mais ou menos 2 meses atrás sem querer eu presenciei uma discussão entre Katherine e seu pai.


 


 


Corredor do Ministério. 2 meses atrás.


 


- Pai, eu não quero mais namorar aquele homem. – Disse Kath  com uma voz que beirava o nojo.


- Mas ele é um Malfoy.- Disse Antony.


- Mas aquela casa dele é uma pocilga, o lugar é horrível, ele é pobre pai, ele é até bonito, mas só isso.


- Minha filha, preste atenção; Seu namorado vai ser chamado para uma missão e com ela eles devolverão seu dinheiro, agüente mais um tempo e será recompensada, namorará um homem rico.


- Que saco! Eu vou esperar pai, mais só porque ele vai voltar a  ficar rico, eu não gosto dele, nunca gostei, só fiquei com ele porque ele é bonito e tinha nome.


 


 


 


J.J relatou o que ouviu para Malfoy, ele olhava atônito para J.J. não conseguindo acreditar no que ouviu.


- Obrigado. – Disse Malfoy. – É bom saber.


- Eu não queria magoá-lo Sr. Malfoy, só queria alertá-lo para que não ficasse com alguém falso, eu estou grato por não me entregarem.


- Também fico grato por sua franqueza Jenkins.- Malfoy pegou em seu braço. _ Obrigado.


 


 


Malfoy e Hermione foram embora em silêncio, Malfoy olhava para o horizonte com o olhar perdido, longe. Malfoy deixou Hermione em sua casa e foi embora, voltou depois de 2 horas com uma aparência cansada, triste.


- Malfoy, onde você foi?


- Fui conversar com a Katherine.


- O que aconteceu?


- Ela confirmou tudo, inclusive que em achava um fracassado, que eu morava em uma pocilga e que nunca gostou de mim.


- Sinto muito.


- Não importa, terminamos. – Malfoy se sentou no sofá, e mesmo sem querer uma lágrima cai de seus olhos.


- Não fica assim Draco, eu não sabia que você gostava tanto dela.- Disse Hermione com pesar.


- Não é por ela que eu to triste, é por mim.


- Por você?


- Sim por mim, mais uma vez eu comprovei que ninguém gosta de mim de verdade.


“ O Céus, porque eu disse isso?”se perguntou Malfoy.


- Isso não é verdade.- Disse Hermione.


- Não? – O peito de Malfoy se encheu de esperança.


- Não, sua mãe gostava muito de você. _ A esperança dele murchou como um balão de ar.


“ Idiota, idiota, idiota, o que há com você Hermione? Bateu a cabeça quando era pequena? Bebeu chumbinho derretido? ‘ Sua mãe gostava muito de você’ que coisa mais idiota de se dizer. “ eu gosto de você “ isso sim era que era pra você dizer a ele, sua idiota” Discutia internamente Hermione.


- Sim minha mãe gostava de mim, mas pelo jeito só ela mesmo.


- Não. Eu me importo com você.- Disse Hermione olhando para baixo.


- Verdade?


- Sim.


- Quanto?


- Muito.- Disse Hermione. – Preciso dar uma saída, você me espera um pouquinho?


 


Hermione queria reverter a burrice de sua brilhante frase” , sua mãe gostava muito de você”, e na verdade ela também queria consolar um pouco Malfoy. Decidiu fazer um jantar para ele e depois pegou uns DVDs seus para assistirem juntos.


Quando Hermione chegou na casa e Malfoy ele estava no banho, passou então a arrumar a mesa, pegou uma toalha branca que tinha no armário e arrumou cuidadosamente, conseguiu umas velas e comprou uma comida deliciosa, estava tudo perfeito, fazendo jus a qualquer filme romântico.


Ao sair do banho Draco se deparou com a mesa toda arrumada e ao lado dela uma Hermione encabulada.


- O que é isso?


- Um jantar.


- E essa produção toda?


- Nada, só quis arrumar...


 


O jantar foi perfeito, nenhuma insinuação romântica, só uma conversa agradável sem agressões, brigas, nada.


- Por incrível que pareça, você e uma companhia agradável Draco. – Disse Hermione.


- Você também.


Hermione começava a ficar nervosa, eles daqui a bem pouco tempo estariam juntos assistindo filmes, só de pensar nisso se coração já deu uma leve acelerada.


O filme já estava rolando a algum tempo e Hermione estava muito atenta as correntes elétricas que teimavam em percorrer seu corpo cada vez que Malfoy chegava mais perto. Mais ou menos no meio do filme Hermione sentiu uma mão pegando na sua, seu coração deu um pequeno solavanco e parou por alguns segundos e depois recomeçou a bater de uma forma completamente errática, cada circulo que Malfoy fazia com o dedo por sobre a pele da mão de Hermione o coração dela reagia, não se contendo Hermione virou seu rosto para vê-lo e a partir desse momento ela sabia que não tinha volta, ela estava apaixonada por ele, e não adiantava negar esse fato, ela pousou sua cabeça levemente no ombro de Malfoy e sentiu o doce aroma que exalava de sua pele alva, fechou os olhos e relaxou, ficar ali era como encontrar um lugar seguro, como um barco que a muito tempo estava a deriva e agora encontrou seu cais.


Pouco tempo depois Hermione sentiu uma mão afagando-lhes os cabelos, virou novamente seu rosto e encontrou o de Malfoy, as bocas se uniram com delicadeza e suavidade, aquele eram um momento deles, um beijo doce, carinhoso, era tudo que eles estavam precisando no momento, ambos com corações  despedaçados, partidos.


E naquele momento os dois juntos, uniam seus corações despedaçados, para formar um único coração inteiro.


________________________________


Continuo sem Beta por isso ignorem os erros, e se alguem quiser se canditar a Beta agradeço imensamente.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.