FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

7. Caindo em si. (Missão Boate I)


Fic: ACERTANDO AS CONTAS


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________





N/A: Oi, este capítulo é a visão de Harry sobre tudo o que acontecerá em Vegas, ok.

****************************
Harry estava há exatos 15 minutos à espera de Pansy e nada da morena aparecer. Sua paciência já estava no limite quando uma cabeça morena familiar surgiu no final do corredor do aeroporto. As passagens na mão de Harry invariavelmente caíram quando ele notou a maneira como Pansy estava vestida naquela manhã. “Ela quer me matar, só pode.”

A morena avançava de maneira sensual no seu macacão de couro negro e justo, que delineava bem as curvas de seu corpo, sua cintura fina e quadril sensual. Por cima usava um sobretudo de cor vinho que quebrava o tom escuro da roupa e dava um toque de desejo que fazia Harry querer despi-la ali mesmo. “O que é isso? Que pensamentos são esses Harry Potter? Ela é sua parceira de missão, só isso.” ele tentava inutilmente negar a atração que sentia pela agente.

Enquanto a morena aproximava-se, Harry podia notar os detalhes que adornavam a roupa de Pansy. Além da roupa sensual ela usava um cordão de prata com um pingente em forma de serpente na cor verde. Suas orelhas pequenas e delicadas não usavam brincos, de forma que toda a atenção de quem a olhasse ficasse inteiramente voltada para seu cordão e também para seu colo branco e “Perfeito. Essa mulher vai me enlouquecer, Merlin me ajuda a não cair nesta tentação!” Harry pensava em pânico enquanto os sons dos saltos da bota de Pansy aproximavam-se cada vez mais. “Eu não posso me envolver com ela.” foi o último pensamento dele antes de recompor-se.

_Bom dia, Potter. – ela o cumprimentou com aquela voz sensual e rouca devido ao sono ainda existente.

_Bom... dia... – ele perguntou esquecendo-se completamente de manter a pose enquanto mirava aqueles lábios rosados.

_Você está bem Potter? – ela perguntou analisando-o com interesse.

_Como? Er, sim. Estou ótimo. Você demorou muito. –ele falou voltando à pose anterior e fingindo irritação na voz.

_Não estou com ânimo para discussões pela manhã. – ela falou aproximando-se mais e abaixando em direção ao chão, perdendo o contato visual.


A mente de Harry viajou naquele momento. Imaginou-se na situação mais constrangedora possível. “Ela não pode fazer isso aqui!” ele pensou em pânico. A verdade era que desde que a vira entrar naquele aeroporto sua mente invariavelmente viajou em situações de probabilidades totalmente remotas com aquela morena. Ela nunca se interessaria por ele. E agora a vendo tão próximo com aqueles lábios rosados dizendo-lhe que não estava querendo discutir sua mente muito fértil viajou para a situação mais inusitada possível. Porém seu “Castelinho de Ilusões” logo se desfez e ele teve que admitir que estava sendo um estúpido por se deixar levar por um pensamento tão machista. Ainda por cima o volume de sua calça não estava colaborando para que ele disfarçasse seu momento imaginário.


_Algum problema Potter? – ela perguntou levantando-se. – está suando?

_Eu... não. Estou bem. – ele reparou que apesar de todas as inúmeras cenas em sua mente, Pansy tinha apenas recolhido as passagens que estavam no chão.

_Deixou cair isso, Potter. –ela comentou olhando-o intrigada.

_Vamos então? – ele falou já andando na frente da morena. “Que situação!” ele pensava enquanto seguia até o terminal de embarque com a morena em seu encalço.



**********Em Vegas, Hotel Copas**********



_Nem acredito que chegamos aqui. – Pansy disse jogando-se na cama do quarto de hotel.- estou cansada!

_Realmente este vôo foi o mais longo da minha vida. – Harry comentou retirando os sapatos.

_O que acha que está fazendo, Potter? – ela comentou erguendo-se na cama.

_Vou tomar um banho, o que você acha? - “Não responda!” ele pensou em desespero ao notar o duplo sentido do que havia dito.

_Não na minha suíte. – ela foi taxativa. – você vai fazer uma bagunça no meu banheiro.

_Sua? E quem te falou que esta suíte é sua? – ele perguntou indignado, levantando-se.- eu pedi um quarto, se não percebeu. Não podemos chamar atenção.

_Nós podemos parecer um casal, mas não o somos. – ela disse muito próxima dele e da porta do banheiro.

_E você gostaria que fôssemos? – ele disse invariavelmente perto dela.


As respirações estavam lentas e sôfregas. Os batimentos cardíacos de ambos eram descompassados. Os corpos estavam se aproximando vagarosamente. Os lábios quase juntos. “Merlin, faça o mundo parar agora!” Harry pensou quando viu a morena à sua frente fechar os olhos. Sentiu os próprios olhos fechando-se, inclinou a cabeça, agarrou-a pela cintura e...


_Com, certeza não Potter. – ele abriu os olhos. “Ela tá brincando com fogo.” .

_O que acha que está fazendo? – Harry descontrolou-se – você não pode fazer isso comigo!

_E porque não? –ela perguntou afastando-se e passando a mão nos curtos cabelos – é regra por acaso ter que me envolver com você? Estamos aqui a trabalho e somente isso, não vá achando que eu...

_Ainda vai mudar de idéia. – ele falou pegando suas roupas e adentrando o banheiro.

_Idiota. – ela ainda gritou quando ele fechava a porta.



*********Vegas, Boate Cassino do Amor***********



Em um beco próximo a entrada da boate, Harry e Pansy repassavam o plano, que era simples. Eles entrariam na Boate como um casal qualquer, ficariam no bar e observariam as pessoas com quem Alex Marshall conversaria naquela noite.


_Bom, então acho que já podemos entrar. – Harry disse movendo-se em direção à entrada.

_Espera. – Pansy segurou-o pelo braço – não acha estranho essas pessoas?

_Estranhos? – Harry observou a povo na fila atentamente. Vestiam roupas descoladas, algumas perucas coloridas e a maioria dos que estavam na fila eram homens. – só se for o fato de haver praticamente só homens naquela fila.

_Exato. Onde será a fila das mulheres então? Estou vendo poucas... – ela dizia quando uma mão negra e gigante segurou-a pelo ombro, mas antes que pudesse reagir o segurança da boate disse:

_Você é por aqui, Shelly. Esqueceu-se outra vez, garota?


“Shelly?!?!” Harry pensou ao ver o grandão levar Pansy porta adentro. Não entendia nada do que estava acontecendo, mas ao observar melhor o local onde estavam, sua ficha caiu. “Boate Cassino do Amor... esses néons cor de rosa e vermelho... muitos homens na fila e Pansy sendo levada para dentro confundida com outra garota...Não acredito!! Obrigada Malfoy!!” ele pensou rindo ao entrar na Boate. Passou pelo detector de metais da porta de entrada e ficou vislumbrado com o interior da Boate.

Uma meia luz vermelha iluminava todo o corredor à sua frente, o hall tinha um aspecto aconchegante com vários pufes e a ornamentação era sem dúvida sugestiva. Vários corações e fitas vermelhos e rosas flutuavam em algumas colunas que eram como cilindros com algum tipo de gel no seu interior. Harry estava entendendo tudo: era uma boate masculina e sendo assim mulheres não poderiam entrar. “Então porque Pansy foi levada para dentro?” a pergunta martelava em sua cabeça enquanto dirigia-se até o bar, no lado esquerdo, e pedia um Martini de Cereja. Voltou-se para uma mesa mais a frente do palco, que era redondo e tinha um cabo de metal no centro. Quando se perguntava pela milésima vez onde estava Pansy uma música sensual começou a tocar.

“Não creio nisso!” ele pensou risonho ao ver a morena embaraçada encima do palco junto de mais umas seis garotas. “Quero ver você sair dessa querida!” ele pensou dando um sorriso cínico captado por uma Pansy raivosa.


Música: Don’t Cha.

[Busta Rhymes]
Ok (ahh)
Yeahh (ahh)
Oh, we about to get it just a lil hot and sweaty in this mu'fucka (oh, baby)
Ladies let's go (uhh)
Soldiers let's go (dolls)
Let me talk to y'all and just you know
Give you a little situation... listen (fellas)


Ok (ahh), yeahh (ahh)
Oh, nós vamos esquentar e ficar muito suados aqui (oh, baby)
Garotas, vamos (uhh)
Garotos, vamos (uhh)
Me deixe falar com vocês e, tipo,
Mostrar uma situação... ouçam (caras)



No início Pansy parecia apreensiva, mas foi se soltando de acordo com a música. Os passos das meninas eram muito fáceis, então ela entrou no ritmo. Avistou Alex Marshall uma mesa atrás da de Harry e não perdia o suspeito de vista. “Oh Merlin ela está muito boa!” Harry pensava ao avistar a peruca rosa channel que ela usava. O conjunto se micro-saia e top estampado de zebrinha feito de cetim, parecia medida para aquele corpo tão perfeito. Suas curvas ficavam ainda mais realçadas com aquelas meias arrastão 7/8 e os saltos agulha na cor preta que ela usava.


[Pussycat Dolls]
I know you like me (I know you like me)
I know you do (I know you do)
Thats why whenever I come around
She's all over you (she's all over you)
I know you want it (I know you want it)
It's easy to see (it's easy to see)
And in the back of your mind
I know you should be on with me (babe)


Sei que você gosta de mim (sei que gosta de mim)
Sei que gosta (sei que gosta)
É por isso que sempre que eu chego na área
Ela fica na sua cola (em cima de você)
Sei que você me quer (sei que me quer)
É fácil perceber (é fácil perceber)
E nos lá no fundo dos seus pensamentos
Sei que você deveria estar comigo



“Ela é boa nisso!” Harry pensava enquanto via Pansy dançando sensualmente no palco. Ela estava dançando junto de outra garota e olhando na direção dele. Harry engoliu em seco ao notar que sentia mais que atração pela morena à sua frente. Ele estava totalmente envolvido na música que tocava que até tinha esquecido o real motivo de estar ali. Alex Marshall era o principal suspeito do acidente no Expresso e ele só conseguia pensar na morena que retirava uma parte da saia à sua frente. “Que isso Parkinson! Tá querendo enfartar a platéia mulher?!” ele pensava quando o pedaço de saia de zebra em questão voou no seu rosto. “Ele tá provocando.” pensava ele ao notar a calça avolumar-se.


Don't cha wish your girlfriend was hot like me?
Don't cha wish your girlfriend was a freak like me?
Don't cha
Don't cha
Don't cha wish your girlfriend was raw like me?
Don't cha wish your girlfriend was fun like me?
Don't cha
Don't cha


Você não gostaria que sua namorada fosse gostosa como eu?
Você não gostaria que sua namorada fosse sinistra como eu?
Não gostaria? Não gostaria?
Você não gostaria que sua namorada fosse atirada como eu?
Você não gostaria que sua namorada fosse divertida como eu?
Não gostaria? Não gostaria?



A cada refrão da música Pansy parecia soltar-se mais. Agora ela estava somente de soutien e calcinha rendados acompanhados da cinta-liga negra e da peruca rosa. Harry estava a ponto de explodir de desejo e ciúmes ao vê-la despertando os olhares dos homens ali presentes. E quando ela desceu do palco e veio em sua direção o moreno já nem raciocinava mais. “O quê?” ele perguntou-se sem entender quando ela passou reto pela mesa dele e dançava agora sensualmente na frente do suspeito. “O plano. Acalme-se Potter, é só o plano!” ele tentava inutilmente conter-se à mesa.


Fight the feeling (fight the feeling)
Leave it alone (leave it alone)
Cause if it ain't love
It just aint enough to leave my happy home (my happy home)
Let's keep it friendly (let's keep it friendly)
You have to play fair (you have to play fair)
See I dont care
But I know She ain't gonna wanna share


Lute contra esse desejo (lute contra esse desejo)
Deixe-o pra lá (deixe-o pra lá)
Pois se não for amor
Não é o suficiente para abandonar meu lar feliz (meu lar feliz)
Vamos ser só amigos (vamos ser só amigos)
Você tem que jogar limpo (tem que jogar limpo)
Olha, eu não me importo
Mas sei que ela não vai querer dividir



“Ela faz isso de propósito! Só pode ser!” ele pensava enquanto a via fazendo menção de sentar-se no colo do suspeito. “O que ela está fazendo agora?” ele pensou quando a viu levantar-se de súbito e aproximar-se da mesa onde ele estava, com algo prateado nas mãos. Escutou um farfalhar de chaves e se deu conta que aquela era a chave do quarto de hotel onde o suspeito estava hospedado. Pegou-a e levantou-se discretamente enquanto ela o olhava e sorria como se estivesse o encorajando a seguir com o plano. “Ela é bem esperta.” ele pensou chegando no banheiro da Boate e aparatando no corredor do Hotel Copas.


_Onde está? Cadê você pastinha? – ele se perguntava enquanto vasculhava o quarto de Alex Marshall a procura de provas. Revistou todas as gavetas da cômoda e nada. Abriu todas as malas do homem e nada. Estava quase desistindo quando se sentou na cama e escutou um barulho de papel de amassando. – Não acredito! Achei. – ele quase gritou ao encontrar a pasta preta com todas as informações sobre o acidente com o Expresso. – Nossa. Acho que o Ministério ficará muito feliz com estas informações. – e com um aceno de varinha um pergaminho e uma pena surgiram na frente do moreno que pôs-se a escrever um rápido bilhete a Draco pedindo reforços e mencionando a pasta encontrada. – agora que a coruja já foi, tenho que voltar para a Boate.


Aparatou de volta na Boate e quase enfartou de surpresa ao ver que Pansy ainda estava no palco, mas desta vez dançava sozinha. A música era ainda mais instigante que a primeira. Ela dançava o encarando de uma maneira diferente. Ele fez sinal para ela buscar a chave e sentou-se numa mesa afastada, onde Alex Marshall não poderia vê-los. Ela veio até ele como se fosse uma dançarina profissional e num rodopio esticou o braço para que ele a tocasse, assim passando a chave. Feito. Ela voltou sua atenção para o outro lado do palco (N/A: Se é que um palco redondo tem algum lado. Rs) e aproximou-se de Marshall. Fez praticamente os mesmos movimentos de antes e pôs a chave de volta no bolso do paletó do suspeito que estava recostado na cadeira.


_Você é incrível. – ele pensou em voz alta, mas Pansy estava longe dele o suficiente para não escutar.



******* Algumas horas depois, Hotel Copa *******


_Nem acredito que conseguimos tão depressa. – Pansy disse retirando o sobretudo, pois ainda vestia as roupas do Strip-tease.

_Aquela jogada da chave foi muito boa. Onde aprendeu aquilo?

_Vi uma vez... num filme.

_Você vendo filmes trouxas?! – ele constatou espantado e ela somente balançou a cabeça – que surpresa.

_Não entendi como foi que os agentes do Ministério chegaram tão rápido.

_Mandei uma coruja para eles quando investigava o quarto do Marshall. – ele respondeu rápido.

_Isso explica muita coisa. – ela falou sorrindo cansada – então devemos voltar pra Inglaterra agora, não?

_Tecnicamente não.- ela o olhou intrigada - Nossa missão acabou então temos que descansar por alguns dias, lembra? É o protocolo. – ele falou aproximando-se dela e conseqüentemente da cama.

_Verdade. E eu estou um caco. – ela falou e depois levantou-se – vou tomar um banho. Não se atreva a nenhuma gracinha, Potter. – ela ameaçou, mas sorriu.


“Ela me quer. Eu sinto isso.” ele pensou com satisfação ao notar o sorriso dela quando entrava no banheiro. Foi tirado de seus devaneios quando o barulho do chuveiro foi ouvido. Ficou imaginando aquele corpo esguio e bem definido sendo banhado por uma torrente de água morna. “Como eu quero ser esta água, meu Merlin!” ele pensava até constatar “Porque não?” ele sentiu uma onda de calor muito forte vinda do baixo ventre e constatou ao retirar as calças que o júnior estava querendo sentir aquela morena cheia de mistérios tanto quanto ele.

Enchendo-se de coragem abriu a porta do banheiro e ficou encantado com o que via. A morena se banhava com uma graciosidade que contrastava com a maneira agressiva com a qual ela sempre o tratava. Os caminhos percorridos pela esponja eram os mesmos caminhos que a boca de Harry gostaria de trilhar. Então ele retirou o que faltava de suas roupas e avançou até o Box, abriu-o e sentindo o corpo nu de Pansy próximo ao seu começou a onda de carícias e beijos no pescoço da morena. As carícias aumentavam e a esponja que antes percorria o corpo de Pansy fora deixada de lado. O caminho agora era percorrido pela língua e pelas mãos de Harry Potter. O prazer que sentiam era inexplicável. “Nunca me senti assim antes.” ele pensava ao carrega-la no colo até a banheira, que já estava cheia, e deitá-la ali. Observou-a por alguns instantes.


_Você é linda. – e antes que ela pudesse falar algo capturou seus lábios num beijo voraz ao qual ela correspondeu com afinco.


Perderam a conta de como e quantas vezes se amaram naquela noite. Não existia amor propriamente dito entre eles, mas o desejo entre ambos era palpável. Pansy acordou naquela manhã sentido-se a mulher mais realizada. Porém mal ela sabia que toda aquela felicidade acabaria num simples pergaminho.



*******************



N/A: Eu sou má? Eu termino os capítulos na melhor parte? Você querem me matar?!?! Rsrsrsrs
Gente poupem suas energias, ok.
NO próximo cap tudo será explicado. A visão da Pansy sobre tudo que aconteceu na Boate e no Hotel. E Claro que terá o desfecho deste cap... afinal eu tenho amor a minha vida. ^_^

Comentem bastante, ok.

Bjuuuuuuuussssssss

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.