FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Tempo de Voltar.


Fic: ACERTANDO AS CONTAS


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________





Harry estava sentado numa confortável cadeira em seu apartamento no Sul da França quando uma coruja imponente cor de café entrou pela janela aberta. A ave deixou cair um pedaço de pergaminho e um embrulho em seu colo. Harry deu uma boa olhada no embrulho e antes de abri-lo resolveu ler o pequeno bilhete.


“Sr. Potter,

É de extrema importância que o Sr. volte a sede do Ministério da Magia, Londres. O motivo vai em anexo. Sua passagem está confirmada para esta noite. Não é um pedido. Uma carruagem estará à sua disposição na estação de Hogsmeade.

Atenciosamente,

D.M.
Chefe do Departamento de Mistérios.

*Esta mensagem se auto-destruirá em 5 segundos.”



Harry ainda estava perplexo quando o bilhete se desfez em suas mãos. Desviou o olhar para o embrulho ao lado. Era uma amostra do Profeta Diário Inglês. Abriu-o com cautela e sentiu um súbito arrepio na espinha ao ler a manchete.


“Trem à caminho da Hogwarts explode – possíveis seguidores do Lord das Trevas?

Na noite de 1º de Setembro, quando fazia a sua volta à caminho da Londres trouxa, o famoso Expresso de Hogwarts explodiu aparentemente sem motivos. Luna Lovegood, uma enge-bruxa de talento inquestionável, chefiou um grupo de investigadores no caso e deu o parecer que “os trilhos mudaram de direção de repente, isso leva a crer que o erro não foi do maquinista, mas de alguém da cabine de comando da Estação mais próxima, neste caso Hogsmeade.” E completou “É possível também que tenha sido algum Burble Bangster perdido que tenha causado o acidente, você sabe como essas criaturas gostam de roer ferros e...” (Mais sobre a matéria, páginas 3, 4 e 5)



Harry estava chocado agora “Como a Luna pode ter se tornado uma enge-bruxa se ela vivia no mundo da lua? E COMO alguém do Ministério pode ter confiado na palavra desta louca?” ele pensava rindo internamente. Olhou mais um papel que estava junto do jornal. Era sua passagem de trem. Parecia que alguém o queria muito de volta. Ele não tinha escolha: teria que ir.


Foi para o quarto, fez suas malas. Nada demais, apenas o necessário: roupas de inverno, roupas mais leves, cuecas (N/B: Ui...), meias, luvas e sapatos. Olhou ao redor tentando perceber algo que pudesse ter esquecido. Lembrou-se dos tempos da Escola, onde a gaiola de Edwiges era a primeira coisa que ele certificava-se de estar com ele. Agora que a coruja se fora ele não tinha mais esse tipo de preocupação. Notou alguns livros interessantes sobre Maldições e Mistérios e resolveu pô-los na mala.


Às 15hs em ponto ele estava na Estação de Trem. Atravessou a cabine telefônica (era a passagem para a plataforma bruxa da estação) e deparou-se com um magnífico trem enorme. A locomotiva era idêntica ao Expresso, o único diferencial era a cor, azul. Tomou a poltrona indicada no bilhete e sentou-se confortavelmente. “Essa será uma longa viagem” pensou antes de cair no sono.


*************


_Ele está vindo. Espero que saiba o que está fazendo. – o loiro disse visivelmente incomodado.

_Tenho certeza, não se preocupe. – a ruiva disse serenamente.

_Quem disse que me preocupo? – o loiro questionou.

_Eu sei que sim... – ela falou levantando-se e beijando-o ardentemente.


*************

Com um solavanco o trem chegou em King Cross, Plataforma 9 ¾. Harry despertou com algumas malas caindo em sua cabeça.

_Merda. – foi tudo que ele falou ainda sonolento.

_Que palavreado feio para quem foi um Grifinório, Sr. Potter. – uma voz veio da porta. Harry olhou e não acreditou no que via.

_Mione? É você? – ele perguntou embasbacado.

_Sim, não me reconhece mais? – ela perguntou sorrindo.

_Nossa, você está... - “Gostosa!” - linda! - ele disse por fim. Ela vestia um terninho creme e sua saia tinha uma interessante fenda até antes da metade das coxas, na lateral esquerda. Os cabelos agora tinham o comprimento até abaixo dos seios, estavam mais lisos na raiz com belos cachos nas pontas. Resumindo Mione tinha se tornado o que os trouxas chamam de “Mulherão!” Harry pensou ao terminar de analisá-la.

_Obrigada, agora vamos ou você quer ficar aqui neste trem o resto do dia?

_Não, prefiro ir com você. – ele foi galanteador e ela fingiu não entender.

_Nossa carruagem está ali. – ela apontou um ponto mais adiante onde uma carruagem com as letras MM (Ministério da Magia) estavam escritas. – vamos, não temos o dia todo Harry.

_Sim, senhora! – ele falou prestando continência. – Você continua mandona como sempre. – ele falou quando já estavam dentro da carruagem. “E eu adoraria obedecer você...” .

_Não me provoque Sr. Potter. Não me provoque. – ela falou séria e algum tempo depois chegaram ao Ministério.


***** algumas horas depois*****


_Este é seu escritório. O meu é a última porta à esquerda. Seu chefe o aguarda na porta em frente. – Mione disse tudo isso enquanto andavam pelo corredor do quinto andar no Ministério – ah, e antes que me pergunte. Sim, o escritório dela é ao lado do seu. Tenha um bom dia. – disse e saiu da vista de Harry praticamente correndo.

“Ela está me evitando ou o quê?” ele se perguntava ainda observando o corredor por onde Hermione e suas curvas sumiram da sua vista. “E de quem ela estava falando? Acho que a Mione ficou maluca...” ele pensava enquanto dava uma boa olhada à sua volta. Não sabia porque mas achava que ter voltado ainda lhe traria grandes surpresas.

Passou pela primeira porta do corredor e sentiu um aperto no peito ao ler o nome em dourado ali escrito: Ronald Weasley – Consultor Chefe do Departamento de Mistérios. Tinha muito tempo que os dois tinham brigado e ele ainda sentia-se estúpido por ter sido o culpado. Tentou controlar seus impulsos na época, mas não conseguiu. Lembrava como se fosse hoje...


***FLASHBACK***

_Harry? Harry é você quem tá aí? – Mione disse com a voz visivelmente amedrontada. Estava fazendo sua ronda de monitora com Rony, quando este decidiu que era melhor eles dividirem as tarefas. Ele iria patrulhar as masmorras e ela o corredores mais iluminados. Rony era um namorado muito protetor, ela sempre dizia.

_Sim, me ajuda aqui. – ele disse com a voz arfada.

_Oh, meu Merlin. – ela perguntou alarmada – o que houve? Porque você está andando todo curvado?? – ela perguntou evitando rir.

_Eu tava treinando quadribol escondido e levei um balaço... naquele lugar sabe... – ele falou com voz sofrida.

_Tá. – ela levou as mãos a boca pra conter as risadas.

_Pode rir. Aproveita porquê se fosse em outra ocasião eu batia em você. – ele falou rindo também.

_Até parece. – ela respondeu agora rindo abertamente.

_Já te disseram que você fica bonita quando sorri? – ele tentou.

_Ah, não. Nem tenta Harry Potter!! Eu sou sua amiga. – ela falou se afastando dando ênfase na palavra amiga.

_E amigos se cumprimentam com beijos. – ele falou aproximando-se furtivamente.

_É, mas beijos inocentes. No rosto Harry. – ela falou seca.

_Mas eu não sou inocente. – ele terminou a distância que havia entre ambos a enlaçando pela cintura.

_O que..? – ela não pôde falar mais nada, pois Harry já estava beijando-a. “Desculpa Rony, mas eu tentei me controlar...” ele pensava enquanto tentava beijá-la. “Não sabia que a Mione era tão resistente!”

Os risos de ambos chamaram a atenção de Rony, visto que o Castelo estava silencioso às 11 da noite. Ele então decidiu subir ao identificar as risadas do amigo e da namorada. Mas seu coração parou ao ver a cena. Ele não podia acreditar. “Eu vou matar o garoto-que-sobreviveu!” o ruivo pensou enquanto rumava decidido até os dois. Ele via que Hermione tentava afastá-lo com os braços, mas não conseguia,pois Harry era visivelmente mais forte que ela. “Mas não é mais que eu!” ele pensou afastando o ex-amigo da namorada com um puxão no ombro.

_Ron, não é isso que... – ela estava descontrolada e tentava arrumar a confusão.

_Mione, fica quieta. – ele falou sério e olhou para o amigo que estava estatelado no chão. – como foi capaz de uma traição dessas, Harry?

_Eu, Ron... eu tentei me controlar, mas...

_CALA A BOCA! Você nunca foi meu amigo. Controlar... controlar é o $&¨%&*¨!!! – ele falou aos berros.

_Eu já tinha te avisado que... estava atraído por ela! – ele gritou levantando-se.

_E eu já tinha te avisado pra se afastar da minha garota! – Rony vociferou – ou então você iria se arrepender, Potter.

_Potter? Peraí, você é meu amigo, não é por causa de uma besteira dessas que...

_Besteira? -Mione falou indignada – você traiu nós dois Harry, seu imundo!

_Imundo mas você bem que gostou, não é?

Mione aproximou-se para dar um belo tapa na cara de Harry, mas Rony foi mais rápido. POF. Um belo gancho de direita acertou o menino-que-não-morreu e ele caiu no chão tonto.

_Nunca mais fale assim com a minha noiva, Potter. Melhor: esqueça que nós existimos, porque se você se aproximar da minha noiva ou de mim outra vez, se eu ao menos ouvir tua voz, vou me certificar de não deixar nenhum dente nessa sua boca podre.- ele falou afastando-se com Hermione, mas voltou pois aparentemente tinha esquecido algo – e esqueça da Gina. Ela vai saber da sua traição também.

Pronto, Harry agora sentia-se um miserável. Pelos seus hormônios idiotas ele bateu um recorde: perdeu
O melhor amigo, a melhor ajuda em qualquer prova e a sua namorada perfeita-sensível-romântica-demais tudo isso em uma única noite.



***FIM DO FLASHBACK***


Afastou suas lembranças e prosseguiu no corredor. A porta ao lado tinha o seu nome em letras douradas também. Ele ia entrar, mas a curiosidade falou mais alto. Deu um rápida olhada na porta da direita e agora sim, teve a certeza que sua volta estava mais para “revolta”. Na porta estava escrito assim: Ginevra Weasley – Agente Especial do Departamento de Mistérios (Inominável). Sua estadia naquele prédio prometia...


***************


N/A: Aviso aos navegantes: sim sim sim... Harry é um tremendo galinha!! Ou era, no tempo de Hogwats!

Tudo que acontecerá à ele nesta fic serão somente consequências de atos que ele cometera injustamente no passado, ok.

Não me matem! Não me xinguem! E principalmente: Não joguem pedras ou eu lanço um avada, ok. huahauhauhuahuahua...

Comentem, pelo amor de Merlin!!!
^_^

Bjus.

N/B: ATENÇÃO!!!
Eu estou aqui para avisar que td o que acontecer com o totoso do Harry é culpa tpotal da Autora, mas como ela manda aqui né... Não pude fazer nada!
Então, qq dúvida, reclamação, soco, pontapé e etc... FALE COM ELA!!!
Bjks!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.