FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo



______________________________
Visualizando o capítulo:

32. Carro.


Fic: Nós... Irmãos ?


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


-Quem? – perguntou o maroto assustado com o olhar da ruiva.

-Meu irmão - sussurrou ela com medo de que o mínimo barulho despertasse a atenção do irmão que ia na direção deles e os encontraria a qualquer segundo.

-Vish! E agora?

-Não sei, ele vai nos degolar, nos decapitar, nos aniquilar, ele vai contar pros nossos pais! – constatou a ruiva desesperada, só a idéia dava arrepios.

-Isso é, se ele nos pegar aqui, o que eu não vou deixar acontecer..

-E vai fazer o que? – Nenhum dos dois notou a loira que se aproximava cambaleando para perto deles.

-Você fica aqui enquanto eu saio daqui e vou lá falar com ele, daí eu despisto os dois e volto pra te buscar.

-Nem pensar, ele viria pra cá de qualquer forma e como você explicaria estar nesse estado tendo ficado sozinho em um beco escuro?

-Tem lógica, então sai os dois juntos daqui.

-Nem pensar, qual seria a primeira coisa que ele pensaria?

-A gente faz o que então? – perguntou o moreno ouvindo passos se aproximando.

-Rezar? – sugeriu a loira que, agora, estava ao lado do casal.

-Hãn?

-Brincadeirinha, vem, eu ajudo vocês, a ruivinha se esconde ali atrás e eu fico aqui com o bonitão até o outro cara lá chegar, daí depois vocês voltam pro love de vocês, pode ser? – sugeriu a loira tirando o brinco enquanto falava e apontava para onde Lily deveria ir.

-Seja o que deus quiser então. – disse a ruiva olhando apreensiva para James e indo se esconder, se não fosse com ela, a ruiva estaria achando a situação ridícula.

Foi só Lily desaparecer nas sombras que Vinicius e Anna apareceram em frente a James, que olhava desesperado para o lado – a loira que estava querendo ajudar tinha desaparecido!

-James? O Que faz aqui? E a Lily? Cadê ela? – perguntou Vinicius analisando a roupa do moreno e depois olhando por trás dele, querendo ver a irmã.

Lily estava tendo um ataque cardíaco escondida lá atrás, ela não queria nem imaginar o que aconteceria se o irmão a pegasse e estava se perguntando por que diabos tinha aceitado a ajuda da bêbada loira se ela tinha acabado de sumir, deixando os dois na mão. Só então ela ouviu o grito:

-JAAAAAMES! – berrou a loira aparecendo saltitante, ignorando Vinicius e Anna e pulando no colo do moreno, assustando todos ali, inclusive ele, que já ia deixando-a cair quando ela o encostou na parede e pressionou o carpo contra o dele. James não queria nem pensar no que Lily estaria achando daquilo tudo. Então a loira encostou a cabeça no ombro do moreno e sussurrou suficientemente alto para Lily ouvir. – Achei!

-Achou? – perguntou Anna para Vinicius, que deu de ombros, ele estava desconfiado demais.

-Ah, Oi! Não vi vocês ai, meu nome é Kariny Stevenson e sim, eu achei o meu brinco, sabe como é né, estávamos eu e o Jayzito aqui, nos pegando apaixonadamente, no maior love, ele praticamente me engravidando.. e bem daí meu brinco sumiu, caiu por ai, e olha, ele é tão lindo né? Não tinha como eu deixá-lo pra trás. – respondeu a loira se abraçando no moreno, beijando a sua mandíbula e mordendo seu queixo.

-Anh.. é.. – disse Anna olhando para James sem entender nada, então seu rosto se iluminou de compreensão e ela ficou mais branca que o normal.

-Cadê a Lily? Eu vi ela saindo com você.. – disse Vinicius enquanto James pensava “Puts, que mancada!”.

-Ela...

-Está com o meu irmão, o Pedro, depois de um ano de insistência ela finalmente deixou ele acompanhá-la até.. até onde mesmo? – perguntou a menina olhando para James - Ah, não importa, o importante é que ela tirou meu irmão daqui pra mim poder pegar o James e bem, irmã legal a sua hem James, não são todas que são tão solidárias.

-Eu vou atrás dela.. – disse Vinicius dando meia volta, então James olhou desesperado pra Anna e ela decidiu interferir.

-Nem pensar Vinicius, deixa a sua irmã se divertir um pouco, vem, vamos dançar. – disse a loira puxando o namorado e piscando para James que suspirou aliviado quando o outro desapareceu de vista.

-Uau! Um casal de irmãos se pegando, que horror, incesto é crime rapaziada, mas quem sou eu pra falar alguma coisa né? – comentou Kariny afastando levemente seu corpo do de James, apesar de seus instintos serem fortes e ela querer permanecer grudada no moreno.

-Hum. Não somos irmãos.. – disse James envergonhado.

-É, não de sangue.. – disse Lílian aproximando-se dos dois calmamente, apesar de seu coração estar a mil e suas pernas ainda fracas.

-Hum, não estou entendendo direito, mas bem, espero ter ajudado de alguma forma. – disse a menina sorrindo para os dois, Lily sentiu uma grande simpatia pela loira.

-Muito Obrigada Kariny, se não fosse você nós seriamos picadinhos agora.. – agradeceu Lily sinceramente, ela estava completamente aliviada pelo fato da loira estar ali.

-De nada Lily, eu acho que sei como é incômodo ser pego em um momento tão.. intimo quanto o que vocês estavam. – disse a loira rindo da cor que Lily assumiu quando ela disse isso, porém ninguém teve tempo de dizer nada, pois, alguém se aproximava.

-JAMES! LILIAN, VOCÊS ESTÃO VIVOS! GRAÇAS A DEUS! –berrou Lucy com a mão no coração, Lily ficou mais pálida ainda ao ver o rosto de Lucy, ela estava completamente apavorada.

-Lucy.. oh meu deus Lucy, você quase nos mata de susto, o que aconteceu? – perguntou Lily rapidamente, a expressão da morena era aterrorizante.

-Eu que pergunto, por que vocês ainda estão aqui? Vivos sendo que o Vinicius estava vindo pra cá? Ele não encontrou vocês..

-Encontrou sim Lucy, mas a Kariny nos tirou daquela fria. – disse James apontando para a loira que sorriu amigável para Lucy.

-Ai Deus! Muitíssimo obrigada Kariny, você não sabe a coisa maravilhosa que acabou de fazer.. muito obrigada mesmo.. – agradeceu Lucy sorrindo pra loira também.

-Que isso.. não foi trabalho nenhum.. é bom ter uma dose de adrenalina nas veias as vezes também, só pra não perder o hábito. – disse a loira sorrindo simplesmente, ela se sentia envergonhada com todos a agradecendo daquela forma.

Lucy sorriu em resposta para a loira e pediu desculpas mais uma vez para Lily, então após a ruiva dizer para Lucy se acalmar, a morena e Kariny, que preferia ser chamada de Nini, saíram conversando, deixando os dois a sós novamente.

Lily olhou para James, sentiu o coração acelerar, ela não acreditava que eles tinham acabado de passar por aquilo.

-Nossa, eu pensei que ele ia pegar a gente, meu deus, meu coração foi parar na boca. – disse a ruiva sentindo a pulsação voltar lentamente ao normal, a respiração estava ofegante ainda.

-É, eu percebi, você fez uma cara de assustada que eu me assustei só por isso..

-Ah, então eu estava assustadora é? – perguntou ela enlaçando os braços em volta do pescoço do moreno e aproximando seu corpo do dele, era um sentimento protetor que a invadia depois de tanto medo.

-Assustadoramente assustadora. – sussurrou ele para depois beijá-la carinhosamente e a proteção foi substituída por outra coisa agora, algo bem menos casto que antes.

-É, eu sei que boto medo nas pessoas, é uma reação natural, todo mundo me vê e pensa “Oh céus! A ruiva malvada dos cabelos flamejantes se aproxima, fuja da sua mortal, fatal , psicótica , perigosa e etecetera bola de fogo, oooooh!”, eu já me acostumei e eles geralmente se esquecem que eu tenho dentes! – disse a ruiva mostrando os dentes para o moreno, depois rugindo como a leoa que era.

-Jesus! – exclamou ele rindo alto – de onde você tira essas coisas? Eu nunca vi ninguém com uma imaginação tão fértil como a sua, e bem, apesar de genial, eu tenho que discordar, na minha opinião as pessoas podem até fugir, mas é com medo de se encantar com a sua beleza e morrer afogado.

-Afogado? Sabe, a minha beleza – disse ela desdenhando – não solta água nem nada liquido.

-Bem, não em você meu bem, acho que alguns homens ficam molhados, mas bem, esqueça, não é por isso que eles se afogariam.

-Porque então? E eu vou fingir que não entendi sobre eles ficarem molhados! – disse a ruiva divertida, balançando a cabeça com a idéia.

-Ah, você nunca ouviu falar da lenda das sereias ruivas que afogavam os marinheiros?

-Ah sim, claro, mas eu não sabia que eram sereias ruivas.

-Ah, isso é só um detalhe, sabe como é, as ruivas marcam, e as sereias morenas e loiras pintavam o cabelo pra marcar também, e pra demonstrar que o vermelho do cabelo delas os fariam queimar que nem o fogo do inferno.

-Nossa, que horror, meu cabelo ruivo não queima como o fogo do inferno. – contrapôs a ruiva olhando para o cabelo.

-Ah ruiva, eu não quero entrar em questões sexuais agora, mas bem, sexualmente falando, seu cabelo faz queimar, e bem.. deixe isso pra lá.

-Não quer entrar em questões sexuais? Não mesmo? – perguntou ela irônica enquanto brincava com os botões da camisa dele.

-Você entraria comigo? – perguntou ele arqueando as sobrancelhas e sorrindo para a ruiva, baixando o olhar para as mãos dela.

-Entraria onde? – perguntou ela observando o sorriso maroto de James, levantando o rosto dele para que ficasse na altura de seus olhos.

-Nas questões sexuais e em um lugar confortável e espaçoso pra gente por as questões em prática. – brincou ele mordendo o lábio inferior da ruiva.

-Isso é um convite? – perguntou ela assim que ele se afastou um pouco.

-Pode ser.. você quer? – perguntou ele já sabendo que a ruiva não iria querer e imaginando o quão evasiva ela seria.

-Propostas indecentes agora? Desculpe-me, mas não estou animada o suficiente. – desconversou ela enquanto corava fracamente.

-E se estivesse? – perguntou ele sorrindo ao constatar que estava certo, era bom perceber que ele conhecia cada vez mais a ruiva.

-Não sei, você teria que me fazer ficar assim pra saber. – disse ela provocativa, mas sabia que aquilo não passava de brincadeira.

-E eu posso?

-Você acha que pode?

-Hey! Não fuja, apenas responda, eu posso? – perguntou James ansioso, dessa vez foi ele quem a fez olhar em seus olhos.

-Pode tentar. – decidiu ela, trocando de posição com o moreno.

-E se eu conseguir? – perguntou ele divertido.

-Ué se conseguir conseguiu ué.. só que...

-Que.. ?

-Você ta preparado pra arcar com as conseqüências? – Ela mordia o canto dos lábios enquanto falava e o olhava com uma intensidade indescritível.

-Depende de até onde chegarmos. – Eles estavam sérios agora, a conversa tinha perdido o tom descontraído de antes.

-Então depende de você. – disse ela simplesmente.

-De mim? Não é você que precisa querer?

-É, mas é você que tem que me fazer querer.

-E se eu te fizer querer muito? – perguntou ele achando divertido o rumo da conversa, tentando não deixar toda aquela seriedade estragar o clima.

-Você precisa de mais do que muito, bem mais, pra me fazer querer muito.

-Você não me respondeu.. e se eu te fizer querer muito?

-Então eu vou querer muito, é simples.. mas, você me daria muito? – perguntou ela mudando de posição, agora era ela quem perguntava, ela se sentia mais confortável assim.

-Daria o que você quisesse.

-É, decididamente as coisas só dependem de você. – constatou a ruiva distraidamente.

-Só que é você quem diz que eu posso ou não fazer você querer.

-Quer saber se pode agora? – perguntou ela sem rodeios, ela queria ver até onde ele iria, e seu rosto tinha perdido o ar distraído de antes, mas uma vez a conversa perdia o tom brincalhão.

-Quero.. mas.. – começou ele.

-Mas estamos no meio da rua, são quase uma da manhã e acabamos de sair de uma situação embaraçosa, pra não dizer perigosa e provavelmente mortal, é.. eu sei. – completou ela sorrindo genuinamente, ela estava com medo de ter que dar a resposta.

-É, decididamente você sabe.


-Então..?


-O que? – perguntou James sem entender, ele ainda estava pensando nas possibilidades de que acorresse o que ele queria – e ao mesmo tempo não – que acontecesse.


-Pra onde vamos? O que faremos? Então..


-Ah.. então.. – respondeu ele tentando pensar em algo não muito perigoso, como ele e ela em um lugar mais confortável que um beco escuro.

-Vamos voltar pra lá? Aposto que o Vinicius ta me procurando por causa daquele tal de Pedro, e eu realmente espero que ele não encontre o menino, apesar que pela cara de Anna ela não vai deixar ele tentar nos encontrar de novo.

-Sim, é bom voltarmos e deixarmos ele nos ver, seria mais sensato isso, e bem, a gente tem a madrugada pela frente, ninguém precisa estar em casa antes das três, não é?

-É, vendo por esse lado, temos tempo sim, amanhã é domingo e nós estaremos sozinhos até segunda, tempo demais, espaço demais, tudo o que a gente precisa. – brincou a ruiva sorridente.

-É, realmente tudo, você só não pode mudar de idéia.

-Eu tenho cara de quem muda de idéia toda hora? – perguntou ela fingidamente irritada, e completou – Não responda! – Então riu brevemente, ele também sorria para a ruiva.

-Já que você promete não mudar de idéia..

-Prometo?

-Claro que sim, agora deixe-me continuar.. já que você promete não mudar de idéia, eu acho que seria bom você voltar embora comigo, não acha?

-Aaah, espertinho, e você vai fazer o que comigo hein?

-Ah, nada demais, só uns beijinhos castos, o que acha?

-Vou pensar no seu caso, maas.. eu não garanti nada, lembre-se disso!

-Ok, está lembrado já. – sorriu James pensando nas chances de poder ficar a sós com ela de novo.

-Então vamos?

-Aham, não queremos um irmão hiper irritado caçando dois jovens inocentes né.


-Ah sim, dois jovens inocentes sendo caçados seria terrível, não é? – ironizou ela enquanto o parava e o beijava.

O beijo foi tomando proporções perigosas, Lily sentiu o corpo estremecer ao perceber que a mão de James segurava firmemente a sua coxa.

-Nossa! Deveria ser crime beijar desse jeito.. – disse James beijando o pescoço da ruiva, ela estava toda arrepiada.

-Vamos embora? – sugeriu ela com um sorriso maroto, então James a pegou pela mão e a levou pra dentro da festa.

-Ué, pensei que o carro ficava do outro lado.. – disse ela sem entender porque eles estavam voltando pra festa.

-Vou mandar a Lucy avisar seu irmão e o povo, vem.. vamos logo! – Ela sorriu com a resposta do moreno e então eles entraram no clube e logo acharam Lucy.

-Hey Lucy, a gente já vai indo.

-Espera ai gente, dança com a gente a última música, a Lene e o Sirius já tão ali ó, dança só mais essa daí você vai Lily, você não dançou nenhuma comigo. – disse Lucy chorosa, mas ela também não queria ficar de vela pro Sirius e pra Lene e Lily percebendo isso decidiu fazer companhia pra amiga mais um pouquinho, então outra música começou a tocar e Lily e Lucy trocaram um olhar divertido. Sirius e Lene estavam próximos deles agora, mas ele ficou pra trás, estupefato pelo modo como Lucy dançava.

Ela dançava com Lily, as duas cantavam a música e Sirius não pode deixar de se sentir estranho com aquilo, ele não sabia se era pela letra da música ou se era pelo modo como a morena dançava, então ele percebeu que Lene segurava sua mão e aproximou-se do grupo, eles eram praticamente uma rodinha se não fosse ele que estava atrás de Lene, segurando-a pela cintura, ela agora dançava com as meninas, mas Lucy se afastou um milímetro das amigas pra dançar com ela mesma.

Ele estava parado, nem percebera isso, mas James sim, e ele lançava olhares divertidos e um tanto quanto incomodados para Sirius, só o próprio moreno não percebera que estava secando Lucy, que acabava de perceber que o moreno a encarava e tinha decidido provocar um pouco.

-Só tem dois tipos de cara lá fora, os que saem comigo e os que ficam assustados... então baby eu espero que você esteja preparado. - cantou ela olhando pra ele, então ela abaixou o olhar e voltou a dançar olhando pra outro lugar, mas ela percebeu o sorriso de Sirius, que finalmente tinha “acordado” e agora se movimentava de acordo com a namorada, que, pensava ele, não tinha percebido o momento de dispersão dele.

A música tinha acabado, então Lily avisou Lene e Sirius que ia embora, mas mal tinha acabado de falar e Vinicius,Anna, Remo e Dori haviam aparecido.
-Hey Lily, vamos? A gente já ta indo.. – disse Vinicius, então a ruiva disse:

-Ah não Vi, eu quero ficar. – James e Sirius abafaram uma risada.

-Eu levo ela Vini, fica tranqüilo. – disse James, então Sirius engasgou e levou duas cotoveladas, uma de Lene e outra de Lucy.

-Tudo bem então, mas não demorem, eu vou deixar a porta destrancada. – disse o menino, então Lily protestou.

-Nem pensar, eu tenho as chaves, e melhor trancar a porta.

-Ok, mas vê se não demora em, e cuida bem da minha irmãzinha James.

-Opa! Ele vai cuidar sim Vini, fica tranquilíssimo. – afirmou Sirius sorrindo bestamente, Lily quis esganar o moreno.

-Bem, então vou indo, você vem Lucy?

-Não Vini, eu vou com a Lily e o James.

-Tchau então. – E eles se despediram.

Sirius e Lene acabaram por ir com Vinicius e Lucy disse que já tinha com quem voltar – ela tinha sorrido maroto com isso, então ficaram só James e Lily sozinhos novamente.

-Quer ir embora ainda? – Perguntou ele.

-Hum, não quero ir pra casa necessariamente, mas vamos procurar a Lucy? Quem sabe ela não quer ir embora e a gente dá uma carona pra ela. – Foi só dizer isso que Lily e James avistaram Lucy e Nini conversando e Nini estava completamente bêbada e pelo que ela podia ver, Lucy tentava tirar o copo da mão dela.

-Maizi Luzy, ze ele numiqué.. eu quezro morrel..

-Hey, bola pra frente guria, vem que eu vou te levar pra casa.. você não deve ficar assim desse jeito.

-Tem razão Lucy, você não quer que eu leve ela pra casa? – perguntou Lily para a amiga, então a morena balançou a cabeça e disse:

-Não, vai festar com o Jay que eu levo ela pra casa.. vão... podem ir.. é bom que eu já vou embora também.

-Mas vocês não precisam de uma carona? Eu levo as duas pra casa..

-Não James, eu vou levar ela até a casa dela e vou embora com um serzinho ai.. tenho certas coisas pra fazer.. então não se preocupem e boa noite pra vocês – disse ela maliciosa afastando-se enquanto levava Nini, que era uma bêbada bem legal, na verdade, o que diferenciava ela bêbada de sóbria era o modo como ela falava, porque pelo que Lily tinha percebido, exceto isso, era a mesma coisa tanto sóbria quando bêbada.


Enquanto elas se afastavam James pegou na mão de Lily e eles foram em silêncio para o carro, tanto porque estava muito barulhento ali quanto o fato deles não terem o que dizer.

Eles entraram no carro, James deu partida e de repente eles estavam andando pela cidade, Lily se sentia nervosa, ela nunca estava confortável com o silêncio.

-Pra onde quer ir? – perguntou ele? Então sorriu, tirou uma mão do volante e olhou pra ela – Pro motel?

-Sonhe, vai ser o dinheiro mais mal empregado que você gastou em toda a sua vida. – disse ela em contrapartida, o fazendo sorrir mais ainda.

-Pra onde então?

-Qualquer lugar que não seja nossa casa, para mim, está ótimo. –respondeu apenas.

-Tudo bem.. –disse ele continuando a dirigir, era estranho vê-lo dirigir com apenas um mão, enquanto a outra despenteava os cabelos, era interessante.

-Que foi? Também acha imprudente dirigir com apenas uma mão? – perguntou ele enquanto colocava a outra mão de volta no volante.

-Não tenho opinião sobre o assunto..

-Então um beijo por seus pensamentos. – Ele sorria animado.

-Clichê!

-O que seriam das histórias de amor sem isso? E outra, eu quero um beijo e acho mais nobre apostar do que roubar.

-Muito nobre.. e eu não pensei que você nos considerava uma história de amor.

-Se você considerar o nós, então é uma história de amor.. existe nós?

-Isso está me deixando nervosa.

-Ah, pense que ninguém vai te crucificar nem nada pelo que disser. – Tentou tranqüilizar ele enquanto dirigia para fora da cidade. Os dois olhavam cada um pra um lado, ele pra frente e ela pela janela.

-Eu não sei responder.. mas existe um eu e você.

-Isso é bom.. mas e os seus pensamentos?

-É preciso mais que um beijo pra consegui-los.

-O que você quiser. – propôs ele.

-Estamos nos tornando repetitivos.

-Não preciso mencionar o “evasivos” também, preciso?

-Irônicos demais, talvez.

-Apenas diga sim ou não, simples. – Ele pressionou, ela não percebeu que o carro havia parado.

-Eu só estava observando você passar as mãos no cabelo, não tinha nenhum pensamento realmente relevante. – respondeu ela virando-se para encarar James.

A próxima coisa que sentiu foi seus lábios serem pressionados pelos dele e como era bom quando ele puxava levemente seus lábios.

A posição não era uma das mais favoráveis para um beijo, ainda, já que eles estavam de lado no banco, mas eles não estavam exatamente concentrados nisso.

Ele encostou sua testa na dela e ainda de olhos fechados (os dela também estavam) ele disse:

-Isso me parece ser “nós”.

-Isso me parece ser assédio sexual. – brincou ela abrindo os olhos, então ele a beijou novamente, mas foi encostar seus lábios nos dela que ele disse:

-Abra os olhos Lily! – Ela obedeceu, ele a pegou pela cintura e a levou para o banco detrás do carro, com os lábios colados nos dela. - Isso é assédio sexual.. – Concluiu ele enquanto a colocava no banco e encostava seu corpo no dela, então eles voltaram a se beijar e agora a posição era totalmente favorável para qualquer tipo de contato físico que quisessem.

Ele tentava não caracterizar o beijo como um amasso, mas foi sentir a mão da ruiva em sua barriga, por debaixo da blusa, que ele decidiu não ser tão cuidadoso quanto antes e assim, começou a beijar o pescoço dela enquanto a mesma ia levantando aos poucos sua camisa e explorava o peitoral dele, que sentia a vontade aumentar com cada contado da sua pele com a dela.

Lílian colocou as pernas em volta de James e ele tirou a mãos de seus braços e passou a segurá-la pelas costas, mantendo-a mais perto dele e fazendo-o beijá-la mais intensamente, ele sentiu as mãos da ruiva percorrer suas costas, era boa a sensação, ela pressionava cada parte do corpo dele no dela e só se fosse pele com pele para o contato o causar mais vontade.

Ela que beijava o pescoço dele agora enquanto apertava sua cintura, ela queria deixar marcas, era evidente.

-Você sabe o que isso faz comigo... Não é?! – perguntou ele enquanto suas mãos se dirigiam as coxas da ruiva.

-Você sabe o que isso faz comigo, também. – acusou ela se referindo às pernas, então ele a apertou mais forte e ela, em resposta, se ajustou ao corpo dele de modo com que pudesse senti-lo e beijou-o.
As mãos dele estavam dentro da blusa dela, ele não tocava seus seios, mas sentia todo o resto e ela não estava realmente incomodada com aquilo, na verdade, queria mais e internamente agradeceu por estar com um sutiã que abria pela frente e que era sensível ao mínimo toque, porém, que ainda estava fechado.
Eles terminaram o beijo e olhando nos olhos da ruiva, vendo a pele dela corar, ele foi retirando sua blusa. O sutiã verde ia ficando à mostra, ela estava completamente sem blusa e ele a beijava de novo. Preferindo não corar novamente, ela foi retirando a camisa dele enquanto se beijavam, agora eram os dois quites. A ruiva apertava firme a cintura dele enquanto ele a prensava no banco e eles eram praticamente um só, os dois sentiam cada pedaço do corpo do outro e pareciam querer cada vez mais.

Logo Lily chegou a pensar no quão bom seria se ela simplesmente se livrasse daquele sutiã incomodo e pudesse apenas sentir as mãos dele, mas ela não tinha coragem suficiente pra ela mesma tirar e ele não parecia que ia o fazer, então ela conformou-se com a idéia e deu mais atenção ao quadril do moreno, que avançava cada vez mais em direção a ela, fazendo-a desejar estar sem a calça jeans também.

Ele colocou a mão no pescoço dela enquanto a beijava e lentamente foi descendo as mãos, passou demoradamente (e para desespero da ruiva) por cima do sutiã sem realmente tirá-lo e desceu mais ainda as mãos.. passou por sua barriga, quase sua virilha, e chegando nos tornozelos, ele voltou a subir as mãos, então segurando firmemente a coxa da ruiva ele foi abrindo lentamente suas pernas e se prensando contra ela enquanto a apertava, ela não pode se conter e soltou um gemido, ele intensificou o aperto e a prensou mais, fazendo-a morder a boca de vontade.

-Pelo amor de Deus.. – começou ela, ofegante.

-O que? – sussurrou ele separando mais ainda as pernas dela, mas dessa vez com as próprias, a fazendo gemer novamente.

-Não para.. – pediu ela, no instante em que ele beijava seu pescoço.

-E o que mais?

-Me beija. – respondeu rapidamente, antes que pedisse para fazê-la dele ali mesmo, ele atendeu seu pedido prontamente e eles voltaram a se beijar mesmo os dois estando sem fôlego.

Ela deslizou as mãos pelas costas do moreno e sem se conter começou a apertar as coxas dele também, e fazendo, se é que possível, seus corpos se aproximarem mais, então ela começou a movimentar seu quadril também, investindo contra o moreno, fazendo assim com que houvesse mais contato entre os corpos, ele apertou firme sua cintura em resposta, e, soltando um pouco dela, eles trocaram de posições, agora ela estava sentada no colo dele e tinha que admitir, a sensação era incrível, as mãos dele a seguravam firme contra seu corpo e ele continuava se movimentando como antes, mas de alguma forma tudo ficou mais intenso enquanto ele beijava o colo da ruiva, então, antes de beijar sua boca novamente, ele sussurrou:

-Abra as pernas.. – E a beijou enquanto ele mesmo ia separando, modestamente, as pernas da ruiva e ela contribuía fazendo o que ele havia pedido.

Ela não conseguiu pensar em outra forma de sentir mais prazer do que aquele que estava sentindo nesse momento, ela imaginava ser exatamente aquela a sensação se eles estivessem sem as roupas, ela poderia senti-lo sem que o jeans interferisse, e a respiração dos dois ficou mais descompassada ainda, eles nem tentavam evitar os gemidos e James parecia sentir tanto prazer quanto ela, que agora pressionava sem corpo contra o dele sem receios, ela sentia como se nada fosse mais correto do que aquilo que fazia e ele provavelmente concordava, já que a abraçava mais forte, como se não fosse suficiente apenas passar a mão pelo corpo dela.

Lily se sentiu nervosa no momento em que as mãos de James desabotoaram o primeiro botão de sua calça, “Eu realmente irei dormir com ele?” Indagou ela, sem conseguir decidir se era realmente uma pergunta ou uma afirmação, mas ela não conseguia pará-lo, ela simplesmente não conseguia dizer que não, porque ela realmente não tinha certeza se não, mas ele deveria ter decidido por ela.

-Não, ainda não. – sussurrou novamente, e ela decidiu deixá-lo fazer o que ele achasse certo, se não o fosse, ela perceberia que não era então eles parariam por ali, mas no momento, ela não conseguia ver o porquê não deixar ele tirar sua calça, então ela, mais uma vez, estava livre de outra peça de roupa e eles estavam trocando de posição, agora ele a deitava no banco e se deitava sobre ela.

Mais uma vez a troca de posição fez com que algo mais acontecesse, e talvez ela devesse tirar a calça dele também, mas ela se contentou em apenas separar as pernas, evitando que ele o pedisse, e fazendo-o sorrir entre o beijo.

Se não fosse as (poucas) roupas e o fato de não ter nada entrando, realmente, nela, qualquer um diria, pelos movimentos e suas intensidades, que eles estavam... bem, você sabe. E de alguma forma, para eles, aquilo não parecia ser o suficiente, era como se ter o corpo do outro ali, á disposição, não fosse o bastante, mas ainda restava um pouco de lucidez nos dois e eles estavam aproveitando ao máximo o contato, que era o mais íntimo que poderiam ter sem que o moreno desvirginasse a ruiva, exceto pelo sutiã talvez, mas James sabia que se atravessasse essa fronteira, todo o autocontrole que ele não tinha estaria perdido e provavelmente haveria algo mais realmente, então ele contentou-se em beijar apenas o colo da ruiva e manter as mãos para si – não exatamente, mas ele sabia até onde podia ir e os seios da ruiva não estavam inclusos nisso, a não ser que eles fossem realmente dormir juntos e isso estava fora de cogitação, pelo menos por enquanto. Então eles continuaram se tocando onde podiam e se beijando até não poderem mais respirar.

James abriu as pernas da ruiva mais um pouco e querendo sentir algo novo, ele pegou as mãos da ruiva e foi guiando-a pelo seu corpo enquanto se beijavam e após isso, ela fez o mesmo com as mãos dele, demorando-se mais nos seios, já que ela ainda queria que ele a tocasse lá, então mais uma vez cada um começou a explorar o corpo do outro de forma independente e James foi levantando a ruiva até que ela estivesse sentada no colo dele novamente, mas dessa vez eles foram diminuindo o ritmo, tornando os toques mais carinhosos do que antes até que eles estivessem com as testas coladas, os corpos imóveis e os olhos fechados, um acariciando carinhosamente o braço do outro enquanto as mãos estavam entrelaçadas, mas Lily continuava no colo dele.

-Por um instante eu pensei... – começou ela, os lábios estavam inchados e o corpo suado, ela sentia-se levemente tremula.

-Eu também pensei.. – sorriu ele, o corpo estava exatamente como o da ruiva, porem ele estava de calça, enquanto ela, sem notar ou realmente se importar, estava apenas de calcinha e sutiã no colo dele.

-Isso foi a coisa mais... – começou ela novamente, então parou, esperando que ele pudesse responder o que era.

-Mais... ? –incentivou ele.

-Mais mais que eu já tive...

-Você é maravilhosa. - disse ele, então ele, pela primeira vez, olhou para fora do carro e percebeu que o céu estava quase clareando, ela percebeu isso também.

-Que horas são? – perguntou ela confusa.

-Seis e cinqüenta.. estamos aqui a praticamente três horas e meia.

-Nossa.. – disse ela apenas.

-Já que estamos aqui mesmo, quer ver o por do sol?

-Opa! Aham... – respondeu ela sorrindo, então ele olhou para o relógio que tinha encontrado jogado no banco (ele não saberia explicar quando o tirou) e disse:

-De acordo com alguém cujo nome não me lembro, começa daqui a dez minutos. – informou ele se ajeitando no banco e deitando as costas da ruiva em seu peito, então o céu, de repente, estava se manchando de vermelho e era a coisa mais linda que eles haviam visto, eles estavam com as mãos entrelaçadas e Lily se sentia estranhamente completa, era como se seu coração batesse no ritmo mais calmo e alegre que ele jamais havia batido, então ela sorriu enquanto uma enorme bola gigante aparecia no céu, tornando tudo mais vermelho ainda.

__________
AMORES DA MINHA VIDA! IM BACK!
Esse capitulo foi extremamente pornótico, eu sei, e eu espero que vocês curtam sinceramente, eu tentei caprichar o máximo que pudesse pra compensar meus meses de abstinência e um SUPER obrigado a todos aqueles que me apoiaram, mesmo sem saber o porque, muito obrigado, vocês foram o combustível pra minha inspiração voltar, eu amo vocês e agradeço muito a todos aqueles que esperaram e não me apedrejaram, muitíssimo obrigada mesmo.. e gentem.. comentem..eu quero saber o que vcs acharam dessa pegação toda entre o Jay e a Lily :D

Beeijão da autora que ama vocês :D
N/b-Oiieee!!!
Ai eu tava morrendo de saudades de betar o capítulo dessa autora/amiga maravilhosa que eh a Vanessaa...
Aiiii o cap tah PERFEITOOOOO!!!!
Meus parabéns Vanessaa...
Pode apostar que a espera valeu MUITOOO a pena...e pelo que eu toh percebendo essa história do James e da Lily tão ficando cada vez mais picante em???!!!!
Aaiii quero soh ver oq vai acontecer...
Bem...eu queria pedir desculpa pela demora em betar o cap mas eh eu iria betar o cap ontem (17/04) soh que eu tive prova a tarde e cheguei em casa com MUITAA enxaqueca... como melhorou um pouco(eu ainda toh com uma fraquinha ) eu decidir vim ler e betar para poder mandar para Vanessaaa...então desculpem a beta Tb!!
Aahh e melhor eu calar a boca pq eu falei mais que a autora...Sorry about that!
Beijãoo!!!
Lethicya Black
















GENTEM, EU VOU POSTAR A RESPOSTA DOS COMENTS AMANHA! QUEM COMENTAR HOJE PODE LER AMANHA A RESPOSTA DO SEU COMENT JÁ :D

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.