FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

14. CAPÍTULO QUATORZE


Fic: Atração Ardente - Concluída


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPÍTULO QUATORZE


 


Ela trajava um vestido original da década de 1950. Um corpete de barbatanas sem alças e uma saia estreita em tule negra. Como complemento, calçava meias de seda negras, sapatos de salto alto cor-de-rosa choque brilhante, e uma echarpe de organza no mesmo tom. E ainda um colar de contas negras e cabelo preso, para o alto. Assim que a viu, Harry assoviou.


- Você está absolutamente fantástica. Quero levá-la para a cama e retirar toda a sua roupa, peça por peça, bem devagar.


Gina meneou a cabeça.


- Não temos tempo.


Era ele quem deveria ser o grande responsável. Mas era Gina quem o estava colocando nos trilhos naquele momento.


- O táxi está esperando.


Ele segurou a porta para ela entrar e seguiu para o outro lado. Ela parecia nervosa, Harry observou. Preocupada, temia não corresponder às expectativas. Que loucura! Claro que ela corresponderia. Ela encantaria a todos no baile. Tudo o que teria a fazer era ser autêntica. No entanto, ela parecia não compartilhar das mesmas convicções.


- Eu nem perguntei, sabe dançar?


- Eu não venceria um campeonato de dança de salão. Mas não se preocupe, Harry. Não vou envergonhar você.


- Você jamais me envergonharia, querida. Você é brilhante e linda, e é a mulher que eu amo. Se eu pudesse, dançaria com você a noite toda. Mas a questão é que estarei recepcionando e terei de estar em contato com as pessoas.


- Não tem problema.


Havia uma leve hesitação no tom de voz de Gina. Ela devia pensar que ele a estava atirando aos lobos.


- Eu te amo, Gina. E realmente aprecio o que está fazendo por mim.


- Está tudo bem.


Embora os dois soubessem que não estava. Aquela noite seria um teste. Gina seria aceita no mundo dele? Ela suportaria aquele ambiente?


Ele a ajudou a sair do táxi. Quanto mais perto da entrada, mais Gina sentia-se congelar por dentro. Respire, disse a si mesma, e concentre-se em manter a cabeça no alto e os pés no chão.


Mas quando olhou à sua volta e viu os vestidos compridos negros e os homens todos de smoking, Gina sentiu-se completamente deslocada. Seus sapatos e sua echarpe cor-de-rosa estavam completamente errados. Tudo o mais era de um negro opaco. Por que não havia ao menos uma mulher usando um vestido vermelho tomara-que-caia? Será que já não estavam fartos de se vestir de negro durante o dia, no trabalho?


Aparentemente não. Eles pareciam quase todos idênticos e ela era a única a se destacar. Ela, que desejava se esconder de todos aqueles olhares de desaprovação.


- Gina, este é Mark, um dos meus colegas do escritório. Mark, Gina.


Harry a apresentou com seu sorriso mais brilhante nos lábios.


- Ah, deve ser essa a garota que está escondendo de nós. Encantado.


Mark reparou em como Gina estava vestida e, embora não tenha dito, Rose pôde adivinhar seu pensamento. - Oh, muito espalhafatosa. Não é do nosso meio.


- Você não é advogada, é? - perguntou Mark. Era óbvio que não, não era?


Harry explicou.


- Gina é especialista em roupas antigas. Atualmente trabalha como curadora de museu em regime parcial. Especialista em restauração.


Ele frisou o regime parcial, mas evitou falar da barraca no mercado, reparou Gina. Por quê?


Provavelmente porque ninguém naquele lugar saberia lidar com isso. Não havia nada de distinto numa barraca de mercado.


- Roupas antigas? - inquiriu Mark, educadamente.


- Qualquer coisa entre as décadas de 1950 e 1980. Embora eu negocie nos fundos do mercado.


Pronto. Ela dissera as palavras. As duas palavras que, naquele ambiente, fariam as pessoas se sentirem tremendamente desconfortáveis: negociar e mercado.


- Interessante. - falou Mark. Cortês, mas louco para escapar.


Dois segundos depois, Mark acrescentou:


- Ah, lá está Anthony. Preciso falar com ele antes que ele suma.


Foi um grande erro ter vindo. Ela devia ter gritado no último minuto. Ter dito que estava com dor de barriga.


A mesma coisa aconteceu com todos a quem Harry a apresentou. Os homens ficavam um pouco nervosos e as mulheres a olhavam de cima a baixo. Uma ou outra pessoa pareceu ser genuinamente amigável, mas a maioria a tomou por uma caça-dotes ou puta.


Bem, ela sobreviveria. E depois nunca mais teria de estar com eles novamente. Portanto, ela sorriu. Dançou. Foi tão encantadora quanto possível.


E então, ela foi até o bar, para pegar mais champanhe. Embora estivesse na fila sem incomodar ninguém, as três mulheres à sua frente conversavam em voz bem alta. Gina percebeu que era de propósito, para que ela ouvisse a conversa.


- Bem, não é o que eu esperava para o Harry. Não faz o tipo dele, em absoluto. - disse a loura.


- E toda aquela conversa de trajes antigos, o que ele realmente quer dizer é que são coisas de segunda mão. - acrescentou a morena.


- Como alguém pode suportar usar sapatos de segunda mão? Mesmo que se saiba de onde eles vêm, ainda assim seria... argh. Eu não conseguiria.


Gina não podia vê-las de frente, mas adivinhava as caretas.


- Claro que vocês sabem acerca do julgamento. - disse a terceira, que usava um vestido ultra-apertado. - Ela esteve no banco dos réus há poucos anos. Acusada de negociar mercadorias roubadas.


Gina tremeu. Pelo amor de Deus, ela fora inocentada, o veredicto tinha sido justo!


- Vocês sabem que isso não vai pegar bem para o Harry, estar associado a alguém que esteve num processo de mercadorias roubadas. - disse a loura.


- Foi a única sentença dela? - perguntou a morena.


- Ela não foi de fato sentenciada. À primeira vista, ela se safou, do ponto de vista técnico. - disse a do vestido apertado.


Gina espumou de raiva. O veredicto fora unânime. Não a consideraram culpada. E isso era a mais pura verdade.


- Desde então, ela não se meteu em mais nada. Mas quem sabe? Pode apenas estar sendo ardilosa. - acrescentou a do vestido apertado. - Acho que ela tem qualquer coisa a ver com esse caso que ele está supervisionando agora. Uma negociante de computadores que está sendo processada por fraude.


- Em parceria com ela, você acha? - perguntou a morena.


- Pode ser. - disse a do vestido apertado. E suspirou: - Pobre Harry. Está sendo feito de trouxa, concorda?


- Ela conseguiu um bom peixe. Ele mordeu a isca. Ela pegou o melhor peixe de todos no nosso prédio. Foi esperta. - disse a loura.


O quê? Agora elas a chamavam de caça-dotes e insinuavam que ela estava com Harry apenas pelo estilo de vida que ele poderia lhe proporcionar? Gina ficou louca de vontade de juntar as cabeças daquelas mulheres num estouro só. Mas elas eram colegas de Harry, e uma briga só tornaria as coisas mais difíceis para ele.


- Veja você, - disse a do vestido apertado - ele não está trabalhando muito bem ultimamente. Está disperso.


A mulher deu uma tossidela.


- Bem, esses sapatos ao estilo "me coma" dizem tudo, não é verdade? Claro que ele vai ficar distraído. Que homem não ficaria quando lhe é oferecido sexo assim, numa bandeja?


Gina fechou os olhos. Então agora ela era uma puta? Caça-dotes e puta. O que viria a seguir? Viciada? Assassina de machadinha em punho?


- É uma vergonha. Ouvi dizer que ele não vai mais cumprir suas antigas promessas. - disse a loura.


Nesse instante, a raiva de Gina desapareceu. Harry não estava indo bem no trabalho por causa dela?


- Aparentemente ninguém na família conseguiu alcançar o padrão do velho Potter. Com o pai de Harry, foi a mesma coisa. Começou bem, mas apagou-se cedo.


Gina congelou. Harry já admitira querer igualar o recorde do avô. Mas não dissera nada sobre seu pai. Será que Harry queria compensar o fato de seu pai não ter conseguido o feito de igualar-se ao velho Potter?


- E ele vai quebrar a cara se ficar saindo com uma mulher como aquela. É uma pena, mas ele não será o primeiro cuja carreira despenca ladeira abaixo por não conseguir manter as calças fechadas. - comentou a do vestido apertado.


- Isso mesmo. Olhe para Sirius. Ele poderia ter ido ao ápice. Todos pensavam que fosse superar o pai de Harry na vaga para o Conselho dos Advogados da Rainha. Mas saiu do páreo. Agora está na segunda divisão. - disse a morena.


- Eu gosto de Sirius. - protestou a loura.


- Ele é um docinho. Todo mundo gosta dele. Mas depois de ter casado com Natasha não conseguiu chegar a lugar algum. Não se adequou... - explicou a morena.


- Sei, ele não é o padrinho de Harry?


- Sim, que coincidência! Harry tem um exemplo debaixo de seu nariz e está cometendo os mesmos erros. Alguém tem que falar com ele, antes que seja tarde. É uma pena ver uma promessa brilhante ir para o lixo.


Mesmo que Gina considerasse muito do que elas tinham dito como ciúme, não deixava de ter um fundo de verdade. O trabalho de Harry era importante para ele. Ela sabia que ele desejava chegar ao topo de sua carreira. E, para isso, precisava de uma boa mulher junto dele. Uma mulher que se ajustasse ao ambiente dele. Uma garota de cidade vestida com um conjuntinho elegante.


Gina era uma garota da cidade, mas vestia-se com seda, rendas e veludo. Tecidos e acessórios antigos. Gina de segunda mão.


Harry fora bastante cuidadoso em não mencionar a sua barraca do mercado. Dissera que ela era especialista em roupas antigas e falara sobre o trabalho no museu. Curadora seria uma ocupação aceitável para a namorada de um advogado. Já vendedora de barraca de mercado não era bom o bastante. E sem chance ser uma esposa adequada a um membro do Conselho de Advogados da Rainha...


Se Harry ficasse com ela, teria de abdicar dos sonhos na carreira. Ela o havia questionado sobre seus sonhos, portanto sabia que ele queria chegar ao topo por vontade própria, não para satisfazer alguém mais. Não era para ter poder e glória, mas para fazer a coisa certa. Transformar o mundo num lugar melhor.


Que inferno! Ela sabia o que era ter sua carreira esmagada. Não queria isso para Harry. Não gostaria que ele tivesse de enfrentar todos os "poderia ter sido" e os arrependimentos.


Se tivesse de escolher agora, ele a escolheria. Já deixara isso claro, convidando-a para o baile. Mostrando ao seu mundo que estava orgulhoso dela como sua companheira. Mas, com o passar dos anos, ele veria as pessoas o ultrapassarem, pessoas que talvez não fossem tão boas quanto ele. Então, começaria a se ressentir de não ter seguido seu trajeto profissional. Isso queria dizer que ela não tinha escolha.


Gina conseguiu atravessar a noite com um sorriso nos lábios. Conversou com os colegas dele e agiu como se estivesse bem. Estava com o coração partido, mas não poderia impedir Harry de seguir seus objetivos. Precisava tomar a atitude correta.


Ela estava quieta no táxi durante a volta. Quando finalmente chegaram à cobertura, Harry abriu a porta do terraço. Não estava chovendo. Ele colocou a canção favorita dela para tocar.


- Quero dançar com você. Apenas você e eu.


Harry soltou o cabelo dela e começou a beijá-la.


Então seria uma despedida bem especial, pensou Gina. Daria seu coração a ele pela última vez. Com as mão trêmulas, retirou a gravata e a faixa do smoking. Quando estava a meio-caminho, nos botões da camisa, ele a apanhou nos braços e a levou para a cama.


No quarto, Gina continuou a despi-lo e a beijar cada centímetro de pele, procurando guardar a textura em sua memória. Ela sabia que não teria outro homem depois dele. Mordiscou-o de leve por todo o corpo. Céus! Como ele era perfeito. Parecia um atleta. Ninguém diria ter um trabalho sedentário.


Ele estremeceu quando ela desabotoou as calças compridas. Agarrou os cabelos de Gina enquanto ela seguia seu caminho provocando-o com a língua até que ele estivesse ofegante. Então, ela tirou o vestido e deixou-o cair no chão. Não era como uma peça antiga merecia ser tratada. Mas isso não importava; tudo o que importava no momento era Harry.


- Eu te amo. - disse Gina, e abriu as pernas.


- Todos os meus sonhos estão se tornando verdade. - sussurrou Harry.


Os dela também. Com exceção de que ela teria de acordar de seu sonho. Encarar a realidade.


Ela se esfregou contra ele, sentindo o calor de seu sexo pressionado contra as calcinhas dela.


Ele gemeu.


- Oh, Gina, preciso estar dentro de você agora.


Ela abriu a gaveta onde ele guardava as camisinhas e abriu uma delas desenrolando no pênis ereto dele. Rapidamente tirou as suas calcinhas, e o guiou para dentro dela.


- Oh, isso é demais! - Harry suspirava.


A cada beijo, ela sentia vontade de chorar, pois aquela seria a última vez. A última vez em que ele tocaria seus seios, provocaria seus mamilos. A última vez em que se olhariam nos olhos ao atingirem o orgasmo.


Ela se deixou ficar relaxada carinhosamente nos braços dele. Precisava disso.


Esperou até que a respiração de Harry estivesse profunda e regular. Sem acordá-lo, reuniu suas roupas.


Aquilo foi bem mais difícil do que recolher os pedaços quebrados depois da traição de Draco. Mas ela sabia que estava fazendo a coisa certa. Embora seu coração estivesse partido quando ela escreveu um bilhete, pôs no envelope, escreveu o nome de Harry e colocou junto ao computador.


Ela precisava enquanto ainda tinha forças.


Silenciosamente, ela fechou a porta do apartamento. Desceu e chamou um táxi. Ficou olhando pela janela traseira do carro até o prédio de Harry desaparecer.


- Adeus!


Adeus e vou amar você para o resto da minha vida.


 


 


 


 


 


Agradecimentos especiais:


 


Ginny M. W. Potter: eu também já vi essa versão no ff.net, mas fico feliz que você vai continuar acompanhando até o final. Beijos.


 


Bianca: acho que esse capitulo resume bem o que eu quis dizer. É realmente uma pena que a ruiva tenha decidido deixar o Harry, mas em breve as coisas se acertam, sem tribunal garota, o problema entre o Harry e a Gina é o fato dela não ser a “esposa” ideal para alguém na posição dele, mas ele vai remediar, espere o próximo. Beijos.


 


issis: que bom que você já voltou e realmente eu atualizei a fic bem rápido. Desculpe não ter atualizado antes e eu so fui dar uma olhada nos comentários ontem, mas ai vai um feliz aniversario atrasado para você. MEUS PARABENS! Ah, quantos anos você fez? Beijos.


 


Feh Potter: isso mesmo, o Harry é bem persuasivo, mas agora a Gina não deu chances para ele e caiu fora. Como você deve ter visto, o baile foi bom e ruim para a ruiva, ah fico feliz por você fazer propaganda da minha fic, é muito bom saber que você ta gostando... Beijos.


 


 


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.