FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. CIÚMES


Fic: NC-18 - O obscuro segredo de Harry Potter


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Primeiramente obrigados a todos que leem a fic. Fico super feliz,. Este foi umprojeto que comecei pensando que seria uma fic comum, mas me apaixonei por ele. Parte disso se deve a minha amiga Telmie que troca idéias maravilhosas comigo e está me ajudando demais a colocar esta fic no ar. Suas opiniões, sugestões e idéias é que estão fazendo que esta fic seja tão especial. Temile, obrigada!!! E obrigada a todos por visitarem a fic e deixarem seu comentários.. eu realmente amo tudo isso!!!!



Harry caminhou até uma praça próxima do Largo Grimauld, era onde ele havia ido com Hermione anos atrás, e eles haviam visto crianças brincando no balanço.. ele abaixou a cabeça e  deixou as memórias fluírem.


””


Flashback


Eles estavam de mãos dadas.... passeando  e os dois decidiram se sentar na praça e observar as crianças brincando na neve. Tinha nevado no dia anterior mas a temperatura não estava tão fria.


 


Uma bola colorida veio flutuando até cair nos pés de Harry que a parou com o pé suavemente. E imediatamente veio uma menininha, linda, com cabelos castanhos cacheados e imensos olhos verdes espertos para perto dos dois. Ela estava com uma calça justa rosa e um vestidinho por cima, um cachecol e um gorro ambos rosa, e um tênis emborrachado rosa, o rostinho afogueado por causa da brincadeira com uma amiguinha que a olhava de longe então ela chegou perto de Harry e disse:


 


---- Moço... pode me devolver minha bola??? Ela disse apontando para a bola colorida que agora estava na mão dele.


 


---- Claro que sim mocinha... mas primeiro me diga primeiro seu nome. Disse ele encantado com a garotinha.


 


Ela sorriu e duas covinhas apareceram no rosto dela e ela olhou Hermione e disse:


 


---- É sua namorada??? Disse a menininha ignorando a pergunta dele e apontado o dedinho para Hermione.


 


---- É sim... minha namorada....mas não me disse como se chama... disse ele segurando a bola ainda.


 


----- Eu me chamo Kay... e você???? Perguntou ela curiosa.


 


Pelo visto, ela era falante e Hermione interrompeu dizendo:


 


---- Kay.. ele se chama Harry e eu Hermione.... onde estão seus pais querida?? Disse ela impressionada com a beleza da garotinha e preocupada por não ter visto nenhum adulto ali por perto.


 


---- Em casa.. a gente veio com a babá de Susie... a gente joga bola sempre aqui... a mamãe deixa eu vir todo dia , depois de fazer o dever de casa... mas hoje não tive muita coisa pra fazer, minha professora, Srta. Dawson estava feliz, e só nos passou uma redação para fazer sobre o Natal; como eu já tinha escrito uma historinha para o Papai Noel, aproveitei e usei para fazer o dever e acabei rapidinho senão, não ia poder vir brincar na neve.


 


Harry riu e disse:


 


----- Parece com você... parece que é estudiosa e dedicada... Harry se virou para ela e entregou a bola dizendo:  ---- Vá brincar querida, antes que escureça e você tenha que ir embora.


 


---- Ok, muito obrigada.... disse a garotinha se virando e saindo saltitando em direção da amiguinha.


 


Harry suspirou e disse:


 


---- E aí?? Disse ele pegando o rosto dela entre suas mãos...


 


--- E aí o que? Disse Hermione curiosa.


 


---- Quantos destes vamos ter??? Preciso de uma daquela ali.. disse ele apontando para Kay.


 


Hermione riu e disse:


 


---- Santo progresso Senhor Potter! Começamos a namorar faz pouco tempo e já está falando em filhos??? Disse ela também olhando Kay.


 


--- Curso natural das coisas meu amor.. disse ele apertando a mão dela e sentindo a caixa do anel dentro do bolso da calça. Ele queria pedi-la em casamento ali mesmo.. naquele momento...


 


---- Curso natural.. disse Hermione extremamente feliz.. Sabia que Harry queria uma família, mas não sabia o quanto ele queria, até aquele momento.


 


Ele a beijou, e disse:


 


---- Hum, definitivamente deveria ter pedido o sorvete de morango... ou será que é sua boca que o deixa assim tão... tão.. gostoso.


 


Ela riu e disse:


 


---- O seu era de morango também.... disse ela rindo do galanteio do namorado.


 


De repente uma bola veio novamente na direção dos dois e era Kay novamente:


 


---- Me desculpe de novo mas, Susie é desastrada.... e ela ficou olhando os dois, provavelmente estava vigiando os dois enquanto se beijavam e perguntou - Vocês estão apaixonados?? Eu vi um filme, onde o moço pedia a mão da moça em casamento em um parque como esse e depois eles se beijavam, como vocês, disse ela baixinho, como se aquilo fosse um segredo. E eu vi você beijando a sua namorada e pensei que você tivesse assistido também o filme e tivesse pedido a mão dela em casamento....


 


Harry riu da imaginação da garotinha e viu que ela não estava tão errada assim e disse rapidamente:


 


---- Não vi o filme...mas posso te dizer.. realmente estamos apaixonados e definitivamente vou pedi-la em casamento.


 


Kay riu, juntou as mãozinhas e disse:


 


---- Que lindo.... olha eu moro ali, disse ela mostrando com o dedinho uma casa amarela com janelas e cercas brancas e completou... quando for se casar, eu gostaria de ir no casamento... acho tão romântico.... minha amiga disse que se a gente não pegar um buquê de noiva, isso quer dizer que a gente não consegue se casar.. e que quero me casar... quero um noivo bonito como você.. disse ela tagarela.


 


Hermione riu e disse:


 


---- Você é muito esperta pra sua idade , quantos anos você tem?


 


---- Oito... disse ela olhando para Hermione.


 


Harry se virou para ela e disse:


 


---- Então estamos combinados Kay, quando marcarmos a data do casamento avisamos a você e a seus pais, combinado??


 


----- Você promete??


 


---- Prometo !!!!


 


Ela bateu palma e se virou para ver quem a chamava.


 


---- Ih.. Tenho que ir... então... Feliz Natal!!!!


 


---- Feliz Natal querida... disse Harry entregando novamente a bola pra ela.


 


Kay saiu saltitando pela neve. E Harry fez uma anotação mental de trazer Hermione no parque no Ano Novo, para pedi-la em casamento.


x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x


 


Harry voltou a si, e estava perdido em pensamentos... ele se sentou no mesmo banco que sentara com Hermione há exatos dois anos e olhava insistentemente para o que deveria ainda ser a casa da garotinha Kay.


 


Era como se ela fosse sair dali, e transformar aquele hiato de dois anos entre sua vida e a de Hermione em poeira... era como se ele fosse bater ali para convidá-la para seu casamento.


 


Agora ele sabia que não era possível... ela estava engajada e determinada a se casar com Paul. Harry pensou amargurado...


 


Ele pensou estupidamente que nem sempre todas as promessas que fazemos podem ser cumpridas... mas ele gostaria de cumprir a promessa que fizera a Kay.. ele gostaria de bater à sua porta e chamá-la para seu casamento com Hermione.... e era isso que ele faria.. ele iria dar um jeito... ela não se casaria com Paul... não mesmo...


 


Com o ânimo renovado ele voltou para casa.


x/x/x/x/x//x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x//x


 


Já eram sete horas da manhã quando Hermione viu pela janela Harry entrando com uma sacola nas mãos. Ela estava furiosa e queria descontar em alguém... quem Harry pensava que ele era??? Chegar assim, depois de dois anos, bagunçar sua vida, colocar dúvidas em sua cabeça, fazer todos se virarem contra Paul.


 


Ele entrou devagar, estava com uma sacola nas mãos que tinha pães frescos, roscas doces, suco de laranja, leite achocolatado e cookies de chocolate com frutas vermelhas.


 


Ele passou pela sala e não percebeu que Hermione estava sentada na poltrona de frente à lareira. Ele foi direto para a cozinha.


 


Ele depositou as coisas na mesa e começou a guardá-las nos armários e na geladeira quando percebeu que Hermione estava parada na soleira da porta com a mesma roupa do dia anterior.


 


Seu coração disparou, e ele perguntou:


 


---- Hey.... Acordada há esta hora???  Disse ele guardando o suco e o leite na geladeira.


 


---- Ainda não fui dormir...


 


Ele ignorou o comentário, o tom de voz dela dispensava perguntas.. ele a conhecia muito bem.. sabia que ela estava ali para conversarem sobre algo sério. O coração dele se apertou.


 


Ele fez um aceno com a varinha e o fogão se acendeu e a água voou direto para um caldeirão, e o bule de café já estava cheio de pó.


 


---- Vou fazer um café... quer o de sempre... com açúcar e creme? Disse ele voltando à geladeira para pegar o creme.


 


---- Pode ser... ela disse encostando na mesa.


 


Ele continuou a tarefa em silêncio e ela foi ficando incomodada, a água ferveu e ele escaldou o café. Colocou o dela em uma caneca, colocou a exata quantidade de açúcar e completou com creme. O dele era preto sem nada.


 


Ela pegou a caneca e disse:


 


---- Onde esteve até esta hora???


 


Ela a analisou e viu que ela estava fervendo de curiosidade e não deu a deixa para ela se aprofundar mais nas perguntas...


 


---- Por aí não é resposta...


 


---- Porque quer saber? Pensei que não se importava comigo. Disse ele colocando os biscoitos em um pote transparente.


 


Ela ficou sem graça e respondeu:


 


---- E não me importo.. é.. quero dizer.. com tudo que está acontecendo e você morando de novo com a gente aqui.. não podemos nos dar ao luxo de ficar por aí.. curtindo a noite até de madrugada...


 


Ele estava de costas e teve vontade rir.. ela estava curiosa e ele continuaria a jogar com ela.


 


---- Não estava por aí curtindo a noite até de madrugada.. aliás curti muito com os rapazes, e depois simplesmente não quis voltar para casa... para meu quarto.. sozinho...


 


Hermione mordeu o lábio, sua frase tinha duas interpretações e ela não gostava de nenhuma delas.. ou talvez só de uma... ela ferveu e disse:


 


---- É um momento meio perigoso este tipo de diversão.. não sei como que está acostumado, nem mais como é sua rotina, mas digo que é perigoso demais passar a noite fora...na casa sabe Deus de quem ou em um motel ou hotel qualquer....


 


Harry a olhou de frente agora, bebeu mais um gole de café e disse:


 


---- Pode parar suas divagações por aí... não te devo satisfações Hermione, não mesmo, não depois de você esfregar a aliança de noivado na minha cara e não me convencer nenhum pouco de que está apaixonada por ele. Outra coisa, não lhe devo satisfações mas vou te falar... não sou homem de uma noite só... não passei a noite com ninguém...não que não tivesse tido oportunidade, pelo contrário. Eu só não queria voltar para casa e ir para o meu quarto sem sono, pensando nos acontecimentos dos últimos dias, ainda mais sentindo o gosto de seu beijo e o rosto queimar com o tapa que eu ganhei ontem.


 


Hermione bufou.. era informação demais.... então ele não estivera com ninguém, como suas fantasias a diziam, mas também ele disse que não lhe faltara oportunidade.. seria a garçonete que Rony mencionara.... e disse que não era homem de uma noite só.. isso queria dizer que se envolvesse com alguém seria pra valer.... seu coração doeu. O rosto dela queimou com a lembrança do beijo e do tapa que ela lhe dera logo em seguida.


 


----Sei que não me deve satisfações e não estou pedindo.. só estou dizendo que é perigoso... e não quero saber se você sai ou não com a primeira garçonete que aparecer... eu não tenho nada com isso.


Ele chegou perto dela, depositou a caneca dele na mesa e pegou a dela e colocou ambas mãos no rosto dela e disse:


 


---- Por favor... me perdoe... esqueça, apague aquele dia que fui embora da sua cabeça... vamos recomeçar... por favor...


 


Ela tremia... e lágrimas começaram a rola pela face ela e ela disse:


 


---- Não posso.. não depois de tudo que você disse.


 


””””””””””””””””””””””


Flashback


 


Harry estava deitado em sua cama, olhava suas malas arrumadas. O seu coração doía como se fosse explodir. O sonho da noite anterior tinha sido péssimo.


 


Neste momento o St. Mungus estava com metade da família Weasley em sua ala de queimados e Rony já em casa com parte dos ossos da perna e da bacia quebrados, e emendados com Esquelecresce, fora as queimaduras que sofrera, inexplicavelmente. Hermione estava , ainda bem, somente com o braço quebrado.. uma sorte, se levar em conta que o carro que a atropelara, estava correndo muito.. ela poderia ter morrido.


 


Harry se arrepiou, se isso tivesse acontecido, ele jamais se perdoaria. Ele sabia que tudo acontecia pois Voldemort o queria sozinho, e não ia parar com os atentados contra os que ele amava, sem que ele se afastasse definitivamente dali.


 


Na noite anterior, ele novamente saíra do corpo e vira a cena que tanto o apavorara Hermione, no St. Mungus, no laboratório, fazendo umas análises quando inexplicavelmente sua escada caía e ela era derrubada ao chão, e batia a cabeça em um ângulo estranho, ele via seus olhos sem vida o encarando, o sangue escorrendo pelo canto da boca dela, e a mão direita dela estendida, como anel de noivado que ele havia comprado para ela.


 


Ele tinha que ir embora a ameaça de morte à Hermione era demais para ele. Ele tinha que ir, para que ela não sofresse mais, para que não morresse, mas ela o conhecia muito bem. Ele tinha que ser convincente.


 


Hermione estava deitada em sua cama, quase não dormira. Harry se recusara a dormir em seu quarto e estava estranho. A cabeça dela rodava.. ele não poderia estar tão bravo por ela tê-lo desobedecido e ido ao shopping no dia do acidente. Ele mudara da noite para o dia. Ela resolveu confrontá-lo:


 


Ela entrou no quarto e ele arrumava as malas. Ela ficou paralisada com a porta do quarto aberta.


 


---- Onde você pensa que vai???


 


Harry ainda de costas, fechou os olhos e pensou que agora era a hora da verdade, ele tinha que ser convincente.


 


---- Embora.... Já me cansei disso tudo aqui!!!


 


---- Embora???? Como embora???? Ela gritou.. o que chamou a atenção de Rony que veio cambaleando do quarto até o quarto de Harry e ficou fora escutando.


 


---- Cansei disto tudo... de cuidar de todo mundo, de me preocupar com todo mundo... esses acidentes... cansei de estar perto de gente que só atrai coisas ruins.... pra mim chega.. preciso de uma vida normal.. com gente normal do meu lado...


 


Hermione ficou chocada, não conseguia articular uma palavra e ele continuou.


 


---- Sabe, já tentei me enganar demais.. desde quando nasci não pude ter  uma vida normal. Primeiro meus pais morrem.. porque Voldemort decidiu assim, depois sou entregue aos Dursley, porque Dumbledore decidiu assim.. então fui pra Hogwarts, onde me encontrei contigo e com Rony.. porque talvez o destino quisesse assim. Num momento súbito de felicidade descubro um padrinho, alguém, família...uma luz no fim do túnel... daí ele morre... porque??? Porque Belatrix quis assim.. e Dumbledore foi embora.. também porque quis assim e agora quem é o próximo??? Cansei Hermione...


 


----Mas... acabou.... eu...nós amamos você.... hoje é dia de Ano Novo... lembra.. o dia que a gente vai falar pra todo mundo sobre tudo...


 


---- Não Hermione, hoje é o dia que vou embora... simbólico não é... hoje é o dia que vou recomeçar... o dia que decidi que não os quero mais na minha vida... nem Rony, nem Gina, nem Draco e muito menos você, que pra mim foi um gigantesco engano. Um dos maiores erros que cometi, foi em relação a nós.


 


Nisso Rony adentra ao quarto. Ele havia ouvido tudo.


 


---- Quer dizer que somos um incômodo pra você??? Disse Rony com raiva abraçando Hermione que agora chorava convulsivamente.


 


Harry suspirou, doía nele o que ele estava fazendo, ao mesmo tempo ele via que Voldemort estava aprovando seu teatro.. e prometendo a deixá-los em paz se Harry fosse embora.. ele queria uma luta mano-a-mano.


 


---- Exatamente, cansei de salvar a cauda de vocês... cansei de me preocupar.. de sonhar com o que vai acontecer... preciso ir... e quanto a você Mione.. quem sabe agora.. você e o Rony não se entendem???  Acho que é a deixa que estão precisando...


 


---- Não precisava ter dito tudo isso Harry... realmente, o que está acontecendo???.. Não acredito que esteja falando tudo isso pra gente, sem um motivo.


 


Harry suspirou e disse:


 


----- Tenho um motivo... me cansei de vocês... agora me façam um favor, não me procurem mais... não quero nem ouvir falar de nenhum de vocês.... vocês não significam nada pra mim... começo hoje uma vida nova.  Disse ele olhando significativamente para Hermione e saindo do quarto vazio.


 


x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x


 


----- Eu sei, entendo tudo isso, mas entenda... tudo que eu falei foi porque eu não poderia imaginar que talvez vocês resolvessem me procurar... eu tinha medo, eu temia por todos, especialmente por você.... me perdoe ... eu não tinha outra maneira... disse ele desesperado.


 


---- Tinha sim... podia ter me explicado.. não precisava ter me deixado imaginando e me sentindo a pior das mulheres do mundo... ainda por cima, me dispensou e me jogou em cima de Rony.... eu não consigo....quando penso em tudo que me falou... eu..


 


--- Não pense... disse ele acariciando os cabelos dela... não pense... só sinta comigo... só sinta o amor que sinto por você...


 


Ela havia colocado a mão dela sobre o coração dele e ela tentou tirar, mas ele a segurou com força.


 


---- Eu não consigo.. disse ela fraca.


 


Ele a puxou para si, a encostou na mesa e prensou seu corpo contra o dela, e passou suavemente os lábios pelos dela dizendo:


 


---- Eu amo você.... Mione.. sempre amei.. disse ele sentindo o hálito dela e a respiração rápida dela. Ele não deixou ela raciocinar e a beijou sofregamente, ela se deixou levar pelo beijo, como se não estivesse acontecido nada.. ela se apertava contra Harry... céus como era bom beijá-lo.. ele desceu a mão pelas costas dela, fazendo-a gemer. Ela ouviu o som do seu próprio gemido e parou o beijo.... onde ela estava com a cabeça... estava noiva e prestes a se casar com outro homem.


 


Harry não perdeu tempo novamente, a puxou para si, sentando-a na mesa, e a beijando de novo... ela entrelaçou as pernas nele, sentindo o perfume, o toque dele, a língua dele percorria caminhos antes conhecidos somente por ele, ela avançou na camisa dele,precisava tocá-lo. Ele beijava o pescoço dela e dizia palavras que ela não conseguia entender, ela apertou mais as pernas ao redor dele, fazendo ele gemer e voltar para beijá-la de novo.


 


Eles foram interrompidos por risadas vindas da sala, era Draco e Gina, que haviam descido para pegar algo para comer.


 


Hermione se afastou de Harry mas não a tempo .... Gina olhava a amiga, praticamente grudada em Harry.


 


--- Wow.. me desculpe – disse Gina constrangida.


 


--- Não.... eu.. eu já estou subindo... disse Hermione constrangida e se ajeitando como podia, ainda presa entre as pernas de Harry..


 


Draco estava espantado. E Harry estava se ajeitando também... sua camisa estava totalmente aberta. Hermione havia aberto com força e havia botões pelo chão e sobre a  mesa.


 


---- Não... não ...pela gente, não, a gente não queria atrapalhar....vamos subir Draco.. vamos.


 


---- Não.... eu realmente preciso dormir.. e estou subindo. Disse Hermione constrangida, olhando para a figura de Harry no meio da sala.


 


---- Hermione.. eu...preciso falar contigo. Disse Harry sendo interrompido pelo som de um “crack” na porta e com a voz de Paul enchendo o hall de entrada:


 


---- Hermione querida.... cheguei para irmos até o corretor...  disse ele se encaminhando para a cozinha.


 


Hermione já havia desaparecido da cozinha e estavam somente Harry, Gina e Draco, sem fala , um olhando para a cara do outro. Paul chegou e viu a cena e disse:


 


---- Vi Hermione subir feito um tiro para cima.. o que aconteceu??? Ela nem olhou para mim... está acontecendo algo?


 


Harry se virou para o fogão e Gina disse:


 


---- Nada.... acho que ela esqueceu algo lá em cima... talvez a aliança... disse Gina provocando.


 


---- Harry me dê uma caneca de café, por favor... pediu Draco.


 


Harry não queria se virar, sua varinha estava longe, e ele não tinha como arrumar a camisa arruinada por Hermione.


 


---- Vem pegar... não sou sua empregada. Disse Harry mal humorado, percebendo a estratégia de Draco. Ele estava louco pra ver o circo pegar fogo.


 


---- Eu também quero, será que poderia fazer a gentileza de me ser vir um pouco Potter, vou ter um longo dia com minha noiva hoje??... disse Paul... tentando provocar Harry, ele falava com afetação e com seu sotaque australiano acentuado.


 


Harry ferveu de raiva, serviu o café e se virou para Paul, com um sorriso malicioso nos lábios.


 


Paul ficou sem fala, Harry estava com a camisa aberta, havia nítidas marcas de unhadas no peito dele e mordidas de leve em seu pescoço. Paul ficou imaginando exatamente o que tinha acontecido aqui.


 


---- Mas que diabos está acontecendo aqui???


 


----Estou servindo seu café.... agora se me dão licença, eu preciso trocar de roupa... essa daqui está arruinada... disse ele pegando a borda da camisa e saindo de mansinho. Draco quase desmaiou de vontade rir e foi se servir de mais café.


 


---- Alguém pode me explicar o que está acontecendo aqui??? O que foi isso que eu vi???


 


---- Não sei o que você está falando, disse Draco comendo um cookie.


 


---- É somar dois mais dois, eu não sou estúpido – disse Paul com desprezo.


 


Gina riu e disse:


 


---- Acontece Paul, que no seu caso, dois mais dois vai dar 22. Disse ela rindo e puxando o loiro para cima.


 


x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x/x//x/x/x/x

PESSOAL AMANHÃ, UM CAPÍTULO BOMBÁSTICO!!!! DEPENDENDO DOS COMMENTS É CLARO - HAHAHA. BEIJOS...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.