FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

15. O passado


Fic: "Foi assim..." Capítulo 21 On LIne (*E que venham as pedras...*)


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

__ Vem vindo alguém.- disse Draco.
__ Professor Snape?
__ A sabe tudo- disse ele crispando os lábios e desfazendo os feitiços.
__ Ela tem nome- censurou Gina pegando uma flanela no chão.- Hermione sabia?
__ Hunpf- fez ele pegando o esfregão. Em frações de segundo a porta se abriu e por ela surgiu o rosto emoldurado por chachos castanhos e rebeldes de Hermione.
__ Gina?- chamou ela. – Precisamos de você lá embaixo um minutinho.
__ Ah! Certo.- assentiu ela. Dirigiu-se até a porta e antes de sair emendou.- E Malfoy, deixe de corpo mole e esfregue esse chão direito, pretendo acabar com isso ainda hoje.
__ Ok- respondeu ele de maus modos para logo fazer uma careta de escarnio quando teve a certeza de que Hermione não olhava mais, fazendo Gina rir.
__ Do quê você está rindo?- indagou Mione.
__ Malfoy... com um esfregão- riu ela abertamente.- Já imaginou algo assim?
__ É...- riu Hermione- Totalmente bizarro.
__ O que a mamãe quer?
__ Não é a sua mãe, é o Harry.
__ O Harry?- perguntou ela, um sorriso iluminando seu rosto.- O Harry já chegou?
__ Acabou de chegar.- Informou Hermione analisando a amiga.
__ Quarto do Rony?
__ Exato.



Foi o suficiente para a ruiva abrir uma larga distância entre ela e a amiga. Aos pulos chegou no andar de baixo e correu até o quarto do irmão. Sem a menor cerimônia escancarou a porta e entrou como um furacão vermelho que se enroscou fortemente no pescoço de um moreno que, do contrário que ela pensava, não estava nada feliz.



__ Harry!- saudou ela com um gritinho de felicidade enquanto Rony e Hermione assistiam a cena boquiabertos. Até onde sabiam, Harry e Gina não tinham o costume de se cumprimentarem com longos abraços e gritinhos de felicidade.
__ Gina- suspirou ele. Contrariando o ser em sua mente que gritava para ele se afastar dela naquele instante ele corresopndeu ao abraço, de um jeito um tanto frio que não passou despercebido por Gina.
__ O que foi?- indagou ela soltando-o.- Aconteceu alguma coisa?
__ Não, nada- mentiu ele afastando-se vendo a expressão de confusão se intensificar no rosto da ruiva.
__ E como o fuinha está te tratando?- começou Rony assumindo um tom ameaçador.
__ Dra... Malfoy?- “Oooops! Um a zero no placar quem faz mais besteiras em cinco minutos” pensou ela irritando-se consigo mesma.- Ele está no canto dele.
__ Sem provocações?- insistiu Ron
__ Ele resmunga mas não faço idéia sobre o quê- mentiu Gina. “Dois a zero na verdade, é claro que havia acontecido alguma coisa: Harry sabia que Draco estava lá!”
__ É inacreditável... Dumbledore trazer aqueles dois pra cá- resmungou Rony.
__ Não começa Rony- pediu Hermione que observava um Harry calado e visivelmente irritado.- Ele deve ter os motivos dele pra trazer od dois pra cá.
__ Mesmo assim... Ter que suportar a cara daquele trasgo- continuou ele fazendo um gesto de como se estivesse estrangulando o ar.
__ Eu também não entendi essa- soltou Harry no meio de seus pensamentos.
__ Olha, eu também não estou nada feliz em ter que conviver com aquele... com o Malfoy aqui na ordem e muito menos sem saber o por quê- disse Hermione- mas, nas circunstâncias...
__ Ah pelo amor de Deus! Ele é praticamente um comensal Mione!- ralhou Rony, as orelhas vermelhas mostrando o teor de seu descontentamento.
Mas isso foi apenas percebido por Mione que não notou o olhar tenso trocado por Harry e Gina à mensão de Draco ser praticamente um comensal. Gina arregalou os olhos rapidamente enquanto Harry bufava, tantando canalisar sua incompreensão naquele sopro de ar.
__ Preciso ir na cozinha- disse Harry já caminhando de volta para a porta.
__ Eu vou com você- disse uma Gina insegura e subtamente trêmula.



Os dois sairam em silêncio, deixando para trás Rony e Mione que discutiam pela trilhonésima vez sobre a chegada de Draco na sede da ordem da fênix. Enquanto isso vários pensamentos cruzavam desordenadamente a mente de Gina que, mesmo sem saber o porquê , estava se sentindo desconfortável ao lado de Harry que mantinha uma cara de poucos amigos. O que o irritava mais naquele momento, além do fato de ter mais um comensal da morte na ordem da fênix era o fato de ele estar ali, perto dela, na ordem; E pela felicidade dela, na certa os dois já tinham feito as pazes, restava saber o quê o “filhote de comensal” havia dito para enganar Gina.



__ Então...- disse ele já com um copo de água em mãos, tentando parecer displicente.
__ Então...?- repetiu ela num tom interrogativo, levantando um pouco as sobrancelhas.
__ Está tudo...bem?- perguntou ele tomando o cuidado de fitar diretamente aqueles olhos castanhos que agora mostravam uma certa preocupação.
__ Harry, não precisa se preocupar ok? Eu já conversei com ele, uma conversa franca... e não me olhe assim, você sabe que eu não mentiria pra você.
__ Eu sei...- disse ele enfim desviando o olhar.
__ E acredite, eu tenho motivos pra acreditar nele- continuou ela- e não preciso repetí-los a você, creio que você já saiba de tudo não?
__ Sei, inclusive o fato de ele ser um comensal!- rosnou ele num tom baixo.
__ Como você...?
__ E você também sabe!- continuou ele, dessa vez um pouco mais alto do que pretendia.- E mesmo assim você...
__ Harry- suspirou ela.- eu preciso que você me entenda...
__ Gina! Você não...- ele não sabia o quê dizer exatamente, mas algo em seu peito dizia claramente que aquela situação não era correta. Havia um mal pressentimento, como se algo de ruim fosse acontecer àquela ruiva, a garota que ele aprendera a amar, um pouco tarde demais mas ainda sim, ele a amava! E não podia pensar na possibilidade de algo de ruim acontecer a ela, de fato, já questionava-se se fizera o certo ao deixar aquela história dela com Draco seguir adiante.- Eu só quero que você esteja bem... mas ao lado del...
__ Por favor... confie em mim- interrompeu ela segurando as mãos dele.- eu sei me cuidar, e eu vou ficar bem.
__ Eu espero- suspirou ele dando enfim um verdadeiro abraço na ruiva que não conteve um sorriso aliviado que se formou em seu rosto.
__ E não pense que esse abraço apaga a recepção calorosa que recebi lá em cima- brincou ela fingindo-se brava.
__ Oh! Desculpe-me- pediu ele atrapalhado, mais ainda assim sinceramente.
__ Vou pensar no seu caso- continuou ela. Ele parou por um momento, indeciso entre se ela estaria brincando ou não mas logo se decidiu ao ver o sorriso maroto no rosto dela.
__ Palhaça...- resmungou ele fazendo a dar uma gargalhada. Nem mesmo aquela gargalhada que tanto adorava ouvir foi capaz de desfazer o aperto em seu peito.
__ Que bom que você está aqui...-sorriu ela carinhosamente.
__ É bom estar aqui Gina- disse ele um tanto sério, pensando que pelo menos, com ela ali, ele poderia estar de olho na ruiva.
__ Vou voltar lá pra cima. Você acredita que ele sequer havia varrido o chão alguma vez na vida?- perguntou ela rindo enquanto voltava a subir os degraus da grande escada da mansão dos Black. Harry apenas soltou uma risada nasal e foi colocar o copo ainda em sua mão sob a pia.



Os pensamentos agora se concentravam no aperto insistente em seu peito e como ele aumentara com a presença da ruiva. A sensação de que algo de muito ruim iria acontecer se tornava cada vez mais níntida como a brusca mudança do tempo que era vista pelas janelas. O céu antes com repolhudas nuvens brancas ganhava um tom acizentado que se somava ao vento forte que a medida em que a tarde avançava se intensificava, e por fim trazendo consigo a chuva.




A notícia da chegada de Harry na mansão Black, trazida por uma sorridente Gina não alegrou nem um pouco a Draco que não se deu ao trabalho de disfarçar seu “incômodo”. Gina ainda tentou amenizar a situação dizendo que uma hora ou outra eles teriam que se entender pois ela não abriria mão do homem que amava e do grande amigo mas apenas conseguiu de volta uma pergunta nada agradável do loiro. Com um dos seus mais intensos tons de sarcasmo Draco perguntara se ela sabia quem era o homem que ela amava e quem era o grande amigo, fazendo a ruiva atingir diversos tons de vermelho que serviram como pano de fundo para a expressão ameaçadora e contrariada que ela exibiu ao ouvir aquela pergunta. Expressão que logo foi disfeita pelo próprio Draco que ao notar o quão infantil estava sendo, tratou de assumir o deslise visivelmente constrangido, mudando o tópico da conversa para a faxina.



O almoço foi substituído por lanchinhos preparados pela senhora Weasley e Narcisa que fez questão de levá-los pessoalmente tanto para os jovens na sala quanto a seu filho no sótão. Era uma nova e conhecida sensação, a de voltar a se sentir útil. Narcisa, embora estivesse em seu primeiro dia na ordem, estava se sentindo em casa tamanha a hospitalidade dos membros da ordem principalmente de Tonks que nã cansava de puxar conversas sem propósitos que a faziam dar boas risadas, principalmente quando a pergunta “Mas e o morcegão?” surgiu um pouco antes do jantar terminar de ser preparado. Narcisa riu um tanto confusa enquanto ouvia a voz de seu amado às suas costas.



__ Espero que a Srta não esteja se referindo a mim Tonks- disse Snape tornando-se visivel à Ninfadora que atingiu diversos tons de vermelho.
__ ‘magina...- disse ela fazendo um gesto exasperado com as mãos.- Realmente havia um morcegão... enorme... lá na sala 3!
__ Certo- disse ele ainda sério, no seu tom perigoso de sempre enquanto Narcisa abafava risadinhas.- Vou me trocar, você vem?
__ Ahn?- Narcisa sentiu-se um pouco desconcertada perante o olhar malicioso que Tonks lançou aos dois mas logo disfarçou.- Sim, claro.
__ Só não se atrasem pro jantar!- brincou Tonks enquanto explodia em risadinhas e mais risadinhas vendo os dois subirem as escadas de mãos dadas.
__ Não ligue Severo...- riu Narcisa enquanto Snape raniga os dentes ameaçadoramente após fechar a porta do quarto bruscamente.
__ Não ligue...- resmungou ele mau humorado.
__ O tempo que você perde reclamando você deveria...- Narcisa nem precisou completar sua sugestão, seu desejo foi prontamente atendido. Viu-se mergulhada num beijo avassalador que tirou-lhe o fôlego.- Céus!
__ É pra lá que pretendo te levar.- sentenciou ele, sussurrando no ouvido dela sentindo-a extremecer em seus braços.
__ Banho?- sugeriu ela. Ele ergueu uma sobrancelha fingindo-se surpreso.- Sabe... você parece cansado, está um tempo abafado...um bom banho antes do jantar não faria mal algum.
__ Entendo- assentiu ele.
__ Então pode ir- disse ela desvencilhando-se dele.- Enquanto isso vou dar uma ”voltinha” pela casa.
__ Só se for depois do banho- disse ele descansadamente largando-se na cama. Ela voltou-se para ele intrigada.- Caso não tenha percebido, você está suja.
__ Suja?- indagou ela olhando-se dos pés a cabeça. Não encontrou vestígio de sujeira alguma.
__ Bem aí- disse ele apontando a varinha para o colo dela, conjurando um pouco de chocolate que “caiu” ali.- Vê?
__ Seu...- ela irritou-se. Fechou os olhos, respirou fundo e abriu um belo sorriso enquanto ele mantinha-se impassível, como se nada demais tivesse acontecido.- Pode tratar de dar um jeito nisso!
__ Hm...- fez ele olhando-a desejoso, os olhos faíscando em sua direção.
__ Tarado!- brincou ela antes de se render às carícias dele e finalmente se deixar ser guiada para um “conturbado” banho num banheiro completo conjurado por Snape. Com direito até a uma grande banheira na qual o casal se divertiu lembrando de alguns fatos de sua adolescência.



O jantar seguiu na maior anormalidade já presenciada pelos “moradores” da mansão Black. A cara de surpresa da maioria dos presentes à mesa ao ver a chegada de Snape e Narcisa de mãos dadas só não foi maior que o choque de um elogio de Snape ao pudim de rins feito pela Sra Weasley que ficou lisongeada, principalmente por aquela ser a primeira vez que ouvia um elogio vindo do professor.
A luta de Draco e Gina com sues olhos que pareciam se atraiar magneticamente também era algo interessante de se observar, não para Harry que dividia sua atenção em Draco e Snape. Os olhares trocados pelos três eram tão intensos que em certo ponto do jantar Narcisa deu um forte pisão no pé do professor que chegou a se engasgar com a comida; ao encontrar os olhos dela ele leu claramente: “Ele é só uma criança!”



Aos poucos, todos foram se dispersando. Arthur, Gui e Tonks teriam de ir para o ministério, os gêmeos falavam de ir para o beco finalizar uma missão e assim por diante. Rony e Harry logo subiram por livre espontânea pressão de Hermione que sibilava furiosamente para os dois manterem a calma e evitar criar alguma situação constrangedora. Gina ofereceu-se para ajudar a recolher a louça assim como Narcisa.



__ Mas você já vai?- perguntou Narcisa vendo que Snape pegava sua longa capa preta.
__ Sim. Volto ainda hoje, de madrugada. Pela manhã teremos reunião.- disse ele observando Draco se aproximar.
__ Professor- saudou o loiro, um tanto formal demais.
__ Draco.- correspondeu Snape encarando o aluno.
__ Você já vai subir meu filho?- perguntou Narcisa acariciando os cabelos do filho que ainda encarava o professor.
__ Vou.- respondeu ele erguendo uma sobrancelha enquanto Snape deixava escapar uma risada nasal que não passou despercebida por Narcisa.
__ O quê?- perguntou ela desconfiada.
__ Até mais professor- disse Draco tentando agora conter o riso. Foi a vez de Snape erguer as sobrancelhas sugestivamente.
__ Até- respondeu ele fazendo enfim um sinal positivo com a cabeça- E por favor, vá dormir cedo. Amanhã teremos reunião.
__ Certo.- assentiu Draco já nas escadas, seguindo para o andar de cima logo em seguida.
__ O quê foi isso?- perguntou Narcisa confusa.
__ Isso o quê?- perguntou Snape num tom nada convincente, num tentativa frustrada de parecer inocente.
__ Severo Snape!- disse ela num tom que geralemente era usado pela professora Minerva, recordou-se ele.
__ Não me espere acordada- disse ele pegando-lhe uma das mãos para guiá-la para o hall de entrada.- Pode deixar que eu te acordo.
__ Acho bom...- brincou ela num tom mandão para logo depois abrir um belo sorriso.- Se cuida.
__ Pode deixar.- disse ele após receber um leve beijo nos lábios. Girou nos calcanhares e logo saiu pela porta que dava acesso à fria e chuvosa noite que se desenhava lá fora, deixando pra trás Narcisa, que assistiu a partida dele até o momento em que a porta se fechou impendindo-a de continuar a admirar aquele homem de olhar decidido e grave que acabara de beijar.



Voltou à cozinha analisando os quadros dispostos nas paredes do corredor e ao chegar lá, observou a ruiva que guardava cuidadosamente as últimas louças num armário ao fundo do aposento. Gina não havia notado a chegada de Narcisa, seu pensamento encontrava-se no loiro no quarto de seus irmãos e em como falaria com ele sem que Hermione, Rony ou Harry desse por falta dela. Com os três na mansão, seria praticamente impossível ficar a sós com Draco... mas dariam um jeito, pensou ela decidida, deixando um sorriso bobo iluminar-lhe a face.
Narcisa pigarreou trazendo a atenção da ruiva para si.

__ Vejo que você já acabou por aqui não é?- sorriu ela.
__ Sim- respondeu Gina também sorrindo.
__ Ótimo. Posso lhe pedir um favor?
__ Claro- respondeu Gina estranhando o olhar divertido que Narcisa lhe lançou ao fazer a pergunta.
__ Chame o Draco para mim.- pediu ela.- Estarei esperando-o na sala de visitas, e pode dizer a ele que não tenha pressa, eu o aguardarei.
__ Sim senhora.- Assentiu Gina com um largo e evidente sorriso no rosto, agradecendo mentalmente por aquela oportunidade de estar com o loiro.
__ Se quiser volte com ele- emendou a loira enquanto subia as escadas junto com Gina.
__ Ok.- Disse Gina radiante seguindo adiante para o quarto do terceiro patamar enquanto Narcisa tomava rumo em direção à sala de visitas.



Em pouco tempo Narcisa estava no cômodo comprido e de teto alto com diversas tapeçarias dispostas nas paredes verde oliva. Numa delas, ocupando toda sua estenção, estava uma imensa tapeçaria, velha e desbotada com alguns furinhos e pontos roídos que ela não se lembrava de ter visto ali a última vez que visitara aquela casa. Também... tanto tempo havia se passado desde então, pensou ela dividida entre um lado saudoso e um lado triste que foi o que predominou.
Aproximou-se um pouco mais e pôde ler:


A mui antiga e nobre casa dos black
“Tojours pur”


Olhando mais atentamente pôde ver, no mesmo fio dourado que tecia a àrvora genealógica da família black, seu nome e os de suas irmãs. Aliás, apenas o seu e o de sua irmã Belatriz. Entre eles via-se um buraquinho carbonizado onde deveria estar o nome de sua irmã, Andrômeda. Sorriu ao lembrar da irmã, e mais ainda ao nem se dar conta de que passara o dia inteiro ao lado da sobrinha sem sequer relacionar esse fato. Falaria com ela mais tarde, pensou enquanto buscava a varinha na barra de suas vestes negras.



Voltou seu olhar novamente para seu nome, observando com extremo desgosto a linha dourada dupla que ligava seu nome à Lúcio Malfoy, obviamente o motivo de seu nome não ter sido carbonizado como o de Andrômeda que se casara com Ted Tonks, um trouxa.
Ela e a irmã, tinham realizado os desejos de seus pais, casando-se com puros-sangue. As duas por motivos idiotas que acabaram por arruinar suas vidas, pensou ela amargamente, desejando que a irmã, Belatriz, tivesse a oportunidade de corrigir certos erros do passado. Mas se tratando de Bela... e principalmente Bela e Sirius, a probabilidade disso acontecer era praticamente 0,1 em um milhão.



Observou a linha reta e vertical que ligava o seu nome e o de Lúcio ao nome de Draco, a única coisa boa proveniente daquela união. Deixou seu olhos vagarem um pouco mais sobre os demais nomes ali gravados, as lembranças de sua infância assaltando-lhe a mente, vivas e níntidas. Os jantares, as reuniões, os primos, os familiares, o glamour, a riqueza... tudo o que era predominante naquela família que acima de tudo presava o “puro-sangue”. Não poderia afirmar que não tivera seus momentos felizes, na verdade se divertira bastante em sua juventude...até seus dois últimos anos em Hogwarts, pensou ela logo depois afastando tais pensamentos de sua mente.
Ergueu a varinha.



__ O quê você está fazendo?- perguntou uma voz masculina às suas costas. Narcisa virou-se lentamente, reconhecendo aquele timbre de voz, sua mente trazendo imediatemente a imagem de um jovem com cabelos escuros e desalinhados, olhos castanhos... mas não foram olhos castanhos que encontrou no rosto que viu, fitando-a seriamente.
__ Algo que devia ter feito há anos atrás- respondeu ela voltando a olhar para a tapeçaria, mais uma vez erguendo a varinha.
__ A Sra vai...?
__ Senhora?- riu ela- Pode me chamar de “você” Harry, como fez a pouco, eu não me incomodo. E respondendo à sua pergunta, eu vou “apagar” parte de meu passado.
__ Tirando o seu nome daí- indagou ele tomando consciência de que estava sendo um tanto grosseiro no tom de voz que usava.- quero dizer, isso não muda muita coisa não é?
__ Muda. Na verdade é o que falta para quebrar esse laço infeliz, tirando o Draco que é uma ligação que levarei para sempre e sem arrependimentos- respondeu ela, a voz um tanto trêmula. Sorriu, um sorriso triste que instigou Harry.
__ Hm...- limitou-se a dizer pensando na figura triste que Narcisa representava naquela sala, em frente à tapeçaria, lembrando-se da primeira vez em que vira os diversos nomes ali.
__ Você não faz idéia de como você está parecido com ele...- comentou ela mirando-o.- inclusive a voz..
__ Meu pai?- perguntou Harry incerto. Narcisa confirmou com um aceno de cabeça.
__ Tenho algo que você gostaria de ver- continuou ela, lembrando-se de algo em que há muito ela não pensava. Com um gesto de varinha ela fez aparecer um envelope de aspecto antigo e amarelado e um rolo de pergaminho no mesmo estado, ou ainda mais desgastado pelo tempo.- Aqui...



Narcisa estendeu o pergaminho à Harry que após hesitar durante alguns instantes pegou o pergaminho. Desenrolou-o lentamente, vendo que nele havia uma bela caligrafia, firme, não muito floeada mas visivelmente pertencente à uma mulher. Harry lançou um olhar oindagador a Narcisa que indicou que ele deveria ler. Foi o que ele fez.



“19/11/78

Ainda não acredito no que me dissestes na última carta. É definitivo mesmo Cissy? Você tem noção da loucura que estás prestes a fazer?! Realmente não há mais anda a ser feito?! Rebele-se! Grite! Esperneie! Deixe o orgulho de lado ao menos uma vez! Procure-o Narcisa... em nome de nossa amizade, eu te peço: Fale com ele.
Algo me diz que tudo poderá ser diferente, não só pra você mas como para ele também. Sei como deve ser difícil para você, principalmente se tratando de um assunto tão delicado que envolve tantas pessoas mas, ainda assim, mantenho a minha opinião de que você não pode abrir mão de tudo assim. Ainda mais agora que você conhece a verdadeira face de Malfoy. Lembra-se de quantas vezes eu lhe falei sobre isso? Certo... sei que não é hora para “eu lhe avisei” mas... é tão frustrante! Sentir-me impotente, sem poder fazer algo concreto que possa lhe ajudar (caso saiba de algo que eu possa fazer não hesite em pedir!). Sei que você não acredita em meus “santos trouxas” e coisas do tipo mas pode ter certeza de que estou rezando por você e para que tudo se resolva.
Em Hogsmead poderemos enfim nos falar, no local de sempre.
Da amiga de sempre
Lílian Evans.

Ps.: Viu hoje de manhã no salão principal? A Emília parece estar tendo enfim algum sucesso em suas tentativas!”




Harry sentiu-se meio atordoado. Sua mãe, amiga de Narcisa?! Aquilo era completamente inesperado afinal ela era uma Black! E sua mãe era tudo o que a família de Narcisa odiava... como poderiam então terem sido amigas? Ou aquela mulher estava apenas inventando um história para se aproximar?
Não sabia? Nada fazia sentido no meio do turbilhão de perguntas que se formava em sua mente naquele momento. Seus olhos buscaram o de Narcia que exibiam agora um ar nostalgico.



__ Quem era Emília?- as palavras pularam da boca de Harry que se amaldiçoou mentalmente. Não era exatamente isso o que ele queria perguntar. Narcisa riu baixinho antes de responder.
__ Uma lufa-lufa, apaixonada por um de meus colegas de casa.
__ Você era da lufa-lufa?- Harry espantou-se.
__ Não... Sonserina era a minha casa- respondeu ela.- O único dos Black que fugiu a tradição de ir para a sonserina foi seu padrinho, Sirius. Eu poderia ter quebrado a tradição também... mas tive medo.
__ O que você quer dizer?- indagou Harry, resistindo à perguntar como ela sabia que Sirius era seu padrinho.
__ Jamais me esquecerei- disse ela após um longo suspiro- da noite de seleção, minha primeira noite em Hogwarts. O Chapéu seletor disse-me que eu poderia me juntar aos bravos de coração, que um futuro brilhante me aguardaria naquela casa... mas eu pedi que não, eu não poderia deixar de ir para a sonserina, não podia! O que meus pais iriam fazer comigo se eu fosse para outra casa?! Eu estava assustada ante aquela possibilidade, até finalmente ouvir a voz do chapéu anunciar “Sonserina!”
__ Você escolheu ir para a sonserina?- perguntou Harry mal acreditando no que ouvira.
__ Naquela época eu era muito nova, se eu soubesse...- suspirou ela.- Demorei muito para perceber certas coisas. Pelo menos, mesmo que um pouco tarde demais, eu pude enxergar a verdade.
__ E como você sabe que Sirius era meu padrinho?- perguntou Harry após alguns instantes em silêncio, nos quais voltou a observar a carta em suas mãos. Narcisa não respondeu, sorriu e estendeu o envelope amarelado.


“25/10/81

Minha amiga
Há quanto tempo não nos vemos... você ainda nem conhece meu filho! Tempos difíceis esses que chegam até nós. É praticamente impossível poder escrever-lhe. Foi um custo convencer ao Tiago para poder te escrever essa carta que, por hora, é a última que vos escrevo. Creio que não preciso dizer os motivos...
O batizado do Harry é amanhã. Sirius será o padrinho. Oficialmente, Harry não terá uma madrinha já que a mesma não poderá comparecer ao batizado, mas sei que você estará presente na cerimônia, mesmo que seja apenas em nossos corações. E também sei que não é preciso cerimônia nenhuma para você saber e assumir com todo o direito o posto de madrinha de meu filho, assim como prometi ser a madrinha do seu.
Não sei quando poderei falar contigo novamente mas espero ser em breve. Sei que pelo menos teremos notícias uma da outra, e quero que saiba que mantenho também a promessa de lhe escrever durante esse tempo em que vamos ficar distantes (ainda mais do que sempre estivemos... ).
Lembra-se de nossa conversa sobre o silêncio? No nosso último dia em Hogwarts? Estive pensando...
Naquele dia você me disse que o * “silêncio era uma ferida do tempo, um mundo poderoso e triste”. Decidi trilhar esse caminho do silêncio e, acredite, tive vontade de rir; rir para afastar os fantasmas do próprio silêncio, rir para recriar uma linguagem e compartillhá-la com ele. Na verdade, acho que o silêncio pode converter-se na felicidade do encontro, ou pelo menos assim prefiro crer. Porque a palavra felicidade remete ao futuro; ela é parte da memória, um passado que é um futuro, uma referência de uma vida que vai renascer... Cheguei até a procurar dormir mais cedo, apenas para conversar com o silêncio, foi numa dessas noites que resolvi escrever para lhe falar, nesse esforço banal de não parecer insensata, de mais uma vez lembrar-lhe de meu desejo de que você faça essa mesma viagem pelo silêncio, de retorno ao encontro das emoções verdadeiras, que te faça superar as feridas do tempo... (preciso ser mais direta e insana que isso?) Enfim, não podia deixar de te dizer isso e espero que você tenha compreendido toda essa “divagação”. (incrível como posso ver o sorriso em seu rosto ao ler essa palavra, pensando no quão louca é sua amiga Lily). Prometo não repetí-las nas cartas que lhe escreverei durante essa “pausa”, pelo menos não muito... Prepare-se para receber uma avalanche de cartas quando essa guerra maldita estiver acabada e eu também esperarei anciosa pela minha.
Tiago e os outros mandam-lhe um abraço tão grande quanto o que eu te mando.
Da amiga de sempre
Lílian Evans.


Ps.: Seja forte minha amiga. Sabes que estarei sempre contigo.”




__ Você é minha...?
__ Madrinha?- completou Narcisa, os olhos marejados pelas lembranças contidas naquelas cartas.- Assim me considero, mesmo sabendo que isso não deve ser de seu agrado.
__ Eu não sei nem o que dizer- disse Harry sinceramente.- Vocês eram amigas?
__ Por correspondência- riu Narcisa- desde os tempos de Hogwarts. Ficamos amigas no expresso de Hogwarts, primeiro dia. Escondemos a nossa amizade assim que eu descobri que ela era mestiça. Na verdade foi a Bela que descobriu com o Sirius... não queria abrir mão da amizade de Lily e tampouco poderia chegar em casa e dizer que minha melhor amiga era uma nascida trouxa. Seria tão ruim ou pior que não ir para a sonserina... No primeiro ano mesmo, decidimos manter nossas conversas por cartas. Sua mãe foi uma bruxa magnífica... tinha o dom de ver além das pessoas, não só o seu exterior. Sempre disposta a ajudar, jamais ignorando a verdade, a realidade.... e ainda assim disposta a estender a mão. Pelo que sei você também herdou esse dom...
__ Meu pai também... era seu amigo?- perguntou ele após novos instantes nos quais não soube o que dizer ou pensar.
__ Sim- sorriu ela- Foram poucas as vezes que tivemos uma conversa séria, em geral era a richa entre a sonserina e a grifinória que era o tema de nossos breves diálogos nos corredores de Hogwarts. Sempre me garantindo boas risadas, até mesmo nos momentos mais tristes em que me sentia só ele sempre estava lá, pra arracar-me um sorriso. Uma pena eu não ter a carta em que sua mãe conta como eles enfim se acertaram...
__ Você tem mais cartas?
__ Algumas- respondeu ela agora virando-se novamente para a tapeçaria até então esquecida.- Assim que as tiver em mãos eu lhe entrego. Pode ficar com essas.
__ Obrigada.- agradeceu Harry enfim com um sorriso sincero.- Me permite?



Narcisa não entendeu até Harry tirar a própria varinha do bolso e se posicionar ao lado dela, em frente a tapeçaria. A varinha dela mirava o próprio nome até que ele fez um sinal indicando para ela abaixar a mão. Ela o fez e Harry então mirou a própria varinha, não no nome dela, mas no de Lúcio Malfoy. Antes que ela pudesse assimilar o que o garoto estava fazendo um buraquinho já estava no lugar onde estivera o nome de Lúcio. Harry a encarava com um olhar sereno. Quando Narcisa abriu a boca para falar ele interrompeu.



__ Gosto do fato de minha madrinha ser prima de meu padrinho- disse ele dando de ombros- sei que ele foi uma grande pessoa e pelo pouco que sei, minha madrinha também parece ser...
__ Você é realmente igualzinho a seu pai- sorriu ela emocionada- e mais do que imagina à sua mãe.



Harry sorriu com o comentario da loira. Já não conseguia sentir-se incomodado ou desconfiado perante a presença daquela mulher, ainda mais agora sabendo que aquela era sua madrinha. Perferiu ignorar o fato dela ser mãe de Draco, pelo menos naquele momento. Era bom saber que tinha “uma família” novamente. Dirigiu-se em silêncio até a porta deixando para trás Narcisa que continuava a adimirar a tapeçaria.
Seus pensamentos agora, estavam na ruiva de olhos verdes, no dia em que recebera aquela carta que acabara de entregar a Harry. Recebera a carta no mesmo instante que um Lúcio furioso entrava em seu quarto, trazendo a notícia do sumiço dos Potter e a furia de seu Lord. Se soubesse que aquela eram as únicas palavras da amiga para ela...



“Perdoe-me minha amiga, por ter sido tão fraca, todo esse tempo.” Pensou Narcisa, a figura da ruiva sorridente em sua frente.. Estar na ordem da fênix era também um jeio de se redimir, analisou ela. E faria o melhor de si para ajudar o afilhado, honrar as responsabilidades dadas à uma madrinha, honrar a promessa que havia feito, assim como Lílian cumpriria se tivesse a oportunidade. Mesmo que tardiamente, seria forte. Por ela mesma, por Draco, por Harry, Por Snape, por todos...






CONTINUA

N/A: Mil perdões pessoaaaaaaasssssss!!! Moh perrengue, pc deu pau e tive que reescrever esse capítulo todo Mtu malz... não tah nem perto do que eu tinha escrito antes, quero dizer, o conteúdo é quase o mesmo e talz mas sei lá... a estrutura, a forma como foi passada no outro estava melhor.
Duas coisitxas importantes:
Creio q haja um erro nas datas das cartas, mas basicamente as cartas teriam sidos trocadas no último ano em Hogwarts e alguns meses antes da morte dos Potters respectivamente. (*Axo q agora tah certo...qqr coisa 6 me avisam blz?*) E sabe aquele asterisco ali nu meio da carta da Lily? Enton, é uma referencia a um trcho de um livro q tow lendo, Fragmentos do Eden que se encaixa perfeitamente naquela carta, ou pelo menos assim me pareceu...*)
Certo, xeu avisar logo: Estou me programando para continuar a postar semanalmente mas as provas da facul estão chegando então... é bem provavel que haja atraso na atualização. Espero que v6 entendam (* e que rezem pra pôia aqui conseguir ficar na média em todas as matéria pra nau ir pra final * Nani cruza os dedos e acende vela*) caso aconteça.


Ok. Os coments
100 COMENTS!!! Weeeeeeeeeeeeeeeeeeeeee!!! (*Nani dah pulinhus e sacode pom pom*)
KI feliz... q emozaum...nhaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiimmmmmmm^^’ Brigadaum pessoas que comentam! Brigadaum msm tah? E Falando em coments vamos a eles XD


Nick: Evans: huhuhuh^^ Eu sei como é a ansiedade... E mtu mtu mtu obrigada pelo “Perfeita” e mais ainda pelo “Mil vezes perfeita”, e pelo esplêndida (*Nani emocionada*), e pelo super bem... enfim, brigadaum mesmo tah? E sim sim, eu vou continuar, e espero mais coments seu por aki viu?
Assim q der passo na tua fic. Bjus pra ti.


Miaka: Miiiiiiiiiiiii (*eu tipo a íntima de novu*) Nhaaaaaaaaaa.... tempaum q non falo ctgo... saudades suas sabia? Mas sou eu q tow sumida msm, e pelo visto vou continuar. O lance da capa do Snape... ficou engraçadinhu neh? As reações do Harry hein? Q q c achou? Te dei um balde de água fria??? Huhuhu^^ Nau me bate nau tah? E qto a conversa de Narcisa, Draco e Gina tá pertinhu, na vdd nu próximo cpt ^^ (*e nau digo mais nada pq tow falandu dmais*). Bjus pra ti fofa.


.Cherryz: ^^ KI baum q vc amou. E a partir de agora, sendo sincera, nau posso garantir q nau vou demorar com os cpts nau, mas espero nau demorar. Q bom q vc conseguiu gostar desse shipper na minha fic (*qual u seu shipper hein? Fikei curiosa*) Bjus pra ti e volte sempre


Hellen: Primeira vez aki...ki massa, é tão difícil receber coment de quem pegou a fic do “meio” ^^’e feliz tbm. 1º brigada pelo elogio à capa. 2º Q bau q c tah adorando a fic msm sendo H/G como eu (*Weeeeeeeeee^^ espero q vc tnha paciência e q possa ler a minha fic H/g qdo eu postá-la aki *) e principalmente, é maravilhoso saber que vc tah vendo esse shipper com outros olhos, assim como eu, mas nem pense em se converter nau tah?! 3º BRIGADAAAAAAAAAAUUUUUMMMM! Sério, nau é que eu fique falando mal da fic e talz, é que... eu realmente sou a rainha da insegurança, são poucas as coisas que faço e que vc vai me ouvir dizer que eu fiz e foi perfeito, maravilhoso e etc... e eu sei q tnhu q parar com essa insegurança mas... nau dah pelo menos eu tento me controlar, acredite, eu já fui bem pior...principalmente no ballet, mas ixu eh outra história. E q bom que esse meu lado inseguro nau está sendo refletido na fic qdo eu a escrevo ^^’ (*acabei de pensar uma coisa mas nau vou escrever nau...sei q vc iria me bater por ixu huhuhu^^’*) E qto a ler os comentários e o tanto de gnt q já leu a fic... é taum... sei lá, é ótimo mas ao msm tempo eu fico meio grilada de nau receber comentários “críticos”, nau q eu sinta falta deles... mas, sei lá. O único comentário ruim q recebi por alguma fic q escrevi foi em “4th of July” mas nem considerei nau pq foi um H/H q mandou e com certeza nau foi um coment sincero, no mínimo dor de cotovelo ou sie lá o q.... Enfim...brigadaum mesmo tah? E volte sempre (*e comente tb XD *)


ChunLi Weasley Malfoy: Nhaaaaaaaaaaaaaa... adoro o Bozo!!!(*Na vdd num lembro mtu dele nau mas essa musikeenha é feliz^^ E me fez rolar de rir na facul huhuh^^ Li seu coment lah ) Narcisa com fogo... tadinha, ela passou sabe-se lá qtos anos ao lado de Lúcio só pensando no Snape, tem que tirar o atraso nau? (* haiuhaiauhaiuhaiuahiauhaiuah... qta toskeira..*) E vc realmente é D/G (*Nani pensando num jeito para convencer a ChunLi a ler a nova fic qdo postar na floreios...*) Huhuhu^^ O nome da fic... sabe que tava aqui pensando, meio q perdeu u sentido neam? O nome e a fic em si... sei lá... mas eu tbm gosto do nomezinhu dela ^^ (*Cuidado com os ciscos hihihihihih^^ e pode ficar com o lencinhu q eh de brinde ^^ *) WEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE\o//\o// vc indicou a fic XD E fez merchan!!!E deu nota 5 qdo votou !!! \o//\o// (*gritinhos histéricos da Nani emocionada*). “Tia Nani” (*huhuhuh^^ Ganhei mais uma subreenha ^^ *). Nau me chame de xata nau mas... Pô é sim akele teletubie vermelho, exclamação é Pows! Ou Pow... dependendo do seu nível de empolgação ou indignação (* haiuahuiahaiuahiauhaiuhaiuah^^ pessoa xata eu neh?*). E nau é que eu seja mah nau Subreenha... é que realmente... sei lá, eh medo msm (* prontu falei*). E o Harry nem vai atrapalhar nada nau... axo q nem vai dar tempo (*ooooops! Nani falandu de mais*) e o Snape tah ajudandu pq... bah, é o Draco... passando por situações que ele tb, já passou com Narcisa enton... nau custa nada ajudar neh? E nem é bobiça q eles taum fazendo tah? É Bobeirisse...que é extremamente diferente...(*haiuahaiuhaiuahaiuhaiauh*) Pára tudooooo!!! ChunLi escrevendo inocentemente??? 0.ó (*haiuahiauhaiuhaiauhaiuhaiauhaihaiuah^^ *) Zuera... Hihihihihi^^ Vc já assistiu “A nova onda do imperador”??? Pq se sim...Ah Muleke!!! \o//\o// E se nau... tsc tsc tsc ASSISTAAAAA!!! Pq eu amo o kusco com u seu “Ah Muleke + dancinha da vitória” É lindooooo!
Sim sim, escrever bobeira é o canal! Afinal, o que seria desse fic se nau fossem as besteiras que escrevo nela? (*Nani sorrindo sonhadoramente*) Ah... mas já se vai? Tava tão legal... tão enorme u seu coment^^ (* e ixu msm... arrastando nau é nada legal*). Q baum q vc adorou o cpt (*Adoro qdo leio ixu ^^’ *) E meo! Sem dúvidas, deveria existir uma ChunLi para cada escritor iniciante de fics... é taum...feliz! (*e Miaka nau fique com ciúmes nau viu? Vc tbm é outra pessoa à qual essa “regra” se aplica*). Q baum q vc guardou o bunequinhu... manda uma fotuh preu ver minha versão embonecada (*palavra gay nau?Embonecada...*) E sim sim... se safou de trocentas mil e lá vai azarações e maldições imperdoáveis (*q nem o Voldie conhece*) “nas fuças”, até pq eu msm iria lançar algumas pela pinicação no meu bum bum ^^ Bjus pra ti fofa e dsculpae o atraso.

PS.: WEEEEEEEEEEEEEEEEEEEE \o//\o// ChunLi nº 100!!! (*chora de emoção*)





Sim eu sou xata... embora eu nem acredite q v6 tenham chegado ateh aki mas... se chegou e ainda nau comentou... COMENTAAAAAAAAAAA!!! Pq essa pg tbm tah enfeitiçada... dae se vc nau comentar e talz... jah viu neh? Aliás, verá... e dpois nau diga q non avisei...

Bjus by Naniguedez

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.