FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Capitulo Único


Fic: NC-16 OBEDIÊNCIA. LandaMS. Cap único.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

O barulho do salto ecoava pelo piso de cerâmica da enorme mansão. Ela iria cumprir o seu destino. Estava se odiando por ter-lo desafiado. Uma aposta idiota que fizera para provar que nunca sua casa ganharia a Taça das Casas. E acabara perdendo. E para completar fizera um pacto com ele para garantir que nenhum dos dois fugisse da raia quando o resultado saísse. Ela tinha certeza de que Grifinória ganharia disparado. Quando a voz da diretora anunciou que a casa mais detestada pelo resto da escola tinha quinhentos e quarenta e dois pontos, vira seu mundo ruir diante de seus olhos.
Não tinha mais os amigos para defendê-la. Harry morrera para salvar o mundo bruxo há um ano e meio e Rony falecera de um vírus muito raro quase na mesma época. As únicas amigas que lhe restaram foram Gina e Luna, mas não podia contar a elas que fora estúpida o suficiente para apostar uma semana de "escravidão" com seu pior inimigo. Ele abusara de toda autoridade que o acordo lhe oferecia. Maltratou-a mais do que antes, quando ainda eram menores de idade. E hoje, ambos com 18 anos, ele a fizera sofrer em uma semana mais do que em toda sua vida. Mas nada se comparava ao que tinha que realizar para seu "mestre" nessa noite. Ele fora categórico ao impor suas condições. E ela relutante, teve que acatar a cada ordem dada por ele, se não quisesse morrer, por causa do maldito pacto, caso viesse a recusar morreria instantaneamente.
No banheiro feminino da escola ela chorou borrando toda a maquilagem que ele exigiu que ela usasse. O sobretudo que ele arrumara para ela usar, parecia não esconder nada de seu corpo por mais que ela o apertasse em volta do mesmo. A boca carnuda e sensual estava mais evidenciada pelo batom vermelho claro, os olhos castanhos mais chamativos por causa da maquilagem pesada. O lingerie, mas mostrava do que escondia suas belas formas. Hoje seria o dia que sua vida se transformaria para sempre.


*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


Parou na frente da porta e girou a maçaneta como fora instruída mais cedo. Abriu-a. Entrou silenciosamente fechou a mesma bem devagar. Olhou ao redor e viu o requinte do lugar em que estava. Uma enorme cama de casal com lençóis macios estava num canto perto da janela. Uma segunda porta que estava fechada imaginou ser o banheiro. Dois lustres de ouro pendiam do teto, deixando o ambiente sensual e misterioso. Continuou passeando o olhar até encontrar o que procurava. Ele estava sentado numa poltrona, a perna esquerda apoiada na direita. O copo de alguma bebida muito forte presa entre os dedos, os cabelos extremamente loiros cobriam displicentemente os olhos cinza.
Sem se movimentar muito, ergueu os dedos da mão direita e acenou para que ela se aproximasse. Ela suspirou resignada. O corpo tremendo. Enrolou mais um pouco o, sobretudo no corpo e caminhou em sua direção lentamente. O salto fazendo um pequeno barulho no piso negro do quarto. Parou em frente a ele e tentou segurar ao máximo a tremedeira em seus joelhos. Viu quando ele deu o ultimo gole na bebida e depositou o copo na mesinha ao lado da poltrona. Ela procurou não olha-lo enquanto ele fazia seus movimentos. Mas quando ele falou, foi inevitável não fitá-lo.
_Sabe, Granger. Esperei a semana inteira para que esse dia chegasse logo.
Os olhos azuis faiscando de desejo. E nesse momento ela descobriu que não podia esperar que ele fosse carinhoso com ela, assim como Ronald tinha sido quando descobriram que se amavam. Ela seria uma escrava. E escravas não sentiam prazer, apenas davam o que seus "senhores" exigiam delas. Ele fitou-a profundamente e quando um sorriso diabólico brotou no rosto bonito, ela o odiou com todas as forças do seu ser, mas, mais do que isso ela se odiou ainda mais por achá-lo bonito e sexy naquelas roupas sociais. Camisa branca com punho dobrado ate os cotovelos, e calça preta de linho. O sapato acompanhava a cor da calça.
Draco Malfoy era um canalha, ela sabia disso. Mas quem acreditaria numa garota que apostara com ele uma semana de escravidão para quem perdesse uma aposta idiota? Ninguém.
Ele se curvou para frente num movimento lento. E ela tremeu mais ainda. O olhos analisando-a dos pés a cabeça lentamente.
_Venha até aqui. Ordenou com voz calma.
Hermione engoliu em seco ao mesmo tempo em que fechava os olhos.
Abriu-os e caminhou mais um pouco na direção de Draco.
Quando estava próxima aos joelhos dele parou, esperando o próximo movimento.
_Olhe para mim. - Outra ordem dada com calma.
Ela o fitou profundamente. E quando sentiu as mãos dele espalmadas em suas canelas, seu corpo tremeu de medo e ao mesmo tempo de ansiedade pelo toque suave.
As mãos másculas subindo por suas pernas, debaixo do sobre tudo, estava elevando o calor do corpo da garota. Quando o sentiu desviar as mãos para as nádegas afastou-se bruscamente, e pode perceber que um brilho de fúria apareceu nos olhos acinzentados.
_ Não mandei você se afastar. Exclamou ríspido e ao mesmo tempo se levantando.
Hermione abriu e fechou os lábios, mas nenhuma palavra saiu de sua boca. Estava nervosa demais. E sem que ele ordenasse cobriu a distancia que os separava. Tinha que deixa-lo fazer o que quisesse, afinal tinham um pacto e como não queria morrer tão cedo, tinha que cumpri-lo. Tinha que obedecer a seu inimigo.
_Ainda bem que é inteligente, Granger. Não quero ter um cadáver no meu quarto. Disparou as palavras, alfinetando-a de modo cruel.
Ela quis chorar, mas engoliu o choro, afinal era uma grifinória, e grifinórios, tinham bravura como armas para enfrentar qualquer mal que viesse a atravessar o seu caminho.
E em vez de impedir que ele a tocasse, ela se deixou tocar por Draco novamente. Sentiu ser guiada e presa a uma parede próxima.
_Sabe, Sangue-ruim. Confesso que vou adorar te possuir essa noite. - Ele sussurrou próximo ao ouvido dela.
Hermione fechou os olhos, ao mesmo tempo em que ele mordiscava o lóbulo de sua orelha esquerda.
O aperto do corpo dele contra o seu, as costas sendo pressionadas a parede não tiraram o desconforto das mãos dele passeando por sua cintura e de sua boca beijando seu pescoço, ainda coberto pela gola do sobretudo. Sentiu quando ele se afastou um pouco e levou a mão ao laço que prendia o sobretudo a cintura dela. Ela estremeceu ainda mais. Tentou segurar a roupa ao corpo, mas ele afastou-as com violência, voltando a beijar a pele exposta com luxuria. Assim que percebeu a relutância dela em deixar que ele a despisse, abriu a roupa com mais violência ainda e deixou que escorregasse pelos ombros da moça indo parar amontoados aos pés dela. Hermione tentou cobrir as partes que estavam cobertas pelo sutiã e pela calçinha. Draco sorriu com o rubor que tingiu a pele branca.
_Tire as mãos, quero te ver. - Ordenou novamente.
Hermione não obedeceu.
Draco cerrou os olhos em fúria.
_Eu disse: - e com outro movimento brusco agarrou as mãos dela e tirou-as do caminho. -Para você tirar as mãos.
Hermione soluçou. E ao mesmo tempo lutou para que as lágrimas não escorressem.
Draco se afastou um pouco e analisou o corpo dela em detalhes. Dos pés a cabeça. Demorando um pouco mais de tempo no quadril e nos seios perfeitos. Hermione fechou os olhos e virou a cabeça para o lado, deixando os braços caídos ao lado do corpo, sentindo-se mais envergonhada do que jamais se sentiu. Sentia-se uma presa acuada pelo predador. Um pedaço de carne, sendo observada numa vitrine qualquer de algum açougue.
De repente sentiu seu corpo ser prensado novamente contra a parede. Draco encostara-se a ela, não deixando qualquer espaço entre seus corpos. Levou as mãos automaticamente aos ombros dele para se apoiar e notou que ele já se despira da calça e da camisa. O único motivo que a impedia de vê-lo completamente nu era a cueca box azul que ele usava.
Mas o tecido não impediu que ela sentisse um volume enorme tocar-lhe o baixo ventre.
_Você é linda. - Sussurrou no ouvido dela.
Hermione por um momento não acreditou que ouvira sair daquela boca um elogio como aquele. Daquela mesma boca que muitas vezes a machucara com palavras venenosas, e que agora dissera que ela era linda.
Mas levou apenas o tempo que seu cérebro teve para absorver a frase e logo sentiu que ele já começara a traçar um rastro molhado e quente por seu pescoço, descendo para seu colo e entre os seios cobertos pelo sutiã. Hermione manteve os braços ao lado do corpo. Tinha medo de fazer qualquer movimento em falso e se arrepender depois. Seu corpo começou a tremer quando viu que ele descia perigosamente por sua barriga e acabou não se contendo. Tentou repeli-lo puxando-lhe os cabelos. Ele se irritou e ao erguer-se, ficou com o rosto rente ao dela. As bocas muito próximas. Ele a olhou profundamente irado. E com outro movimento brusco, Draco agarrou os cachos sedosos com violência e a arrastou em direção a cama, sob muitos protestos da garota.
Draco a jogou sobre o colchão sem usar de delicadeza para tal ato e se deitou por cima.
_Se você não se comportar direitinho, vou ser obrigado a te machucar. - Falou com a voz baixa, cheia de ira. - Você me entendeu? - Um puxão forte no cabelo fez com que seu pescoço fosse exposto.
Hermione não respondeu e quando sentiu outro puxão mais forte e a voz carregada chegar aos seus ouvidos fechou os olhos derramando uma lágrima.
_Você me entendeu, Sangue-Ruim?
Ela não conseguiu encontrar a voz e com um movimento quase imperceptível de cabeça e um soluço concordou.
Viu quando o cretino deu um sorriso meio lábio, e antes que pudesse raciocinar direito, sentiu sua boca sendo explorada sem pudor. Ela tentou empurra-lo, mas cada movimento que ela fazia Draco a prensava mais e mais ao colchão.
Quando percebeu que precisavam respirar, ele procurou desviar os beijos para outros lugares. Hermione não pode fazer nada, a não ser deixar que ele explorasse seu corpo sem cerimônias. Draco estava possuído por um desejo incontrolável. Queria senti-la, estar dentro dela o mais rápido possível, mas sabia que ela não estava preparada para recebê-lo. E mais do que isso queria faze-la gritar o nome dele quando explodisse de prazer. Draco queria ser carinhoso, mas ao mesmo tempo impetuoso, achava mais excitante da forma que estava agindo com ela. Sentia que poderia ter mais prazer, possuindo-a com toda volúpia. Hermione não podia negar que os lábios dele estavam fazendo seu corpo esquentar de uma forma que jamais imaginou. Nem com Rony ela sentira o corpo tão ardente. A pele queimava, e sentia que a qualquer instante arderia em chamas e queimaria todo o quarto. A boca dele fazendo o caminho de volta por sua barriga, por cima dos seios cobertos pelo sutiã, pescoço e chegando ao ouvido elevou ainda mais sua excitação.
_Quero escutar você gemer para mim, Granger.
O fio de voz ao pé do ouvido fez com que ela liberasse todo o ar que havia prendido nos pulmões.
E antes que ela tomasse consciência do próximo ato dele, escutou sua garganta liberar um pequeno gemido rouco.
Draco abaixara-se tão rapidamente, que Hermione nem sentiu quando suas pernas foram afastadas. Draco brincava com os dedos em sua intimidade, com movimentos lentos por cima da calcinha, instigando-a.
Mas Draco queria ouvir mais, e por isso afastou a peça e tocou o sexo dela com língua, fazendo com que Hermione liberasse mais gemidos para seu deleite. Calculara minuciosamente a vestimenta dela, tudo para facilitar sua posse, desamarrou os lacinhos laterais da calcinha e jogou-a para fora da cama. Agora sim, tinha o que queria, totalmente ao seu dispor. Sorriu antes de se apossar novamente dela. Hermione tentou não obedece-lo, tentou não gemer, mas a língua imperiosa tocando-a daquela forma estava dificultando muito as coisas. Chegou a morder a ponta do travesseiro para impedir que ele escutasse algum barulho, mas foi inevitável, ele acabou ouvindo, e se deliciando com o que estava provocando nela.
Queria que ela explodisse na boca dele, e com movimentos mais ritmados alcançou seu objetivo imediatamente.
Hermione arqueou as costas quando sentiu seu corpo formigar dos pés a cabeça, e não conseguiu segurar o gemido enlouquecido que saiu de sua garganta quando alcançou o ápice do prazer.
Draco engoliu o líquido e ergueu-se, parando com o rosto próximo ao dela. Queria que ela descansasse, mas estava "duro" demais para esperar.
_Minha vez, Granger. - Falou a ela.
Hermione o encarou e percebeu quando Draco afastou os joelhos, abrindo ainda mais suas pernas. Levando a mão ao membro pulsante, deslizou para dentro dela com precisão. Hermione fechou os olhos e arqueou as costas, sentindo suas carnes dilatarem. Gemeu.
_Aahh!!!
Era o que ele queria. Ouvi-la gemer como ele ordenara. Ela abriu os olhos e viu ele a encarando, os olhos azuis brilhando de desejo e luxuria.
Começou a se movimentar devagar a fitando profundamente nas íris castanhas. Hermione fazia o mesmo. Os rostos não muito longe um do outro. Ela mordeu o lábio inferior para abafar um gemido alto. Ele sorriu meio lábio, mostrando que ela podia tentar fazer o que quisesse, mas que estava claro que ela não consegueria se conter, mesmo se tentasse.


Excitante. Gentil. Voluptuoso. Impiedoso. Sobre o corpo dela, dentro dela. Era assim que Hermione sentia Draco.
Suas carnes internas pegando fogo. Um fogo que ela sabia que terminaria assim que ele quisesse. Mas pelo visto ele não queria terminar aquela tortura tão cedo. Muito pelo contrario, queria torturá-la ainda mais. Apoiou-se no cotuvelo esquerdo e com a mão direita abaixou o sutiã meia taça que ela ainda continuava usando ate a cintura, sem desabotoar o fecho, levou um dedo a boca dela e fez com que ela chupasse ate molha-lo com saliva. Hermione não sabia o que levou sua consciência a ter tal ousadia. O que sabia, é que fez o gesto muito sensualmente e pode perceber que o rosto dele se contraiu em puro êxtase, com sua atitude. Draco quase não conseguiu se controlar ao a ver lambê-lo daquela forma tão provocante, que acabou por estocá-la com muita força, fazendo a liberar mais gemidos, mesmo com o dedo na boca. Tirou o dedo da boca dela e deslizou-o suavemente sobre os bicos rígidos fazendo com que se arrepiassem ainda mais.
Mais para ele não era o suficiente. Queria mais, muito mais.
Abaixou a cabeça e com a boca envolveu um dos seios, enquanto apalpava o outro, sem parar de se movimentar.
Hermione arqueou novamente o corpo, se entregando a caricia.
Draco entrelaçou os dedos nos dela, e a prendeu ainda mais a cama. O ritmo dos corpos agora totalmente sincronizados.
Os rostos voltaram a ficar muito próximos.
_Geme gostoso, pra mim... Geme. Ele pediu com a voz entrecortada.
Não precisava nem pedir. Estava difícil controlar a onda de prazer que invadiu seu corpo quando ele aumentou o ritmo dos quadris e deu aquela ordem.
Ela sentiu que um novo formigamento subia da ponta dos pés, passava pelas pernas, subia pela espinha, invadia o restante do corpo e descia novamente para o âmago de sua feminilidade. Explodiu acompanhada de um longo gemido.
O ápice chegou para Draco assim que sentiu ela lhe lubrificar por completo. Derramou-se dentro dela sem nenhum tipo de preocupação. Quando planejara esta noite, não queria que tivesse nenhuma complicação para depois do ato consumado, por isso procurou um curandeiro e exigiu uma poção protetora. Quando fora estipular as regras com ela mais cedo, obrigara-a a tomar a poção também. Estavam ambos protegidos por vinte quatro horas.
Ele deixou-se cair sobre o corpo dela, sentido seu coração martelar de encontro ao de Hermione. Sentiu um forte frenesi. Uma sensação de conforto. O cheiro do cabelo dela entrando pela suas narinas fazendo-o viajar naquele mar de sensações inexplicáveis. A respiração de ambos voltando ao normal. Ele rolou para o lado e ela permaneceu imóvel, com os olhos fechados, sua intimidade latejando.


*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


Cinco minutos se passaram e Hermione sentiu que o sono já começava a ganhar terreno. Draco também percebera isso. Mas se ela pensava que já tinha acabado, estava enganada. Draco ainda tinha fome. E uma fome que exigia ser saciada. Ele virou na direção dela e lhe beijou o ombro provocando-lhe. Ela abriu as pálpebras que estavam quase se fechando, e lembrou-se de onde estava.
Arrumou forças não se sabe de onde, para levantar e recolher suas roupas espalhadas pelo quarto rapidamente.
_Tenho que ir... Alguém pode dar por minha falta...
Mas quando pegou o sobretudo que fora deixado perto da parede ao qual fora prensada e apertá-lo contra o corpo escondendo sua nudez, se viu bruscamente virada e aprisionada contra a parede novamente.
_Onde pensa que vai, Sangue-Ruim? Você ainda não acabou seu trabalho. - Disse categórico.
Hermione o olhou perplexa. O que ele estava pensado? Não bastava uma única vez para que ele estivesse satisfeito? Pelo olhar malicioso dele, Hermione descobriria que não. - Você é minha pela noite toda. - A Voz possessiva demonstrava que não adiantaria argumentar de maneira nenhuma.
E antes mesmo que Hermione pudesse reagir se viu violentamente beijada. Draco esmagou os lábios dela sem piedade, assim como suas mãos puxaram a cintura dela de encontro ao seu corpo, depois de arrancar o sobretudo do caminho.
A necessidade de respirar se fez presente, e o garoto deslizou com os lábios pelo resto do corpo delgado, parando na cintura, as mãos apertando os seios, fazendo com que os bicos se enrijecem ao toque.
Hermione ofegou, a respiração descontrolada.
Não tinha como não sentir o que ele estava fazendo. As mãos másculas passeando por seu corpo sem pudor algum. Hermione não queria, mas foi inevitável não gemer e se contorcer quando a boca dele alcançou novamente o seio direito.
O toque suave dos dedos arrepiando a pele da barriga ao sentir Draco escorregas-los, até encontrar sua feminilidade que já estava úmida novamente.
E num movimento rápido Draco puxou e prendeu a perna dela a sua cintura, fazendo suas intimidades se tocar ainda mais.
Olhou rapidamente para baixo e posicionou-se de modo a penetrá-la. Ela arqueou as costas e se deixou invadir. Ele se movia devagar, aumentando o prazer em ambos. Os olhos castanhos fitando os acinzentados profundamente.
Os lábios rosados dela soltando o ar de encontro à face dele. Respirações descontroladas e gemidos tímidos sendo liberados.
Tudo tão sensual que era até difícil de acreditar que faziam sem odiar um ao outro.
O polegar contornou o lábio inferior que estava levemente inchado com delicadeza antes dele sussurrar maliciosamente:
_Você é uma delicia, Granger.
Hermione não conteve o gemido quando ele a penetrou com a destreza de um verdadeiro amante. Desejos incontroláveis...

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


Tão vulnerável. Tão submissa. Tão desejável.
Como ela podia cheirar a flores campestres mesmo depois de um ato de amor, ele não compreendia. Apenas sentia. A mente de ambos fervilhava com pensamentos nada sensatos. Draco era o mais confuso, por ser quem era, e por saber quem Ela era. Queria que o mundo parasse. Que pudesse viver aquele momento para sempre.
A mente de Hermione talvez não ficasse muito atrás com tais pensamentos.
Draco sabia que depois que aquela semana acabasse tudo mudaria. Iriam ser apenas Draco sangue-puro Malfoy e Hermione sangue-ruim Granger. Mas, não! Não queria isso. Desejava mais do que tudo que ela fosse apenas dele e de mais ninguém. Essas vinte e quatro horas que passaram juntos seria o tão sonhado divisor de águas que sempre desejara. Era um homem livre graças a ela. E queria continuar assim.
Hermione sentia-se muito confusa. Queria ir embora, mas as lembranças dos momentos íntimos que tiveram a noite passada afloravam em sua mente vividamente. Queria que Draco a deixasse em paz. Queria se ver livre dele para sempre. Agora estava livre. Do pacto e principalmente dele. Sabia que se ele exigisse que ela o satisfizesse mais uma vez com certeza morreria. Estava exausta. O corpo todo doía. A pele, antes imaculada, encontrava-se totalmente cheia de hematomas causados pelas constantes mordidas que ele fazia questão de aplicar.
Queria sair daquela mansão. Do quarto dele. Da cama dele. E ao mesmo tempo desejava ficar ali para sempre. Mas sentia que seria impossível, com um braço possessivo a lhe apertar contra um corpo esculpido por um esporte que ela detestava.
Por outro lado Draco queria Hermione ali. Bem junto de si. Queria sentir o perfume do cabelo dela, da pele macia, dos contornos perfeitos do corpo de mulher que ele provara horas antes. Admirou-a muito durante a noite. Ela era forte. Gostava disso numa mulher. Fizera tudo que ele mandara sem se sentir humilhada, por mais que ele a estivesse humilhando quando a tocava com mais brutalidade. E agüentara a carga de vezes que se entregara à ele sem reclamar do cansaço. Ele, Draco, a tivera por nove vezes. De varias maneiras diferentes e em varias posições diferentes. Mas ela não quis parar nenhuma vez. Descobriu que Ela o completava definitivamente.

*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-


Não podia ficar nessa situação a vida toda. Hermione pensara decidida. Tinha que tomar coragem e sair dali o mais rápido possível.
Mexeu-se na cama e sentiu quando o braço deslizou suavemente sobre a camisola de cetim vermelha que conjurara logo após saírem do banheiro. Lugar onde consumaram seu ultimo ato de luxuria. Hermione insistira que dormiria em Hogwarts, mas Draco não deixara, alegando que Ela devia cumprir suas ordens. Relutante deitou-se ao lado dele na cama e deixou-se abraçar. Adormeceram.

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*


Deslizou da cama, sentindo o braço dele deslizar suavemente por sua cintura. Mas quando seus pés tocaram o chão frio a procura dos sapatos, assustou-se com a pequena diferença de profundidade que o colchão dera. Parou imóvel, enquanto Draco postava-se atrás dela e dizia:
_Você já vai? -Perguntou com a voz melosa que chegou a surpreende-la. Hermione não ousou responder.
Draco afastou os cachos do ombro direito e depositou os lábios carinhosamente na curva de seu pescoço distribuindo selinhos no local.
_Malfoy... Por favor, não. - Hermione suplicou ao mesmo tempo em que encolhia o corpo. - Eu tenho que voltar para a escola.
_Mas hoje é sábado... Sei que você não tem nada para fazer... - Sussurrou no ouvido dela.
Continuou com a caricia no pescoço enquanto Hermione fechava os olhos em sinal de rendição.
Por um momento deixou se levar, mas tinha que resistir. Não podia se entregar novamente. No inicio fora obrigada, mas agora tinha que resistir a esse desejo desenfreado que acabara de surgir. Recobrou a consciência e falou:
_Eu sei que estamos de folga, mas quero estudar para a prova da semana que vem. - Levantou-se e pode perceber no olhar cinza um sinal de desapontamento. Estaria ele tendo os mesmos sentimentos que eu? Hermione pensou confusa.
_Quer que eu fique aqui, Malfoy?
Quando percebeu, já tinha pronunciado as palavras, sem que pudesse refrear a vontade. Desviou o olhar, constrangida.
_ Sim. - Ele respondeu.
Hermione Granger quase teve um enfarto quando ouviu a monossílaba sair dos lábios dele.
Estaria Draco tentando brincar com seus sentimentos? Estaria ele falando sério? Por que seu olhar demonstrava que não estava de brincadeira? Que era apenas mais uma de suas ironias? Todas essas perguntas ecoavam em sua mente, fazendo sua cabeça latejar de dor.
_Malfoy, se for mais uma de suas brincadeiras sem graça, vou logo dizendo que eu não acredito em nada. - Falou tudo tão rápido que Draco não teve tempo nem de argumentar. - Nosso pacto acabou, e nossa aposta também. Eu não te devo mais nada...
_Não é uma brincadeira, Granger. Quero que fique aqui, comigo. - Aproveitou o tempo que ela parou para tomar fôlego e a interrompeu. - Aliás, quero que fique comigo para sempre. Eu te amo.
Choque. Não havia outra palavra para descrever esse momento se não fosse essa. O queixo de Hermione caiu alguns centímetros e a voz sumira de uma hora para outra com a revelação. Então Draco Malfoy a amava, e acabara de revelar isso?
_O... O que?
_Quer que eu repita? - Respondeu com outra pergunta, ficando de pé perto dela. - Eu te amo.
Hermione não soube o que dizer. A voz sumira outra vez.
Percebendo o olhar de dúvida dela ela começou a falar demasiadamente:
_Sei que não devia, porque somos diferentes, mas não consegui evitar. Comecei a te amar desde aquele dia que você entrou no baile acompanhada por Vitor Krum, no quarto ano. Eu senti uma coisa muito diferente, acho que foi ciúmes. Nunca em minha vida tive sentimentos como aquele. Quando descobri que estava namorando o Weasley quase morri. Meu mundo desabou, quando vi ele te beijar no corredor no dia em que o Potter morreu. Queria que aqueles dentes de Basilisco tivessem perfurado os pés dele, quando vocês os deixaram cair. - Ele soltou uma risadinha nervosa. - Quando você apostou comigo sobre qual casa ganharia a Taça das Casas este ano, eu vi aí a oportunidade de tê-la só para mim. Não queria te maltratar, mas meu orgulho era maior toda vez que você me desafiava, contestando minhas ordens. Quando você partia e me deixava sozinho eu chorava por tê-la feito sofrer. Sentia sua dor. Queria te abraçar e pedir desculpas, mas não podia deixar que você visse minha fraqueza. Por isso te maltratava mais e mais. - Hermione permaneceu totalmente atenta a tudo que ele dizia sem pronunciar nenhuma palavra. E percebendo isso Draco continuou:
_Ontem, queria ter revelado tudo isso a você, mas mais uma vez, você se rebelou me obrigando a ser rude. Por isso peço desculpas. - Ele pegou a mão dela, que estava trêmula. - Você me perdoa? O pedido foi mais uma súplica.
Hermione o olhava fixamente. Não conseguia raciocinar direito. Apenas absorvia as palavras dele. O coração a palpitar descontroladamente. Tambem o amava, como jamais imaginou amar outro homem depois de Rony.
_Você me perdoa? Indagou mais uma vez.
Num impulso Hermione se jogou nos braços dele, sorrindo abertamente, enquanto ambos caiam em cima da cama. Ela o beijou por todo rosto freneticamente enquanto murmurava entre os beijos:
_Sim... Sim... Sim... Sim...
_Se soubesse que sua reação seria esta, teria me declarado antes. Riu junto com ela enquanto rolava na cama e ficava por cima.
Por um momento ficaram se olhando profundamente. A mão dele entrelaçada a dela. Os corações batendo no mesmo ritmo. Foi ele quem quebrou o silêncio.
_Eu te amo, de verdade.
Hermione fechou os olhos e sorriu, como se as palavras dele fossem palpáveis e respondeu:
_Eu também te amo. Muito, muito, muito.
Draco a beijou apaixonadamente. Sem pressa, sem luxuria, sem medo de ser muito feliz.

Fim

 



*******



 


N/A: Bom galerinha. Essa é minha primeira short, espero que curtam , assim como eu cuti escreve-la. Quero agradescer a Srta. Rouge por ter betado essa fic para mim, e dividir todos os elogios que vocês leitores disponibilizarem, com ela tambem. Mil beijocas e obrigado por prestigiarem mais um ato de minha insanidade. AHHH!! Já ia me esquecendo de algo muito importante. Um super bjo para a Crik Snap  que fez essa capa para mim as pressas. Ela odiou mais eu adorei o efeito.Brigadinda Cris.


 


N/B: Amei... A Hermione tem personalidade da Hermione e o Draco personalidade de Draco... PERFECT!


Em tudo muito bem feita.


Comentem...


Bejux vermelhos...


Srta. Rouge


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 12

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por LoLa Malfoy em 28/07/2017
amei! <3
Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 25/05/2014

Ameeeeeei!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por TCLestrange em 20/01/2014

O.M.G!!! 
Como essa fic consegue ser tão 'caliente' e tão fofa ao mesmo tempo?!
Ameeeeei simplesmente!..
Parabéns!..

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Flor do Inferno em 10/01/2014

simplesmente amei essa fic, realmente muito bom, a ideia do pacto foi otima tambem, adorei, poxa Harry e Rony mortos, uia primeira fic que vejo que os dois não fazem parte, muita boa, está otima a fic, adorei mesmo!

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por RiemiSam em 26/07/2013

Esse casal eh o que da para IMAGINAR nasmelhores POSIÇOES...rs Serio eles sao sexy demais!  Adoro suas Fics emtrei nao faz muito tempo e tenho lido todas as Fics deles.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Nicole Ninfadora em 02/02/2013

Uau! Uau! Uau! Uau! Jesus amado!! Q q isso???? Foi tão perfeito que eu quis ser a Hermione mesmo ela tendo sofrido antes!! Como faz?? Como faz pra ter esse Draco Malfoy só pra miiimmmm!! Pra mim todinha!!! COMOFAZZZ?? Vc foi muito fiél as personalidades do draco e da mione! Ficou simplesmente magnífico! Uma peça rara de se ler!! Um trabalho esplêndido! Não é todo dia que se lê fics assim! E o final foi perfeito!! A parte que ele coloca ela contra a parede também e diz que ela e linda! Essa hora foi a hora que eu mais quis ser a Hermione! kkkkkkkkk
Ficou perfeito! Está de parabéns!!
Beijoss! 

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por silvia xavierdos santos em 10/02/2012

Meu Deus eu quero esse homem prá mim!!! 9 vezes!!! Amei!!!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por PamyPotter em 09/01/2012

QUE LINDO! AMEI!

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Aylane Cristina Macedo em 26/12/2011

Suas fics são perfetas, acho q já li quase todas! Muito fofa essa *---* Adorei ^^

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por leleu_mione em 23/10/2011

Vixi, o que foi issooooo!!!!!!!!!
Pegando fogo aqui, que Draco magnífico uauuuuuuuuuuuuuu
Adorei, escreve mais, beijos.

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Láh Jane Weasley em 21/10/2011

"Quando você partia e me deixava sozinho eu chorava por tê-la feito sofrer. Sentia sua dor. Queria te abraçar e pedir desculpas..." 

Owwnt!   *--*

Só eu fiquei com os olhinhos brilhando quando ele disse isso?

Aiai.. esse teu talento pra escrever nc's..

não deixa ele se perder.   ; ]

E continue escrevendo. Sempre.

Vou lá ler tuas outras fics.   xD


bjbj 


Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Leticia Franciele Borghi em 08/08/2011

Aiai...

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.