FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

3. Cap II


Fic: A Era dos Comensais - 18 anos - Uma fic como você nunca leu.


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Ouvia uma musica suave ao fundo, mas não distinguia. Era a musica que queria ouvir. E todos os músculos do corpo anestesiados deixavam-na calma. Não existia nada nessa merda de mundo que não fosse bom. E ela não fazia parte de plano algum. Ela era ela e só ela. E ser somente ela bastava pra que todo esse paradoxo de sensações fizesse a singularidade de sua momentânea felicidade. E por tudo isso ela os odiava. Os dois. E amava Severus. Por que mesmo que ele fizesse parte de tudo e sofresse mais que todos. Ele sempre vinha. E trazia. E a amava. E só ela sabia.
 
- Ainda viva? – A voz desdenhosa e rouca dele apenas expressava a certeza de que ela estava. Ele mesmo misturou as substâncias dessa vez. Tinha que garantir que ela ficaria bem depois de tomá-las e as vendidas livremente, não eram confiáveis. – Essas porcarias estão cada vez mais difíceis de conseguir, portanto não desperdice. – Deitou na cama vestido apenas com roupa intima e cerrou os olhos antes de chamá-la. Tinha que ser assim. – Granger, o pagamento.
 
Hermione sorriu. Levantou-se languidamente e rastejou sobre o colchão como sabia que ele gostava. Ele a desejava. E Severus era paradoxal. Servo e Senhor. Poderia tê-la quando e como quisesse. Com ou sem “presentes”. Mas sempre a tinha assim. Como um favor por serviços prestados.
Encaixou-se sobre ele já despida das poucas roupas que usava e deslizou ambas as mãos pelo tórax marcado. Possuía cicatrizes por todo corpo, finas e profundas como corte de navalha e odiava que perguntassem sobre elas. Não queria lembrar.
 
- E como quer receber? – Sussurrou sensualmente antes de roçar os lábios aos dele. 
Não respondeu. Inverteu as posições e se afundou no corpo dela. Sua. Os sorrisos e gemidos que extraia era seu pagamento. E estava vivo. E fazer o que fazia, valia a pena por ela. Só por ela. E ela sabia.
 
 (...)
 
- Vai mandar uma resposta? – Falou desdenhoso. Odiava se arriscar com coisas de moleque.
 
- Não vou ler agora. Não tem nada de novo nisso. – Olhou com indiferença pro envelope que jogou na escrivaninha.
 
- Não consigo entender Hermione o porquê de ter entrado nessa vida. Juro que sua burrice me espanta. 
 
- E você? Também não entendo por que se arrisca traindo Voldemort para uma causa que nem te aceita. Diga-me Severus. Por quê?
 
- Talvez por que eu não tenha mais uma vida ou uma escolha. Agora você tinha. As duas. - Fitou-a.
 
- Exato. Tinha. – Voltou a deitar e fitou o teto. – Uma vida ao lado de um covarde e a escolha de estar aqui.
 
- Ridícula coragem Griffindor. Os corajosos morrem cedo. – Continuava avaliando as reações da garota.
 
- Então devo ficar feliz. – Virou o pescoço e beijou o ombro do homem. Severus segurou seu queixo, fazendo-a olhá-lo.
 
- Você não vai salva-los Granger.
 
- Então vou morrer tentando. – Soltou o rosto e levantou da cama com raiva. - Começou a vestir-se. – Odeio quando faz isso. Odeio.
 
- Feche a porta ao sair. – Fechou os olhos e apurou os ouvidos. Suspirou quando ela se foi. Um dia seria pra sempre e doía pensar.
 
 
 



Um ano antes.
 
Lucius conjurou uma mesa e sobre ela alguns vidros e utensílios que Draco desconhecia.
 
- Vou deixar você aproveitar sozinho Draco. Não me decepcione e lembre-se que o prazer é medido pelos gemidos. – Sorriu debochado ao olhar pra ela, que o fitava com os olhos cerrados e fulminantes. Um dia se vingaria de todos eles. Todos.
 
Escolheu o menor vidro e arqueou uma das sobrancelhas ao ler afrodisíaco no rotulo. Aquilo era interessante e reconheceu o cheio do quarto da mãe imediatamente ao abrir. Lucius sempre teve seus segredos então.
Mergulhou a ponta da varinha e levou a boca sentindo o gosto adocicado e a língua esquentar. Mas esquentar muito. Sorriu e voltou sua atenção para garota que o olhava intrigada. O que aquele moleque faria. Anos de convivência apenas serviu para acentuar o conceito que fazia dela. Um moleque arrogante e idiota. E com os hormônios descontrolados.
 
Draco sabia o que ela estava pensando e imaginou o porquê a sabe tudo prepotente nunca aprendera a fechar a porra da mente. Moleque?
Puxou uma cadeira e sentou-se de frente. De frente pras pernas abertas coberta apenas pela renda preta. A voz arrastada.
 
- Sabe Granger, não posso descumprir uma ordem. – Deslizou a ponta da varinha do tornozelo a panturrilha. – Mas minha vontade é de lhe provocar tanta dor. – Do joelho ao centro da coxa, numa lentidão agonizante. – E ouvir você gritar e implorar pra morrer. – Suspirou como se a idéia lhe desse um imenso prazer e afastou a renda ainda com a varinha, deslizando por todo sexo umedecido.
 
Granger praguejou e contraiu o corpo e Draco sorriu. Como eram úteis os feitiços para emudecer. Levou a varinha ao frasco azul e passou por toda extensão da vagina, fazendo remexer-se e fechar os olhos com força. Aquilo devia queimar.
Apreciou a visão. Os pés da garota presos por cordas grossas flexionavam e relaxavam e cada pelo do corpo estava arrepiado conforme ela insistia em tentar movimentar o quadril.
 
- O quanto isso é bom Granger? – Sorriu debochado quando a viu abrir os olhos injetados e gira-los nas orbitas. Os lábios semi-abertos respirando ofegantes denunciavam o quanto aquela poção era potente. Transpirava excitação. – Quer que eu tire o feitiço pra poder implorar que eu transe com você? – Tornou a deslizar a varinha pelo sexo, dessa vez com ela ao contrario e pressionando incessantemente o clitóris. Os lábios da castanha se abriram mais e nitidamente se ela expelisse algum som estaria gemendo. – Não, ainda não. – Inclinou-se sobre ela, pressionando um pouco mais o cabo da varinha quase fazendo penetrá-la e sussurrou rente ao ouvido. – Isso é apenas a introdução. O que farei com você será muito melhor. – Riu. Levantou e limpou a varinha na capa, saindo em seguida e deixando a garota se contorcendo de excitação.

Continua...



N/A- Agradeço a todos que comentam e abastecem o combustivel que move todos os autores de fics. Nada nos pertence e não ganhamos nenhum centavo escrevendo. Apenas o prazer de lermos os comentários e sabermos a opnião de cada leitor. Por isso peço que comentem mesmo que seja pra dizer apenas se está bom ou não. Bjx
Serena


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por the em 25/01/2016

QUE FICA É  ESSA? SOCORROOOO

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Gabriela Santana em 06/12/2013

Esse capítulo tá fazendo um pouco mais de sentido do que antes, mas toma cuidado dom sua construção, se uma coisa não tiver a ver com a outra, será um fiasco.

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Catarina Blumm em 15/10/2011

Eu estou entendendo.

Nota: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por vanzhan em 15/08/2011

a história está bastante... Confusa:S

Mas a forma de escrita e tudo mais é bem intrigante, sinto vontade de continuar lendo, estou curiosa!

Bjus

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por flavia cullen em 20/07/2011

ñ estou entendendo mas vamos ver o q acontece né?

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.