FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

5. Cap 5


Fic: Até que o sexo nos separe Teminada 09.08


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

[i] N/a: OI GENTEEE... Bom.. mil desculpas pelo atraso.. é que bem.. num se vcs sabem eu tive que mudar pra Tocantins.. e eu morava em santos.. então mó trampo né?! E essa fic quem escreve é meu irmão.. e ele tava com problemas com namorada e talz... mas agora ele escreveu e boa... Bem, espero que gostem.. e comentem por favor xD [/i] /*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/ Ficaram deitados, se olhando por um pequeno espaço de tempo, e Hermione sentia-se novamente em febre, com a vagina ardendo de tesão, mas não queria dar o primeiro passo. Ou melhor, retornar, porque já haviam dado o primeiro passo, e ela sentira até o início da penetração do membro de Rony. Uma das mãos de Rony se estendeu e apanhou um dos seios dela, para brincar um pouco com ele. E ela, não se aguentando se aconchegou e jogou uma das pernas sobre a coxa de Rony, que sorriu e perguntou: - Está com vontade? - Morrendo de vontade - foi a resposta de Hermione - principalmente agora que já senti o sabor dele dentro de mim. - Então você vai conhecer o sabor dele inteira. Deite-se e abra bem as pernas. E ela, como é uma boa menina que acata a ordem do professor; abriu as pernas, aguardando Rony, que a olhou de cima a baixo. - Você é maravilhosa, minha princesinha - ele murmurou, debruçando-se sobre o corpo da namorada, que era um verdadeiro apelo ao sexo. Então ela viu Rony ajeitar o membro na entrada de sua vagina e sentiu a cabeça bem na entrada. Em seguida ele forçou um pouco e a cabeça pulou para dentro do corpo dela, que fechou os olhos e mordeu o lábio inferior para não gritar de tanto prazer, porque, até aquele instante, não sentira nenhuma dor, mas aguardava que isso pudesse acontecer. Lera em algumas revistas femininas que muitas garotas, quando perdem a virgindade, sentem dores horríveis, a ponto de ficarem traumatizadas para o sexo, e existem outras que não. Mas, tudo depende da habilidade do companheiro. E Rony parecia-lhe um verdadeiro cavalheiro nesse sentido, e ela sabia que ele não iria magoa-la em hipótese alguma. Ela tambem temia que, ao quebrar o cabaço, pudesse perder um pouco de sangue. Esse artigo tambem alertava sobre isso. Hermione não estava gozando plenamente aquele momento importante de sua vida, porque estava ligada a uma série de coisas. Ela abriu os olhos, encontrando-se com o olhar de Rony, que estava com a cabeça acima da sua e com as mãos apoiadas sobre a cama, uma vez que não estava se afundando sobre o corpo da namorada, pois estava agindo com a máxima cautela. Hermione pouco a pouco foi sentindo o membro distendendo suas carnes e tambem raspar na parede pregueada, provocando um pouco de dor, mas o delírio era ainda maior. Ele continuou avançando com o membro duro e Hermione principiou a soltar longos gemidos, mas, de repente, soltou um grito. O pênis de Rony esbarrou num obstáculo duro, e ela sabia que era ali a barreira. Antes: moça; ao atravessá-la: mulher. Então ele parou de avançar e começou a penetra-la, movimentando o corpo para frente e para trás, sem romper o vau da virgindade. E Hermione, delirando, jogava a cabeça de um lado para o outro, sem poder se conter um só segundo. - Ai, meu amor... Isto está gostoso demais! Não pare, não pare! - ela repetia, entre desvairada e alucinada. Rony continuou com aquele jogo de vaivém, sem ultrapassar a barreira. Será que ele não iria desvirginá-la? -- pensou helen. - Você não quer...? - murmurou ela, mal conseguindo articular palavras, tal era o seu estado de tensão. - Você quer mesmo? - ele perguntou - Claro que eu quero! - ela reforçou. Mas Rony não se decidiu, continuou naquele jogo de penetrá-la até certo ponto. Então Hermione começou a sentir algo estranho, uma sensação inteiramente nova, como até então não havia sentido. E Rony, percebendo que ela iria ter o primeiro orgasmo da primeira transa, continuou indo e vindo naquele lugar apertado, que, pelo excesso de sumos, estava bem lubrificada, sendo por isso que o hímen, não estava se tornando tão dolorido. Existem mulheres que são demasiadamente secas em sua primeira relação e isso dificulta bastante. E Hermione tambem já havia sido preparada através das carícias orais. De repente, o corpo de Hermione estremeceu com tanta violência que a cama tremeu junto, e ela chegou a soltar alguns gritos. Então Rony tambem se soltou, uma vez que vinha se segurando, esperando que Hermione gozasse primeiro. Ela sentiu-se invadida pelo líquido quente e gosmento, mas uma grande parte saiu para fora, uma vez que ainda havia a barreira. - ai, que delícia! - ela murmurou, abraçando o pescoço do namorado, que ainda mantinha o membro dentro dela. - não tire. Rony - uma vez mais, obedeceu as ordens de Hermione e manteve dentro dela o membro completamente duro. Mas a tensão dele era muito grande e, certamente, ele teria gás suficiente para uma ou duas posses daquele corpo. Por sua vez, Hermione estava delirando, sentindo aquele instrumento quente e duro dentro de si, e o seu fogo tambem estava longe de ser aplacado. - Sujamos todo o lençol - ele disse, olhando para a seu liquido que havia transbordado da vagina e escorrido pelas coxas de Hermione, espalhando-se pelo lençol. O ar já estava convenientemente batizado pelo sexo que eles viviam e, pouco a pouco, Rony novamente começou a movimentar-se dentro do corpo de Hermione. Agora ela já se encontrava bastante lubrificada pelas próprias secreções e tambem pelo esperma de Rony. O pênis estava duríssimo e, como da vez anterior, ela começou a senti-lo indo e vindo e parando no obstáculo. só que agora o pênis começava a invadir suas entranhas com mais violência e a vagina tambem oferecia resistência, e isso produzia algumas dores em Hermione, que gemia. Preocupado, Rony parou, exatamente com a cabeça do pau encostada-se ao cabaço da namorada, e perguntou: - Quer que eu pare? Podemos deixar para um outro dia. - Hermione não falou nada, mas balançou a cabeça negativamente, com os olhos fechados e a boca ligeiramente aberta. Ele recomeçou, a princípio, bem devagar, para, aos poucos, ir retomando a força. Apesar da dor que Hermione sentia, o prazer tambem principiava a ter outra conotação.. Era algo infinito, inexplicável, que ela sentia. Uma necessidade de dar-se, de sentir-se penetrada. Uma antecipação do próprio prazer que se aproximava de um novo gozo. Este, bem diferente do anterior. Como que esperasse ser mais penetrada, ela abriu as pernas ao máximo e cruzou novamente as pernas, agora sobre as de Rony. - Enfia tudo, querido... Enfia... - ela suplicava. Rony martelava com força o obstáculo, que se antepunha ao avanço final, .disposto a transformar sua namorada em mulher. Mas não estava sendo fácil. O suor já tomava conta do seu corpo e tambem do de Hermione, pois ambos desprendiam um esforço formidável. Rony tentando perfurá-la e ela fazendo um esforço tremendo para alcançar um novo orgasmo, com todos os sentidos concentrados naquela posse. - Querido... querido... é uma delícia... - nesse momento, Rony retirou o membro quase por completo, e Hermione, com os olhos revirados e ganindo como uma cadela no cio, elevou o ventre para cima, tentando recuperar a parte retirada, para que o prazer não lhe fugisse. Rony voltou a carga, desta vez com mais violência. Seu membro funcionava como uma britadeira perfurando o, cimento, mas o obstáculo tornou a impedir a complementação do ato. Tornou a forçar, sem voltar, apenas tentando arrebentar o obstáculo através da força, tambem sentindo dores, e Hermione gritou de dor. - Assim não!... você esta me machucando! - reclamou ela. O suor inundava completamente o corpo de Rony, pois ele estava fazendo um esforço descomunal, e sabia que Hermione tambem devia estar sofrendo, mas ela aguentava galhardamente. Nova investida. Novos gritos de Hermione. Ele tornou a parar, ficando pensativo. Hermione gozava a potência daquele nervo duro dentro de si. Era um prazer inusitado e ele sabia que somente a permanência dele em sua vagina seria o bastante para ela alcançar um segundo orgasmo. Rony passou as mãos por sob as nádegas dela, com a intenção de puxar seu corpo de encontro ao seu próprio, uma vez que sabia que ela iria fugir da raia, porque ela já começava a dar sinais de cansaço. Mas, agora que ele havia começado o trabalho, tinha que ir até o fim. Seria um perigo se ela ficasse traumatizada, mas uma segunda tentativa seria mais desastrosa e dolorida. - Acho que é melhor você parar, Ron - exatamente o que ele imaginava que pudesse acontecer. - Mas você não quer? - Lógico que eu quero. Mas está doendo... Muito! - Na verdade, as dores que Hermione sentia agora eram do esforço que ambos estavam fazendo. Rony se enterrando em seu corpo, abrindo suas carnes virginais, que começavam a dar sinais de dores, ultrapassando mesmo a tensão inicial, e tambem o próprio esforço que ela vinha fazendo. Era o que ele temia: Hermione estava fugindo do seu membro. -Pare... Está doendo.... - ela reclamava a todo o instante. Mas Rony não lhe dava ouvidos. - eu não quero assim... Ronald... Por favor... - ela falava baixinho, quase murmurando, entre soluços, embora os movimentos dele não cessassem um só instante. Ele se abaixou sobre o corpo dela, começando a beijá-la na boca e nos seios, nada de muito violento, apenas para compensar o coito que ele sabia estar chegando ao auge, pois sentia que o obstáculo cederia a qualquer momento, uma vez que estava aumentando gradativamente as estocadas. - Pare, amor... Pare... - mas, aos ouvidos de Rony, aqueles rogos da namorada soavam como palavras de incentivo. Ele afastou um pouco o membro do obstáculo, a ponto de deixar somente a cabeça no interior da vagina, repetindo isso algumas vezes, enquanto Hermione gemia de dor, pedindo que ele não prosseguisse, por que estava muito dolorido. Rony, desvairado, ia e vinha cada vez com mais violência, até que, em dado momento, atravessou a barreira, rompendo-a por completo, e o membro continuou sua devastação até o útero. Hermione gritava e chorava, sentindo as carnes em brasa. Era como se ele estivesse enterrando um ferro em brasa em suas entranhas. Todo seu corpo parecia participar do que havia acontecido, e um frio cortou-lhe a espinha de alto abaixo. Rony continuou indo e vindo, continuou com toda a violência do seu ser. Tudo o que ele não queria que acontecesse, e que estava evitando para Mione, acabou por acontecer. Ali estava ela, prostrada e quase desmaiada, enquanto Rony sentia algo quente em seu membro. Espantou-se, ao olhar para baixo, pois viu que era sangue vivo que escorria do interior do corpo da namorada. Retirou-se rapidamente do interior da vagina dela e permaneceu quieto e assustado. Mas, de repente, como que despertando, Hermione se abraçou a ele, exigindo que ele enfiasse novamente o membro. Meio assustado, Rony obedeceu, e então recomeçou os movimentos de ir e vir, enquanto ela arquejava de prazer, gemendo baixinho e soltando alguns gritinhos. - Rony... Meu querido... Estou morrendo de tanto prazer... - ela sussurrava aos seus ouvidos, enquanto ele beijava o seu ombro. - eu morro de dor e de prazer... Está doendo muito... Mas, não pare... Não pare... Quero gozar de novo... Gozar como mulher... - e o gozo chegou. Mais arrebatador. Mais assustador. O corpo de Hermione tremia, como se ela estivesse sendo atacada por alguma febre tropical, e toda a cama trepidava com ela. Mas as pernas cruzadas em torno do corpo de Rony não permitiam que ele se retirasse de dentro dela, mesmo quando ele se diluiu por completo e ela sentiu-se lavada internamente. - Foi o primeiro gozo que eu tive como mulher... Foi incrível, meu amor... Muito obrigada, é uma dádiva que para sempre terei com você. Mesmo que não nos casemos, jamais poderei esquecer este dia... Você foi simplesmente maravilhoso! - eles tiveram forças suficientes para continuarem fazendo amor até um novo êxtase. Mas foi Rony quem parou, porque por Hermione eles teriam continuado. Quando ele saiu de cima dela, as sombras da noite já tomavam conta do quarto, ela acendeu a luz. Ajoelhados sobre a cama, olhavam para o sangue que manchara o lençol e tambem as coxas de Hermione. - Está doendo? - perguntou ele, preocupado. - Só um pouco... - Vamos para o banheiro. Você precisa de um banho quente de imersão. - Rony foi extremamente delicado com ela. Ajudou-a a lavar-se e logo viu que não havia hemorragia. - É bom eu ir andando - ele disse. - e você não disse que iria jantar com o seu namorado? - Disse. Logo apago a luz e vou ficar na sala de estar até meus pais chegarem. - Você esta bem? - perguntou ele, quando já estavam vestidos e ele se encontrava parado no hall. - Estou. Não se preocupe comigo. Agora me deixe dar uma olhada para ver se não há nenhum vizinho... Bisbilhoteiros nunca faltam. – Hermione abriu a porta, olhou para os lados e para frente e viu que todas as residências estavam com as suas luzes apagadas. Uns deviam estar na parte dos fundos, alguns jantando, outros aprontando o jantar, e tambem, como estavam com a luz do hall apagada, seria difícil para alguém ver Rony sair. Antes que ele saísse apressadamente, Hermione beijou-lhe os lábios e depois fechou a porta, encostando-se nela. . Na verdade, ela não estava feliz. Algo havia balançado os seus sentidos, e nem ela mesma saberia defini-lo naquele momento. Agora teria que subir para dar um jeito no quarto, porque não poderia deixá-lo daquela forma...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Diênifer Santos Granger em 04/08/2012

Tenso!

Nota: 4

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.