FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

22. Capitulo 22 – Tomando Controle


Fic: Dark Angel - O Inimigo dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo 22 – Tomando Controle


 


Dumbledore continuava recostado contra a parede olhando as cenas que se desenrolavam a sua frente de olhos arregalados, simplesmente não conseguia acreditar no que seus olhos estavam lhe mostrando naquele instante.


Bem a sua frente, alguns dos melhores guerreiros do Império da Luz estavam sendo barrados e derrotados por meros alunos da escola, além de três de seus professores também estarem interferindo na ação dos Cavaleiros da Luz.


Percebeu que os alunos que estavam ajudando Harry Potter eram todos os amigos dele, os garotos e as garotas que sempre estavam com ele e que nunca haviam demonstrado aquele tipo de habilidades antes, os irmãos de Harry pareciam demolidores assim como os outros. A namorada do moreno parecia letal enquanto se movia e golpeava um outro Cavaleiro da Luz, o diretor mal conseguia ver a movimentação que eles estavam realizando.


Dumbledore percebeu então que havia subestimado as habilidades, não apenas de Harry Potter, como também a dos irmãos e amigos dele. Deveria ter imaginado que o garoto iria treinar os amigos, mas agora era tarde demais para se lamentar, afinal sentia o poder opressor que o garoto a sua frente exalava.


O líder do Império da Luz virou a cabeça e olhou diretamente nos olhos verdes frios e impiedosos de Harry Potter, um tremor de medo atravessou a espinha do diretor de Hogwarts naquele momento, pois o que via naqueles olhos era uma simples promessa de morte, mas que seria uma morte lenta e dolorosa.


Somente então Dumbledore percebeu a dimensão de seus erros, jamais deveria ter sequer cogitado a possibilidade de tentar colocar Harry Potter ao seu lado, pois ele era muito mais poderoso do que poderia sequer imaginar e jamais seria forçado a fazer nada que não quisesse. Viu o garoto se aproximar mais de si próprio e tentando demonstrar alguma dignidade e um pouco de orgulho o diretor levantou-se do chão ficando ereto enquanto passava a encarar o moreno seriamente, pelo que via nos olhos do garoto, sabia que ele queria sua morte.


- Você não deveria ter sequer pensado em atacar minha namorada Dumbledore. – Harry falou e a voz fria e sem vida do moreno causou arrepios nos que estavam mais próximos e foram capazes de ouvir o moreno. – Agora você terá de pagar com sua vida.


- Não vai conseguir me matar tão facilmente assim Harry. – Dumbledore falou com voz baixa e forte, enquanto flexionava os ombros e se preparava para a batalha.


O moreno riu baixinho, mas em seguida a risada dele ecoou pelo salão principal chamando a atenção de todos, naquele momento a magia de Harry o rodeava como uma tempestade, a forte onda opressora e assassina causava medo nos alunos e nos professores. Harry se controlou o bastante para parar de gargalhar e então passou a encarar Dumbledore de maneira séria e compenetrada, o ódio e a raiva que ele sentia estava transbordando pelo corpo do moreno, mas mesmo assim ele ainda conseguia manter um pouco de controle.


Com a pouca calma e paciência que Harry ainda tinha ele analisava todas as possibilidades que se apresentavam a sua frente, poderia partir para cima do velhote e matá-lo rapidamente ou poderia virar as costas e deixar as coisas como elas estavam, mas seu sangue clamava por vingança e ele ainda tinha uma terceira opção.


Essa opção não apenas adiantaria muito de seus planos como também poderia lhe dar o controle de todo o Império da Luz de maneira limpa e sem precisar lutar com nenhum Cavaleiro da Luz, aquela era a oportunidade perfeita para ele agir e o idiota do velhote lhe dera todas as brechas possíveis, olhou ao redor e percebeu que todas as pessoas no salão principal de Hogwarts os estavam observando, então sorrindo friamente virou as costas para o diretor dirigindo-se para a porta do salão deixando todas as pessoas confusas, inclusive os amigos do moreno, mas quando Harry estava próximo da porta parou e virou-se novamente.


- Eu, Harry Tiago Potter, em nome de Azrael, Líder do Panteão, em presença de centenas de testemunhas e de diversos membros do Império da Luz, desafio Alvo Dumbledore para um combate pela Liderança do Império da Luz. – Harry falou em voz forte e fria chocando a todos que entenderam o que ele havia acabado de fazer.


Segundo o código imposto pelos membros do Império da Luz quando o grupo foi formado, qualquer um guerreiro poderia desafiar a liderança, desde que fizesse parte do Império. Os Cavaleiros da Luz que estavam recuperando a consciência ficaram chocados com as palavras do garoto, assim como os pais do mesmo, já seus amigos sorriram de maneira divertida entendendo a jogada do moreno, mas Sarah exibia um sorriso cruel e satisfeito.


Assim que ouviu as palavras do moreno Alvo Dumbledore arregalou os olhos incrédulo, olhando para o garoto como se ele possuísse duas cabeças, não podia acreditar que ele conhecesse o código do Império da Luz e que o estava utilizando para tentar tomar o controle, nesse momento Dumbledore arregalou ainda mais seus olhos percebendo as dimensões que aquilo poderia tomar, afinal se vencesse Harry passaria a liderar todos os territórios da Luz, ou melhor, Azrael dominaria todo o Império, pensou Dumbledore lembrando-se que Harry usara as palavras em nome de Azrael quando o desafiara para o combate.


Sirius estava ao lado de Tonks ainda em estado de assombro pelo desafio que Harry acabara de realizar, conhecia o código e sabia que não havia uma única possibilidade sequer de Dumbledore recusar o duelo pela liderança, ao seu lado o rosto de sua prima não era muito diferente do seu e ela parecia pensar a mesma coisa a julgar pelo olhar que ela dedicou ao animago, resolvendo interferir de uma vez já que todos apreciam estáticos Sirius aproximou-se do diretor.


- Como membro do Império da Luz declaro o desafio feito valido. – Sirius falou calmamente vendo os olhos do diretor pousarem nos dele, o animago viu diferentes expressões nos olhos azuis do diretor de Hogwarts, mas não conseguiu determinar nada através do olhar de Dumbledore, por isso perguntou. – Você aceita o desafio, Dumbledore?


- Sim. – respondeu Dumbledore com frieza, afinal sabia muito bem que não podia negar, caso contrario perderia o controle e a liderança da mesma maneira.


- Ótimo. – a voz de Harry soou ainda mais satisfeita e fria do que antes enquanto ele se dirigia para fora do salão principal, imediatamente todos passaram a segui-lo mesmo não sabendo para onde o moreno estava se dirigindo.


Harry atravessava os corredores de maneira calma, certo de que todos os integrantes do castelo o estariam seguindo naquele momento, mas ele realmente não se importava, sentiu a presença de seus amigos se aproximando e se postando ao seu lado, mas eles permaneceram em silêncio enquanto ele caminhava até parar em frente a uma porta no fim do corredor do primeiro andar, aquele era um lugar que poucas pessoas visitavam.


- Aqui. – disse Harry simplesmente abrindo a porta e adentrando o local, sendo imediatamente seguido por todos os outros.


A sala era imensamente grande e seu interior se parecia muito com um campo de quadribol, havia inclusive uma espécie de arquibancada ao redor do centro do local, a grama era verdejante e parecia brilhar conforme o moreno caminhava até o centro da mesma.


- Que lugar é esse? – Dumbledore perguntou intrigado olhando ao redor, nem mesmo em todos os anos que estivera naquela escola vira aquela sala e ele sempre atravessara aqueles corredores quando era aluno e depois como professor e diretor.


- Essa é a chamada Sala de Treinamentos. – disse Harry em tom simples e impessoal, não revelando a parte de que era praticamente impossível chegar aquela sala sem saber exatamente onde ela fica, e isso ele apenas sabia por causa de seus conhecimentos adquiridos atualmente.


Harry estava no centro da sala olhando calmamente par ao diretor que parecia estar levemente agitado enquanto apertava a varinha de maneira meio compulsiva. O moreno apenas o observava esperando que Sirius ordenasse o inicio do combate, era assim que funcionava o duelo e antes que alguém desse início nem um dos dois guerreiros podia sequer pensar em atacar.


Harry observava atentamente o movimento do padrinho que estava se colocando próximo de onde seus pais estavam, Lílian e Tiago pareciam extremamente preocupados com o desenrolar dos acontecimentos. O moreno viu os amigos pelo canto dos olhos se posicionando lado a lado no canto próximo a entrada da porta que já se encontrava devidamente fechada, percebeu que Draco estava ao lado de Samantha e sorriu internamente desejando que o sonserino tomasse coragem e se declarasse de uma vez por todas para sua irmã.


Sua irmã parecia extremamente confortável e confiante de que ele venceria o diretor sem nenhum problema, Draco também parecia confiante enquanto olhava para o moreno. Harry percebeu um sorriso nos lábios de Gina que olhava com algo semelhante a pena para Dumbledore, já os outros apreciam esperar para ver o que iria acontecer.


- Estão prontos? – a voz de Sirius tirou o moreno de seus pensamentos o fazendo voltar a realidade e depois de ele e o diretor balançarem afirmativamente a cabeça, ele voltou a falar seriamente. – Então que o combate comece.


Logo depois de Sirius falar isso Dumbledore partiu em alta velocidade em direção de onde o moreno se encontrava, o diretor sabia que não tinha muita escolha a não ser utilizar todo o poder que possuía ou então seria derrotado facilmente pelo garoto.


Harry não se moveu até que Dumbledore estivesse a poucos passos de onde ele estava, então o moreno flexionou as pernas preparando-se para o combate físico, quando o diretor lançou o punho contra seu rosto o moreno apenas mudou a cabeça de posição fazendo com que o soco do diretor atingisse apenas o ar, em seguida Harry levantou seu joelho acertando o estomago de Dumbledore que deu dois passos para trás.


- Isso é tudo que o Grande Alvo Dumbledore tem para demonstrar? – Harry perguntou em tom de zombaria olhando para o diretor que olhava irritado para o moreno, que mal havia se movido do lugar em que estava.


Dumbledore não respondeu, mas uma aura azulada passou a circular o seu corpo fazendo Harry apertar os olhos olhando interessado para o diretor. Logo uma energia forte e poderosa desprendia-se do corpo de Dumbledore surpreendendo muito que nunca haviam visto o diretor mostrar seus poderes antes, alguns Cavaleiros da Luz sorriram de maneira presunçosa vendo a manifestação dos poderes do líder do Império da Luz.


Quando Dumbledore se movimentou dessa vez conseguiu atingir um forte soco no rosto de Harry que mal conseguiu ver o movimento que o diretor havia feito, nos segundos seguintes o moreno recebeu duas seqüências de chutes e socos que ele mal viu de onde vieram, e como ele lembrou-se o diretor não era alguém que devia ser ignorado.


De repente o moreno levantou sua mão direita em frente a seu corpo bem a tempo de receber o punho fechado do diretor, a onda de impacto reverberou pela sala deixando quem observava impressionado com a força que havia naquele simples golpe.


Quando Harry levantou os olhos eles não estavam mais da cor natural que era verde esmeralda, agora os olhos do moreno se encontravam tão negros como a noite e em seguida uma forte onda de magia rodeava o moreno, uma aura avermelhada começou a circular o garoto sobrepondo a aura azulada do diretor, as duas auras passaram a colidirem e batalharem entre si enquanto Harry e Dumbledore continuavam na mesma posição.


A luta aprecia estar equilibrada até que um filamento escuro começou a circular Harry juntamente com a aura vermelho sangue, logo a aura do moreno se encontrava duas vezes maior e agora ela era meio negra e meio avermelhada, a magia que se desprendia de Harry era fortemente opressora e estava fazendo Dumbledore suar fortemente.


Nesse momento, não suportando mais a pressão ao redor do moreno, Dumbledore afastou-se dele rapidamente antes de voltar a atacar diretamente, sendo defendido pelo moreno em todos os golpes, Harry parecia saber que tipo de ataque ele faria no instante seguinte e previa seus movimentos podendo assim defendê-los de maneira precisa e eficiente.


Dumbledore sabia que fisicamente era inferior ao Potter, por isso tinha absoluta certeza que não duraria muito tempo duelando com ele naquele ritmo, mas o líder do Império da Luz acreditava fielmente que devido a sua extensa experiência em batalhas e seu vasto conhecimento seriam o suficiente para conseguir vencer o garoto, afinal ele tinha mais de cento e cinqüenta anos de experiência, sendo que já participara de uma outra guerra e vencera um outro bruxo das trevas extremamente poderoso, quase tão forte como Voldemort.


- Vamos ver até onde você agüenta Potter. – Dumbledore falou sorrindo friamente enquanto se afastava dois metros de onde se encontrava para evitar um ataque direto, em seguida ergueu o braço direito apontando sua varinha para o moreno enquanto proferia friamente um feitiço negro de extermínio. – Sietrix.


Harry quase sorriu ao perceber o que Dumbledore estava pretendendo, afinal ele não precisava ser muito inteligente para saber que o diretor apelaria para o conhecimento achando que era muito superior ao seu. Coitado, pensou Harry, se ele ao menos imaginasse metade do que o moreno sabia, ele jamais pensaria em lutar comigo. Sem contar que Harry ainda não podia utilizar todo o seu poder, isso ele faria apenas quando fosse lutar com Voldemort, até lá forçaria seus poderes ao máximo procurando aumentar o nível até o limite.


- Shield Divine. – Harry sussurrou friamente enquanto um sorriso demoníaco curvava seus lábios, o diretor achava que ele era burro de tentar defender novamente aquele feitiço com as mãos nuas, ele não faria aquilo quando feitiço negro fora lançado com tanta magia.


Mal o moreno falou enquanto movimentava a própria varinha e um escuro azulado envolveu todo o corpo do garoto recebendo o impacto do feitiço acinzentado, que em seguida dissipou-se rapidamente ao mesmo tempo em que o escudo desaparecia.


- Você pode fazer melhor do que isso, velhote. – Harry comentou em tom desdenhoso olhando para o diretor como se ele não fosse nada demais, aquilo era apenas para irritar e acabou atingindo seu objetivo.


- Crucio. – Dumbledore gritou irritado e furioso, fazendo o jato vermelho sangue disparar de sua varinha contra o moreno, que sorriu calmamente enquanto bloqueava a maldição imperdoável como se ela não fosse nada demais.


- Maldições imperdoáveis não vão funcionar comigo velhote. – Harry falou ainda mais divertido enquanto seus olhos transmitiam ódio puro, o que contrastava com a voz zombadora do moreno naquele momento.


- Avada Kedavra. – Dumbledore lançou a maldição da morte forçando Harry a se desviar, afinal até mesmo ele ainda era vulnerável aquele feitiço que mesmo não o matando poderia debilitá-lo fortemente, mas o diretor parecia querer acertar o moreno de qualquer maneira e passou a lançar diversos feitiços. – Sectusempra. Antrius. Crucio. Bombarda.


As seqüências de feitiços que o diretor lançava contra o moreno apreciam intermináveis, mas Harry não estava absolutamente preocupado com aquilo, alguns feitiços até que eram complicados de se defender e em outros o moreno era forçado a executar um contra-feitiço rapidamente, o problema é que ele estava começando a ficar entediado e o diretor parecia não perceber que Harry estava apenas brincando de duelar.


- Isso é tudo? – Harry perguntou suspirando depois de mais de dez minutos naquele impasse, o diretor apenas atacava seguidamente enquanto o moreno se defendia ou desviava. – Estou ficando entediado Dumbledore.


Naquele instante Dumbledore sorriu amplamente o que deixou Harry surpreso, mas então no momento seguinte ele entendeu o motivo de Dumbledore sorrir, fora manipulado. O maldito velhote o enganara enquanto lançava aqueles feitiços e ele defendia, aquilo fora apenas uma distração para o que ele realmente queria fazer e agora Harry teria dificuldades, pois nas suas costas haviam vários animais de pedra, que o diretor transfigurara a partir de pedaços de pedra que haviam se desprendido das paredes onde os feitiços haviam chocado.


- Idéia inteligente. – comentou Harry em voz baixa apenas para que ele pudesse ouvir enquanto sentia os movimentos dos animais de pedra, agora qualquer descuido e ele acabaria seriamente machucado, sem contar que ainda precisaria ficar atento, pois o velhote poderia acabar atacando o moreno pelas costas.


Em sua mão direita sua varinha começou a bilhar e em poucos segundos no lugar do artefato mágico se encontrava uma espada de lâmina negra. Mantendo-se severamente concentrado em tudo ao seu redor e utilizando seu poder para sentir os movimentos do diretor, Harry virou-se passando então a encarar os animais de pedra que se movimentavam rapidamente.


O moreno contou pelo menos dez animais transfigurados, mas não pode pensar muito a respeito, pois precisou se desviar de uma investida particularmente perigosa de um centauro que brandia uma espada, também de pedra.


Harry bloqueou com sua espada um segundo ataque do centauro, o que provocou o rompimento da espada de pedra que ele utilizava causando um pequeno sorriso no rosto do moreno, que girou golpeando o flanco do centauro ao mesmo tempo em que executava um feitiço explosivo com a mão esquerda, o que resultou na explosão da estatua.


Não tendo tempo para analisar o que havia acabado de fazer, o moreno se viu obrigado a se esquivar das investidas dos outros animais de pedra. Enquanto se desviava da maioria dos golpes que eram dirigidos a si próprio, Harry lançava sua espada ocasionalmente destruindo partes dos animais a cada golpe desferido.


Logo um leão de pedra foi estilhaçado por um feitiço de extinção ao mesmo tempo em que com a espada Harry fazia uma pantera em pedaços. Agora restavam apenas três animais transfigurados que estavam a volta do moreno, eles eram um outro centauro, um cachorro duas vezes maior que um normal e um lobo.


Os três animais atacaram ao mesmo tempo e Harry saltou realizando um mortal para trás e passando por cima do lobo enquanto os três animais transfigurados se chocavam. Não parando para ver quando eles se recuperariam, Harry virou-se para os animais e apontou sua espada para onde eles estavam e em seguida gritou.


- Dark Blade. – dezenas de adagas negras dispararam da ponta de sua espada e voaram em direção aos animais atingindo-os brutalmente, em poucos segundos não restava mais nada deles a não ser um monte de pedra.


- Gusk Bail. – a voz fria de Dumbledore soou as costas de Harry que praguejou por ter se descuidado, mesmo que por um segundo da posição do diretor.


Quando se virou viu um jato alaranjado vindo diretamente em sua direção, sabia que aquele era um feitiço negro que poderia fazer um estrago bastante considerável no corpo de uma pessoa que fosse atingida, era um feitiço muito parecido com o Sectusempra, com a diferença de que era muito mais intenso e mortal do que o feitiço inventado por Snape. Como não dava tempo para se desviar completamente daquele ataque o moreno fez a única coisa que sabia que poderia evitar que ele fosse retalhado por aquele feitiço.


- Corpus Dispersare. – Harry sussurrou as palavras de um feitiço extremamente complicado de ser executado e que desgastava muito quem o utilizava, o jato alaranjado atravessou uma nuvem cinzenta que aparecera onde estivera o moreno, fazendo com que todos arregalassem os olhos pelo feitiço desconhecido que Harry havia utilizado, inclusive seus amigos que haviam treinado como ele não conheciam aquele encantamento.


Basicamente o feitiço fazia com que todas as moléculas do corpo de quem executava o encantamento se separassem momentaneamente, dando ao bruxo a aparência de uma nuvem de fuligem que permitia que qualquer tipo de objeto ou feitiço o atravessasse, naquele determinado instante, sem no entanto lhe causar qualquer dano.


- O que foi isso? – a voz de Dumbledore estava incrédula enquanto olhava para o moreno que estava sem nenhum arranhão.


Sem se preocupar em responder Harry começou a lançar feitiços de ataque contra o diretor atacando pela primeira vez desde que o combate entre eles começara, mas mesmo naquele momento Harry podia sentir uma diminuição gradativa de seus poderes devido ao feitiço que havia executado para se defender.


Quando Dumbledore agitou sua varinha para os dois lados rapidamente Harry estranhou o fato e se afastou por precaução sabendo que poderia esperar qualquer tipo de trapaça por parte do diretor, naquele instante ele já havia re-transfigurado sua espada de volta para sua varinha e a apertou fortemente.


No instante seguinte, como se tivessem aparecido do nada, uma enorme quimera se elevou do canto esquerdo da sala, ao mesmo tempo em que um enorme dragão aparecia do lado direito, ambos também eram apenas estatuas, mas depois de um movimento forte da varinha do diretor ambos os animais ganharam vida.


A quimera tinha cinco metros de comprimento e três de altura, a cabeça de leão, com o corpo de bode e o rabo de dragão era realmente assustadora para qualquer um. O moreno sabia que o animal era feroz e sanguinária, sem contar que era extremamente perigosa, assim como também sabia que não havia muitos bruxos que haviam sido capazes de matar uma delas. Já o dragão rugia ameaçadoramente e parecia querer sangue, o sangue dele, decidiu Harry. Tudo bem, tinha de admitir que Dumbledore não era um completo idiota, afinal sabia escolher os animais para atacar, e também ele não deveria ter chegado onde estava sendo idiota.


Os dois animais atacaram simultaneamente, com a quimera lançando o enorme rabo contra ele enquanto o dragão cuspia fogo em sua direção, por isso enquanto se desviava do ataque da quimera Harry conjurou um poderoso feitiço escudo que foi capaz de bloquear as chamas expelidas pela enorme besta.


O moreno sabia que poderia utilizar sua forma animaga naquele momento e ele pretendia fazer exatamente isso assim que conseguisse acabar com um daqueles dois animais, pois não poderia lutar com os dois ao mesmo tempo, pelo menos não dentro daquela sala tão limitada, então ele precisaria se virar com o que tinha.


Harry lançou feitiços de extinção contra a quimera e contra o dragão, mas devido a couraça que rodeava o corpo de ambos os animais era impossível matá-los daquela maneira, não com os animais sendo magicamente reforçados pelo diretor, por isso Harry utilizou uma forma animaga parcial e suas mãos transformaram-se em garras negras surpreendendo muitos.


Quando a quimera avançou contra ele Harry usou um movimento evasivo e atacou a lateral do animal, suas garras apesar de serem poderosas não fizeram muito efeito no animal, apenas riscou totalmente a lateral dele, deixando o bicho bastante furioso.


O moreno precisou rapidamente conjurar um escudo para bloquear mais uma enxurrada de chamas que partiu do dragão enquanto pensava rapidamente sabendo que precisaria utilizar bastante poder concentrado em suas garras para conseguir cortar a pele da quimera e foi exatamente isso o que ele fez a seguir.


Sua aura negra e vermelha o circulou fortemente enquanto ele direcionava o poder para suas mãos e quando a quimera o atacou novamente ele estava preparado e desviando-se do animal novamente Harry pulou alto aterrissando nas costas do animal e em seguida afundando suas garras na nuca da quimera que rugiu cheia de dor enquanto o sangue jorrava através do buraco que ficou em seu pescoço, mas não dando tempo para a quimera se recuperar Harry pulou ao chão e se colocando debaixo das patas dianteiras do animal cravou ambas as garras no peitoral do animal rasgando o local e matando a quimera em poucos segundos.


Mas diferente do que ele acreditou a quimera não desabou no chão vertendo-se em sangue, mas simplesmente desapareceu não deixando nenhum vestígio de sua existência, então Harry lembrou-se que se tratava de uma imagem conjurada pelo diretor, uma imagem que poderia matá-lo facilmente, pensou o moreno com sarcasmo.


Harry voltou seus olhos para o dragão enorme que rugia tentando intimidar seu adversário, Harry achava que já estava na hora de seus pais e seu padrinho descobrirem algumas coisas sobre ele e nada melhor do que começar demonstrando sua forma animaga principal, então enquanto olhava para a besta a sua frente seus olhos começaram a mudar de cor rapidamente, sendo seguido imediatamente por seu corpo que também começou a mudar.


No lugar das pernas enormes patas foram surgindo rasgando as roupas que o garoto estivera vestindo até aquele momento, o tronco dele começou a dilatar-se, assim como a cabeça começou a crescer, os dentes começaram a afilar-se e ficaram mais afiados conforme cresciam deixando a maioria das pessoas completamente abismadas com a transformação que acontecia com o moreno, inclusive seus amigos que nunca haviam visto a forma animaga do moreno.


Logo no lugar onde antes estivera Harry um enorme dragão negro rugia mais ameaçador do que nunca, a forma animal do moreno era pelo menos dois metros maior do que o dragão conjurado por Dumbledore que naquele momento parecia o mais estarrecido de todos olhando para a forma do moreno.


O outro dragão parecendo um pouco amedrontado atacou lançando um jato de chamas que chocou-se contra o peito do dragão negro, mas que acabou não tendo efeito algum sobre Harry que rugindo ainda mais alto avançou contra o dragão. O encontro das duas feras foi surpreendentemente poderoso e assustador, o estrondo foi muito forte e ecoou pelas paredes da sala enquanto os dois dragões trocavam golpes e mordidas.


Como não havia espaço para eles voarem livremente os dois dragões limitavam-se a se atacarem no chão, o que os deixava extremamente vulneráveis as investidas do adversário, mas como Harry era dotado de muita inteligência e maior força, o moreno sofria menos ferimentos do que o dragão conjurado por Dumbledore.


Em um dado momento o moreno recebeu um feitiço de impacto em suas costas lançado pelo diretor da escola, mas que mal arranhou ou fez cócegas a Harry. Grunhindo divertido o moreno avançou e desviando de uma investida do outro dragão que tentava abocanhar seu pescoço, Harry cravou suas poderosas presas no pescoço do pobre animal que rugiu cheio de dor enquanto tentava se libertar do agarre mortal que Harry estava utilizando.


Não dando importância as tentativas do dragão de se libertar, Harry fincou ainda mais suas mandíbulas no pescoço do animal rasgando a carne e atingindo veias enormes e grossas que se romperam facilmente em contato com suas presas e assim que se afastou o moreno pode observar o sangue jorrando do pescoço do pobre dragão.


Impiedosamente naquele momento Harry abriu sua bocarra e labaredas de chamas totalmente negras irromperam de sua garganta atingindo o dragão ferido que urrou ainda mais fortemente, pois suas feridas estavam abertas e queimaram em contato com o fogo mortal causando dolorosos espasmos pelo corpo do animal.


Sentindo algo semelhante a pena pela dor que o pobre animal estava sofrendo o moreno resolveu liquidar com ele de uma vez, mesmo ele sendo apenas um animal conjurado pelo diretor. Em seguida uma aura negra passou a circular Harry, logo seu poder era sentido por todos naquela sala e da aura do moreno um jato de luz negra atravessou a distancia que o separava do corpo agonizante do dragão parecendo um raio e quando atingiu o animal o atravessou como se fosse uma flecha negra, matando o animal instantaneamente.


Em seguida Harry virou-se para onde sabia que o líder do Império da Luz se encontrava, os olhares de ambos se encontraram, os de Dumbledore amedrontados e receosos, já os de Harry eram selvagens e brutais, animalesco. Então o moreno rugiu altamente em desafio, como se estivesse chamando o diretor para a batalha.


Dumbledore já não sabia mais o que fazer, pois ficara claro que jamais conseguiria vencer o garoto. A única alternativa seria utilizar um feitiço que ele sabia que não havia defesa, e aquela sala ainda permitiria que os estudantes da escola ficassem intactos uma vez que existia uma barreira protetora os separando do campo onde acontecia a batalha.


- Você não me deixa escolha Harry. – Dumbledore falou enquanto observava o garoto voltando a sua forma normal, as roupas surgiram magicamente no corpo do moreno.


Harry sentiu seu corpo voltando ao normal gradualmente, era sempre engraçado sentir seu corpo se alterando sempre que utilizava sua forma animaga. Assim que se encontrava novamente com seu corpo Harry observou que Dumbledore parecia estar se preparando para executar um feitiço extremamente difícil e foi então que lembrou-se de já ter visto aquele posicionamento antes, só que da outra vez fora Voldemort quem estivera executando o feitiço.


- Extinction. – a voz de Dumbledore executando aquele feitiço ecoou nos ouvidos do moreno que sentiu um arrepio gelado em seu corpo, Harry percebeu que os alunos estariam protegidos e portanto não seriam atingidos ou machucados, mas o moreno conseguiu perceber também o medo que percorreu o corpo de seus amigos.


Então Harry fez a única coisa que podia naquele momento, gritou. O moreno berrou com todas as suas forças enquanto liberava seu poder ao máximo possível, sabia que podia se tornar muito mais poderoso caso rompesse o colar que utilizava em seu pescoço, mas ainda não era o momento correto para fazer aquilo.


Uma energia brutalmente negra e maligna exalava do corpo do moreno, a aura dele ficou três vezes maior e mais forte enquanto ele liberava mais e mais energia a cada segundo, o impacto do feitiço de extinção chocou-se com a aura e o poder de Harry, as energias digladiaram uma com a outra, eram poderes ao mesmo tempo diferentes e semelhantes.


Então uma onda de poder ainda mais forte e bruta exalou de Harry encobrindo completamente o poder do feitiço que Dumbledore havia executado e provocando um redemoinho de força ao redor da sala, o vento fazia os cabelos do moreno esvoaçarem assim como de todas as pessoas na sala que assistiam abismadas o que Harry estava fazendo.


Parecia que estava acontecendo uma tempestade apenas de vento, a figura do moreno era levemente ofuscada pela força e o tamanho da aura dele, mas sua silhueta era facilmente perceptível através da aura densa e negra, naquele momento porém o vento concentrou-se ao redor do moreno e da aura negra dando a ele uma expressão fantasmagórica e assustadora.


- Espectro de Sombras. – a voz de Harry cortou o silêncio que reinava no ambiente e então borrões indistintos partiram de onde o moreno se encontrava e atacaram o diretor de Hogwarts que conseguiu conjurar alguns feitiços escudos que não resultaram muito eficientes em bloquear os ataques das sombras que Harry havia conjurado e em poucos segundos Dumbledore possuía dezenas de cortes espalhados por seu corpo, cortes que sangravam bastante.


Harry tornou-se um borrão negro que se movia ao redor da sala e passou a dar golpes simultâneos no corpo de Dumbledore, que não conseguia nem ao menos se defender dos socos e chutes que recebia. Por fim Harry acertou um forte chute na nuca do diretor de Hogwarts que caiu inconsciente no chão, onde já havia uma pequena poça de sangue.


Aos poucos a aura de Harry foi diminuindo de tamanho e seu poder foi reduzindo até voltar ao normal enquanto olhava para o corpo de Dumbledore sem sentidos a seus pés, ele havia vencido e por direito o Império da Luz agora estava sob seu comando e ninguém poderia questionar aquilo, afinal fora um combate justo, mas mesmo querendo matar o velhote, sabia que ainda não podia fazer aquilo, além do mais talvez Sarah quisesse a cabeça dele.


- Eu venci. – Harry disse olhando para Sirius que apenas concordou com a cabeça e depois virou seus olhos para cada um dos outros Cavaleiros da Luz que estavam observando a luta, que sem nenhuma outra alternativa concordaram. O moreno observou como dois Cavaleiros se aproximaram do corpo inerte do diretor e passaram a executar alguns feitiços de cura, o suficiente para manter o velhote ainda vivo.


Harry respirou fundo enquanto fechava os olhos e se concentrava em seus ferimentos, os poucos cortes que obtivera durante a batalha fecharam-se rapidamente assim como o sangue desapareceu. Então abriu os olhos e reparou que os amigos se aproximavam, mas ele ainda tinha algo para fazer, por isso chamou mentalmente por um de seus clones que apareceu do nada a sua frente assustando a todos, pois nunca haviam visto algo como aquilo antes, ainda mais porque todos acreditavam que era simplesmente impossível aparatar em Hogwarts.


- Mas o que é isso? – exclamou um dos Cavaleiros da Luz em tom incrédulo olhando para o ser encapuzado que acabara de aparecer na sala.


- Green. – Harry saudou simplesmente obtendo apenas um menear de cabeça por parte do ser, mas o moreno virou-se para os outros e disse em voz alta.- Pessoal, este é Green. Um dos braços direitos de Azrael, a partir de hoje ele será um intermediário do Panteão no Império da Luz, coloquem ele em dia sobre tudo o que for necessário. Tonks.


- Sim? – a metamorfomaga perguntou curiosamente enquanto se aproximava do moreno que virou seus olhos para olhar diretamente para ela.


- A partir de hoje, gostaria que você fosse uma espécie de guia para o Green. – disse Harry em tom de comando fazendo Tonks olhar interrogativamente para o garoto. – Mostre a ele tudo, apresente-o ao pessoal do Império, a partir de hoje o que ele ordenar deverá ser acatado sem discussão, afinal por direito o Império da Luze nosso.


O moreno então colocou a varinha em sua têmpora e depois de alguns segundos puxou a varinha vagarosamente retirando assim um fio prateado, que era uma memória e em seguida colocou num pequeno frasquinho que conjurou com a mão esquerda, em seguida o entregou para Tonks que aceitou meio receosa.


- Mostre isso para todos os integrantes do Império da Luz, para que não haja nenhuma duvida sobre o novo comandante. – Harry falou friamente recebendo um aceno afirmativo em resposta da Cavaleira da Luz, logo em seguida Green virou-se para a garota e levantou sua mão para ela que depois de hesitar por um segundo aceitou a mão oferecida.


- Pense na sede do Império da Luz e aparate. – Green falou, a voz do ser soando distante e levemente gutural, a metamorfomaga fez o que ele pediu depois de um segundo e então os dois desapareceram depois de um estalo seco.


- A partir de hoje Alvo Dumbledore não faz mais parte do Império da Luz. – Harry falou em voz alta e mentalmente fazendo com que seus clones o ouvissem também. Quando o moreo voltou a falar ele olhava diretamente para o s Cavaleiros da Luz presentes que o olhavam perplexos. – Ele não terá mais acesso a nenhuma das sedes e aqueles que passarem informações confidenciais para ele serão considerados traidores, e para quem não sabe o Panteão não tolera traição, que é punida com uma execução.


- Você não pode banir Dumbledore. – exclamou um Cavaleiro da Luz ruivo parecendo confuso e zangado ao mesmo tempo.


- E posso saber porque? – perguntou Harry olhando friamente para o Cavaleiro da Luz que engoliu em seco.


- Bem, porque ele é Alvo Dumbledore. – respondeu o mesmo Cavaleiro como se aquilo fosse bastante obvio.


- Isso não me importa nem um pouco. – Harry disse com mais frieza ainda fazendo o Cavaleiro tremer levemente. – O Panteão manda no Império da Luz a partir de agora e todos os seus membros deverão seguir nossas leis que serão impostas nas próximas horas. Nós não toleramos insubordinação de nenhum tipo, portanto pensem bem antes de tentarem algo impensado.


Harry terminou de dizer olhando diretamente para o Cavaleiro da Luz truculento que estava pensando em se rebelar contra a nova liderança do Império. Assim que terminou de dizer o moreno dirigiu-se para a porta da sala e a abriu ganhando os corredores em seguida, sendo acompanhado de perto por seus amigos, afinal eles ainda tinham uma aula para assistir.


======


 


Uma sala no segundo andar fora preparada para as aulas de Duelo Mágico e Duelos com Armas, as turmas dos primeiros anos que já haviam tido aula com Tiago Potter haviam comentado na semana anterior a qualidade das aulas, o que significava que os alunos mais velhos ficaram bastante interessados e ansiosos para terem aula com o professor.


As turmas do sexto e do sétimo ano teriam aulas em conjunto devido a pouca diferença de idade que eles tinham entre si, então naquele momento o local estava repleto de estudantes empolgados e ansiosos que na verdade não estavam comentando nada sobre a aula de Duelos que teriam e sim sobre o que haviam presenciado poucos minutos antes.


Os comentários sobre a batalha entre Harry Potter e Alvo Dumbledore eram surpreendentes, alguns diziam que o moreno era tão poderoso quanto Azrael e o Lorde das Trevas, outros chegavam a loucura de dizer que o moreno era um verdadeiro demônio, mas poucos ainda falavam com mais seriedade sobre os acontecimentos analisando o que a vitória de Harry significara realmente para o rumo da guerra, que com certa tomaria um novo rumo a partir daquele momento.


Tiago Potter observava analiticamente cada um dos seus alunos, sabia que eles estavam com a mente repleta de imagens da batalha que todos haviam presenciado a poucos minutos atrás, afinal ele também não estava em uma situação muito melhor.


- Sejam bem vindos a aula de Duelo Mágico e Duelos com Armas. – a voz de Tiago despertou os alunos das conversas e logo o silêncio reinava no ambiente enquanto o Professor falava aos alunos. – Primeiramente gostaria de informar que em dezembro haverá um campeonato de Duelo Mágico e outro de Duelo com Armas, as regras e os prêmios ainda não foram definidos, mas em breve haverá um anuncio no mural da escola, por hora vou lhes dizer como o campeonato funcionará. – Tiago falava seriamente e a menção da palavra prêmios e campeonato todos os alunos haviam passado a prestar mais atenção as palavras do professor. – Primeiramente haverá um campeonato masculino e outro feminino, e cada ano terá sua própria categoria, ou seja, na categoria 1 os alunos do primeiro ano duelarão entre si e o mesmo vale para as meninas, assim como na 2 os alunos do segundo ano disputarão. Não haverá separação por casas nesse campeonato, apenas pelo ano em que cada um estuda, no entanto uma da premiações será 15 pontos para a casa do vencedor de cada combate, além de cinqüenta pontos para os campeões de cada categoria. Também haverá uma parte de prêmios em dinheiro para os campeões, mas ainda não defini o valor exato.


Essa pequena frase do Professor causou muitos burburinhos entre os alunos que ficaram bastante interessados nessa parte, mas os estudantes ficaram e silêncio depois de uma ordem enérgica que o professor gritou.


- Se alguém tiver alguma pergunta, por favor levante a mão. – assim que Tiago fala alguns alunos levantam a mão e apontando para um aluno da sonserina o Professor permite que ele fale. – Sim, Senhor August.


- Todos os alunos poderão participar? – pergunta o sonserino do sexto ano, ciente de que vários alunos, assim como ele tinham maior experiência do que os outros.


- Sim, todos os alunos deverão participar, nem que seja apenas para competir, afinal perder não é vergonha para ninguém quando o duelo é justo e o melhor vence. – Tiago fala em um tom sério e calmo, após uma leve pausa um aluno da grifinória pergunta.


- Poderemos utilizar magia também? – a pergunta interessou aos alunos que se encontravam com a mesma duvida na cabeça.


- Como eu já mencionei Senhor Fawcet, serão dois campeonatos diferentes, portanto no torneio de Duelos com Armas não será permitido o uso de magia, assim como no torneio de Duelo Mágico somente será possível utilizar magia. – Tiago fala em tom ainda mais serio olhando para cada um dos alunos e vendo que nenhum deles aprecia que perguntaria outra coisa o Professor fala. – Por favor, os meninos posicionem-se a direita e as meninas do lado esquerdo.


Nos cantos da sala haviam diversas espadas espalhadas, elas eram de diferentes tamanhos e cores, e o Professor Potter mandou que cada um deles escolhesse um modelo para si próprio, pois aquela primeira aula seria de esgrima. Logo todos os alunos se encontravam posicionados e então Tiago sacou sua própria espada e em seguida passou a executar alguns movimentos em frente aos alunos, movimentos dos mais básicos aos mais difíceis.


- Repitam comigo, por favor. – assim que Tiago disse isso fez um movimento suave com sua espada girando-a através de seu pulso, os alunos repetiram o gesto executado pelo professor e a maioria e o fez de maneira equivocada, incluindo alguns sonserinos puros-sangues que se consideravam superiores aos outros em relação a esgrima. – Não, vocês estão fazendo de maneira errada. Não devem forçar a espada a se mover como querem, vocês devem permitir que seu pulso guie o movimento, não a mão ou o braço, mas apenas o pulso, girem o pulso.


A aula inteira Tiago passou corrigindo os movimentos dos alunos, mas em momento algum ele precisou se aproximar de um de seus filhos ou dos amigos deles para ajudar nos movimentos, na verdade eles apreciam mestres em esgrima, percebeu Tiago vendo a maneira como eles brincavam uns com os outros.


Mas eram os movimentos de Harry que o deixavam mais admirados e fascinados, pois o filho parecia ter nascido para portar uma espada, ele parecia um guerreiro nato. Samantha, que nunca antes havia chegado perto de uma espada manejava a sua com suavidade ao mesmo tempo que Hugo movia sua própria lâmina com força. Sim, eles não precisavam de aulas na arte da esgrima, e o homem tinha certeza absoluta que fora Harry quem ensinara aos outros.


- Muito bem pessoal, antes de terminarmos a parte da aula de hoje sobre Duelo com Armas gostaria de fazer uma apresentação para vocês terem uma idéia do que é uma luta com espadas de verdade. – Tiago falou de repente fazendo com que os alunos terminassem de realizar seus movimentos. – Alguém gostaria de fazer a demonstração para seus colegas?


Harry estivera entediado durante toda a aula, afinal de contas aquilo era para principiantes e não para alguém como ele ou mesmo seus amigos. Enquanto realizava os movimentos com a espada que escolhera, uma de empunhadura negra com a lâmina na cor azul petróleo, Harry analisava cada um dos alunos do sexto e do sétimo ano que se encontravam naquela aula, era fácil ler a mente de cada um deles e dessa maneira o moreno conseguiu deduzir quais deles eram partidários do Lorde das Trevas e quais deles não.


- Já que ninguém se habilita vamos ver quem pode vir... – Tiago murmurava para si mesmo passando seus olhos pelos alunos até que seus olhos pousaram em Sarah Connor, a namorada de seu filho mais velho. – Hum... Vamos ver, um garoto e uma garota. Srta. Connor, por favor e...


- Eu. – Harry falou friamente cortando as palavras de seu pai e sem esperar consentimento avançou para a frente da classe, local para onde Sarah já se encaminhava.


- Ótimo. – Tiago falou não tendo absoluta certeza se era realmente uma boa idéia, mas ao ver o sorriso desafiador que a garota exibia acabou concordando.


- Isso vai ser interessante. – Draco sussurrou para que apenas Samantha pudesse ouvir e a garota apenas anuiu com a cabeça.


- Um duelo de gladiadores. – disse Gina com a voz calma para Hugo que se encontrava ao seu lado que olhou para a namorada com duvida no olhar. – Relaxe amor, eles não vão se matar, pelo menos não antes de destruírem a escola.


A zombaria da ruiva não ajudou muito a aliviar os nervos do irmão de Harry que estava bastante preocupado naquele momento, assim como os outros, mas principalmente Rony e Hermione que se lembravam nitidamente da ultima vez em que eles haviam duelado um contra o outro, os dois se tornavam verdadeiros monstros lutando e o fato deles serem namorados tornava as coisas ainda mais competitivas ao invés de aliviar um pouco.


Assim que Sarah ouviu a voz do moreno se colocando como o adversário dela, a garota sorriu divertidamente. Ela o viu se aproximar do centro da sala de aula e se posicionar para o inicio do duelo entre ambos, naquele instante passou pela cabeça de ambos todas as vezes em que eles haviam lutado um contra o outro, tanto fisicamente como magicamente e em luta de armas como naquele instante e então ambos atacaram.


O choque causado pelo encontro das lâminas percorreu toda a sala e uma onda de choque atravessou o local, enquanto Harry e Sarah estavam parados no centro da sala forçando a espada um contra o outro em uma luta silenciosa. Como nenhum dos dois conseguiu ganhar um passo sequer ambos se afastaram e voltaram a atacarem com força e velocidade, logo os golpes eram desferidos com mais e mais velocidade tornando difícil para a maioria dos estudantes acompanhar o ritmo que Harry e Sarah empregavam na luta.


Mesmo com Harry sendo mais forte fisicamente, aquilo não parecia atrapalhar em nada Sarah que lutava com o moreno como se fosse tão forte quanto ele, embora Harry soubesse que aquilo era devido a agilidade e velocidade da garota em se esquivar de seus ataques que a equiparavam a ele em um combate justo, afinal eles não podiam fazer o uso de magia, caso fosse possível utilizar todo o arsenal o moreno sabia que a morena não o venceria.


Mais uma vez as espadas se encontraram, dessa vez com Harry colocando sua espada a sua frente para defender uma forte investida por parte de Sarah que afastou-se sorrindo antes de se lançar novamente contra sua guarda, mas ela a encontrava sempre bem defendida e bloqueada. Quando o moreno conseguiu revidar e contra atacar também encontrou a guarda de Sarah muito bem protegida e ela conseguiu bloquear duas seqüências de ataques que ele lançou contra ela, tanto pelo flanco direito como pelo flanco esquerdo.


Na verdade aquilo não era uma luta de verdade, pois eles estavam apenas brincando um com o outro, descontraindo um pouco as coisas, embora isso não quisesse dizer que um deles facilitaria para o outro, aquele pequeno duelo era encarado com seriedade por ambos e Harry sabia que os dois estavam querendo vencer.


Nesse instante de distração Harry desviou-se instintivamente de um segundo golpe lançado por Sarah depois de ele ter bloqueado o primeiro com sua espada, mas não conseguiu ser rápido o bastante e foi cortado no braço esquerdo, fazendo o sangue dele começar a jorrar livremente e em vez da garota mostrar-se preocupada com o estado do namorado ela passou a sorrir mais largamente deixando não apenas todos os outros alunos que estavam assistindo completamente chocados, como Tiago Potter que olhava aquela cena sem acreditar, com a exceção dos amigos dos dois que já conheciam o estilo de ambos de lutar e os conhecia bem demais para se importar com algo tão fútil como um deles sorrindo por tirar sangue do outro.


- Ta doendo querido? – Sarah perguntou docemente, mas as palavras ocultavam o deboche e o divertimento da garota.


- Não mesmo, meu bem. – retorquiu Harry no mesmo tom de voz e avançou contra a namorada lançando sua espada em um ataque vertical visando acertar o tronco dela, mas mais rápida foi Sarah que bloqueou rapidamente seu ataque, ela apenas não esperava que ele fosse escorregar sua espada pela lâmina da espada dela fazendo assim um corte no ombro da garota antes que ela conseguisse se recuperar e bloquear a lâmina do moreno. Harry sorriu largamente quando o sangue dela também começou a correr molhando a camiseta do uniforme que ela estava utilizando, em seguida o moreno não conseguiu resistir e provocou. – Ta doendo querida?


- Cala a boca. – rosnou Sarah avançando para o namorado e atacando com golpes rápidos e que seriam mortais se o moreno não fosse rápido o bastante para bloquear a lâmina da espada da morena, lâmina essa que era vermelha escarlate com um punho branco como a neve.


Logo os dois trocavam golpes furiosos e brutais, nem Harry e nem mesmo Sarah sorriram novamente depois dos primeiros cortes que eles haviam sofrido. Eles trocavam golpes em cima de golpes conseguindo bloquear a maioria deles embora alguns conseguissem ultrapassar a guarda deles produzindo assim pequenos cortes em ambos.


- Já chega. – a voz de Tiago ecoou pela sala assim que Harry e Sarah se afastaram um do outro enquanto se preparavam para atacarem novamente.


Ambos ouviram a ordem do Professor de que a luta havia terminado, mas os dois continuaram se encarando por vários segundos antes de finalmente voltarem a uma posição normal deixando a posição de combate de lado, ambos decidindo que daquela vez a luta poderia terminar empatada, mais uma vez eles pensaram sorrindo divertidos.


- Essa foi uma luta fascinante, meus parabéns Senhor Potter e Senhorita Connor. – Tiago falava com a voz alegre enquanto observava atentamente os dois jovens, assim como o restante dos alunos que pareciam esperar que eles fossem começar a se atacar a qualquer momento. – Bom, finalmente a aula chegou ao fim pessoal, mas amanhã no primeiro horário estarei esperando vocês aqui para a aula de Duelo Mágico.


Os alunos imediatamente começaram a se dirigirem para o salão principal onde poderiam almoçar, para se preparar para as aulas da tarde. Harry e Sarah caminharam separados do restante dos alunos e ao invés de se dirigirem para o salão principal os dois acabaram entrando dentro de uma sala vazia no meio do caminho.


Os cortes e o sangue já não existiam mais no corpo de ambos, portanto quando a porta fechou-se as costas de ambos e eles se jogaram nos braços um do outro tudo se encontrava bem, afinal depois de uma luta tensa daquelas, eles precisavam daquilo.


======


 


Em um lugar além da própria existência e realidade encontravam-se vários seres de poderes extensos e incomparáveis, eles haviam se reunido devido aos últimos acontecimentos no mundo humano que querendo eles ou não afetaria diretamente a existência deles, afinal se o que Baha e Hades haviam tentado fazer não desse certo eles acabariam destruídos.


Aquele lugar era extremamente belo, não havia desordem ou mesmo caos naquele local, as arvores cresciam e floresciam por todos os lados, as plantas estavam espalhadas por todos os lugares, ali a natureza era pura e divina, qualquer ser humano que olhasse para aquela paisagem diria que se tratava do próprio paraíso.


Havia também uma mansão enorme, na verdade se tratava de um palácio luxuoso e extraordinariamente grande, não dava para saber verdadeiramente o tamanho do lugar, apenas que possuía centenas de quartos e salas espalhadas pelo palácio. Aquele também era o lugar chamado de Monte Olimpo, embora fosse apenas uma parte dele, pois o Olimpo compreendia toda aquela dimensão em que eles se encontravam.


Dentro do enorme palácio havia uma sala gigantesca que era destinada apenas para a reunião dos deuses Olímpicos, mas naquele dia em especial o Olimpo recebia visita de alguns deuses egípcios, que foram convidados por Zeus para participar da pequena discussão que havia se formado desde o dia anterior quando Ares descobriu que um simples humano mortal estava utilizando o nome dele durante uma batalha.


- Eu exijo que isso seja reparado imediatamente. – a voz de Ares ecoava pelas paredes do enorme salão de reuniões.


- Seja sensato Ares, ele é apenas um garoto. – Baha falava mansamente tentando acalmar o deus da guerra que parecia descontrolado.


Na mesa em que os deuses estavam sentados havia pequenas vasilhas douradas que continham um liquido especial que permitiam aos deuses observarem os garotos em questão lutando durante o dia anterior, na esquerda da mesa Nix observava a garota que utilizara seu nome batalhando contra um homem vestido de armadura negra, estava realmente surpresa por alguns humanos estarem utilizando nomes de deuses, mas aquela garota parecia bastante poderosa.


- Eu não me importo que essa garota use meu nome. – disse Nix em voz alta atraindo a atenção dos outros deuses que a olharam rapidamente.


- Como assim não se importa? – gritou Ares completamente furioso olhando para a deusa que apenas encolheu os ombros perante a fúria do deus da guerra. – Eles estão blasfemando nossos nomes, são seres muito inferiores a nós, não podem continuar usando nossos nomes como se fossem deles, onde fica o respeito...


- Não dramatize as coisas Ares. – Hades interrompeu o falatório do deus como se ele não passasse de um menino irritante, o que deixou o deus da guerra vermelho de raiva por ser tratado como se estivesse se comportando como um moleque.


- Eu exijo que minha honra seja retratada Hades, eu quero um duelo com esse pirralho, vou matá-lo bem devagar e mostrar para ele o verdadeiro poder do deus da guerra. – disse Ares com fúria olhando rigidamente para o deus dos mortos.


- Não seja tão inflexível Ares, eu também não me importo que essa moça use meu nome quando estiver lutando. – a voz de Ártemis fez Ares girar para ela rapidamente olhando para a deusa como se ela estivesse louca, mas a deusa olhava atentamente para os movimentos de Gina enquanto ela lutava com um Cavaleiro das Trevas.


- Eu não me importo com o que vocês acham sobre seus nomes estarem sendo usados, mas o meu não. - disse Ares friamente olhando de relance para Nix e Ártemis.


- Esse garoto é poderoso o bastante para honrar meu nome. – grunhiu Thor falando pela primeira vez desde que aquela reunião começara, o deus do trovão estivera analisando os movimentos do garoto ruivo a mais de uma hora e ficara satisfeito com o desempenho tanto físico como mágico que ele demonstrara.


- Concordo. – disse Nêmesis olhando analiticamente os movimentos fluidos da garota que utilizava seu nome enquanto a mesma lutava contra um homem de armadura. – Ela precisa evoluir ainda, mas me breve vai estar pronta.


- Vocês estão ficando loucos, isso sim. – rosnou Ares sem acreditar no que estava ouvindo naquele instante.


- Não creio nisso Ares. – Erebo falou em tom frio e determinado enquanto tirava os olhos da luta do garoto chamado Draco Malfoy e olhava para o deus da guerra, nos últimos minutos estivera analisando a luta do garoto contra um Cavaleiro e gostara do que estivera vendo. – Também concordo com os outros, eles demonstraram serem dignos de utilizarem nossos nomes, mesmo que ainda precisem evoluir muito.


- A loira é muito boa. – falou Selene com uma voz longínqua, que era tão característico dela. – Eu vejo um futuro magnífico para ela e os outros, não há duvidas de que eles serão os guerreiros mais poderosos da terra, se sobreviverem a essa guerra. Não tenho nenhum problema pelo fato dela usar meu nome, Ares.


- Isso é verdade. – falou Hel olhando para a garota que usava seu nome, essa garota era simplesmente maravilhosa na opinião da deusa nórdica, não entendia porque do deus grego da guerra estar tão revoltado, afinal os garotos eram muito bons. – A menina é sanguinária e impiedosa, nem sequer hesitou na hora de torturar e matar o homem com o qual estivera lutando, ela será uma guerreira poderosa e não sei porque você está resmungando até agora Ares, o garoto que está usando seu nome se mostrou muito habilidoso e poderoso.


- Ele é um humano. – rosnou o deus da guerra como se apenas aquilo respondesse ao comentário de todos os outros deuses.


- Ares, sinceramente eu ainda não entendi porque você está tão revoltado com o fato deles estarem o nome de deuses, todos nós vimos as lutas deles e concordamos que são dignos de utilizarem nossos nomes. – Zeus falou em tom impaciente e frio olhando para o filho, ainda não conseguia compreender aquele que era o deus da guerra. – O garoto que usou meu nome é extremamente poderoso embora ainda não tenha despertado todo o seu poder. Já disse inclusive que não tenha nada contra o uso do meu nome.


- Vocês devem estar completamente insanos. – Ares gritou furioso com todos eles, mas principalmente com seu pai por não querer dar permissão a ele para que ele pudesse matar o humano que estava usando seu nome. – Vocês podem ficar aqui se quiserem, mas eu vou ir até aquela escola onde ele está e irei matar aquele pirralho.


- Eu não faria isso se fosse você. – uma voz gutural e fria se fez ouvir do canto da sala e quando os deuses se viraram para ver quem falara se depararam com a figura do Arcanjo da Morte confortavelmente recostado contra a parede da sala parecendo extremamente divertido com a discussão que presenciava.


- E por que não? – grunhiu Ares com raiva, não estava nem ai para Azrael ou suas idiotices, por ele o anjinho podia se ferrar.


- Se você prestar atenção no humano que utiliza meu poder talvez entenda o que eu quero dizer. – disse Azrael em voz fria e poderosa, aquele ser era um dos poucos que os deuses se permitiam temer, pois mesmo eles sendo imortais ainda sim eram sujeitos a morte e Azrael era o portador dela. – Vai me dizer que não conseguem sentir o poder primordial que exala do corpo dele, é claro que ele não sabe sobre isso e nem tem noção da imensidão dos poderes que ele pode alcançar.


Com essa simples frase o anjo da morte chamou a atenção de todos os deuses que imediatamente alteraram as imagens que estavam analisando para as do garoto em questão e depois de alguns segundos vendo a luta dele, Hel soltou uma exclamação chocada quando finalmente conseguiu sentir o poder que vinha do moreno.


Hades e Baha haviam olhado para as imagens apenas por olhar, mas já sabiam o que os outros deuses veriam e sentiriam, por isso apenas esperaram para ver as reações deles que foram as mais diferentes possíveis, desde os mais chocados aos mais impressionados, mas foi a expressão de Ares que divertiu o deus dos mortos.


- Isso é impossível. – sussurrou Ares em voz baixa enquanto tremia levemente, aquilo simplesmente não podia ser verdade. – Isso não pode estar acontecendo, não pode ser verdade. Precisamos eliminar esse garoto imediatamente, antes que ele desperte todo esse poder.


- O risco de vida forçaria os poderes ocultos dele antes do tempo e ao invés de despertá-lo corretamente e com calma, ele não apenas se destruiria enquanto estivesse tentando se manter vivo como também aniquilaria todo o mundo humano com ele. – Hades disse com a voz calma, sabia exatamente que aquela questão surgiria quando descobrissem sobre Harry.


- Entende porque você não pode ir lá e matar o irmãozinho dele?b – perguntou Azrael com sarcasmo na voz.


- Maldição. – gritou Ares.


- Exatamente deusinho. – disse Azrael sorrindo friamente para o deus da guerra. – Se fizer isso então, vou sentar e assistir de camarote o estrago que ele vai fazer em você antes de te enviar para o inferno, por que ele pode usar meu nome, pois certamente que ele é bem mais cruel e sanguinário do que eu, sem contar que a piedade não existe no vocabulário dele quando se trata de um inimigo, então reze Ares, por que se tentar tocar no garoto você com certeza se arrependerá amargamente dessa decisão quando o Potter pegar você.


E dizendo essas palavras Azrael saiu pela porta do grande salão, pois sentia que tinha algumas almas para buscar no mundo humano. Mas ele não saiu sem deixar alguns deuses com as mentes em polvorosa analisando as novas informações, enquanto Hades e Baha sorriam internamente pela pequena vitória conseguida naquele dia.


 


 


 


 


 


 


N/A: Galera, desculpem a demora para atualizar, sei que não há muitas desculpas, mas o capitulo finalmente está no ar. Bem, dessa vez saiu a reunião dos deuses, gostaria de pedir desculpas se não ficou como esperavam, mas eu realmente não sabia como colocar essa parte, mas pretendo fazer uma espécie de encontro entre os deuses e Harry e seus amigos, vamos ver no que vai dar, mas isso no final da fic. Abraços e espero que tenham gostado do capitulo.


 


Agradecimentos especiais:


 


Ricardo: cara, finalmente o capitulo foi atualizado, espero que tenha gostado. Abraços.


 


Nath Potter Black: Eu peço desculpas pela demora na atualização, tive uns imprevistos, mas agora ta ai, espero que tenha gostado. Beijos.


 


D a n i l o: foi mal a demora pra atualizar cara, mas como eu disse tive uns imprevistos que me seguraram, mas o capitulo ta ai. Abraços.


 


Kaos StoneHange: ai cara, desculpa mesmo por demorar tanto para atualizar a fic, fiquei bastante enrolado nas ultimas semanas, mas finalmente consegui tempo para escrever mais, espero que tenha gostado. Abraços.


 


Júb: Que bom que gostou da minha fic, espero que o capitulo esteja bom, beijos.


 


Kalih: realmente o Dumbledore não foi muito feliz com o que fez e o Harry revidou com força, espero que tenha gostado da surra que o velhote levou. Os pais do Harry e o padrinho ganharam vários pontos dessa vez, mesmo que sem terem essa intenção, os cavaleiros da Luz nem sequer deram para suar. Agora a Lílian ficou uma fera, gostei da sua comparação dela com um Hulk, agora espero que tenha gostado da parte dos deuses, eu tentei fazer com que essa parte ficasse legal, mas não sei se consegui isso, maiôs pra frente pretendo colocar uma nova aparição deles, dessa vez para ficarem frente a frente com Harry e CIA. Beijos.


 


Jonathan: como eu disse nos comentários anteriores, fiquei bastante enrolado nas ultimas semanas, mas finalmente atualizei, espero que tenha ficado bom. Espero que tenha gostado da parte final da luta entre Harry e Dumbledore, eu pelo menos adorei escrever o velhote apanhando. Abraços.


 


James V Potter: cara, desculpa a demora pra atualizar, mas finalmente terminei de escrever o capitulo, espero que tenha ficado bom. Eu também não to acreditando que eu li que você gostou de ver o Dumbledore apanhando cara, agora sim fiquei feliz, por que isso vindo de você é um grande elogio. Os amigos do Harry e os pais dele interferindo com os Cavaleiros foi muito bacana, mas agora fiquei um pouco curioso para saber o que você pode ter imaginado quando leu aquela cena. Quanto ao lance da Índia, eu achei na net cara e concordo com você, o lance é bem forte e tenho pena de todas as pessoas que sofreram esse tipo de castigo, mas vou usar umas idéias que me vieram a cabeça. Abraços.


 


SAULO: finalmente eu consegui um tempo para escrever e atualizar cara, espero que tenha gostado. Abraços.


 


Anderson potter: como você viu cara, o Dumbledore não morreu... ainda. Mas ele ficou bastante detonado, mas não consegui achar uma brecha para fazer o velhote chorar, achei que ficaria melhor quando ele estivesse a beira da morte. A Lílian mostrou que com os filhos dela ninguém mexe, nas sem levar uma boa surra. A Sarah vai acabar com o Dumbie não se preocupe, mas mais pra frente. Abraços.


 


Toddy: que bom que gostou do capitulo anterior fera, espero que esse tenha agradado, teve bastante luta, e realmente o Dumbledore se ferrou legal. Não se preocupe, que vou dar uma olhada na sua fic essa semana ainda fera. . Quanto a seu comentário anterior fera, sobre a fic armagedon do Black Wolf... no começo da fic um leitor me perguntou a mesma coisa fera, se eu não me engano foi o DARK NIGHT, então vou responder algo parecido com o que eu expliquei para ele na época. A idéia original da minha fic surgiu depois de eu ler duas historias, uma delas que é a Armagedon do Black Wolf e uma outra que eu li em um outro site de fanfics, como eu não sei se pode ou não mencionar o site eu vou omitir esse detalhe. Portanto gostaria de deixar claro que a fic do Black é totalmente idéia dele, pelo menos eu acho que é, quanto a Dark, a idéia para ela surgiu depois que eu comecei a ler a Armagedon e eu utilizei a idéia dos deuses no começo da minha historia, mas quanto ao resto é totalmente de minha autoria. Espero que tenha explicado bem cara, se não pode me avisar que eu tento me expressar melhor, e é claro deixar claro que eu admiro muito o Black Wolf, acredito que ele é um dos melhores autores de fics que eu já tive o prazer de ler, gostaria que ele tivesse mais tempo para escrever, mas não podemos ter tudo, não é mesmo. Abraços.


 


Silvia Cecil: O Dumbledore levou muita porrada, espero que tenha gostado do capitulo, o anterior foi realmente extenso e cheio de informações, o Sirius e os pais do Harry decidindo apóia-lo é bastante interessante da parte deles, uma pena que agora o Império da Luz pertence ao Harry, mas pretendo aliviar pra eles no próximo capitulo. Um espião, bem alem do Pettigrew tem mais um homem do tio Voldie em Hogwarts, por isso o Harry não mostra suas verdadeiras habilidades que ele somente demonstrara quando lutar contra Voldemort. Beijos.


 


Polaris: o capitulo anterior teve bem mais informação do que esse, que foi luta pura, espero que tenha gostado da conclusão da luta. Espero que tenha curtido o capitulo, agora quanto ao lance entre a Mione e a Sarah no cap. Anterior realmente foi interessante, essa cena não estava na fic, mas simplesmente surgiu na minha cabeça de uma hora pra outra e então eu fui simplesmente escrevendo e deu no que deu. Quanto a seu comentário sobre os possíveis aliados para o PANTEÃO, bem ai está uma parte deles, ou seja todos os Cavaleiros da Luz agora vão obedecer as ordens do Harry, mas ainda vai haver mais alguns, espere pra ver. A fic agora vai ter uns três ou quatro capítulos meio parados e meio violentos, antes de finalmente a guerra estourar e Voldemort voltar com tudo. Beijos.


 


Haseo: obrigado, espero que tenha gostado do capitulo. Abraços.


 

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.