FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

13. Capitulo 13 - Treinamento


Fic: Dark Angel - O Inimigo dos Deuses


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capitulo 13 - Treinamento

- Sua delicadeza me comove Weasley. – debochou Draco enquanto olhava com desdém para o ruivo que parecia querer matá-lo ali mesmo.

- Eu não vou perguntar de novo Malfoy. O que está fazendo aqui? – Rony perguntou enquanto dava um passo a frente.

- Se você não sabe Weasley, não vou ser eu que vou falar. – replicou Draco com sarcasmo, mas quase encolheu-se ao perceber o olhar de um certo moreno cair sobre si lembrando-o do motivo que o levara até ali.

- Ora seu... – Rony estava a ponto de azará-lo tamanha a raiva que sentia, não havia ninguém que ele odiasse mais do que Draco Malfoy.

- Já chega. – a voz fria e gélida fez um arrepio coletivo se apoderar dos presentes que se apressaram a olhar para a origem da voz e viram Harry Potter olhando-os de uma maneira que os fez se encolherem ligeiramente.

- Mas Harry... – Hugo começou falando enquanto se adiantava até próximo do irmão, mas foi cortado por Harry.

- O Draco está aqui por que eu o chamei. E não quero saber de brigas aqui dentro, pois se isso acontecer eu não vou treinar mais vocês. – Harry falou com a voz inexpressiva olhando os amigos – Ele é meu convidado e vai fazer parte de nosso treinamento, portanto é melhor começarem a se dar bem imediatamente.

- Nos dar bem? Com o Malfoy? – Hugo reclamou em voz alta com o irmão – Você só pode estar brincando?

- Eu não brinco. – retrucou Harry com frieza enquanto andava pelo lugar olhando atentamente cada detalhe da sala, não tivera muito tempo para prestar atenção em todos os detalhes antes que os outros chegassem.

- Eu não vou participar de nada em que o Malfoy esteja envolvido. – declarou Rony com a voz ríspida e virou-se para sair.

- Eu também não. – Hugo apoiou o amigo e também dirigiu-se a porta da sala, mas foi parado pela voz do irmão.

Os outros integrantes na sala apenas olhavam para eles e analisavam a conversa, ninguém sabia realmente o que pensar ou como agir naquela situação, mas alguns deles não estavam dispostos a perder a chance de treinar com Harry apenas porque não gostavam de um dos participantes, seria muito mais fácil ignora-lo ou talvez até mesmo aprender a conviver com ele, nem que fosse apenas o suportando.

- Se vocês saírem dessa sala, não haverá volta. – Harry falou com a voz séria e sombria, o que fez os dois estacarem no mesmo lugar como se tivessem sido alvos de um feitiço paralisante – Se saírem eu não os aceitarei novamente para treinarem.

- Não pode fazer isso. – sussurrou Hermione com a voz baixa, mas devido ao silencio que se instalara na sala todos ouviram perfeitamente.

- Não posso? – perguntou Harry voltando seu olhar para a garota que encolheu-se um pouco devido a agressividade e violência que viu dentro dos olhos verdes do garoto que estavam mais escuros que o normal – Garota, estamos no meio de uma guerra nunca antes sequer vista ou imaginada. Voldemort é extremamente poderoso e possui tantos aliados espalhados pelo mundo que vai ser um milagre se conseguirmos sobreviver a essa guerra quanto mais vencê-la.

- Mas você derrotou um dos Cavaleiros das Trevas... – falou Gina surpresa pela maneira que ele falava, pelo tom de voz aquilo que ele falava era claramente verdade, ou melhor, todos sabiam que o Lorde Negro dominava mais da metade do mundo.

- O mais fraco dos Cavaleiros das Trevas, você quer dizer. – disse Harry com a voz séria fitando a ruiva – Os outros Cavaleiros são ainda mais poderosos e com certeza Voldemort é muito mais poderoso que o mais forte deles.

- Ninguém pode ser tão poderoso assim. – falou Hermione com confiança – Somente a presença de uma pessoa assim afetaria todo o ambiente ao seu redor, jamais passaria despercebido e ninguém sabe onde Você-Sabe-Quem está escondido.

- Nos Estados Unidos. – falou Harry com impaciência na voz – Voldemort está escondido em uma Fortaleza Negra nos Estados Unidos.

- O que? Como você sabe? – perguntou Draco surpreso com a certeza que sentiu nas palavras do amigo, embora ele soubesse que era verdade.

- Apenas sei que lá é a sede principal de seu Império. – falou Harry dando de ombros, nesse momento seus olhos se encontraram com os de Sarah que sorriu pra ele.

- Então por que não fala com o Dumbledore e diz onde Você-Sabe-Quem está, se vocês se unissem poderiam vencê-lo mais facilmente e então a guerra acabaria? – Rony perguntou olhando para o moreno, ele havia se afastado da porta e voltado para perto dos amigos, assim como Hugo, a risada de Harry ecoou pela sala chamando a atenção dos amigos que dificilmente o viam rir, mas aquele riso continha algo oculto como eles notaram.

- Puxa, essa foi a melhor piada que eu já ouvi. – disse Harry quando se recuperou do acesso de riso provocado pela fala do garoto, Rony não mudava, pensou Harry, não importava em que mundo estivessem, o ruivo seria sempre o mesmo. – Como você pode ser tão tolo garoto? Por algum acaso já se esqueceu do que viu no pequeno teste que o Velhote preparou pra mim? Esqueceu do que eles falaram antes da luta começar?

- Bem, na verdade eu prestei mais atenção nos golpes e nos feitiços do que na conversa. – Rony admitiu envergonhado.

- Eles disseram que já haviam derrotado o próprio Dumbledore. – Sarah falou com firmeza, fazendo alguns se lembrarem do que os Angel’s haviam dito.

- Isso mesmo Sarah. – concordou Harry olhando para o ruivo que havia se lembrado do que os guerreiros haviam dito sobre o moreno ser um fracote. – Eles já haviam lutado e vencido Dumbledore, por isso eram tão presunçosos e arrogantes, em uma luta contra Voldemort eles seriam esmagados como insetos.

- Mas você os derrotou e é forte, Dumbledore também é poderoso e se vocês lutassem juntos... – Rony havia tentado novamente, mas mais uma vez foi cortado, dessa vez por Draco que parecia exasperado com o garoto.

- Pelo amor de Merlin Weasley, não consegue perceber o obvio? – perguntou Draco incrédulo, como aqueles grifinórios podiam ser tão tapados.

- O que eu não percebo Malfoy? Por acaso se acha muito melhor do que eu? – retrucou Rony com as orelhas vermelhas de raiva.

- Eu não acho não Weasley, ta na cara que eu sou mais inteligente que você. E não sei como a Granger ainda não percebeu a verdade. – falou Draco com frieza olhando para Hermione e depois relanceou o olhar para Samantha que o olhava fixamente, sentiu um estremecimento por dentro, mas lembrou-se de manter a calma ou jamais conseguiria a confiança dela – Como nenhum de vocês nunca percebeu nada? Devem estar tão enterrados em seus mundinhos perfeitos que não percebem nada do que acontece lá fora.

- É claro que nós sabemos o que está acontecendo lá fora, Malfoy. – disse Hugo de maneira debochada – Tem uma guerra acontecendo lá fora.

- Ah qual é Potter. – Draco riu da ingenuidade deles, será que todos pensavam como eles – Como vocês não perceberam que o Lorde das Trevas está apenas brincando de guerra.

- O que você quer dizer com isso Malfoy? – perguntou Rony espantado.

- Ora Weasley... – começou Draco pronto para retrucar de uma maneira nem um pouco educada quanto foi interrompido pela voz calma de Harry, mas que continha uma leve repreensão pelo que ele estava prestes a fazer.

- Draco... – o loiro olhou por cima do ombro para Harry e deu de ombros ficando calado, enquanto ouvia o moreno tomar a palavra e continuar a explicar – O que o Draco estava querendo dizer é que o Império da Luz jamais irá vencer o Império das Trevas.

- Porque? Os dois lados estão em pé de igualdade. – Hermione falou, o que rendeu mais risos pela parte de Draco, mas o loiro ficou calado.

- Os dois lados jamais estiveram equilibrados Hermione. – disse Harry desviando a atenção do loiro para ele – Voldemort sempre esteve em vantagem desde o inicio da guerra. Enquanto o Ministério e a Ordem de Dumbledore se preocupavam em tentar prender os comensais, Voldemort e seus aliados destruíam famílias e matavam sem dó nem piedade.

- Mas então, se Você-Sabe-Quem está em tanta vantagem assim, porque ele não ataca de uma vez e acaba com tudo? – Sarah perguntou baixinho, como se estivesse pensativa.

- Porque ele quer se divertir. – respondeu simplesmente o moreno para a surpresa dos amigos – Acho que na cabeça dele, se a guerra acabar ele vai dominar tudo, mas então ele não teria mais nada para fazer a não ser governar um mundo destruído pela guerra. Mas se ele prolonga a guerra, ela se torna seu passatempo e diversão.

- Está querendo dizer que Você-Sabe-Quem está brincando enquanto pessoas morrem? – a pergunta incrédula de Rony fez o moreno encara-lo diretamente nos olhos.

- Vamos colocar dessa maneira, se Voldemort realmente quisesse acabar com essa guerra e vencer de uma vez por todas, ele simplesmente atacaria com tudo e o Império da Luz não conseguiria detê-lo. – Harry explicou pausadamente tentando fazer os amigos perceberem a verdade – Dumbledore é um tolo que se acha poderoso o bastante para suportar um duelo contra Voldemort, quando na verdade ele não passa de diversão para ele.

- Mas Dumbledore é o maior bruxo do mundo, todos dizem isso. – falou Rony com a voz fraca pelo choque do que acabara de ouvir.

- Não mesmo, Dumbledore é um velho fraco e idiota, que gosta de comandar e manipular os outros. Não passa de um pobre coitado que vai ter seu castigo, muito em breve. – falou com confiança assustando os amigos pela ameaça velada que havia em sua voz – Mas agora Voldemort parece estar se mostrando mais cauteloso, há um novo jogador e ele não sabe nada sobre quem ele é.

- Azrael. – disse Sarah e Harry concordou com a cabeça.

- Ninguém sabe que eu sou Azrael, mas agora vai vazar a informação de que eu treinei com Azrael e que provavelmente estou aliado a ele. – Falou o moreno em tom divertido – Isso vai abalar as estruturas tanto do Império da Luz como do Império das Trevas.

- Com certeza. – Draco falou surpreendendo os outros que quase haviam se esquecido da presença do loiro – A maior esperança do Império da Luz e do povo aliado a um guerreiro misterioso, que ninguém sabe nada a respeito e que é tremendamente poderoso, sem contar o fato de que anda conquistando mais território a cada hora que se passa e fazendo aliados com os habitantes dos países que conquista ou até mesmo os territórios rebeldes.

- Como sabe disso? – perguntou Samantha pela primeira vez se pronunciando e olhando para o loiro que ficou um pouco vermelho.

- Meu pai é um comensal de elite, e me mantém informado das principais noticias que correm o mundo. – disse simplesmente o loiro.

- Que novidade. – Rony falou em um tom de voz acusatório como se o próprio Draco também fosse um comensal da morte.

- Olha pessoal, já chega de implicância. – Harry tomou a palavra, gostava muito dos amigos e queria conquistar a confiança deles o quanto antes e se tornar amigo deles, mas não podia ser injusto com o Malfoy. Naquele mundo o loiro era uma boa pessoa, o que o fazia se perguntar se no outro mundo ele também não fosse alguém digno de confiança e apenas mascarasse o que sentia. Deixando de lado as conjecturas sobre o loiro sonserino o moreno voltou a falar – O Draco é meu amigo e ponto. Ele vai treinar conosco, se algum de vocês não quiser participar pelo fato dele estar aqui, tudo bem, eu entendo e aceito a decisão.

- Eu vou ficar. – falou Hugo com a voz baixa, estava querendo se redimir com o irmão por tudo que acontecera e não deixaria um sonserino metido atrapalhar o que ele conquistara até aquele momento no relacionamento com Harry.

- Eu também. – disse simplesmente Rony, embora não lançasse um olhar sequer na direção do loiro, que fingia estar interessado nos livros que se encontravam nas prateleiras.

- Ótimo, já que estamos entendidos gostaria de explicar algumas coisas pra vocês. – falou Harry se encaminhando para o outro lado da enorme sala onde haviam algumas poltronas confortáveis. – Pra quem não sabe essa sala é chamada de Sala do Requerimento ou Sala Precisa, como vocês acharem melhor. Basicamente, ela nos fornece tudo o que nós precisamos, basta pensar num determinado objeto e ele vai se materializar.

- Incrível. – disse Hermione olhando deslumbrada para as prateleiras mais próximas onde ela podia ver claramente os diversos títulos dos volumes que ali se encontravam, e eram todos livros de Magia Avançada e de Defesa Contra as Artes das Trevas.

- Realmente Hermione, essa sala é fantástica e por isso ela é tudo o que vamos precisar para o treinamento de vocês. – Harry falou sorrindo pela cara da garota – Como a guerra está na nossa porta e não temos muito tempo para vermos tudo o que seria necessário eu resolvi fazer uma pequena modificação nessa sala.

- Que tipo de modificação? – perguntou Luna interessada.

- Bom, na verdade é uma modificação temporal. – explicou o moreno – Enquanto lá fora se passar um dia aqui dentro poderá ser um ou dois anos, de acordo com a necessidade.

- Uau. – Neville exclamou surpreso com o que o moreno falara.

- Mas isso é impossível. – disparou Hermione olhando incrédula para o garoto – Não existe magia que possa alterar o tempo dessa maneira.

- Na verdade Hermione, eu não estarei alterando o tempo e sim fazendo com que apenas essa sala seja modificada. – explicou pacientemente o moreno, sabia como a amiga era e já estava preparado para a negação dela – Ninguém irá perceber a diferença, portanto não haverá problema algum. Estou fazendo isso porque quero vocês prontos para lutar no próximo ataque em grande escala que acontecer, e não vai demorar muito.

- Quando vamos começar? – perguntou Gina empolgada, estava ansiosa para aprender o máximo que conseguisse.

- Logo Gina, mas antes quero falar algo importante com vocês. – disse Harry sério – Quero que vocês jurem que estarão ao meu lado durante essa guerra, que obedecerão as minhas ordens e que jamais me trairão. Depois que a guerra terminar vocês poderão fazer o que bem entenderem.

Depois de alguns segundos em que todos eles permaneceram pensativos e em silencio Sarah levantou-se e se ajoelhou em frente ao moreno jurando lealdade a ele, em seguida Gina também fez o juramento. Logo cada um deles foi se aproximando e se ajoelhando a frente de Harry e jurando lealdade ao moreno e prometendo lutar até o fim.

- Muito bem, agora vamos... – Harry começou, mas foi interrompido por Hugo.

- Mas e o Malfoy, ele não jurou lealdade a você.

- O Draco já jurou lealdade a mim, Hugo. Não precisa se preocupar, e diferente de vocês ele me jurou lealdade até a morte. – Harry respondeu seriamente e depois voltou a falar como se não tivesse sido interrompido – A primeira parte do treinamento de vocês vai consistir basicamente na parte física e mental.

- Física? – perguntou Rony incrédulo – Nós somos bruxos, pra que precisamos nos exercitar quando temos poderes mágicos?

- Esse é um grave erro que muitos bruxos cometem. – devolveu Harry com frieza – O físico de um bruxo é tão ou mais importante do que a magia, uma vez que você será tão poderoso quanto sua resistência permitir. O que significa que quanto mais resistente fisicamente você ficar, maior será seu poder.

- Interessante. – sussurrou Hermione para si mesma, estava fascinada com o que Harry estava falando e se fosse passar tanto tempo ali dentro ela poderia ler muitos daqueles livros.

- A parte mental é muito necessária ou então qualquer bruxo com um mínimo de talento em legilimência poderá obter acesso aos seus pensamentos. Por isso, vocês não aprenderão nada entes de estarem preparados para suportar a magia necessária para a realização da maioria dos feitiços. – Harry levantou-se do lugar em que estava sentado – Primeiro vocês irão se dividir em duplas para poderem treinar Oclumência e Legilimência. Pra evitar desentendimentos eu mesmo vou dividir as duplas. Neville e Rony, Luna e Gina, Hermione e Hugo, Draco e Samantha, e você Sarah fará par comigo. Quero que se preparem para iniciarmos a parte mental imediatamente enquanto eu lanço o feitiço de tempo em volta da sala.

O loiro olhou para Harry e quase sorriu pela ajuda que o amigo estava lhe dando, afinal de contas, de que maneira ele poderia mostrar seu verdadeiro lado a garota que amava do que treinando com ela como parceira. O moreno apenas caminhou para o centro da sala e começou a murmurar um feitiço antigo e esquecido pelo tempo, em seguida uma amarelada começou a expandir-se a partir do moreno e logo ela tomou toda a sala, logo depois ela brilhou com força deixando todos momentaneamente cegos e quando conseguiram finalmente enxergar novamente a luz amarelada havia desaparecido, apenas Harry continuava parado no meio da sala.
======

Voldemort estava sentado confortavelmente em uma poltrona na sala do trono em sua Fortaleza Negra, estava pensativo e analisando cuidadosamente as imagens que um de seus espiões trouxera de Hogsmeade. As memórias mostravam a luta entre seu Cavaleiro das Trevas e Harry Potter, estava realmente surpreso com a evolução que o garoto demonstrava de uma hora para outra, era realmente surpreendente ele conseguir vencer um de seus cavaleiros.

E ele tinha apenas dezessete anos, ele lembrava-se muito bem de seus dezessete anos, mas naquela época não era tão poderoso quanto o garoto demonstrava ser, isso era preocupante, pois ele mesmo apenas obtivera aquele nível quando já era um bruxo adulto e tinha viajado pelo mundo todo em busca de conhecimento, o que deixava claro que Harry Potter poderia superá-lo se tivesse tempo para isso, mas ele não daria tempo ao moleque, precisava liquidá-lo logo antes que ele se tornasse um verdadeiro problema.

Ainda tinha aquele inseto que vinha conquistando alguns territórios, o tal de Azrael, não sabia a extensão do poder dele, mas cuidaria dele na primeira oportunidade que aparecesse, embora fosse divertido observar as tentativas de resistência que aqueles Rebeldes faziam, poderia liquidar todos eles se quisesse, mas gostava da guerra e sem ela acabaria se entediando, por isso não atacava com tudo, era muito mais interessante observar as esperanças daqueles tolos.

Foi tirado de seus pensamentos por uma batida suave na porta, olhou na direção dela e mandou quem quer que fosse que entrasse. A porta se abriu revelando a figura baixa e gorda de Pedro Pettigrew, um de seus espiões favoritos. Pettigrew entrou nervosamente na sala de seu mestre e empalideceu um pouco ao ver alguns pedaços de corpos misturados ao inconfundível manto negro dos comensais, alguém provara da fúria do Lorde das Trevas e provavelmente fora o portador das más noticias sobre o ataque ao garoto Potter.

- Espero que tenha boas noticias para mim Rabicho. – a voz sibilante e cruel do Lorde Negro chamou a atenção de Pettigrew que tremeu levemente.

- Sm Milorde. – falou Rabicho aproximando-se do Lorde das Trevas e ajoelhando-se perante ele enquanto beijava cuidadosamente a barra das vestes dele. – Trago informações sobre Harry Potter que o Senhor possa achar interessantes.

- Acertou Rabicho, qualquer informação sobre o Potter me interessa. O que descobriu? – Voldemort questionou com a voz fria e cruel, embora não conseguisse esconder a curiosidade na voz para saber o que seu espião descobrira.

- Bem milorde, eu ouvi uma conversa entre a família Potter, eles estavam discutindo. Tiago estava nervoso pelo que havia visto Harry fazer com o Cavaleiro das Trevas que milorde enviou para matá-lo. – vendo que Voldemort demonstrava um pouco de impaciência Rabicho resolveu ir logo ao que interessaria ao seu Lorde – Bem, Tiago fez algumas perguntas ao Potter e ele acabou respondendo. Ele revelou que quem o treinou foi Azrael em pessoa, e tem mais, pelo que eu pude entender Harry Potter está do lado de Azrael, meu Senhor.

- Humm... – Voldemort recostou-se em sua poltrona enquanto analisava o que Rabicho acabava de lhe informar, talvez aquilo sim se tornasse um problema. Se eles estavam unidos poderiam muito bem juntar as forças para lutar contra ele, embora fosse praticamente impossível que eles conseguissem vence-lo ainda existia uma mínima possibilidade que ele jamais seria tolo de ignorar. Não sabia qual era o real poder de Azrael, mas se ele treinara o Potter então deveria estar no mesmo nível ou então um pouco mais elevado, o que poderia gerar uma pequena dor de cabeça, por isso teria de eliminar um dos dois.

- Milorde... – a voz de Rabicho o tirou de seus pensamentos e ele voltou seu olhar frio e cruel para o servo que encolheu-se e perguntou com a voz tremendo – Eu devo me retirar?

- Sim Rabicho. – ordenou Voldemort em tom mortal fazendo o pobre coitado empalidecer – Mande Kassius vir a minha presença.

- Sim milorde. – Rabicho retirou-se rapidamente enquanto o Lorde das Trevas pensava que estava na hora de ele voltar a agir, já fazia algum tempo que seus comensais não se divertiam de verdade. Novamente ouviu batidas na porta o que o fez sorrir ligeiramente.

- Entre. – sua voz ecoou pelo aposento escuro e sombrio e em seguida a porta abriu-se revelando um homem com aparência de ter uns trinta e poucos anos, os cabelos loiros e os olhos azuis realçavam a beleza do homem de aparência imponente que ajoelhou-se em frente a Voldemort. – Seja bem vindo Kassius.

- Obrigado milorde, é uma honra servi-lo. – declarou o homem loiro, a aura de poder ao redor dele era devastadora e apenas perdia em força para a sua própria.

- Quero que mande os Cavaleiros das Trevas atacarem a Grécia. Levem quem vocês considerarem necessário para o ataque, mas quero a Grécia sobre nosso controle o mais rápido possível. – ordenou Voldemort com a voz fria e sibilante, Kassius apenas fez uma leve reverencia antes de virar-se e sair da sala em passos rápidos.
======

- Algum de vocês sabe pelo menos o básico sobre oclumência? – perguntou Harry assim que se aproximou novamente dos amigos, e para decepção do moreno apenas Draco Malfoy levantou a mão – O que sabe sobre o assunto Draco?

- Basicamente a oclumência é a arte de bloquear a mente contra invasões externas. – respondeu o loiro – Na verdade, ela é bem instintiva e cada pessoa tem uma maneira diferente de se defender de legilimentes habilidosos.

- Muito bem explicado Draco... – Harry ia continuar a explicar o que ele queria que os amigos fizessem quando a mão de Rony se levantou no ar. – Diga Rony.

- O que é essa coisa de legilimência que você falou? – perguntou o ruivo como se aquela fosse realmente uma questão muito importante, ao lado dele Draco riu baixinho enquanto balançava a cabeça negativamente, mas Harry ignorou-o e resolveu responder a pergunta.

- Legilimência é a habilidade de penetrar na mente de alguém podendo assim retirar memórias ou sentimentos dessa pessoa. – explicou pacientemente o moreno, mas foi bruscamente interrompido por Rony novamente.

- Você quer dizer leitura da mente? – o ruivo perguntou rapidamente com a boca levemente aberta de espanto.

- Como um antigo professor meu diria, a mente não é um livro para ser aberto e lido de acordo com a vontade de alguém. Nossos pensamentos não estão marcados na nossa cabeça para poder ser lido por qualquer um que invada sua mente. – Harry respondeu lembrando-se das palavras de Snape enquanto lhe ensinava oclumência e legilimência, o professor repetira aquela frase tantas vezes que ele acabara por memorizá-la – Nossa mente é muito complexa e repleta de camadas, uma mais profunda do que a outra. Porém, aqueles que dominam a arte da Legilimência podem invadir a mente de suas vitimas e interpretar o que encontrarem corretamente ou algo muito próximo a verdade. É obvio que existem certos bruxos e pessoas que tem essa capacidade tão desenvolvida que são capazes de processar os pensamentos que vêem com clareza e até mesmo a “radiografar” toda a vida da vitima da legilimência. Um bom exemplo disso é o próprio Voldemort que é capaz de absorver as lembranças de alguém se assim ele desejar, assim como eu também posso fazer. Apenas os mais habilidosos na arte da oclumência podem fechar suas mentes e impedir uma invasão mental.

- Então quer dizer que qualquer um que saiba legilimência poderia entrar em nossas mentes agora, por exemplo? – Neville perguntou estremecendo apenas com a possibilidade daquilo realmente acontecer com eles.

- Não necessariamente Neville. Tempo e espaço são regras fundamentais para a magia, por isso é necessário contato visual para se usar a legilimência. – Harry respondeu calmamente enquanto andava em frente a eles. - Se você é um bom oclumente será capaz de esconder seus pensamentos do inimigo, isso é muito importante em um duelo com bruxos das trevas, não estou dizendo que todos os comensais da morte são bons em legilimência, mas os mais poderosos, aqueles que vocês provavelmente enfrentarão são excelentes nesse aspecto e podem apostar que aproveitarão cada vantagem que tiverem sobre vocês. - Harry continuou a falar num tom sério.

Eles prestavam total atenção ao moreno, cada um deles tinha um motivo diferente para aprenderem o que ele ensinaria e queriam se esforçar ao máximo. Harry pediu para que eles se colocassem nas duplas que ele separara para que começassem a treinar.

- A primeira coisa que um oclumente tem que saber é esvaziar a mente, é claro que em uma batalha isso é muito difícil e apenas excelentes oclumentes conseguem realizar tal feito, como vocês estão começando vou dar uma pequena dica que eu aprendi. – Harry continuava a explicação enquanto eles se posicionavam um em frente ao outro – No lugar de ficarem tentando esvaziar a mente, eu aconselho vocês a pensarem em coisas banais como uma aula que tiveram em Hogwarts, ou então podem pensar em um lugar vazio onde nada exista além de vocês, essa é a base que todo iniciante em oclumência tem que saber fazer, quando conseguirem não pensar em coisas que podem realmente ser usadas contra vocês, ai sim nós tentaremos esvaziar a mente.

Draco conhecia a teoria sobre oclumência, afinal seu pai o treinava em casa desde que ele era pequeno, por isso tinha um pouco de habilidade na arte de fechar a mente, embora não fosse tão talentoso como o pai gostaria que ele fosse.

- Agora nós vamos realmente começar. – Harry falou posicionando-se em frente a Sarah – Bem, tentem se concentrar em coisas sem importância ou em lugares vazios.

Harry ficou observando Sarah concentrar-se no que estava fazendo, não conseguiu se impedir de admirá-la. Ela era realmente linda, os cabelos negros caindo em volta do rosto delicado, os olhos tão azuis quanto o oceano o que era um convite para alguém se afogar neles, os lábios carnudos eram um convite tentador demais, por isso o moreno desviou os olhos e concentrou-se no que estava ensinando aos amigos.

Como naquela sala o tempo passava mais rápido as horas começaram a correr em uma velocidade impressionante e quando eles perceberam já se encontravam a mais de cinco horas dentro da sala apenas no treinamento de oclumência. Harry testou cada um deles para ver o progresso que eles haviam feito e ficou muito satisfeito com todos eles, principalmente com Draco que evoluiu rapidamente e praticamente fechava a mente contra as invasões do moreno.

O moreno insistiu nas aulas de oclumência com os amigos até que todos eles conseguissem dominar perfeitamente a técnica e poderem bloqueá-lo completamente, o que levou quase um mês inteiro para acontecer. Como Harry sabia que o processo de aprendizagem da oclumência era demorado e desgastante, resolveu variar e dividia as horas entre treinamento físico, depois mental e algumas paradas para que eles pudessem descansar por alguns minutos, mas logo depois voltava com força total para o treinamento.

- Vocês aprenderam bem e posso dizer que estou muito impressionado. Eu mesmo demorei muito para aprender oclumência e no começo eu era um completo desastre. – falou Harry com a voz divertida lembrando-se de seu quinto ano e das tentativas frustradas de Snape tentando ensina-lo como fechar a mente. – Por isso, agora que todos vocês já conseguem bloquear a mente contra invasões, eu acredito que já estejam preparados para aprenderem legilimência.

A empolgação deles foi visível com a possibilidade de aprenderem a arte de ver os pensamentos das pessoas, embora fossem consideradas parte da magia obscura, eles não estavam muito preocupados com esta parte, pois sentiam que precisariam daquele conhecimento e preferiam estar preparados para tudo.

- O princípio básico da legilimência é a concentração, não adianta apenas se concentrar no feitiço, vocês têm que se concentrar no que querem fazer, se concentrar na pessoa que querem entrar na mente. Quero que vocês separem-se pelos pares que eu já tinha determinado. - falou Harry enquanto se posicionava em frente a Sarah. – Quero que se concentrem na pessoa que está a sua frente e no feitiço que querem realizar.

Draco, Neville, Luna, Hermione e Sarah concentraram-se na pessoa que estava a frente deles e também no feitiço, enquanto os outros esvaziavam a mente e erguiam as proteções mentais.

- Legilimens. – a voz dos cinco ecoou pela sala e foram facilmente repelidos por seus parceiros, o que surpreendeu o moreno.

- Muito bem pessoal, vocês foram muito eficientes em bloquear a tentativa de invasão a suas mentes. – o moreno falou dirigindo-se aos que haviam bloqueado a tentativa de invasão mental, logo depois se dirigindo aos que haviam executado o feitiço – Caramba, estou realmente surpreso por vocês terem conseguido executar um feitiço tão difícil assim de primeira, são poucos os que conseguem na primeira tentativa, por isso meus parabéns a vocês. Agora quero que troquem de pares, os que bloquearam agora vão tentar invadir a mente do parceiro e vice e versa.

O próximo mês se passou com a rotina igual para os participantes do treinamento, Harry os acordava bem cedo para uma hora e meia de exercícios físicos e embora no começo todos eles não agüentassem praticamente nada agora já suportavam as atividades físicas. Logo depois eles tomavam café da manha e em seguida tinham treinamento mental pelo resto da manhã. Depois do almoço continuavam com o treinamento mental e depois das quatro horas voltavam para o treinamento físico, por fim durante a noite eles podiam sentar e conversar em volta da lareira ou então ler alguns dos exemplares que existiam na sala, como era o caso de Harry e Hermione.

- Vocês evoluíram muito rapidamente e fico satisfeito por isso. – Harry disse depois de terminarem de tomar o café, quase dois meses depois do inicio do treinamento deles. – A partir de hoje o treinamento ficará mais sério e vocês aprenderão feitiços que serão extremamente úteis nas futuras batalhas que enfrentarão. Como a muita coisa para vocês aprenderem eu resolvi dividir o dia em um pequeno cronograma de estudos, onde cada horário se iniciará uma aula diferente.

- O que vamos aprender? – perguntou Hermione curiosa, mas Harry apenas sorriu para ela e voltou a falar como se não tivesse sido interrompido.

- A partir de amanha vocês se levantarão as cinco horas da manhã para o treinamento físico que durará uma hora. Depois de tomarem o café da manhã começaremos a ter aulas de Feitiços, Transfiguração, DCAT, TCM, Poções, Runas Antigas e Aritmancia antes do almoço. A uma hora da tarde vocês treinarão Magia Branca, as três horas da tarde Magia antiga e as cinco começarão o treinamento de magia sem varinha. Jantaremos as sete horas e logo depois vocês aprenderão Magia Negra. – falou Harry passando o cronograma que havia preparado para os amigos, sabia que a partir daquele momento o treinamento ficaria mais pesado e a prova de fogo deles poderia ser muito em breve, quando eles teriam de decidir se iriam matar ou morrer.

- Agora sim. – sussurrou Draco baixinho, apenas para ele mesmo.

- E antes que eu me esqueça, vocês todos devem saber que Voldemort não usa apenas comensais da morte para aterrorizar e causar destruição, os Cavaleiros das Trevas utilizam espadas para lutar o que muitas vezes lhes da muita vantagem sobre seus adversários. – disse Harry chamando a atenção dos amigos que haviam começado a cochichar entre si – Sem contar as inúmeras criaturas das trevas que ele tem sobre seu domínio. Por isso assim que o treinamento de magia negra terminar eu vou lhes ensinar a derrotar as principais criaturas das trevas e por isso vocês terão que aprenderem a manejar armas, o mais recomendado seria a espada.

- Por quê? Não é melhor nós aprendermos a matar essas criaturas com as varinhas? - perguntou Rony interrompendo Harry.

- Usar magia desnecessariamente apenas desgasta um bruxo mais facilmente. – o moreno falou pacientemente – Mas se você matar uma criatura das trevas utilizando uma espada você estará economizando sua magia e consequentemente agüentará a batalha por mais tempo, sem contar que para se lutar contra os cavaleiros de igual para igual seria necessário o domínio completo da arte da esgrima. E tem também o fato de que algumas criaturas das trevas como os gigantes que são imunes a maioria dos feitiços e podem ser mortos mais facilmente pela lâmina de uma espada.

- Ah tudo bem, me desculpe Harry. – falou Rony envergonhado pelo que dissera, Hermione o havia cutucado criticamente assim que ele fizera a pergunta.

Aquele período de treinamento deixara alguns deles mais amigos uns dos outros, Harry observava principalmente os progressos que Draco fazia em relação a sua irmã, eles até mesmo já travavam conversas longas nos poucos momentos que eles tinham de folga. O mesmo acontecia entre si e Sarah, ambos conversavam bastante e instintivamente procuravam a companhia um do outro nos intervalos, e Harry já poderia dizer que Sarah escondia segredos profundos e embora estivesse muito curioso ele não forçava a garota a responder a suas duvidas, lembrou-se que quando a conhecera chegara a invadir a mente dela e vira seus pensamentos superficiais, mas não invadira mais a privacidade dela e optara por se manter longe da mente da garota.
======

Dumbledore estava sentado em seu escritório pensando na batalha que vira mais cedo no povoado de Hogsmeade, agora que os Angel’s não existiam mais e ainda haviam se provado fracos a única esperança de vencer aquela guerra era Harry Potter. Mas o garoto era uma incógnita e ele não sabia de que lado ele realmente estava, pelo menos aparentemente ao lado de Tom ele não estava, o que já era um grande alívio.

Agora ele teria de encontrar uma maneira de obter a lealdade do garoto, mesmo que precisasse apelar para a chantagem, embora achasse que esse método seria falho em relação a ele, mas teria de tentar. A guerra estava começando a ficar desigual, e ainda mais com aquele tal de Azrael aparecendo do nada e começando a se impor estava preocupando, mesmo que ele ainda não tenha atacado nenhum país controlado pelo Império da Luz, mas ele expandira seus domínios em poucos dias e aumentava cada vez mais, portanto era uma questão de esperar e descobrir quais as verdadeiras intenções dele.

Foi interrompido por uma batida grave na porta, curioso pediu que a pessoa entrasse. A porta de sua sala abriu-se revelando a figura preocupada de Sirius Black.

- O que houve Sirius? – perguntou Dumbledore de maneira direta olhando para seu novo professor de feitiços.

- Ataque a... – Sirius precisou parar para conseguir respirar normalmente, havia corrido todo o caminho de sua sala até o escritório do diretor – Estava em minha sala quando recebi o alerta pela marca dos Cavaleiros da Luz. Voldemort enviou seu exército para atacar a Grécia, parece que eles foram com tudo e a força de defesa que estava instalada no local é insuficiente e estão morrendo como moscas contra as criaturas das trevas.

- Envie reforço imediato para o local Sirius. – ordenou Dumbledore seriamente – Temos de manter o território Grego sobre nosso domínio.

- Eu também gostaria de ir. – Sirius declarou olhando para o diretor que parecia mais velho e cansado do que ele jamais vira.

- Tudo bem. – Dumbledore apenas acenou com a mão e Sirius partiu, enquanto o diretor se recostava novamente contra sua cadeira, mas logo em seguida levantou-se – A guerra está recomeçando e pelo visto Tom resolveu vir com força total.

Dumbledore ficou mais alguns segundos pensando nas conseqüências que o recomeço da guerra trariam, mas depois balançou a cabeça e chamou por sua fênix que imediatamente alçou vôo e envolveu o diretor em um redemoinho de chamas avermelhadas, no momento seguinte o diretor e a fênix haviam desaparecido rumo a batalha que estava acontecendo.




N/A: Mais um capitulo no ar galera. Espero que tenham gostado do começo do treinamento dos amigos do Harry, no próximo mais uma pitada de treinamento e muita luta, inclusive dos garotos que terão sua prova de fogo. Espero que tenham gostado. Abraços a todos.

Agradecimentos especiais:

Trinity: Foi um capitulo cheio de surpresas mesmo, mas aquilo que o Tiago falou não era o que ele realmente queria dizer, mas devido ao estresse que ele estava sofrendo aliado ao medo de chegar em Hogsmeade e ver o filho morto ajudaram um pouco, mas ele ainda vai sofrer muito pelas palavras que disse ao filho. O traidor é alguém muito influente e próximo a Dumbledore, mas vai demorar alguns capítulos para ele ser descoberto, dumbledore vai apanhar do Harry lá pelo capitulo 16 ou 17, ainda não tenho certeza e não posso garantir. Acho que com relação ao draco esse capitulo respondeu pelo menos um pouco as duvidas, já quanto a Harry/Sarah, a partir de agora a relação de ambos vai ficar melhor e vai evoluir rapidamente. Beijos.

Artur Soares Scalassara: ta pegando fogo mesmo, a reação dos grifinorios foi negativa como era esperado e ainda vai dar o que falar entre Rony e Hugo, embora a Sam aceitará mais facilmente assim como as outras garotas, o treinamento teve inicio e vai continuar por algum tempo.o Velhote do Dumbledore vai tentar manipular o Harry através da Sarah, mas vai se dar mal e vai apanhar feio do Harry muito em breve, quanto a Harry ficar com a Sarah, nas verdade isso acontecera nos próximos capitulo talvez no 15 ou 16. Releva um pouco com o Tiago, ele estava furioso e morrendo de medo de ver o filho morrendo, mas ele pisou feio na bola e ainda vai sofrer e muito as conseqüências. Abraços.

TiuToddy: que bom que gostou da conversa dos Potter, espero que tenha gostado desse capitulo, próximo tem muita luta. Abraços.

Silvia Cecil: Voldemort ficou preocupado com o que o Pettigrew lhe disse, o receio está finalmente se apoderando do Lorde que vai começar a se perguntar se não deveria ter liquidado a guerra muito tempo antes, mas agora e tarde. Beijos.

KON: O Harry nunca será bonzinho nas minhas fic’s, quando o assunto é batalhas o garoto é tão cruel quanto um demônio. Abraços.

Wilhan dutra: realmente as lutas do Harry foram muito boas, principalmente quando ele mata o cavaleiro, espero que tenha gostado do capitulo, no próximo muita ação. Abraços.

Kalih: a luta foi muito boa mesmo, adorei escrever esse capitulo, para o próximo eu já tenho algumas cenas na cabeça que espero que superem o capitulo da luta contra o cavaleiro. Harris mexeu com a pessoa errada e pagou muito caro por isso, que os deuses tenham piedade da alma dele, por que o Harry não teve... eu também adoro fics onde o Harry é do mal. Beijos.


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.