FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. Primeiro Mês


Fic: Grávida por acaso - Hiatos por enqnto


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Um mês depois:


 


- O que é isso? – perguntou Draco. – Isso é uma...


 


Ele não podia acreditar no que via. Já fazia um mês que Pansy, sua antiga namorada, havia dito estar grávida dele, que havia descoberto há pouco tempo e que a gravidez já estava adiantada, agora ele entrava no quarto e a via colocando uma barriga falsa?! Havia acordado antes dela e deixado um bilhete na cama dizendo ter ido trabalhar e não havia a acordado por ser muito sedo, mas era uma mentira! Tinha planejado uma pequena surpresa pra descobrir que ela estava o enganando?!


Seu cérebro não queria registrar aquele fato, não podia registrar. Respirou fundo contou até dez e abriu novamente os olhos e lá estava ela com a blusa posta e a barriga volumosa. Fechou os olhos e a imagem dela colocando a barriga lhe veio na mente. Sim ela estava mentindo para ele, era não estava grávida... Ela NUNCA esteve grávida!


 


- Como você pode? – perguntou Draco se controlando para não gritar.


- Como eu pude o que meu amor? – perguntou Pansy.


- O QUE?! – gritou indignado... Não podia acreditar no que ouvia. – COMO VOCÊ CONSEGUE MENTIR ASSIM?! COMO VOCÊ CONSEGUE?! – berrou.


- Mentir?! – perguntou Pansy. – Eu não estou te entendendo...


- NÃO ESTA ME ENTENDENDO? – berrou se aproximando dela. – POIS EU TE DIGO O QUE VOCÊ NÃO ESTA ENTENDENDO PANSY...


- Mas que gritaria é essa Draco? – perguntou sua mãe Narcisa.


- Eu lhe digo o porquê da gritaria mãe... – Draco acabou com uma pequena distancia que ainda tinha entre ele e Pansy e puxou a blusa dela a rasgando mostrando a ‘barriga’. – Isso é o que aconteceu. – puxou a ‘barriga’ de Pansy que reclamou pelo puxão.


- Mas o que...? – Narcisa não podia acreditar.


- Isso mãe é o seu neto! – disse Draco jogando a barriga falsa em cima da cama. – Isso é o que ela dizia ser o meu filho!


- Pansy como você pode fazer isso? – perguntou Narcisa.


- Eu não fiz por mal Narcisa eu juro! Eu amo muito o Draco eu... – tentou se defender Pansy.


- ME AMA MUITO?! – berrou Draco. – SE ME AMASSE COMO VOCÊ MESMA DIZ NÃO TERIA FEITO O QUE FEZ!


- Draco controle-se! Não vai adiantar resolver nada com você de cabeça quente... E muito menos com a Pansy na situação em que esta! – disse Narcisa. – Vou pedi para o Alfred chamar um táxi para ela e você desça e espere no escritório que já eu vou lá. – Draco não esperou que sua mãe fala-se mais nada saiu do quarto como um furacão. – É melhor você se acalmar daqui a pouco Alfred lhe trará um chá calmante. – ao dizer isso saiu do quarto deixando uma Pansy desesperada.


 


Desceu as escadas e encontrou com um Alfred confuso perto do ultimo degrau da escada. Respirou fundo e se aproximou do mordomo.


 


- Desculpa srª. mas porque o menino Draco passou por aqui parecendo um furacão louco pela destruição? – perguntou o mordomo.


- Alfred me faça um favor antes de ouvir a história? – perguntou Narcisa.


- Sim srª. – respondeu Alfred.


- Ligue para o Blaise e peça para a Mary fazer um chá calmante e levar para a Pansy no quarto do Draco eu preciso falar com o meu filho em particular primeiro. – pediu Narcisa.


- Tudo bem srª. Mas o que eu digo para o sr. Zabine? – perguntou Alfred.


- Diga para ele vir o mais rápido possível e que o Draco precisa muito dele. – disse Narcisa. – Deus sabe como eu queria ajudar o Draco realmente, mas preciso cuidar da retirada da srtª. Parkinson.


 


Narcisa deixou Alfred cuidar de suas tarefas e foi para o escritório encontrar com Draco. Ao se aproximar da sala parou em frente à mesma respirou fundo e entrou. Draco estava sentado em um sofá de coro negro que tinha, parecia estar tentando se acalmar ainda.


 


- Draco? Filho? – chamou Narcisa.


- Oi mãe? – disse Draco com os olhos fechados.


- Eu não vou perguntar como você esta se sentindo querido, também não irei mentir e dizer que não estou arrasada com tudo isso. – disse Narcisa se aproximando de Draco e sentando ao seu lado. – Só te peço pra manter um pouco de calma e paciência até a Pansy...


- Não diz o nome dela não mãe, por favor. – pediu Draco.


- Filho eu também não quero mais saber dela e nem ouvir o nome dela, mas ela ainda esta aqui e em seu quarto então vamos agir com educação. – disse Narcisa calmamente. – E como eu ia dizendo, até que ela vá embora o que eu já pedi para o Alfred cuidar disso. E filho...


- Sim?


- Espero que não fique chateado comigo mais eu terei que ajudar ela a fazer as malas e tudo mais então pedi para que o Alfred ligasse para o Blás, tudo bem? – perguntou Narcisa.


- Eu ia ligar pra ele mesmo mãe, obrigado por adiantar essa parte por mim. – disse Draco dando um beijo na bochecha de Narcisa.


- De nada querido. – Narcisa acariciou o rosto do filho e deu um leve beijo na testa do mesmo. – Bom eu vou ajudar a Pansy a arrumar suas coisas, daqui a pouco eu paço pra Mary lhe avisar quando ela for embora ok?


- Ok.


 


Narcisa saiu da sala e foi em direção ao quarto do filho no segundo andar. Ao chegar no quarto encontrou Pansy com as malas já arrumadas, os olhos vermelhos e com a barriga falsa nas mãos. Olhou aquela barriga e sentiu um nó se formando em sua garganta. Ah! Como ela queria um neto... Uma criança para iluminar aquela casa... Tirar aquela sensação de tédio e escuridão da casa... Tudo isso demoraria mais um pouco para acontecer.


 


**********************************************************************


Não sabia o porquê de estar passando mal, só sabia que não conseguia nem olhar para o prato de comida a sua frente. Olhou em volta no restaurante vendo todas aquelas pessoas comendo e conversando e seu estomago deu mais uma volta. Soltou um muxoxo de angustia pegou o garfo com um pedaço de carne e tentou levar até a boca mais não conseguiu.


 


- Mione você esta se sentindo bem? – perguntou um homem de óculos e cabelos revoltados.


- Pra falar a verdade não Harry. – confessou Hermione. – Eu não sei o que eu tenho, mas meu estomago ta revirando só de pensar em comer alguma coisa.


- Você comeu ontem Mi? – perguntou Gina.


- Comi Gina! Comi até demais! – disse Hermione.


- Deve ser por isso que você ta passando mal então. – disse Harry.


- Verdade Mi. Você nunca foi de comer tanto. – concordou Gina.


- Deve ser isso. – disse Hermione massageando o estomago. – Ai eu acho que eu vou vomita...


- Vem vamos no banheiro. – disse Gina.


 


Hermione e Gina se encaminharam para o banheiro sendo observadas por um Harry preocupado. Mal entraram no banheiro e Hermione foi em direção a uma das patentes e se debruçou. Gina foi até a amiga e segurou os cabelos dela evitando que entrassem na patente.


 


**********************************************************************


Estava no seu dia de folga, “Só se for dia de folga dos pacientes” pensou enquanto analisava, sentado em seu sofá, alguns exames de algumas pacientes que estavam chegando aos últimos meses de gestação quando seu celular tocou.


 


- Alô? – atendeu o telefone.


- Sr. Zabine? – perguntou.


- Alfred? Aconteceu alguma coisa? – perguntou Blaise ao reconhecer a voz do mordomo da casa do melhor amigo.


- Eu acho melhor o senhor vir até aqui e constatar, mas irei adiantar os acontecimentos para que o sr. não fique desnorteado quando chegar. – disse Alfred ao perceber a preocupação de Blaise


 


**********************************************************************


O celular de Gina tocou fazendo com que ela se assustasse.


 


- Alô? – atendeu Gina.


- Gi eu to pegando o carro encontro você e a Mione aqui na frente e não se preocupa já paguei a conta. – disse Harry.


- Ah mor! Obrigada. – agradeceu Gina.


- A Mione ta vomitando muito? – perguntou Harry.


- Ta. Acho que ela ta devolvendo tudo o que comeu nos últimos três dias. – disse Gina.


- Tadinha. Gi vou desliga, até daqui a pouco. – disse Harry. Gina pode ouvir a porta do carro bater.


- Ta. – desligou Gina. – Mi ta melhor? – perguntou ao ver que Hermione tinha parado de vomitar.


- To. – a voz de Hermione estava um pouco pastosa. – só preciso limpar a boca e tomar alguma coisa pra tirar esse gosto ruim da boca.


- Mione você esta assim desde quando? – perguntou Gina ao ver a amiga se levantar e ir para a pia.


- Desde algumas horas por quê? – perguntou Hermione.


- Não por nada. – disse Gina. – é que você falou que anda comendo demais.


- É ando sim, mas vomitar eu nunca vomitei. – disse Hermione.


- Hum... Estranho. – disse Gina.


- Também acho. – disse Hermione fazendo um bochecho.


 


Elas saíram do banheiro e foram para fora. Harry as esperava no carro, estava um pouco preocupado com a amiga mais resolveu não tocar no assunto. Assim que entrou no carro Hermione sentiu seu corpo pesar e uma sonolência a atingiu.


 


- Gi, a Mi dormiu. – disse Harry ao olhar pelo retrovisor e ver a amiga dormindo.


- Acho melhor a gente levar ela pra casa, eu dou uma desculpa qualquer pro Rony. – disse Gina.


- Concordo com você. – disse Harry virando em uma rua. – Gina?


- Sim? – respondeu Gina esticando o braço a fazendo um carinho no cabelo do noivo.


- O que você acha que a Hermione tem? Porque ela mal tocou no prato! – disse Harry.


- Não sei Harry... Não sei mesmo. – disse Gina preocupada. – Ela vem dizendo que tem comido muito faz bastante tempo, mas pelo que ela me disse hoje é que ela vomitou. Agora ela pegou num sono repentino assim... Não sei meu bem.


- Será que a Mione ta grávida do Rony? – perguntou Harry.


- Não! Impossível Harry! Se a Mione tivesse engravidado do Rony a gente já teria percebido... E há muito tempo! – disse Gina. – Eles terminaram faz três meses! Ela já estaria com uma barriga mais saliente.


- Verdade... – disse Harry parando o carro em frente a um condomínio. – Bom chegamos. Bom você vai na frente que eu vou levar a Mi no colo ok?


- Ok. – disse Gina saindo do carro e abrindo a porta de trás para que Harry pudesse pegar a Hermione.


 


**********************************************************************


Não sabia como tinha caído naquele truque tão sujo e velho, mas era que tinha se iludido e caído. Sentado no sofá do escritório com seu segundo copo duplo cowboy de whisky pela metade e se sentindo o maior idiota da face da terra. Ouviu algumas batidas na porta e murmurou um ‘entre’.


 


- Senhor Malfoy o senhor já pode ir para o seu quarto. – avisou uma mulher.


- Obrigada Mary. – disse Draco se levantando e se direcionando para a saída. – Ah Mary! – chamou a empregada. – eu não quero ser perturbado a não ser pelo Blás ta?


- Tudo bem senhor Malfoy. Irei avisar para o Alfred. – disse Mary indo em direção a cozinha o deixando sozinho.


 


Arrastando os pés ele subiu as escadas de sua mansão. Nunca h             avia percebido como ela era fria e escura, mesmo estando com todas as cortinas abertas deixando os raios de sol entrar. Sua cabeça trabalhava a mil, não conseguia se concentrar em um único pensamento. Abriu a porta do quarto e se jogou na cama. Fechou os olhos e uma imagem lhe veio à cabeça: um menininho de uns dois anos com os cabelos escuros e olhos cinza correndo pela casa e rindo.


Abriu os olhos e se levantou. Foi até uma poltrona e pegou um pacote pequeno e o abriu. Nele continha um pequenino par de sapatos de lã branca. Os colocou nos dedos e os olhou: tão pequenos! Foi em direção à cama e sentou na beirada.


 


- Draco? – chamou Blaise ao ver o amigo sentado na cama.


 


Draco olhou para o amigo e baixou os olhos sem dizer nada. Não sabia se ainda possuía voz. Começou a brincar com os sapatinhos em sua perna. Blaise olhou para o amigo e um nó se fez em sua garganta. Nunca imaginou ver um dia Draco Malfoy tão vulnerável quanto agora, nem na morte do pai ele tinha ficado como estava.


 


- Draco? – Blaise o chamou novamente entrando no aposento e sentando ao lado do amigo.


- Você estava comigo quando eu comprei esse sapatinho lembra? – disse Draco. – Era para ser uma surpresa...


 


Inicio do Flash Back:


 


- Cara o que aconteceu com você? – perguntou Blaise.


- Como assim? – perguntou Draco sem entender o amigo.


- Draco você esta a mais de meia hora olhando sapatinhos para bebe e não se resolveu qual levar! Desde quando você é assim?! Quando foi que você mudou que eu não percebi?! – disse Blaise fazendo Draco rir.


- Desde que eu descobri que vou ser pai. – disse Draco olhando um sapatinho de lã azul.


- E desde quando você quer ser pai aos 25 anos?! – perguntou Blaise.


- Desde que a minha mãe ficou me enchendo o saco! – brincou Draco.


- Não agora vamos falar sério. – disse Blaise parando de rir. – Você, eu, sua mãe e a rainha Elizabeth sabemos que você não ama a Pansy. Mas porque você resolveu do nada, não só assumiu a criança, como vai casar com ela. Agora eu te pergunto o PORQUÊ disso?


- O porquê de eu casar com a Pansy é aquela coisa de que eu ia ser a vilão, mas o contrato pré-nupcial tem uma clausula que diz que eu só caso com ela por causa do bebe. – explicou Draco.


- Ta, tudo bem. – disse Blaise com um tom que deixou claro que ele não tocaria mais no assunto. – Mas de onde saiu esse Draco Malfoy pai? – perguntou rindo.


- Acho que a minha mãe me contaminou com a vontade dela de ser avó. – disse Draco. – sabe aquelas coisas que ela viva me dizendo...


- ‘Que a mansão de vocês é muito grande e que uma criança faria com que ela diminuísse e que também iria encher a casa de luz e felicidade’. – cortou Blaise.


- É isso ai. Eu acho que ela sempre esteve certa e era eu que nunca tinha reparado. – disse Draco pegando o sapatinho de lã azul. – Vou levar esse. – disse para a atendente.


- E se for uma menina? – perguntou Blaise ao ver a escolha do amigo.


 


Draco olhou para o sapatinho e para a atendente e de novo para o sapatinho e de novo para a atendente e para o sapatinho e para a atendente. Ele ficou nesse joginho por alguns minutos fazendo com que Blaise e a atendente rissem.


 


- Tudo bem eu levo o branco satisfeito meu caro amigo Blaise Zabine? – brincou Draco pegando sua carteira e retirando o valor em notas e entregando a atendente assim que recebeu o pacote com o par de sapatinhos.


 


Fim do Flash Back.


 


- Eu sei. – disse Blaise. – Cara eu não queria te falar isso, mas você não me deixa saídas... EU TE AVISEI! – gritou Blaise.


- Blás o que você queria? Ahn?! Que eu consultasse cada médico da Inglaterra?! – disse Draco um pouco alterado.


- Não! – disse Blaise. – Mas eu queria que você tivesse me ouvido quando eu te falei que era esquisito ela não querer que você fosse aos ultra-sons! Toda mulher quer que o pai do filho vá e veja que tudo esta bem!


- Eu queria ir! Mais ela vinha com aquela conversa... – começou Draco.


- De que você não precisava se preocupar tanto com ela e que ela sabia se virar! – completou Blaise. – Cara eu trabalho com mulheres grávidas a 5 anos e todas, incluindo as que tem um filho como vocês teriam pedem para que os pais façam parte desses momentos!


- Blás, por favor,tudo o que eu não quero agora é brigar com você. – pediu Draco guardando os sapatinhos e indo ao seu guarda roupa colocando a caixinha lá. – eu só quero sair um pouco e beber, afogar as mágoas e só acordar amanha e com uma ressaca daquelas!


- Tudo bem. Tudo pelo bom estar do meu amigo. – concordou Blaise dando um abraço em Draco. – Mas vou logo avisando que amanha eu tenho clínica cedo e que se você quer afogar as mágoas e melhor chamar o Crabbe e o Goyle para te ajudar depois.


- Eu acho melhor eu tomar um calmante da minha mãe então. – disse Draco dando um sorriso fraco.


 


**********************************************************************


Acordou em sua cama, mas não se lembrava de ter chegado até lá. Olhou em volta e constatou que já deveria ser de noite. “OMG! Eu não fui pro trabalho! O Rony vai me mata!” pensou ao se levantar rápido demais e ficar tonta. Se apoiou na cabeceira da cama e respirou fundo, seu estomago deu mais uma volta e percebeu que iria vomitar de novo.


Correu para o banheiro e chegou a tempo. Não sabia o que tava acontecendo consigo mesma, mas que tinha alguma coisa errada... Ah! Isso tinha! Ficou um tempo sentada no chão do banheiro, respirando e tentando criar forças para se levantar e ir para a pia. Foi se escorando na parede e conseguiu se levantar, com calma chegou até a pia fez um bochecho e lavou o rosto.


Voltou ao quarto e sentou na cama. O que estava acontecendo? Porque ela se sentia tão bem e logo depois estava vomitando e tendo tonturas? Porque não conseguira comer nada no restaurante mesmo com fome? Respostas para essa pergunta ela não tinha... Ou tinha?


 


N/A: oooooooooooooooiiiiiiiiiiiiiiiiiii gntttttttttttttttt!!!


Termineiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!shaushuahsuahsuah


Cara essi cap foi um pokinhu difícil pra faze mais eu consegi!


\o/³³³³³³


Ok vamos por algumas esclarecimento antes dos coments...


 


1º eu ñ sei como eh uma gravidez!por isso se estiver alguma coisa errada peço perdão...


2º o Blás eh...num vo conta...shuahsuahsu


3º xega de esclarecimentos...


 


Lizzie Riddle: calma menina se acalma...respira 1,2,1,2,1...se acalma antes ke vc infarte!ushausuasuash...ke bom ke vc gostou ^^...vdd eles tem um kimica incomum msm...uhsuaushaus


Lúh C. P.: ^^ ke bom ke gostou...shuashuashua...eh ke vc ñ leu nada ainda kerida!cap ai...^^


Luuh Slytherin: ^^ cap postadinhu...volte sempre ^^


Mary Malfoy: EU TARADA PSICOPATA?!tarada eh vc ke lê!ushaushuashua...gosto neh?confeça! shuahsuhsuah...eu sei ke vc tem um coração kerida...mas ele infarta...vai ser um poco difícil vc num axa?!ushaushuasuashua...addddooooooorrrrrrrrooooooooo!!!


JOSY CHOCOLATE: ahsuahsuahsuahushauhs...bom neh?hduahuhsuahsuha...


Mione 03: pode ter certeza ke ela vai agradece...bom pelo menos em alguns termos...ushausuahsua...foguentos?!soh foguentos?!suahsuaushausahsuah...ke bom ke vc esta gostando e eu espero ke vc comente mais ^^ bjos ps: suhaushuahsuahsuha...ñ deve ser maravilhos...EH maravilhoso ter um Draco Malfoy ronronando pra vc...hsuahsuahsuahsu


Elane Black: O.O posteiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii...hsuahsuhasuashu...


 


 


 


N/B: cap novo gnt!!!


Espero q vcs gostem e continuem comentando mtoooo!!!


bjoo

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.