FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

1. Just Breathe


Fic: Breathe .


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Si te miras al espejo
(Se você olha ao espelho)


Mais uma vez fitando meu reflexo, cabelos ruivos desalinhados, olhos verdes inchados. Chorara novamente. Simplesmente não conseguia respirar. Meu ar fora roubado de meus pulmões a força. Quem um dia iria imaginar que Lilian Potter fosse se apaixonar por Escorpion Malfoy? Exatamente ninguém.


Y la imagen es distorsionada
(E a imagem é distorcida)


Eu não me via mais. Meu reflexo não existia mais. Odiava-me. Como pude cair numa conversa mole daquelas? Ele zombara de meus sentimentos, expôs minha intimidade. Respire. Eu lembrava a mim mesma. Mas nada. Ele destroçara meu coração. Levara todos os órgãos importantes, coração, cérebro,.... Pulmões. Simplesmente eu não podia respirar mais.

Si no te encuentras en el reflejo
(Se não se encontra no reflexo)


Uma vampira. É assim que me sentia. Uma pessoa viva, mais morta ao mesmo tempo. Estava depressiva desde que ele me largara. Meus pais me propuseram um tratamento psiquiátrico. Mas eu não aceitei.

Estava muito bem com a ferida aberta, era meu único propósito para viver. Sentir dor e me martirizava por minha idiotice. Simplesmente eu não sabia o que fazer.

Aqui trancada em meu banheiro, sentada no chão frio, me vendo no reflexo do espelho de corpo inteiro. Eu não me via. Eu não era nada. Sem pulmões, sem pulsação.

Si te sientes abandonada
(Se você se sente abandonada)


Solitária. Essa era minha vida. Há meses minha família desistiu de tentar me ajudar. Sei que não desistiram por completo. Ainda ouço minha mãe implorando para me internarem a força. Mais meu pai negava. Se era uma escolha minha sofrer, ele não iria interferir. Eu sempre me achei mais parecida com meu pai, não sei como, mais sempre foi assim.

No te dejes engañar
(Não se deixe enganar)


Meses se passaram desde que eu estivera sofrendo em silencio em meu banheiro. Todos no trabalho já haviam desistido de tentar me alegrar também. Passava por Escorpio... Mas ele parara de rir de mim quando eu passava. Simplesmente porque minha única expressão dês de que ele me largada era fria, vazia, sem vida. Era assim que eu estava, sem vida.

Ai na saída do trabalho, ele me abordou...

- O que deu em você? – perguntou, ele parecia exasperado.

- Como? – perguntei desentendida. Não entedia, meses se falar, quase um ano depressiva e só agora ele vinha falar comigo? Quando eu já estava no auge de minha depressão?

- Lilian, você parece morta, há meses, por favor, não diga que eu sou o culpado. – pediu. Eu realmente não entendia.

- Você não é culpado.

- Pare de mentir. – ele rosnou irritado.

- Foi você quem pediu. – eu disse, com a voz morta. Minha ferida começara a sangrar novamente. – Agora se me der licença, hoje eu tenho que cuidar do meu sobrinho, Sebastian.

Eu tentei passar por ele, mais ele me barrou novamente.

- Me perdoe. – ele pediu num sussurro.

- Não tem o que perdoar aqui, Escorpion. – eu disse. – Eu é quem tenho que me perdoar por ter sido uma imbecil.

Suspirei cansada.

- Lilian, você tem se visto no espelho? – ele me perguntou, não entendi o motivo.

- Sim.

- Se olhando de verdade? – ele insistiu.

Não. Não de verdade, só olhava - nada muito exagerado, do jeito de antes. – Mas não dava importância, tudo que eu via era meu sofrimento, tudo que eu via era minha dor. A falta de ar, a vontade de respirar, respirar sem pulmões.

Esa imagen no es verdad
(Essa imagem não é real)


Escorpion me virou para a imagem espelhada que eram as paredes externas do prédio onde trabalhávamos. E pela primeira vez eu me vi realmente depois de meses.

Merlin! O que era aquilo? Não era eu. Os cabelos lambidos, mal lavados. Os olhos com olheiras que mais pareciam crateras. Estava pálida. Apática. Arregalei os olhos. Eu estava usando roupas folgadas? Sim eu estava. Não estava maquiada, eu sempre passava pelo menos um lápis-de-olho antes de sair de casa, e agora nem isso? Arregalei ainda mais os olhos. Aquela imagem não era real.

- Entende agora? – ele me perguntou, mais eu não ouvi.

Era assim que eu estava? Morta? Num baque surdo, meus pulmões pareceram encher-se de ar. Não por completo, mais o bastante para eu olhar para ele de olhos arregalados e lhe dar uma bofetada na cara.

- Ai! Por que fez isso? – ele me perguntou, ais não parecia irritado, e sim aliviado?

- Por ter me transformado nisso. – eu gritei apontando para meu reflexo.

Aparatei enraivecida. A primeira coisa que fiz ao chegar à sala de estar da casa de meus pais foi ir para meu quarto me trancar no banheiro e tomar um banho. Só ai eu percebi que não tomava um banho de verdade há muito tempo.

Cierra la herida
(Pouco a pouco fecha a ferida)


Minha ferida estava se fechando, aos poucos, mais se fechando. Ela ainda doía ao ver Escorpion, mais não do jeito lascivo de antes. Voltei a me vestir direito, a comer direito, a viver direito. Estava começando a voltar a respirar, aos poucos.

A ferida estava se fechando, eu achara outros motivos para viver alem da dor...

Deja atrás la pesadilla
(Deixe atrás o pesadelo)


Deixei meu pesadelo para trás. Claro ainda sonhava com ele, mais não como antes.

Passei há ficar mais tempo com meu sobrinho, Sebastian, filho de Tiago. O menino tinha três anos. E sempre fora um pouco apegado a mim. Às vezes fico feliz por Tiago ter engravidado a namorada. Sebastian era uma fofura, com os cabelinhos arrepiados e olhos castanhos.

Ele agora seria meu tudo. Meu pesadelo fora deixado para trás. Eu faria de tudo, para não contaminar Sebastian com ele. Nunca mais.

Just breathe, respira por la vida
(Respire apenas, respira pela vida)


Eu estava respirando de novo. Claro tudo que eu vivi serviu para dois propósitos:

1 – Descobrir que Escorpion Malfoy não era o único homem da face da terra – mesmo eu evitando loiros de olhos azuis.

2 – Fiquei claustrofóbica, agora só durmo de janela aberta.

Saibas que por siempre
(Saiba que para sempre)
Habrá una mano amiga
(Haverá uma mão amiga)


Minha família me apoiou em minha mudança radical. Mamãe estava mais feliz porque não tinha que implorar para me internar. E meu pai estava feliz por não ter que negar mais nada a ela.

Bom, estávamos todos felizes... Ok; tinha uma coisa me impedindo de seguir mais adiantes...

Escorpion.

Just breathe, respira por la vida
(Respire apenas, respira pela vida)


Ele estava sempre me olhando no trabalho. E eu tentava ao máximo ignorá-lo. Não havíamos nos falado mais desde que ele me mostrara o que eu havia me tornado. Acho que ficou mais aliviado por me ver respirando novamente. Mas alguma coisa em seu olhar, parecia querer mais, parecia querer se aproximar, mais também tinha vergonha.

Eu realmente não queria saber... Ou será que eu queria?

No tengas miedo
(Não tenha medo)
Agarrate a la vida
(Se agarre à vida)


Tivemos que fazer um relatório juntos. Só nos falávamos quando necessário. Com apenas uns ‘uhum’, ‘claro’, ‘isso’... Já estava ficando irritante, mais eu não tinha nada para falar com ele, já ele parecia ter muito para falar comigo.

- Acho que acabamos. – ele falou, no fim de tudo.

- Parece que sim. – respondi, indiferente, pegando minha bolsa no encosto da cadeira.

Sua mão pegou a minha, a mão dele estava quente, um arrepio me percorreu. Mas não o encarei, permaneci com a cabeça para baixo, encarando minha bolsa, ele só olhava pára meu rosto.

- Podemos conversar? – perguntou. Só dei de ombros. – Lilian, olhe para mim.

Virei o rosto e o encarei. O que ele queria agora?

Grita y te salvaré
(Grita e te salvarei)
Grita y te ayudaré
(Grita e te ajudarei )


- Você nunca me disse se me perdoava. – ele me lembrou.

- Não a o que perdoar. – eu disse, virando a cara de novo. A ferida estava latejando. Já estava difícil de respirar.

- Lilian, preciso do seu perdão para poder viver em paz. – ele disse, mas tive a impressão de que ele queria outra coisa.

- Escopion, estou atrasada, tenho um compromisso. – disse me levantando, mais ele me puxou para baixo me fazendo sentar novamente.

- Sei que vai sair com o Finnigan. – ele disse, parecia conter a irritação. – Só quero falar com você.

- Diga, não quero me atrasar. – eu pedi, cansada.

- Magoei muito você? – me perguntou, não vi o porquê de mentir.

- Sim. – disse voltando a encará-lo.

- Você sabe que eu nunca quis te machucar não? Era só uma brincadeira, não pensei que você fosse entrar naquele estado.

Parei para pensar um minuto. Somente metade daquilo parecia verdade. E só tive uma coisa em mente para respondê-lo.

- Vai se danar.

Levantei-me de pressa e fui embora a passos largos. Sem nem ao menos olhar para trás.

Grita y te salvaré
(Grita e te salvarei)
Grita y te ayudaré
(Grita e te ajudarei )


O que eu aprendi com tudo isso? Homem nenhum merece que nós morramos asfixiadas por eles. Respirar é muito mais importante. Muito mais saudável. Percebi que o que eu sentia por Escorpion não era nada, nada alem de obsessão.

Ele me tocava como ninguém me desejava como ninguém. Mas agora aquilo acabou. Já era mais fácil respirar.

E foi respirando que eu segui em frente...

Fim.


Breathe é a música feita por Anahí para sua fundação Salvame que ajuda pessoas com problemas de anorexia. Somente uma pessoa que sofreu por tal trauma, somente uma pessoa cujo coração parou de bater por oito segundos sabe, que sempre devê-se gritar, para conseguir ajuda. E nunca deixar de respirar pela vida.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.