FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

12. Conseqüências


Fic: Revendo Conceitos -Dramione - Long Concluída


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CONSEQÜÊNCIAS


-Como você teve coragem, Ron? - Harry segurava Ron pelos colarinhos enquanto o prensava na parede. – Hein? Como teve coragem?
-Pára, Harry – disse Ron desolado – Está me machucando, cara!
-Aposto que isso não está sendo nada em relação ao que você fez com a Mione e com o que eu tenho vontade de fazer com a sua cara. – Harry aumentou a pressão que fazia em Rony.
-Calma, cara.
-Calma o caralho, Ron. Eu te falei sobre a Mione. Eu te falei para cuidar dela, não foi?
-Eu sei, mas...
-Não tem mas, Rony! – Harry soltou Rony e passou a mão na cabeça nervoso. Sua mão saiu da cabeça e foi até a varinha que estava no cós de sua calça – A minha vontade é de te azarar. E eu nem sei por que eu não faço isso. Sai de perto de mim antes que eu faça alguma besteira com você.
-Pô cara, me deixa explicar o que aconteceu.
-Eu não quero te ouvir, Ronald. Pelo menos não hoje....
-Mas...
E, sem dizer mais nada, Harry foi em direção do dormitório deixando Rony falando sozinho.

*****


-O que isso significa, Hermione?- perguntou Gina boquiaberta erguendo o pergaminho na direção da Castanha. Hermione foi até ela e pegou-o – Esse D.M., por acaso , significa Draco Malfoy? -Antes que Hermione pudesse responder Gina leu o pergaminho - Só pode ser, o que seria? Com esse é o meu jeito Malfoy de ser?
Hermione apenas abaixou a cabeça.
-Tem alguma coisa que você está escondendo de mim? -Perguntou Gina desconfiada – Eu não estou entendendo mais nada.
-Ahhh Gina – Hermione sentou em sua cama e pôs a cabeça entre suas mãos – Está tudo tão confuso. Nem sei por onde começar.
-Porque não começa pelo começo? – respondeu Gina um pouco ríspida.
-Está bem – respondeu Hermione conformada – Então sente, o relato vai ser longo.
Hermione contou à Gina tudo o que se passou desde a hora que flagrara Ron, até sua conversa dias atrás com o Malfoy incluindo o que passara com seus pais na Austrália, apenas omitindo a estória da descoberta do pai verdadeiro de Draco. Sentia-se aliviada por ter compartilhado com alguém tudo o que estava em sua cabeça e em seu coração.
-Então é isso – disse Hermione em um suspiro.
Gina foi até ela e a abraçou.
-Nem sei o que dizer Mi. Estou com muita raiva do Rony pelo o que ele te fez, mas não sei o que dizer em relação ao Malfoy.
-Não precisa dizer nada. Eu te entendo. De qualquer forma, já me ajudou bastante me ouvindo.
-E o que vai fazer?
-Sobre o quê? - perguntou a Castanha desanimada.
-Em relação a tudo isso, oras.
-Não sei – respondeu Hermione séria. – Mas uma coisa eu tenho certeza! Eu preciso afastar o Malfoy de mim. Acho que ele está confundindo as coisas...

*****


Uma semana se passou desde que Hermione flagrara Rony e Cho Chang em uma das salas de aula de Hogwarts. Durante toda semana a Castanha mal apareceu nas horas das refeições e só saía de seu quarto acompanhada de Harry e Gina. Havia dito para o melhor amigo que queria evitar um encontro com Ron, mas na verdade o que a Castanha mais temia era a presença de Draco. Pediu autorização à Minerva para que durante essa semana pudesse deixar de ir às reuniões de Monitoria. Embora a diretora não soubesse de o que acontecia à sua aluna mais brilhante, prontamente aceitou o seu pedido acreditando que tanta responsabilidade era o motivo de todo o cansaço da menina. Por este motivo, Minerva decidiu adiar em uma semana a escolha do(a) novo(a) Monitor(a) Chefe: queria alguém para dividir as responsabilidades com Hermione.
No fim da primeira semana, Minerva marcou uma reunião com todos os monitores a fim de lhes anunciar o novo Monitor Chefe. A reunião, para Hermione, foi bastante constrangedora: Draco e Rony trocavam olhares de ódio mútuo. Rony a olhava com cara de cachorro pidão e Draco esperançoso. A Castanha apenas olhava para o chão. Sentiu um imenso alívio quando a diretora começou o seu pronunciamento.
-Percebo que avançaram bastante desde a nossa conversa inicial – começou Minerva – Três meses se passaram e como eu havia dito a vocês, chegou a hora de lhes apresentar o novo Monitor Chefe.
-Mas, professora – começou Pansy com uma voz arrastada que mais parecia Draco falando – não iríamos conhecer o novo monitor na semana do natal?
-Sim, senhorita Parkinson - disse Minerva séria - mas decidi antecipar em uma semana, a senhorita vê algum problema nisso?- Minerva olhou para a menina que se recolheu perante o olhar inquisidor da diretora. – Então, como eu estava falando antes de ser interrompida...
Nesse momento Hermione fechou os olhos, a única coisa que conseguia pensar era: “Draco não, Draco não... Por favor Mérlin”.
Hermione ainda divagava quando Minerva anunciou:
-Então, reunida com o corpo docente, decidimos que, por tudo que vem apresentando nos últimos meses, o senhor Draco Malfoy é o mais adequado para assumir o cargo de Monitor Chefe, dividindo-o com a senhorita Granger. Aliás, diga-se de passagem que por toda competência demonstrada nesses três meses, ela continua como meu braço direito.
Do outro lado da mesa Draco sorriu vitorioso para Rony, o sorriso passou despercebido para quase todo mundo, menos para Hermione, Cho Chang, o próprio Rony e... Pansy.
-Então se ninguém tiver mais nenhuma pergunta a fazer, considero encerrada esta reunião.
-Diretora – disse Draco levantando as mãos, Minerva o olhou autorizando a falar – Quando posso me mudar para o meu quarto?
- Na verdade senhor Malfoy, suas coisas já foram transferidas para o seu novo quarto. Espero vocês dois para uma reunião logo mais tarde. Tudo bem para vocês?
-Sim, professora – respondeu Draco em um sorriso tão grande que iluminou até a diretora. Draco não havia percebido, mas alguém que não era o Rony fechou totalmente a cara ante o seu sorriso iluminado.

*****


Após a reunião, Hermione se trancou em seu quarto. Não acreditava no que estava acontecendo. Em poucas horas descobrira que seu namorado- que acreditava que seria o pai de seus filhos- a traíra; seu maior inimigo se declarara apaixonado por ela e o pior, por mais que tentasse fugir dele tinham um espaço comum e teria que praticamente o dividir com ele.
Hermione ainda pensava em tudo isso quando ouviu batidas em sua porta que dava para o Salão Comunal de Grifinória. “Só me faltava essa... O Rony querer conversar comigo justamente agora”, pensou Hermione com pesar. Chegou mais próximo da porta e gritou perguntando quem era. Foi com alívio que percebeu que era Gina quem a chamava.
-Oi Mi, como você está?- perguntou Gina com um sorriso que logo fechou ao ver a cara da amiga – Nossa que cara! Estou vendo que não está nada bem, a questão é: essa cara é pelo mesmo motivo que o Ron chegou cuspindo fogo lá no salão comunal?
Hermione apenas olhou para a amiga, Gina prosseguiu.
-Como você sabe, nem eu e nem o Harry estamos dando muita atenção para ele. Eu, por mim – Gina colocou as mãos no peito – o teria azarado e falado com minha mãe – o que eu acho que seria bem pior – mas, nem você nem o Harry permitiram que eu o fizesse. Mas voltando ao meu assunto original – Gina prosseguiu ao ver a amiga esboçar um sorriso – não estamos dando muita atenção a ele, mas ele chegou com uma cara tão estranha após a reunião de monitores que eu perguntei o que ele tinha e ele me respondeu bufando que...
-Draco Malfoy é o novo monitor chefe! – respondeu Hermione em um suspiro – É, é verdade!
-E agora?
-Bem...estou pensando em uma possibilidade do Draco não me importunar mais...- disse Hermione pensativa.
-Qual?
-Vou voltar a namorar o Rony, na verdade a gente praticamente não terminou nada porque ainda nem nos falamos após todo aquele incidente. É isso que eu vou fazer, vou retomar o namoro e dessa forma mostrar ao Malfoy que ele não tem nenhuma possibilidade comigo – disse Hermione de forma decidida.
-Mas Mi- começou Gina com cuidado – você já perdoou o Ronald por tudo que ele te fez? - Perguntou Gina duvidosa. – Eu acho que você está arrumando mais confusões do que soluções para você. Não que eu não ache que você e o Rony devam se acertar, para te ser muito sincera, eu adoraria que isso acontecesse. Mas o que o Ronald fez foi muito sério e você deveria pensar bem antes de retomar qualquer coisa com ele.
-Eu te amo minha amiga – Hermione abraçou Gina – mas acho que situações limites merecem soluções drásticas. Eu não deixei de gostar do Ron. Assim: acredito que algo se quebrou, está meio estranho... Mas acho que não acabou o amor. Na verdade, eu só vou acelerar o que aconteceria de forma mais lenta. Você não acha? – Hermione perguntou com esperança que Gina concordasse consigo.
-Não sei, Mi. Sinceramente não sei.
*****

-Belezinha esse seu quarto hein Draco? – perguntou Blás enquanto fazia uma “inspeção” no quarto de Draco. - O mais bacana é a ligação com o salão comunal de Sonserina.
-É... A idéia é que não percamos a ligação com a nossa casa original. –respondeu Draco não muito animado.
-Você está muito desanimado para alguém que acabou de ser nomeado monitor-chefe. Já conseguiu conversar com a Granger? – perguntou Blás olhando o banheiro.
-Nada. O idiota do Potter bancou o segurança pessoal a semana inteira – respondeu Draco deitando em sua cama e olhando para o teto. – Mas agora ela não tem muita escapatória... Temos alguns aposentos em comum. A não ser que mesmo para ir às reuniões de monitoria ela dê a volta pelo salão comunal da Grifinória.
-Sei. – disse Blás enquanto olhava os “aposentos comuns” entre Draco e Hermione. – Mas tem aquela reunião hoje mais tarde não é?
-Sim. De hoje ela não passa. Ela vai conversar comigo, querendo ou não...

*****

-Então Senhor Malfoy, já está acostumado com os seus novos aposentos de monitor? – perguntou a diretora simpática.
-Sim, diretora. Fico lisonjeado por ter sido escolhido o novo Monitor Chefe. Espero fazer um bom trabalho.
-Que bom, Senhor Malfoy. Vejo que o senhor está bem melhor depois de tudo o que aconteceu. Tem falado com sua mãe? – perguntou Minerva séria.
Draco baixou os olhos. Não tinha falado com a mãe desde sua última briga. Apenas tinham trocado dois pergaminhos.
-Não acredito que o senhor ainda esteja com raiva sobre tudo o que aconteceu. Sua mãe – Minerva parou de falar ao ver Hermione entrando.
- Pode continuar falando, diretora – disse Draco – Hermione já sabe sobre a estória do meu pai.
Minerva olhou espantada para os dois alunos.
-Que bom que vocês estão em sintonia. Acho que o senhor foi a melhor escolha para a monitoria.
Durante meia hora Minerva falou sobre a necessidade de seus dois melhores alunos trabalhassem alinhados.
-E finalmente senhor Malfoy, espero que o senhor possa ajudar a senhorita Granger, pois percebo que, mesmo sem querer, a sobrecarreguei. Foi por isso que decidi antecipar a nomeação do monitor chefe. Muito em função dela não ter se sentido bem nesta última semana.
Hermione e Draco trocaram um olhar entre si que não foi percebido por Minerva. A diretora ainda ficou conversando durantes uns quinze minutos com os alunos até que se despediu.
Assim que Minerva se levantou, Hermione fez o mesmo. Já ia saindo da sala quando Draco pegou em seu braço. Hermione olhou para ver se a diretora ainda estava na sala. Parou estática ao perceber que Minerva já saíra.
-Espere – disse Draco – Eu acho que precisamos conversar, Hermione.
-Desculpa, Draco. Mas não temos nada para conversar.
-Como não temos? – perguntou Draco espantado – Temos muito para conversar e você sabe muito bem disso.
-Eu não posso ficar muito tempo conversando com você- disse Hermione olhando para o chão. Draco soltara seu braço e estava à sua frente. – Rony já deve estar lá no quarto me esperando.
-Como é que é?- Draco perguntou olhando curioso para Hermione. – Aquela cenoura ambulante está lá no seu quarto?- perguntou apontando na direção do quarto da menina.
-Sim. Já deve estar lá.
-E o que ele está fazendo lá?
-Ai Draco, não vamos falar sobre isso!
-Eu não acredito nisso, Hermione!!!! Você voltou para aquele, aquele...
-Voltei sim. A gente já se acertou – mentiu Hermione – Mas eu acho que você não tem nada a ver com isso, Draco. Desculpe-me. – completou a Castanha
-Eu não consigo entender, Hermione. Você é inteligente, bonita, gostosa. - Draco parou ao ver Hermione abrir a boca como se estivesse em choque – Sim, Hermione! Gostosa sim! Todos os caras da escola estão falando isso desde que iniciamos o ano letivo. O que te faz ficar com um idiota que nem o cabeça de fósforo, que além de ser babaca, também te trai?
-Para, Draco.- disse Hermione choramingando.
-Não, não paro. Amor próprio não faz mal a ninguém. Esse cara é um babaca, Hermione. Ele te fez chorar, te fez sofrer!! Por Mérlin!- Draco passou a mão pelos cabelos, nervoso - Vocês fizeram um voto perpétuo? É isso?
-Não, Draco!! Eu apenas amo muito o Rony.
-Você o quê? – Gritou Draco – Eu não acredito que estou ouvindo isso! Não de você, a quem julguei ser tão inteligente. Ahh, não acredito. – Draco bateu com sua mão na sua própria testa – Você não faria isso! – disse apontando o dedo para Hermione. - Você não pode ser tão covarde!
-Como é que é?- perguntou Hermione assustada com a astúcia do loiro.
-Você vai voltar para o pobretão para não ficar comigo! E o nosso beijo? O que você tem a dizer sobre isso?
-Veja bem, Draco – disse Hermione vermelha de raiva - Eu não vou ficar discutindo minha vida pessoal com você. - Hermione foi em direção ao quarto sem dar tempo e oportunidade de Draco lhe falar nada.
*****

Hermione chegou ao seu quarto totalmente “descontrolada”: as mãos suavam frio e estavam levemente trêmulas. “Quem ele pensa que é para se meter na minha vida desse jeito” – rosnou Hermione jogando uma almofada longe ao mesmo tempo em que o Ron batia em sua porta e abria.
-Desculpa – disse o ruivo tão vermelho quanto seus cabelos- é que a Gina me disse que você queria falar comigo. Mas posso voltar depois, sem problemas – disse o rapaz assustado ao olhar a cara de raiva da Castanha.
-Não – gritou Hermione com raiva – Pode ficando aqui. Isso tudo está acontecendo por sua causa. Então fique quieto aí.
O ruivo não entendeu nada. Segundo sua irmã, Hermione queria conversar em clima de paz. Mas ao invés de encontrar a namorada calma, encontrou-a em clima de guerra.
-Tu-tudo bem – gaguejou Rony – vo-você que-queria conversar comigo?
-Queria não – continuou Hermione alterada. Embora a Castanha estivesse ali naquela sala conversando com o ruivo, sua mente estava na outra sala, pensando no loiro. Estava possessa com Draco. Não por ele lhe questionar, mas por saber que as palavras do loiro eram completamente pertinentes à sua situação. – Eu ainda quero! E pára de gaguejar! – respondeu Hermione irritada.
-Está bem - disse Rony sem graça.
-Muito bem – respondeu Hermione seca – Eu quero lhe dizer que eu estou muito, mas muito mesmo decepcionada com você Ronald, nunca imaginei que você pudesse fazer algo desse tipo comigo. Eu acho que se você queria curtir sua vida de adolescente famoso poderia ter me avisado e não me ter feito de boba como você fez!
Rony começou a ensaiar um pedido de desculpa tímido quando Hermione o cortou.
-Eu ainda não acabei de falar com você. – disse Hermione se aproximando perigosamente do ruivo. Este se encolheu. – Você foi vil, torpe, muito, mas muito baixo. Não esperava isso de você. Eu não sei por que eu não te azaro. Você e a ... enfim, você e a Chang.
-Desculpa Hermione, eu queria te explicar e...
-Você ainda não entendeu, Ronald? Você é burro ou o quê? O que você fez não tem explicações. Então não tente me dar uma esfarrapada...
Rony apenas balançou a cabeça afirmativamente, indicando à Castanha que não daria mais nenhuma “explicação”. Hermione prosseguiu.
-Que bom que você entendeu. Então: mesmo você tendo agido como um estúpido comigo, eu resolvi te dar uma segunda – Hermione parou ao ver Rony esboçar um sorriso – mas somente uma segunda chance. – prosseguiu a Castanha- Entendeu bem?
-Sim, Mione. – disse Rony se aproximando de Hermione para lhe abraçar.
-Eu disse que te dei uma segunda chance, não que já estamos bem. Então, por favor, não se aproxime de mim.
Rony se assustou com a postura da menina. Hermione nunca fora tão fria com ele.
-E pode ir. Preciso ficar sozinha.
Hermione soltou um suspiro e deitou em sua cama. Sabia que estava precipitando tudo, mas por ora, apenas queria afastar Draco de si.
*****

A escola estava em polvorosa. Era a última semana antes do Natal. E, embora todos estivessem muito felizes de terem voltado para uma Hogwarts reconstruída, a saudade da família estava falando mais alto: todos queriam aproveitar o natal para retornar para suas residências.
Mesmo sendo a última semana antes das férias de natal, os monitores mantiveram sua agenda de monitoria, apenas Hermione escapou (o que a Castanha adorou, pois ela transferiu sua monitoria, que seria junto com o Draco, para ser realizada pela Cho Chang), pois precisava terminar os relatórios para entregar para a diretora.
Draco recebeu com ódio a notícia que sua monitoria havia sido remanejada. Estava aflito. Faltavam apenas três dias para o término da primeira parte do ano letivo e ainda não havia conseguido conversar com Hermione.
Mal esperou Cho Chang chegar para começar sua monitoria, andou o mais afastado possível da menina, mas às vezes parava para lhe olhar com desdém e asco. Chang já incomodada com o loiro resolveu provocá-lo.
-O que tanto me olha Malfoy?- disse Chang com nojo - Já está me incomodando sabia? O que você quer comigo?
-O que eu quero com você Chang? Você está brincando comigo, não é?- respondeu Draco com desdém - Imagina se algum dia passaria na minha cabeça de eu ter alguma coisa com alguém feito você...
-É... Quem desdenha quer comprar viu?- Chang olhou para Malfoy e soltou uma gargalhada - Não sei como permitem um Comensal feito você aqui na escola.
-E eu não sei como admitem uma vadia como você aqui. Na verdade eu sei sim- Malfoy diz, fingindo estar pensando - Garotas como você, servem para a alegria geral da rapaziada.. – Draco parou ao ver a cara de indignada de Chang. - Mas você está se rebaixando demais Chang. Só pega péla saco como o Diggory, o idiota do Potter e o babacão do Weasley, o último, aliás, com namorada...
Chang estava chocada, mas não daria o braço a torcer ao Draco.
-E isso te importa muito não é, Malfoy?- Chang olhou nos olhos de Draco - Digo, você se importa muito com a namorada do Rony, não é mesmo? Por que, hein? Está tendo um caso com ela?
Draco ficou tão irado ao ouvir Chang falar daquele jeito da Hermione, que levou uma das mãos ao pescoço da menina apertando de leve, a encarou furioso e disse:
-Nunca. mais.fale.da.Granger.desta.forma. Você me ouviu Chang? – Draco soltou a pressão depois que viu horror nos olhos da menina - Nunca mais. E saia de perto de mim, pois vadia por vadia eu prefiro a Parkinson, ela é muito mais gostosa e tem muito mais classe do que você.
Draco nem esperou que a menina lhe respondesse e saiu pisando duro.

*****

Na véspera do retorno dos alunos às suas casas, Draco finalmente conseguiu encontrar com Hermione no salão comunal dos monitores chefes quando esta vinha de sua última reunião com os monitores. O menino correu e parou na frente do quarto da Castanha:
-Até quando você pretende me ignorar Hermione?
-Eu não estou lhe ignorando, Draco- respondeu Hermione irritada. – Só acho que não temos nada para conversar!
-Como não temos? – perguntou Draco exasperado.
-Então está bem Draco. Você quer conversar, não é?
-Claro que quero – respondeu Draco mais calmo.
-Então você pode me responder algumas perguntas? – perguntou a Castanha bastante séria.
-Claro. É só perguntar – disse Draco se posicionando na frente da Castanha e lhe olhando nos olhos.
-Há quanto tempo você sabia que o Ron me traia Draco?
-Já algum tempo, Granger. - Draco respondeu tentando entender onde Hermione queria chegar com o teor de sua pergunta.
-E por que você não me contou?- Hermione cruzou os braços
-Você acreditaria em mim? – perguntou Draco sorrindo sarcástico - Iria correndo para aquele ruivo babaca e ainda ficaria com raiva de mim, por achar que eu estaria querendo sacaneá-lo. Dessa forma não teve como você ficar com nenhuma dúvida.
-Você é ridículo Malfoy. – gritou Hermione - Você continua o mesmo menininho egoísta que sempre foi. As coisas têm quer ser resolvidas do seu jeito, não é? Na hora em que você quer e quando você decide que é a hora certa. – disse Hermione colocando o dedo na cara de Draco - Você não tem respeito por ninguém, Malfoy. Por ninguém.
-Você está sendo injusta comigo, Hermione – disse Draco em voz baixa – Eu só quis te ajudar!
-Pára de me chamar de Hermione! Nós não somos amigos! Você não tem amigos! É Granger para você!- disse Hermione colocando o dedo na cara de Draco.
-Me desculpe – Draco falou com uma humildade que fez Hermione se estremecer - Eu pensei que pudéssemos ser amigos, aliás, você disse que me ajudaria para que eu pudesse ser uma pessoa diferente, para que eu pudesse rever meus conceitos, lembra?
-Amigos não armam para outros, Malfoy – Gritou Hermione – E claro que eu me lembro! Eu fui uma burra! – disse Hermione de cabeça baixa - Foi um grande erro eu ter aceitado o seu pedido de ajuda. Você confundiu tudo!
-É uma pena Granger, eu só quis lhe ajudar e pensei que pudesse ser ajudado!- Disse Draco a olhando com pesar.
-Olha Malfoy, eu dispenso sua ajuda e acho que não posso fazer nada por você.
O olhar de decepção que Draco lhe dera lhe cortara o coração. O loiro a olhou e foi para o seu quarto. Não se humilharia mais.
Hermione correu até seu quarto, deitou em sua cama e se deixou chorar. Estava passando por um momento difícil. A Castanha não queria aceitar este sentimento, mas estava se apaixonando por Draco Malfoy, mas achava que eles tinham um improvável destino juntos, por isso achou melhor afastá-lo de si, mas admitia que havia sido muito rude com o loiro.
*****

Finalmente o grande dia chegara, os alunos estavam radiantes com o retorno para as suas casas. Menos Hermione. A Castanha estava arrependida de tudo o que falara com o loiro. Assim que terminou a divisão de monitoria na cabine de monitores, Hermione pediu que o loiro aguardasse.
-Draco, acho que precisamos conversar – disse Hermione na cabine dos monitores.
-Acho que tudo o que você tinha para me dizer, Granger – disse Draco pesaroso – você me disse ontem. É melhor você ir, antes que seu namoradinho venha atrás de você. – Draco parou e olhou para a Castanha – ou de qualquer outra vagabunda que ele encontre pelo caminho. Aí você precisará arranjar outra desculpa para ficar com ele.
Draco nem viu a hora em que Hermione lhe bateu, só sentiu o rosto arder. Com raiva pôs a sua mão no rosto e olhou para a Castanha.
-Ai Draco, me desculpa – Hermione correu até o loiro – Ai o que foi que eu fiz? Me desculpa.
-Deixe-me Granger! Seu recado já está dado. E sem dizer mais nada saiu em direção à cabine da Sonserina.

N.A.: Olá meus xuxus... Quanto tempo hein????Eu estava morrendo de saudades de todos vocês e morrendo mais ainda de saudades de postar um cap. Eu acho que agora vai...Como eu disse na prévia, chegamos ao Clímax da fic e logo ela estará acabando...Já sofro só de pensar...
Este capítulo foi maravilhosamente betado pela Artemis Granger, uma autora que admiro pacas...Minha Milloca está enlouquecendo com seus trabalhos de conclusão de curso e Artemis aceitou o desafio de me ajudar. Muito Obrigada Artemis!!!
Espero, de verdade, que curtam este capítulo e comentem bastante!!!! E ahh, eu sempre respondo os comentários, mas dessa vez iria atrasar bastante a publicação do capítulo. Então, até o fim de semana, farei uma cap só com respostas aos comentários ok???
Mil beijos a tod@s...
N.B.: Primeiramente queria dizer que foi com grande alegria que recebi um presente triplo: a volta de Maris para o mundo do MSN, a voltas das fics e ter betado esse capítulo! Quanta coisa aconteceu por aqui, hein??? Maris, querida, você voltou com a cabeça fervendo de ideias! Acho que Hermione está sendo uma tola (provável consenso) e que merece mesmo uma bela ignorada do Draco. A sua narrativa continua envolvente como sempre. Os diálogos correspondem perfeitamente às novas personalidades criadas por você. É possível imaginar cada reação, cada dedo na cara, cada franzir de sobrancelhas. Voltou com tudo!!! Parabéns, amiga! Beijos! Agora ficamos no aguardo de Destinos Opostos.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Vênnice em 15/04/2013

Como assim voltar com o Rony?

Ai Maris! Draco pode estar apaixonado, mas ainda é muito orgulhoso para suportar uma situação dessas?

Quem vai ter que REVER CONCEITOS é a Hermione...

Juro! Não estou acreditando que ela vai ficar com Rony para se afastar do Malfoy... (rs)

Você escreve tão bem Maris que agora estou com raiva do Rony e da Hermione... estou mesmo.

O que eu mais gosto no Draco é essa capacidade de ser mal, gostar disso e não se importar com que os outros pensam, ele é autêntico.

Por incrível que pareça, de todos os personagens, ele é o mais verdadeiro (irônico não? (rs) 

PS. Adorei a briga inicial entre Harry e Rony! Foi perfeito!

Esse capítulo me enlouqueceu! (deu para perceber né?)

Bjs flor! 

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por JOSY CHOCOLATE em 30/10/2011

Eu estou aqui!  ahauhuahaua Lendo adorandooooooooooo beijo

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.