FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

9. Passa fora, Potter.


Fic: ACERTANDO AS CONTAS


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________




Pansy tateou na cama a procura de Harry, mas onde ele deveria estar só tinha vazio. “É cedo, onde será que ele foi?” perguntou-se sonolenta levantando-se a procura do moreno. “Será que foi embora?” o pensamento a preocupou até que ela capturou uma silhueta na varanda do quarto. Sorriu involuntariamente ao notar que o moreno não tinha ido embora. Ele estava fitando o céu azul da cidade e parecia estranhamente tenso.

_Harry? Acordou cedo. – ela falou passando os braços em torno dele, que continuava a mirar o céu.

_Porque continua com isso? – ele perguntou sem encara-la.

_Como? - ela perguntou sem entender. – não estou entendendo.

_Talvez isso te ajude a entender, então. – ele estendeu um pedaço de pergaminho.


No início Pansy não conseguia entender o porque dele estar lhe dando um pedaço de pergaminho amassado, porém ao notar a caligrafia conhecida quase caiu pra trás. “Não pode ser. Não agora, merda!” ela pensava em pânico ao ler o conteúdo do bilhete. Ergueu os olhos a procura de Harry e tudo que viu foi o vazio. Correu os olhos para o interior do quarto e o viu refazendo as malas.


_Espera. Não é o que você está pensando... – ela falou entrando no quarto outra vez.

_Concordo, é exatamente o que eu li. – ele falou ressentido.

_Eu posso te explicar. – ela falou sentando-se na cama.

_Explicar o fato de como eu fui um fantoche nas suas mãos? Ou melhor: talvez você queira me contar os detalhes deste plano onde eu faço papel de idiota? – ele falou venenoso.

_Era um plano eu não nego isso, mas...

_Pelo menos você tem a coragem de admitir. – ele desdenhou.

_Potter, me escuta... – ela bufou.

_Nossa, eu passei de Harry para Potter bem rápido não?

_Pare com essas ironias e me deixe falar. – ela alterou-se.

_Então tente explicar para um homem idiota como eu, o motivo dele ser alvo de uma vingança infundada. – ele tentava se controlar.

_Infundada? – ela perguntou incrédula – você criou todos os motivos. Você as enganou no passado, lembra?

_Elas? Estou me lixando pra elas. – ele falou com os olhos cheios de cólera – é você quem me envergonha.

_Eu? – ela suspirou cansada – calma, senta aí. Me deixa te falar tudo e...

_Eu não preciso ouvir mais nada. E nem preciso ficar mais aqui. – disse recolhendo o restante das roupas e jogando-as de qualquer modo dentro da mala.

_Vai me deixar aqui? – ela perguntou pasma.

_Tá com saudade do seu brinquedinho? – ele perguntou irônico – ou só quer mais alguns minutos de prazer?

_Pare de me ofender! – ela o encarou levantando-se da cama – não sou esse tipo que você pensa.

_Com certeza. – ele sorriu debochado - Sua performance no palco e nesta cama ontem a noite me provou o tipo de mulher que você é.


PÁ. Um sonoro tapa na cara de Harry e uma Pansy furiosa.


_SAIA! – Ela bradou.

_Com prazer. – ele pegou a mala e desaparatou.


Pansy passou a mão pelos cabelos nervosa. “Ai, que ódio da Luna! Porque ela tinha que mandar um bilhete assim? Droga!” . Um barulho de algo se quebrando dentro do quarto. Pansy jogou um pesado cinzeiro contra a porta, onde minutos antes Harry estava. Nunca pensou que ficaria assim por causa de um homem. “Chorar não vai me levar a nada.” ela pensou enxugando algumas teimosas lágrimas que percorriam seu rosto de porcelana. Juntou suas roupas e saiu do quarto.


_Vou embora. – ela falou ao atendente do Hotel no balcão da recepção. – as chaves e em quanto ficou a conta?

_O cavalheiro já pagou a conta de vocês. Obrigada pelas chaves senhorita. – o jovem cumprimentou gentil, mas Pansy nem deu ouvidos. “Pelo menos ele fez algo decente.” pensou antes de sair do Hotel.



**********Ministério da Magia, Departamento de Mistérios***********



_Tem certeza, Potter? – Draco perguntou pela terceira e última vez.

_Absoluta. – Harry respondeu resoluto.

_Então... nada posso fazer. – Draco levantou-se e esticou a mão para Harry aperta-la – foi de grande ajuda para nossa missão Sr. Potter. O Ministério será muito grato e...

_Poupe-me desses sermões. – Harry falou polido – até.

_Até Potter. – Draco viu seu ex-inimigo sair de seu escritório para não voltar tão cedo.



**********Aptº de Harry Potter, França**********



_Lar, doce lar. – ele falou ao desaparatar para as paredes vazias. – somente algumas semanas e isto fica tão vazio. – ele falou para as paredes enquanto tirava os sapatos.


Harry sentou-se no sofá confortável de seu apartamento e sua mente divagou outra vez para Las Vegas. “Era só uma missão. Você perdeu o controle e agora não adianta reclamar.” ele tentava se convencer que tudo que acontecera naquele hotel em Vegas não tinha passado de simples aventura, mas sabia que estava sendo hipócrita. “Tenho que tirar essa mulher da cabeça.” ele pensou com urgência ao levantar-se e ir preparar a banheira.


“Porque você tinha que estar metida nisso?” ele pensava ao ver a banheira enchendo-se de água “Você não devia ter feito isso comigo.” a água agora estava quase no limite da banheira e Harry ainda estava imerso em pensamentos “Porque você Pansy? Porque eu fui me envolver assim justo com você?” ele despertou de seus devaneios ao sentir os pés molhados. O banheiro estava inundado. _Merda! – foi tudo que conseguiu dizer naquele momento.


**********Ministério da Magia, Sala de Gina Weasley**********


_Eu vou te MATAR, Luna! – Pansy avançava tentando alcançar um pedaço de Luna, que estava escondida atrás de Gina.

_Pansy, se acalma. O que houve? – Mione tentava controlar a situação.

_Houve que ela tem o dom de fazer tudo errado! – disse avançando e outra vez sendo contida por Hermione.

_Chega! Tirem esta louca daqui. – Luna gritou ainda escondendo-se atrás de uma Gina cada vez mais pálida.

_Louca é a &*%¨#&@ - Pansy disse tudo muito rápido. Mione e Gina entreolharam-se espantadas. – porque você escreveu aquilo Luna?

_Tá falando do bilhete de congratulações? – a loira perguntou inocente.

_Congratulações uma ova. – Pansy sentou-se – você arruinou tudo.

_Arruinei? Não querida, quem arruinou tudo foi você que se envolveu com aquele cara. – Luna falou encarando a morena, que somente suspirou.

_Peraí, você se envolveu com o Potter? – Gina perguntou incrédula. Pansy permaneceu muda.

_Quem cala consente. – Hermione falou simples.

_E agora? Ele sabe do plano? – Gina perguntou e Pansy somente assentiu com um aceno de cabeça - Ele vai querer se vingar de nós. Você foi muito burra Luna! – a ruiva apontou o dedo para a loira.

_Burra não! Como eu ia adivinhar que o Potter ia ler o bilhete?

_Você é loira mesmo. – Pansy comentou venenosa. – mas isso realmente não importa mais. – ela falou levantando-se.

_Aonde você vai? – Mione perguntou preocupada.

_Falar com o Malfoy – todas as outras arregalaram os olhos de susto. NUNCA tinham visto Pansy chamar Draco pelo sobrenome – preciso de férias. – e saiu da sala de Gina rumo ao escritório do chefe.


Pansy caminhou desorientada pelo corredor. Nem ao menos cumprimentou Rony quando este lhe dera Boa Tarde. Sua cabeça estava a mil por hora. A imagem de Harry na noite anterior na boate, completamente fascinado enquanto ela dançava. Ele sorrindo entre os beijos daquela noite. E mesmo a imagem dele a ofendendo ainda estavam muito vivas em sua mente para prestar atenção em mais alguma coisa. Entrou na sala de Draco sem nem saber como e sentou-se na cadeira de frente para a escrivaninha, onde um Draco preocupado a encarava.


_O que houve Pan? – ele a chamou pelo apelido de adolescência e isso a despertou.

_Preciso de férias. – ela comentou sem encara-lo.

_Me conte o que houve nesta missão! – Draco levantava o rosto dela e surpreendeu-se ao notar as lágrimas presas naqueles olhos sempre tão decididos – por Merlin, está chorando Pansy.

_Me dê ao menos duas semanas e eu volto ao trabalho. Prometo que não ficarei afastada por muito tempo. – ela falou com a voz embargada.

_Esqueça o trabalho por um minuto e me escute. – ela o encarou. Draco estava agindo como o irmão mais velho que ela nunca teve. Sorriu timidamente. – Eu realmente não sei o que houve, mas sempre soube que este plano nunca ia dar certo. – ela fez menção de falar, mas ele prosseguiu – não ia dar certo sem alguém sair machucado. Por mim queria que fosse o Potter. – ela riu e ele sorriu continuando – mas vejo que não somente ele saiu arranhado disso tudo. – ela baixou o olhar – olhe para mim. – ela obedeceu. Sabia que todas as suas barreiras com Draco nunca funcionavam. Eles eram amigos demais para ficar disfarçando ou escondendo as coisas. – fique o tempo que precisar em casa. Não quero ver você chorando por nenhum babaca. Nunca mais. Fui claro?

_Sim.

_Ótimo. – ele levantou-se – agora enxugue essas lágrimas. Elas não combinam com você.

_Obrigada Draco. – ela falou levantando-se e indo em direção a porta.

_Por nada. – ele sorriu e ela foi embora.



**********Um mês depois**********


Pansy ainda sentia-se machucada. Seu peito ainda doía ao lembrar-se do olhar de Harry. “Mas que inferno! Será que eu nunca vou conseguir te esquecer?!” ela pensava furiosa fazendo o peso de papel em sua mesa cair com estrépido.


_Nossa! Assim você vai furar o chão. – o loiro comentou sarcástico.

_O que quer Draco? Estou ocupada com isso aqui e... – parou ao notar Gina na porta – que foi? Entra logo Gina!

_Viemos lhe contar duas novidades. – Gina começou empolgada.

_Novidades? – Pansy não escondeu a curiosidade.

_Mulheres! – Draco exclamou baixo. – Ai! Isso dói. – ele fez bico ao levar um safanão de Gina.

_Então, Pansy viemos aqui lhe fazer um convite. – Gina olhou feliz para Draco.

_Sim, estou escutando. Falem de uma vez.

_Vamos nos casar! – a notícia não era grande novidade. Porém Pansy sentiu uma certa inveja dos amigos naquele momento.

_Isso não é tudo – Draco interveio – queremos que você participe da cerimônia.

_Eu vou ser o juiz-bruxo?!?! – perguntou divertida.

_Não, será uma das madrinhas. Que tal? – Gina perguntou com expectativa.

_Claro. Será um honra. – ela comentou com um sorriso que não alcançava seus olhos. – e quando será?

_Daqui a três meses. Ainda temos que preparar tudo e Draco tem que conversar com meus pais.

_Meus pêsames amigo. – Pansy comentou rindo.

_Nem me fale. – ele recebeu um outro tapa de Gina. – Pára de me bater Weasley.

_Você gosta. – Gina disse e Pansy riu deixando Draco encabulado.



**********Três meses depois, no Casamento**********


A Mansão Malfoy estava em polvorosa. Milhares de elfos trabalhavam com afinco para que nada desse errado na cerimônia. O casamento de Draco e Gina seria um sucesso. Todos os convites já tinham sido enviados. As comidas estavam prontas. As flores eram lindas. As mesas bem posicionadas no jardim. Todo aquele clima de casamento deixava os casais mais românticos. Somente Pansy sentia-se melancólica com tudo o que via.

Estava no altar quando ele chegou. Sentiu o coração acelerar, suas pernas ficaram bambas, sua boca ficou seca e ela quase desmaiou de tanta tensão. “O que ele faz aqui?” ela perguntou em pensamento, porém uma voz agradável lhe respondeu.


_Foi convidado por Malfoy. – Hermione falou simples olhando de Pansy, que estava pálida, para Harry, que a olhava atônito.

_O que disse? – Pansy desviou o olhar para Hermione.

_Harry. – ela falou simples. – não se preocupe, ele não fará nada a você.

_Não me preocupo por mim. – ela pôs a mão no ventre já proeminente – você sabe.

_Entendo. – Hermione sorriu compreensiva – você está muito elegante neste longo.

_Você também está linda como madrinha. – as duas riram e uma música lenta e suave tocou. – Draco está entrando.

_Ele está arrasando. – Mione comentou e levou um cutucão nada discreto de Rony. Os dois eram padrinhos de Gina.

_Concordo. – Pansy, que fazia par com um antigo colega de turma de Draco, disse sorrindo. – e lá vem a Gina.


A cerimônia transcorreu sem problemas. Os votos e juras foram feitos e levaram muitos dos presentes às lágrimas. Pansy estava feliz pelos amigos, porém sentia um desconforto crescente desde o momento que viu Harry entre os convidados. Sua sorte era que o longo vinho que escolhera disfarçava sua barriga de quatro meses, que ainda era pequena. Estava concentrada na mesa de frios quando uma voz sensual e temida soou aos seus ouvidos.


_Você está linda. – ele falou gentil e ela o encarou.


Um erro. No momento em que encontrou aquele mar verde que lhe transmitia tanta paz, desejo e no momento angústia sentiu que tudo o que viveram naquele hotel há três meses nunca fora esquecido. Desviou os olhos antes que fizesse alguma besteira.


_O que faz aqui, Potter? – ela perguntou sem emoção.

_Fui convidado. – ele falou simples.

_Aproveite a festa então. – ela falou distanciando-se.

_Porque teve que ser assim? – ele perguntou a seguindo pelo jardim. – porque você foge de mim quando eu tento ser gentil? – ela parou. Seu olhar expressava fúria e ao mesmo tempo uma tristeza profunda. E era esse último sentimento que Harry não entendeu naquele momento.

_Porque? E você ainda pergunta? – uma lágrima de ódio escorreu e ela a limpou nervosa – devo refrescar sua memória?

_Olha, eu fui o único enganado naquela história. Eu fui o único que não sabia de nada e me dei mal.

_E como você acha que eu fiquei depois de tudo o que você me falou? – ela quase gritava e ele ficou mudo – e quando você foi embora? Acha que foi fácil pra mim? Espera! Não responda. Claro que foi. Como é que você disse mesmo? – Harry tentou argumentar, mas ela falou ainda mais alto atraindo a atenção de algumas pessoas – a minha performance deixou tudo muito claro. – ela falou isso e correu para dentro da Mansão.

_O que está havendo aqui? -Draco aproximou-se. – o que você fez Potter?

_Nada. – ele olhou para Draco resignado – só tentei ser gentil. Vejo que me enganei.

_Seu único engano foi ter ido embora sem ouvir o que ela tinha a dizer. – o loiro disse cansado.

_Como?

_Você foi precipitado. Entendo que você ficou nervoso ao saber do plano destas malucas, mas descontou na pessoa errada.

_Você sabia. – ele constatou - Aliás, todos vocês estavam metidos nisso, não é.

_Pare de se fazer de vítima. Seja o homem corajoso que dizem que você é e peça desculpas a ela. – Draco apontou o caminho feito por Pansy.

_Acho que você está enganado. É ela quem me deve desculpas. – ele falou virando-se para ir embora.

_Está certo. – Draco deu-se por vencido – continue sendo este babaca que você sempre foi. Eu não me importo. Mas conheço alguém que se importa com você e muito. – Harry parou.

_Ela me enganou. Eu achei que tudo era verdadeiro. – o moreno suspirou e passou a mão pelos cabelos rebeldes - Pela primeira vez eu realmente me envolvi e veja no que deu.

_Só verei daqui a cinco meses. – Draco comentou casual.

_O que quer dizer com isso? – Harry perguntou surpreso.

_Você entendeu. Não se faça de estúpido. – Draco perdeu a paciência.

_Ela... Ela está? – Harry não conseguia raciocinar direito.

_Sim, idiota. Ela espera um filho. Seu. – Draco achou que Harry iria desmaiar a qualquer momento de tão pálido que ele ficou.

_Como você tem certeza que é meu? – ele perguntou com o orgulho ferido.

_Escuta aqui, Potter. – Draco o agarrou pelo colarinho – Pansy é como uma irmã pra mim. Não duvide da integridade dela na minha frente. Pode ser a última coisa que você fará na vida. – e o soltou.

_Desculpe-me – Harry disse sem jeito – não duvido dela, mas depois de tudo... Fica difícil entender.

_Então torne as coisas mais fáceis. – Draco falou simples e saiu.


“Tornar fácil. Há! Como se isso fosse simples com ela!” o moreno pensou andando em direção à Mansão e reunindo a coragem necessária para enfrentar seu orgulho. “Você vai ser pai. Tem que falar com ela.”



*****************************************


N/A: Olá pessoas!
MAtei a curiosidade de alguns ou não com este cap?!?! O__o'
Bom, tenho uma reclamação a fazer: não tem quase ng comentando e isso me deixa MTO TRISTEEEEEEEEEEEEE... será qeu vcs não tem coração não?! Ok,ok... peguei um pouco pesado admito!
Tava sem net um mês inteiro e por isso demorei nas atualizações, mas poxa... vcs nem estão comentando, nem criticando! Incrível...
Agradeço a TODOS que estão lendo, comentando e acompanhando a fic.
É um grande desafio pra mim escrever sobre um casal tão improvável, mas eu tô gostando! ^_^
E gostaria que vcs escrevessem o que estão achando, ok...

Sim, sim, sim... eu estou sensível!!!!

I NEED COMMENTS!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

No coments = No NEW CHAPTER!!!

Ameaço mesmo.... rsrsrsrs

Fiquem com Merlin... hehehe.... que N/A enorme, não? O_o'

Bjinhus... e COMENTEM!!!!

Vivika Malfoy.




Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.