FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Conversas


Fic: Somente um Segredo - Ritual


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

     Assim que Harry pós os pés no salão comunal, percebeu que não era o único atrasado, pois ouviu uma porta de um dos dormitórios femininos se fechando, ele esperou para ver quem seria, era Gina. Por um momento ele achou que ela poderia ter armado aquilo, esperar ele sair para segui-lo, ou algo assim, mas assim que Gina o viu, ele notou que ela estava tão surpresa quanto ele.


     - Por que se atrasou? – perguntou Harry, a convivência entre eles não era das melhores naquele momento, mas ainda continuavam sendo irmã e melhor amigo da mesma pessoa, estudavam no mesmo colégio e pertenciam a mesma casa, cordialidade poderia ser bem vinda.


      - Acordei tarde, é você?- a garota falou, mas seguiu a passos rápidos para o retrato.


      - Também... – Harry percebeu que a cordialidade acabava ali.


     Gina não sabia por que havia sido tão fria com Harry, talvez fosse por que a cena do seu sonho em que Harry beijava Lillyth ainda estava forte, seja lá o que havia sido a garota tinha de correr, sua primeira aula era poções, e a masmorra era bem longe.


      Harry ficou para vendo Gina sair na pressa, logo depois ele lembrou que estava atrasado, e com fome, diga-se de passagem, mas não havia tempo para dar um pulinho no Salão Principal, então ele seguiu para a primeira aula, Herbologia. Amaldiçoando quem havia colocado o Salão Comunal da Grifinória tão longe das estufas de Herbologia, Harry seguiu para o lado de fora do castelo.


š«›«š«›


      Draco desceu para o Salão Comunal da Sonserina ainda um pouco irritado, ele viu algumas frutas em cima da mesa, e como ele tinha certeza de que não haveria nenhum café a lhe esperar, ele puxou uma pêra para comer pelo caminho, sua primeira aula, era astronomia com a Lufa-Lufa, ele seguiu para lá.


       Após passar por algumas masmorras ele jurou deslumbrar ver a figura de Gina Weasley. Ele acelerou o passo a tempo de ver a garota entrando em uma masmorra, ela também estava atrasada, era muita coincidência. Pelo caminho caiu a ficha de Draco, foi o sonho, o sonho foi o sinal que ele esperava, ele não deveria ter sido o único com sonhos estranhos, Gina também deveria ter sonhado algo estranho, e provavelmente Lillyth e Harry também, agora ele só precisava juntar aquelas informações contidas nos sonhos, mas como descobrir o que cada um deles sonhou? Foi ai que ele se lembrou do SEU sonho.


“-Droga, falta alguma coisa! Alguma informação!”


     Hermione. Harry tinha contato com ela, Lillyth também, e Gina com alguma sorte ainda estava falando poucas palavras com ela, não era Draco que devia juntar as informações e sim Hermione, por isso ele viu a garota na biblioteca, por isso ela reclamava da falta de informações, por que ele não teria pensado em contar seus sonhos Hermione, ele deveria contar seu sonho a ela, e ai os dados iriam rolar da maneira prevista esta noite.


      Por um momento veio a coisa mais obvia para começar a andar com o plano.


     - Como fazer Hermione Granger me escutar... Bem, eu penso nisso depois- Pensou o garoto enquanto entrava na sala de Astronomia.


š«›«š«›


      Harry corria para a estufa, só desacelerou o passo para olhar para o jardim era quase um hábito, e foi ai que ele viu ao longe uma figura loira sentada no chão e encostada na árvore.


     - Lillyth? Mas o que... – Ele já havia desviado o curso para o lugar onde a garota estava. - Por que você não foi para a aula?


      - Pelo mesmo motivo que você – Lilly ouviu Harry de longe, e sabia que só poderia ser ele, por um momento ela teve receio de ficar ali a sós com o garoto, de que algo acontecesse ou alguém aparecesse, mas por algum motivo ela decidiu correr o risco.


     - Acordou tarde?


     - Aham.


      Por algum momento Harry achou estranho ele Gina e Lillyth terem acordado tarde.


      - Como foi seu sonho hoje?


     Lillyth gelou – como se pudesse- como ele sabia? Não vai ver ele tinha apenas feita uma pergunta comum, muitas pessoas perguntam isso, e o fato de que naquela noite seus sonhos foram mais esquisitos que o normal não era sinal de que ele sabia de algo.


      - Normal.


      - Normal como? Você nunca me contou nenhum sonho seu.


      - Tipo, uma aranha gigante correndo atrás de mim


      Os dois riram.


      - E você o que você sonha?


      - Sonhei que tava na cozinha e não parava de comer.


      Lillyth olhou para ele com uma cara de ‘fala sério’.


      - Certo, eu finjo que acredito em você.


      Harry riu


      - Eu to falando sério. Você e que ta escondendo algo.


      - Eu? Ora Potter como se atreve – disse Lilly rindo e tacando pedrinha em Harry, eles passaram horário de Herbologia inteiro conversando e rindo. E assim que tocou o segundo sinal eles, seguiram juntos para a aula de transfiguração. Ao entrarem na sala que Hermione os viu, ela por um momento achou que alguma coisa estava acontecendo e aqueles dois não a diziam, mas ela ia meter alguma pressão sobre eles e saber se havia algo além da amizade entre eles.


     Lilly não pode deixar de observar Rony durante parte da aula, e ele pareceu perceber limitando-se apenas a dar um sorrisinho que Lilly retribuía. Harry não pareceu gostar muito daquilo, no final da aula, em que os alunos conversavam e guardavam seus livros Hermione ia se virando para falar com Lillyth quando McGonagall a chamou.


      - Senhorita Dertlhem espere um minuto que eu preciso falar com você- Lillyth ficou preocupada, será que a professora sabia do que havia acontecido ontem? Já Hermione disse que esperava ela na porta, os meninos já haviam ido para ver se passavam na cozinha e afanar algo. Assim que só estava a professora e ela na sala McGonagall disse.


      - Seus pais, deve ter percebido que a muito tempo não têm lhe dado notícias, bem eles mandaram uma coruja ontem, e preferem falar com você pessoalmente. – Por um momento a garota ficou indignada, por que escreveram a sua subdiretora em vez de diretamente a ela? E como ela iria falar pessoalmente com ela, se por causa da estúpida viagem eles ainda iam demorar alguns meses para voltar?- Então a senhorita tem permissão de usar a lareira da minha sala hoje, às oito horas para falar com eles através da rede de flúor, por favor, não se atrase, é apenas isto e melhor você ir logo, pois creio que Granger a espera lá fora. – Lilly assentiu com a cabeça, e saiu da sala, vendo Hermione encostada na parede.


     Elas seguiram alguns minutos silenciosos, até que Hermione não conseguiu controlar sua curiosidade.


      - O que McGonagall queria?


      - Vou falar com meus pais, e ela me deu permissão para usar a rede de flúor.


      - Que bom, não é?- Lilly deu de ombros, por um momento ficou pensando por que eles demoraram tanto a dar notícias- E onde eles estão?


      - Eu não sei - Hermione se deu conta de que a garota não queria falar sobre aquilo e então passou para o assunto dois.


      - Por que você e Harry se atrasaram?


      - Acordamos tarde, ai ficamos conversando no jardin.


      - Hum... Lilly, se eu perguntasse se está havendo algo entre vocês dois você ficaria chateada?


      Lilly finalmente riu daquela conversa.


      - Não, não ficaria. – disse ainda rindo.


      - Então há algo entre vocês?


      - Não.


      Hermione encarou Lilly que sustentou o olhar, Hermione se sentiu um pouco enjoada ao olhar para Lilly, e pior não conseguiu desviar o olhar da garota, Lillyth percebeu que estava a hipnotizando involuntariamente, e parou de olhar para Hermione, está parou e perguntou um pouco assustada.


     - O que foi isso?


     - Isso o que? – perguntou ainda sem olhar para ela.


     - Quando você me olhou, você fez alguma coisa, Lillyth, o que ta acontecendo?


Desculpa mas, Harry me contou que você havia parado na enfermaria por causa do vento, você dorme afastada das outras garotas, você não come com a gente, e hoje você estava novamente na enfermaria. – disse ela a ultima frase com voz baixa.


      - Como você sabe que eu estava lá?


      - Um garoto do primeiro ano disse que viu você sendo levada ontem à noite para a enfermaria, e que Dumbledore te acompanhava, e digamos que eu dei uma espiada lá pela manha, e vi uma cama escondida por cortinas. E mais uma garota jura que ontem viu uma espécie de lobo nos jardins, mas por causa da chuva ela não distinguiu nada mais que alguns vultos brancos.


      Lilly continuou calada.


     - Não acha que já está na hora de termos uma conversa realmente franca?


     - Hermione, eu não posso contar, eu fui sim à enfermaria com Dumbledore ontem, mas essa história de lobo e loucura.


     - A garota viu vultos brancos, não necessariamente um lobo, talvez cabelos esvoaçando rapidamente.


     Ela não ia desistir de seus argumentos, e Lillyth sabia disso, devagar ela virou para olhar para Hermione, tomando cuidado para não fazer nada de errado.


     - Por que você acha que eu tenho algo haver com isso?


     - Eu estava na enfermaria, não podia estar na chuva.


    - Isso não cala as outras perguntas, por que você não come conosco, não dorme no nosso dormitório?


     - Já lhe disse eu apenas sigo uma dita especial por causa da alergia que tenho, e eu não durmo com vocês por que, bom por que...


    Hermione ficou impaciente.


    - E algo tão grave que não possa me contar?


     Lillyth deu-se por vencida, não havia motivos para enganá-la se ela não soubesse acabaria descobrindo e talvez da pior maneira, se ela soubesse talvez até se afastasse dela.


     - Pior do que você imagina... – disse ela de cabeça baixa.


     - Me conta?


     - Hermione, se eu te contar você provavelmente vai achar que é loucura, se eu te contar provavelmente amanha mesmo eu estarei saindo de Hogwarts, e melhor você não saber, tipo eu nunca tive uma amiga como você antes, e eu não quero perder sua amizade.


      -Mas e como você diz, nós somos amigas, amigas não tem segredos, e elas aceitam uma a outra como elas são verdadeiramente, ainda não vai me contar?


    Lillyth mordeu o lábio inferior. Lembrou-se do sonho, ela havia pensado em contar o sonho a alguém para ver se tinha sonhado tanta loucura quanto imaginava, e ali seria uma ótima oportunidade...


     - Amanhã a noite pode ser? Na biblioteca. Hoje não dá eu vou para o escritório de McGonagall e acho que eu vou demorar, e a gente talvez tenha mais algumas coisas para conversar. Por favor, você não pode contar isso a ninguém, principalmente para Harry e Rony, me promete?


     - Prometo, mas agora e melhor a gente correr por que estamos muito atrasadas.


     As duas mudaram de assunto e foram discutindo a aula de Herbologia que Lillyth havia perdido.


› « š « š « › « š « ›




      Na hora do almoço a loira preferiu nem arriscar, disse que tinha necessidade de tirar uma soneca e que comeria algo depois, seguiu para seu quarto, seu cálice estava lá. Lilly relembrou o que havia ocorrido na noite passada, trancou a porta na chave, e ficou ali tomando todo o conteúdo do cálice nunca mais arriscaria passar tanto tempo com fome.


š«›«š«›


       Aproveitando o tempo em que Hermione e Lillyth estavam entretidas conversando Harry aproveitou para conversar com Rony um pouco sobre elas.


      - E ai já descobriu quem mandou o recado?


      - Como é que eu vou saber, eu só sei que seja lá quem for tem B no nome.


      - Isso não é nem um começo... Mas pensa pelo lado bom, você poderia começar com a Hermione.


     - Começar o que?


     - Ás vezes eu me pergunto se você quer mesmo um dia ficar com ela.


     - Mas...


     - Raciocina comigo, se você for esperar pela Hermione isso nunca vai acontecer, ela espera que você de o primeiro passo, entendeu?


     - O que você quer que eu faça? Eu sou péssimo para fazer esse tipo de coisa, e toda vez que eu tento ela vê pelo lado errado.


     - Tipo?


     - Tipo quanto eu tentei convidar ela para o baile, ela achou que eu a deixei por ultima opção, e não foi bem assim, mas eu não sou o único com problemas aqui, pelo que eu sei Gina e capaz de matar Lilly se um dia encontrar vocês se beijando.


     - Isso sim é loucura, eu e a Lilly... Não tem nada, só o azar de ficar sozinho às vezes.


     - Azar é?


     - Esquece. Hum, lembra daquela vez que ela foi parar na enfermaria? Antes disso a gente tava conversando sobre a Gina, ela não teria a menor coragem de ficar comigo, sabendo que a Gina gosta de mim.


     - Então quer dizer que você quer ficar com ela, só não fica por que ela não quer?


    - NÃO, isso quer dizer que não tem a menor chance de nós dois ficarmos juntos, já a Gina... Como eu vou te explicar, eu gosto da Gina mesmo, mas alguma coisa me atrai na Lilly, e não é nada do tipo atração, ASSIM, e tipo atração de ficar perto, de cuidar, entende?


     - A minha atração pela Hermione e igual a sua pela Lillyth então- comentou Rony rindo.


     - Eu desisto. Um dia você ainda vai entender.


     - Espero, por que apesar de tudo a Gina e minha irmã, e eu também sou capaz de te matar.


     - Obrigada pela parte que me toca.


       Os dois seguiram rindo para a cozinha.


š«›«š«›


     No final da última aula daquele dia, Hermione olhou Lilly que estava totalmente impaciente, queria ir logo falar com seus pais, e assim que foram liberados Lilly foi a primeira a sair da sala, em disparada para seu quarto, era apenas 6 horas, ainda teria algum tempo a esperar, ela deixou a mochila encostada no pé da cama, e tomou várias porções do líquido contido no cálice, estava muito impaciente, com a lerdeza do tempo, ela deitou, e ficou esperando, achou que havia cochilado, pois quando olhou o relógio de novo, eram 7:45, agora ele teve certeza de que havia dormido, ela abriu a porta e a traçou pelo lado de fora, levando a chave consigo, 10 minutos depois ela estava na porta do escritório de McGonagall, ela hesitou por um momento mas bateu na porta.


     - Entre- Uma voz veio de dentro- Ela entrou e viu McGonagall organizando alguns papeis- Eles vão chegar a qualquer momento, eu vou sair e você pode ficar aqui, tudo bem?


    - Claro.-A professora saiu deixando Lillyth sozinha na sala, o olhar da garota estava fixo nas chamas da lareira, depois de alguns minutos ela achou que estava doida pois vislumbrava a cabeça de seus pais na chama, logo depois se sua mão disse oi ela percebeu que não estava doida, a cabeça deles estava mesmo ali.


     - Mas...


     - Não importa, desculpe por deixar você sem noticias.


     - Fácil falar né?- disse a garota se abaixando próximo a lareira.


     - Filha é que as coisas aqui andam meio complicadas- comentou seu pai


     - Aqui aonde, onde vocês estão?- Isso de ficar sem saber onde seus pais estavam deixavam Lillyth doida.


     As duas cabeças se entreolharam por um momento.


     - China.


     - CHINA? Vocês não falaram em China quando conversamos sobre a viagem de vocês.


     - Foi um caso de emergência, depois a gente volta à rota normal- disse sua mãe tentando a acalmar.


     - Ótimo isso significa que vocês vão demorar mais tempo para voltar, e porque vocês não me escreveram nenhuma vez?


     - Lilly filha, não vamos brigar, o tempo é curto, como você está vai tudo bem por ai?- perguntou seu pai.


     -Mais ou menos, ontem eu... Quer dizer eu tive uns sonhos estranhos, mas nada de mais.


     -Bom, espero que você fique melhor esses dias, se esforce nos estudos, e em hipótese alguma saia desse castelo, ouviu mocinha?


     - Por quê?


     - Por que não é seguro você ficar passeando em lugares que você nem ao menos conhece, eu não te quero envolvida em problemas- Lillyth também não queria se envolver em problemas, mas o problema era ela mesma.


     - Nós prometemos que vamos voltar o mais rápido possível, e também vamos fazer de tudo para escrever para você com freqüência, agora nós temos de ir, por aqui e cerca de 4 da manhã, é nós já estamos de saída- disse sua mãe


    Lillyth suspirou


     - Nós te amamos- ela disse


     - Eu amo vocês também, voltem logo.


     Os três sorriram, e Lilly viu a imagem onde estava à cabeça de seus pais voltarem a ser brasas com formas indistintas.


š«›«š«›


     Draco seguia para um corredor que ele não costumava ir, um corredor de acesso a torre da Grifinória, ficaria ali até a Weasley passar, ele não havia a visto no jantar então achou que ela uma hora deveria passar por ali e estava certo sem tanta demora ele a viu vindo na exata direção onde ele estava. Ela guardava algum livro dentro da bolsa, ela estava na biblioteca.


     - B’ Noite, Gina.


      Gina levantou a cabeça, assim que viu Malfoy ela levou um leve susto, ainda mais por causa da menção do seu nome.


     - Do que você me chamou?


     - Gina, ou prefere Ginevra?


     - Desde quando você tem permissão de me chamar pelo primeiro nome?


     - Não vamos discutir bobagens, se quiser eu chamo de Weasley mesmo, era só para mudar o hábito, agora se for pedir demais eu queria dar uma volta com você.


     - Para onde?


     - Sala Precisa, pode ser?


     - Espera só eu deixar essa bolsa lá em cima, disse ela entrando pelo retrato, pouco tempo depois ela havia voltado, e havia soltado o cabelo, Draco percebeu isso.


     Enquanto os dois seguiam em silêncio juntos para alguns corredores acima, eles toparam, acidentalmente com Lillyth que vinha na direção oposta, assim que a loira viu os dois juntos, ficou um pouco paralisada, tudo que ela menos queria naquele momento era que aquele garoto revelasse a Gina a verdade sobre ela, pois sabia que se Gina soubesse ela não ia hesitar um minuto antes de revelar aquilo para todo o castelo. Já Draco ficou um pouco irritado, não estava na hora de alguém saber que ele estava conversando com Gina, agora ele tinha de acelerar seu plano, pois era só uma questão de tempo até que a loira comentasse isso com a Granger. Gina não reparou nas reações das pessoas ali presente, ela simplesmente acelerou o passo. Eles toparam com mais algumas pessoas pelo caminho, algumas meninas andando em grupos olhavam muito interessadas em Malfoy andando com a Weasley, aquilo fez Draco pensar que agora tinha de tomar uma nova tática.


     Ao chegarem à Sala Precisa, ela se transformou na mesma sala ampla com a grande janela, os dois entraram e por algum motivo seguiram exatamente para o mesmo ponto, a janela. Eles sentaram, sobre as almofadas e passaram alguns minutos em silêncio, mas Gina queria saber logo o que Draco queria.


     - Sim, o que você queria me dizer?


     Draco continuou calado, ver Lilly e as outras pessoas no corredor o fazia ter de mudar de planos, e ele ainda pensava qual era a melhor opção.


     - Sabe eu andei pensando em...


     - Em?


     Ele encarou a ruiva, ela era sim muito bonita, ele teve que engolir as próprias palavras dita naquela manhã. Ele encarou Gina por mais alguns segundo antes de puxar ela pela nuca e a beijar. Gina foi pega de surpresa por tudo aquilo, então ela empurrou Draco, mas ele era mais forte que ela, e logo ela se deixou levar, tinha de admitir que ele beijava muito bem, alguns minutos depois, ele se separou dela e olhou para ela.


     - Andei pensando nisso- Disse ele olhando para os olhos delas. Gina se lembrou do sonho, será que era isso que significava que ela deveria ficar com Draco ao em vez de Harry que o loiro poderia a fazer tão feliz a ponto de ela mesma ficar feliz por ver Harry com Lilly? Impossível, mas ela não queria pensar naquele tipo de coisa agora, e desta vez ela o puxou para mais um beijo.


     Os primeiros beijos pareciam bebidas para ambos, os embriagavam de prazer e fazia ambos pedirem mais, logo foi surgindo algum prazer por fazer aquilo, por saberem que ninguém aprovaria aquilo, por afetar as pessoas que eles queriam que fossem afetadas, eles traçavam seus planos nós lábios do outro.


       Depois de mais de dez minutos Draco tinha de parar, ele sabia que a ruiva não pararia nunca, mas ele tinha planos a por em prática.


      Gina abriu os olhos para observar os olhos cinza de Draco, alguma coisa a deixava muito feliz, era muito difícil de ela saber o que. Os dois agora se observam em silêncio, o que dizer depois daquilo? Ela não fazia ideia, mas ele sim.


      - Como foi que Potter te trocou por aquela loira? Ele é maluco?


      - Por favor não fala daquela cobra loira.


      - Claro, meu amor.


      - Do que você me chamou?


      - Vamos começar tudo de novo? Difícil te entender Weasley, e eu juro que tento.


      - Não, não me leva a mal, e que e estranho pra mim, tipo, nós dois, mas afinal a gente não ta junto mesmo né?


      - Não? Quer dizer que tudo aquilo não foi nada para você?- Draco conseguia levar qualquer garota no papo e a Weasley não seria nenhum pouquinho diferente, estava quase conseguindo a confiança dela e ele sabia disso. Gina corou.


      - Não! Quer dizer, foi ótimo, mas é errado não é? É incomum, e estranho...


      - Para qualquer outra pessoa, mas quem deve saber se e certo, comum e normal é nós dois, é se você quiser a gente...


      - FICA! A gente fica pode ser?


      Draco sorriu, dando graças a Merlin por não ter que assumir um namoro imediato para toda Hogwarts.


     - O que você quiser, agora, tem mais algumas coisas que eu preciso te dizer, e é sobre a Dertlhem.


     - Aff.


     - Gina é importante que você saiba!


     - Vai me contar o que ela é?


     - Na hora certa- a garota ia interromper Draco, mas ele pôs os dedos na boca de Gina, fazendo ela ficar tão vermelha quantos os cabelos- Não, me escuta, eu não posso demorar, eu preciso tirar Dertlhem de Hogwarts, é você é a única pessoas com que eu posso contar pra isso, entende? Aliás você e a Granger – Draco suspirou, queria tanto rir daquilo- tenho medo de quanto ela se envolve com a Dertlhem, sabe eu e a Granger podemos não ser melhores amigos de infância, mas o que Dertlhem pode e acho que vai fazer com ela eu não desejaria nem a um trouxa, agora eu sei que vocês duas também andaram se estranhando e acho que exatamente isso que Dertlhem queria, separar vocês duas de imediato, então aconselho você a volta Ra falar com Hermione, não ligue para nada que aquela loira fizer ok? – Draco se lembrou de mais coisas do sonho, mas nada se encaixava ainda, o primeiro passo estava dado, sabia que amanha oficializaria o namoro, e um dia era tempo suficiente para ele colocar as ideia no lugar, virar todas as cartas a seu favor e de quebra da uns pegas em Gina. Gina confirmou com a cabeça aquilo que o garoto pedia a ela.


     Depois daquilo eles voltaram a se beijar, talvez para esquecer tudo aquilo que se passava pela cabeça conturbada dos dois.


š«›«š«›


      As aulas no dia seguinte seguiram de maneira calma, sem nada diferente. Draco esperou ansioso o almoço, ele não tomaria nenhuma iniciativa, a única coisa em que ele tomou cuidado foi de mostrar atenção para Gina, mas esta parecia querer evitar um pouco o olhar de Draco.


      Hermione passou o dia grudada em Lillyth. Daquela noite não passaria o mistério sobre ela, Mione notou que volta e meia ela lançava um olhar para a mesa da Sonserina, ela não sabia exatamente para quem, pois ela nunca demorava olhando para lá, no fim do jantar, Draco partiu rápido para uma escada no átrio um pouco escondido dos olhos de quem saia do Salão principal, e de alguns alunos que entravam pela porta da frente, iria esperar Gina, se era para convencê-la de que gostava dela, teria que fazer isso direito, mas antes que ele visse Gina saindo ele viu Hermione e Lillyth saindo as duas não trocavam uma palavra, pareciam ansiosas, e seguiram rápido por um corredor que Draco sabia dar para a biblioteca, ele pensou em segui-las, mas viu não muito depois Harry e Rony as seguirem, seja lá qual fora a desculpa que as duas deram, não foram convincentes.


š«›«š«›


     Hermione havia dito aos meninos que ia dar uma forçinha para Lillyth em Herbologia e saiu puxando Lillyth que não havia tocada em nenhum pedaço da saborosa comida a sua frente. Assim que as meninas deixaram a, mas Harry e Rony se entreolharam e largaram a comida ali mesmo seguiram as duas, pararam ao ver que as duas realmente haviam entrado na biblioteca, se chegasse mais pertos poderiam ser vistos por elas ou por outras pessoas, enfim Madame Pince apareceu dizendo que não poderiam ficar ali parados atrás da estante de livros, obrigando os garotos a se retirarem da biblioteca.


š«›«š«›


     Hermione seguiu com Lillyth pelo corredor mais próximo á biblioteca, não conseguia olhar para a garota nem ao menos falar com ela, e ela nem ao menos bia o por que, ao chegarem na biblioteca, ouviram Madame Pince reclamar de algo, mas não deu bola, puxou Lilly para uma mesa estratégica, ficava nos fundos e dava para ver se alguém se aproximava a distancias, ela puxou um livro qualquer de Herbologia e se sentou, Lillyth sentou e também não olhava para Hermione, A castanha sabia que Lillyth não soltaria nada sem pressão, então começou a conversa aos sussurros.


      - Como foi com seus pais.


      Lillyth ficou aliviada de que ela não perguntasse tudo de uma vez.


      - Bom, agora sei que ta tudo bem, eles estão na China.


      - Que legal e... Afinal por que eles viajaram mesmo.


      - Pra falar a verdade nem eu mesma sei explicar, só sei que é a serviço, eles ainda vão viajar por alguns outros países antes de voltar.


      - E você ao menos pegou um endereço parta mandar uma carta?


      - Não dá. Eles não ficam fixos em um lugar, mudam sempre, agora eu tenho de esperar que ELES escrevam. – Lillyth suspirou, queria logo acabar com isso. - Agradeço a você por não ter perguntado aquilo de uma vez, mas sei que é isso que você quer saber, bom eu prometi te contar e não vou voltar atrás, só espero que você entenda que você ME entenda, eu não queria estar aqui.


     - Fala sério Lillyth, eu vou entender, eu passei por um cão de três cabeças no primeiro ano, um basilisco no segundo, dementadores, torneio tribruxo, comensais da morte, quase nada pode me assustar – comentou a garota tentando dar uma força para Lilly, que deu um sorrisinho.


      Lillyth abriu a boca, ela queria falar, mas admitir aquilo para alguém era complicado demais.


     - Por que você não escreve – sugeriu Hermione ansiosa, e vendo o quão difícil era para a loira.


     - Não, tive uma ideia melhor- falou Lillyth se levantando.


     - Aonde você vai?


     - Eu não demoro- Lillyth sumiu pelas estantes abarrotadas de livros e trouxe nas mãos um de capa verde esmeralda, Hermione nunca havia aberto aquele livro: Criaturas da Noite. Foi o que ela leu no titulo antes de Lillyth se sentar e começar a folheá-lo, a castanha viu a loira passar por vários espécimes assustadores, mas Hermione sabia que ela não poderia ser nenhum mostro, Lillyth parou de folhear o livro em certo capítulo e entregou o livro a Hermione:


VAMPIROS


----------------------- Continua -----------------------


ainda com poucos comentários... bahh eu desistoooooo, vamos lá prox cap, vampiros oo'

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.