FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

3. How Good It Can Be


Fic: Teenage WASTELAND - AVISO ON!


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Teenage WASTELAND! - "They're all wasted..." Copyright 2008 by Nat W. Todos os direitos reservados. Trama, personagens originais e enredo. Proibida reprodução através de quaisquer meios. Harry Potter é propriedade de J.K. Rowling, Warner, Bloomsbury, Scholastic e Rocco.


__________________________________________




Capitulo III
How Good It Can Be




 Era unânime em toda a Hogwarts que os alunos não gostavam do fato de acordar cedo todos os dias. Mas, mudar o horário das aulas era algo que o conselho da escola nunca iria nem considerar em discutir. Sem escolha alguma, os milhares de alunos acordavam à contra gosto, ainda sonolentos e tropeçando até no piso liso de madeira. Como? Ninguém sabe. Com exceção de poucos estudantes que gostavam de acordar junto com as galinhas, esse era o começo da rotina escolar.


 A luz incandescente do sol cintilava na superfície escura do Lago Negro, e o céu estava limpo e sem nuvens, um bom sinal de que não iria chover a tarde toda, como era de costume na entrada do mês de setembro. As árvores balançavam fracamente numa dança ritmada, a brisa refrescante era leve, quase inexistente e o calor era sufocante. Na Torre do dormitório feminino da Grifinoria, os primeiros sinais de agitação aconteciam, onde uma ruiva quinto-anista se revirava na cama, resmungando coisas.


- Nossa... seus olhos são lindos, gato.. Rose falava, misturando algumas palavras e batendo as pernas no colchão.


- Eu ainda não me acostumei com isso. Disse Emily, olhando para a amiga sem entender. – E nunca vou conseguir, pra falar a verdade.


 Lucy apenas ria, assistindo a cena da prima. Quem disse que alguém tinha coragem de acordá-la? A ruiva era uma verdadeira fera pela manhã, era praticamente Ronald Weasley de saia, não era à toa que era filha do mesmo. Assim que Lucy terminava de pentear o cabelo, a porta do dormitório foi aberta com tanta força que bateu na parede de pedras rústicas, causando um estrondo e fazendo Rose cair da cama e soltar um palavrão bem alto, seguido de um gemido de dor.


- Acordou de bom humor, hoje? Perguntou Lucy, assim que Helena apareceu ao seu lado no espelho da penteadeira, ajeitando o cabelo.


- Eu sempre acordo de bom humor, Lu. Disse ela, e depois indo até o pé da cama, onde jazia o corpo inerte de Rose Weasley. – Só que a pergunta é mais cabida pra essa daqui.


- Quem? Eu? Perguntou Rose, grogue, ainda escondendo o rosto no travesseiro.


- Quem mais seria? Perguntou Emily, obviamente, enquanto pegava a bolsa cheia de livros.


- Acorde e brilhe ruiva! Exclamou Helena, animada. – Primeiro dia de aula! Você não adora estudar e essas outras coisas ai? Perguntou ela, rindo.


- Qual é o seu objetivo Lena? Perguntou Rose irritada, levantando do chão e indo até o banheiro lavar o rosto.


- Eu já atingi o meu objetivo, amor...  agora, faça o favor de tomar banho! Temos um longo dia pela frente e a última coisa que eu quero é você com... um cheiro desagradável.


 Rose olhou pra ela mal-humorada. Aquela morena parecia a famosa coruja de seu pai, Píchi, ou melhor, Pichitinho, como havia sido apelidada pela sua tia Gina. Que nem a coruja, Lena era saltitante, sempre de bom humor, e vivia falando, não importasse sobre o quê. Se ela fosse uma coruja, com certeza iria viver piando por aí. Tinha algumas vezes em que chegava a ser irritante, mas era a única coisa que sempre animava todo o pessoal, aquele jeito espontâneo e alegre únicos na garota.


 Não demorou muito e Rose saiu do banheiro, já vestida com o uniforme, e penteando o cabelo sob pressão das três, que reclamavam da lerdeza matinal da ruiva. Ela apenas resmungava, fingindo responder alguma coisa. Seu nível de entendimento entre o período de 8h00 as 10h00 era abaixo do normal para um ser humano, todos já deviam estar a par disso há muito tempo.


- Eu sou meio devagar de manhã, vocês têm que entender isso. Disse Rose, juntando alguns livros em cima da cama.


- Acredite, nós tentamos. Disse Lucy.


- Que saco... e de qualquer jeito, o que a gente vai ganhar acordando tão cedo? Perguntou ela incrédula, como se acordar a essa hora fosse algo novo.


- Eu não vou nem responder sua pergunta óbvia. Disse Emily, rindo e esperando a ruiva terminar de se arrumar. – Você, mais do que qualquer um, sabe a importância de prestar atenção numa aula, Rose Weasley.


- Pense que nem eu, Rosie... têm tantos gatos espalhados por essa escola que você se distrai assim – Disse Lena, estalando os dedos. – Num piscar de olhos... para o tal gato.


- Que gatos? O professor Flitwick? Perguntou Rose, rindo sarcástica. – Madame Norra, talvez?


- Não se faça de boba... você sabe muito bem quem são esses gatos! E falando em professor... esse ano vocês vão pegar o Ryan Mathews em Transfiguração, ele é o nosso professor... e uma das grandes razões pela qual eu estudo Transfiguração com mais afinco... Disse a morena, maliciosa.


- Meu Deus... não me diga que você ficou com esse professor?! Perguntou Lucy, incrédula.


- Mais alto, por favor! O velho moribundo e surdo da estalaria de Hogsmeade não lhe ouviu! Sussurrou Lena, irritada. – Não é bem assim... Continuou ela, deitando na cama.


- Como? Ou você ficou ou você não ficou! Disse Emily, obviamente.


- Depois eu conto, é uma longa história. Disse Helena.


- De qualquer jeito, ele deve ser melhor do que aquele velho horroroso que tínhamos desde o primeiro ano. Disse Lucy, pegando a bolsa e indo para a porta.


- Ta, agora vamos logo! Eu to morrendo de fome e tenho pressão baixa. Disse Emily puxando a ruiva pelo braço e indo atrás de Lena e Lucy, que iam na frente das duas.


 A Sala Comunal estava vazia como de costume a essa hora da manhã, já que todos estavam no Salão Principal. Apenas Louise e James estavam sentados no sofá, abraçados, esperando para que elas descessem e eles pudessem comer. Matt, Jayden e Albus haviam descido mais cedo, o primeiro para se encontrar com Peter, e os outros dois para pegarem um bom lugar na mesa do café da manhã. Lily e Hugo acordavam cedo, e Fred fazia questão de acompanhar Roxanne até a mesa da Grifinoria, pra ter certeza de que ela não iria se encontrar com nenhum garoto no meio do caminho. Portanto, só sobravam eles ali.


- Finalmente! Exclamou James, levantando do sofá junto com a namorada e indo até elas.


- É! Porque demoraram tanto? Perguntou Louise.


- Tivemos um pequeno imprevisto com umas das Weasley. Disse Helena, ligando o braço ao de Louise. – Como, nós não sabemos... mas Rose conseguiu descer ralo a baixo dentro do banheiro. Brincou a morena.


- Meu Deus! Agora sim eu entendo o porquê desse seu perfume estranho! Disse James passando o braço pelos pequenos ombros da prima, e brincando.


- Ah! Aquele que é igual ao seu? Perguntou Rose sarcástica, e fingindo dar um murro no moreno.


- Muito engraçada.


- Viu? Eu também sei gozar da cara dos outros, que nem você Jamie! Disse ela, dando a língua.


- Tudo bem, já chega! Andemos. James disse, tomando a mão da namorada e interrompendo a conversa dela com Lena, que olhou para ele com irritação.


- EI! Desse jeito eu fico com ciúmes, James Sirius Potter! Exclamou Lena rindo, e abraçando a amiga de volta.


- Não fique assim, você sabe que eu nunca iria te trocar por ele, Lena! Disse Louise, brincando e pulando em cima da morena.


- Uau, ação entre garotas... eu adoro isso! Disse James, cruzando os braços e olhando para as meninas com um rosto sonhador.


- Muito bem, vamos descer logo! Disse Lucy, interrompendo os pensamentos impuros do primo. – Já estamos mais do que atrasados!


 Os seis deixaram a Sala Comunal e desceram para o Salão Principal, para encontrar o pessoal pra o café da manhã. Quando atravessaram a grande porta de bronze, não tiveram dificuldade em localizar onde eles estavam sentados. O barulho que Albus, Jayden e Pete faziam era distinguível sobre toda a baderna do resto dos alunos. Dominique e Louis, apesar de serem da Corvinal, estavam sentados na mesa da Grifinoria com os amigos. A divisão entre as casas nas refeições não era algo que precisavam seguir estritamente. Os alunos podiam circular pelas mesas que quisessem agora.


- Bom dia meu povo! Exclamou James, se sentando ao lado de Matt e já se servindo de torradas com manteiga.


- Bom dia! Respondeu Dominique, em meio aos goles de suco de laranja.


- É, eu acho que você é a única que me responde por aqui... Resmungou James, olhando pros amigos que conversam outras coisas.


- Só o fato de ter que te aturar pelas próximas horas nos deixa desanimados. Disse Louis, com a voz abafada, já que “dormia” com a cabeça apoiada nos braços. – Estamos tentando aproveitar o máximo desse momento de paz interior.


- Cala a boca Loira. Disse Fred, empurrando a cabeça do primo, que levantou bocejando.


- E então Loira, vai sair do time esse ano ou não? Perguntou James, ignorando o mau humor do primo.


- Ele não vai sair, James. Disse Pete, antes que Louis pudesse responder alguma coisa e voltasse a dormir. – Nem adianta provocar! Completou ele.


- Eu não to fazendo nada! James disse, levantando os braços como se estivesse se rendendo.


- Ta, é claro. E você? Vai tirar aquele barril do seu time? Perguntou Pete, os olhos azuis cheios de cinismo.


- Que barril? Perguntou Albus, entrando na conversa.


- Nigel Parks, quem mais seria? Disse ele, rindo.


- EI! O cara pode ser gordo, mas ele é um bom batedor. Disse Jayden, entrando na conversa e defendendo a sua dupla de peso avantajado. – Se bem que eu ainda não tirei a minha dúvida se a vassoura dele é feita de chumbo. Disse ele, fazendo o pessoal rir.


- Ta... melhor que eu com certeza ele não é! Disse Pete, revirando os olhos e comendo o último pedaço do bacon.


- Você esta amargurado Peter. Disse Rose, interrompendo a conversa que estava tendo com Emily, Lucy, Lena, Louise e Dominique.


- Eu? Perguntou ele, olhando para a ruiva sem entender.


- O próprio. Ta na cara que você ainda não superou a derrota na final do ano passado! Disse Emily, apoiando a mão no queixo.


 As meninas todas focaram a sua atenção no moreno de olhos azuis, como se tivessem olhando para um objeto de estudo. Que objeto de estudo gostoso, hein? Hora da seção psicóloga. Peter olhava para as cinco, desconfortável com a situação.


- É fácil Pete, esqueça! Do mesmo jeito que você esquece as suas peguetes diárias. Disse Louise, revirando os olhos.


 Helena riu alto, mas preferiu não falar nada. Sabem quando dizem aquela coisa de “o sujo falando do mal lavado”? Pois é.


- As minhas peguetes? Repetiu ele, rindo. – Fala sério! Eu sabia que namorar com o James não ia ser bom pra você. Ele te corrompeu! Disse Pete, acusadoramente.


- Fale mais baixo, Peter. Sussurrou Louise, se inclinando em direção ao amigo.


- O que foi? Perguntou ele, sem saber do que ela falava.


- Você tem idéia do que acabou de falar? Perguntou Helena, olhando pra ele. – Você disse que o James corrompeu a garota! Ela disse, rindo.


- Falei alguma mentira? Disse ele, perguntando pro resto do pessoal, que balançou a cabeça negativamente.


- Como você consegue falar tanta merda? Perguntou James.


- Ansiosos para as próximas horas do dia? Perguntou Pete mudando de assunto e olhando para Lena, que estava sentada ao seu lado, e para Louise, James e Matt, os três na sua frente.


- Pode ter certeza que sim! Disse Helena, verdadeiramente.


 Louise olhou para ela com as sobrancelhas erguidas em surpresa. Desde quando aquela morena gostava de assistir aula? Bem, desde que Hogwarts passara a contratar professores qualificados esteticamente, é claro. Como ela podia se esquecer do professor Senhor Gostoso, Ryan Matthews? O único professor que interagia com os alunos a fim de que a aula fluísse com naturalidade? Louise tinha uma leve impressão que ele a amiga já tinham interagido sozinhos. E falando no diabo...


- Bom dia, crianças. Disse ele, professoralmente (?), enquanto distribuía os horários entre os estudantes da Grifinória.


- Bom dia Sr. Matthews! Disse Helena, mais animada do que o normal. – Entregando os horários? Perguntou ela, com um sorriso simpático de “eu sou uma aluna comportada” que só enganava aos professores.


- Sim. Bom dia, Srta. Harring. Respondeu ele, sorrindo tímido.


 Enquanto ele entregava os horários para o pessoal sentado naquela parte da mesa, Lena abanava-se com o pedaçinho de papel que continha as matérias que iria cursar até o resto do ano. Um sorriso malicioso se desenhava no seu rosto, e ela ria da cara das amigas que a encaravam boquiabertas. Só Helena para fazer algo assim, tão... contra as regras? Sem vergonha?


 O professor Matthews foi se afastando do lugar onde eles estavam sentados e seguiu fazendo o seu trabalho, deixando Helena suspirando sozinha, mordendo os lábios com urgência. Antes de sair andando, ele virou para a morena e mandou mais um dos seus sorrisos de dentes perfeitos, e assim que ficou fora do campo de audição, os assobios irritantes de James não deixaram que o silêncio se formasse no ambiente. As meninas só conseguiam rir e encarar Lena, que chegou a ficar envergonhada.


- Então teve sim alguma coisa! Disse Rose sorrindo, e lembrando-se do que a morena havia falado mais cedo no dormitório.


- Alguém pode me explicar o que acabou de acontecer? Perguntou Lucy, ainda sem acreditar.


- Ele estava babando em cima de você. Disse Emily, de olhos arregalados.


- Ele só FALOU com você! Exclamou Lily indignada, do lugar onde estava sentada com Roxanne e Hugo.


- Ei! Fique quieta no seu canto Lily Potter. Você ainda é muito nova pra essas coisas! Disse James autoritário, apontando o dedo pra irmã, que apontou “outro dedo” pra ele.


 Os dois tinham recebido regras estritas do pai, de que não queria um garoto sequer perto da filha caçula. De tudo que Harry pedia pra eles fazerem, essa era a única coisa que eles levavam a sério, para a tristeza da ruiva, que vivia sendo seguida pelos dois, os quais espantavam todos os garotos que chegavam perto dela.


- “Sim. Bom dia, Srta. Harring”. Disse Albus, numa imitação mais sedutora do professor.


- Da pra calarem a boca?! Vocês nem sabem... AH! Que droga! Porque eu fui fazer isso? Helena disse, enfurecida.


- Qual é! Disse James, com a boca cheia de bacon. – Nunca é bom ir contra o nosso coração. Disse ele, fingindo ser “o terapeuta”.


- Relaxa Srta. Harring! Disse Pete, brincando com a amiga.


- Eu já disse que odeio vocês hoje? Perguntou ela, seca, com os olhos numa risca fina.


- Não, bebê, mas a gente também te ama! Disse Pete, dando um dos seus lindos sorrisos para ela, aquele que qualquer garota suaria pra ver.


- Hilário. Helena disse, fechando a cara.


- Ok, já chega por hoje! Exclamou Louise para os meninos, que finalmente pararam.


 Assim que a discussão cessara, bateu 09h00 no relógio. A enxurrada de alunos levantava das mesas e seguia em direção ao saguão, de onde cada um seguiria para as suas salas. Enquanto Rose, Emily, Albus e Jayden tinham o primeiro horário de Feitiços com a Lufa-Lufa, James e os amigos seguiam para as masmorras pra uma aula dupla de Poções com a Sonserina. O resto dos Weasleys se dispersou e seguiu para as suas respectivas aulas também.


- Depois dessa aula vem o que? Perguntou Jayden, enquanto os quatro seguiam pelo corredor.


- Transfiguração. Respondeu Albus, olhando no papel que estava na sua mão, enquanto abraçava Emily.


- Meu Deus. Disse Rose, fechando os olhos e suspirando sonhadora, pensando no professor da disciplina.


- Você ta muito assanhada desde o café da manhã... Lena não é uma boa influência. E nem Louise! James e Peter só corrompem essas meninas. Disse Emily rindo.


- Esse ano vai ser diferente. Acreditem quando eu digo que vocês me verão usando o banheiro dos monitores com um propósito a mais! Disse ela, piscando.


- Eu, com certeza absoluta, não quero ver! Disse Albus, fazendo uma careta.


- Rose Weasley! Exclamou Jayden. – O que acha levar a mim pro banheiro dos monitores? Perguntou ele, fingindo ser o sedutor.


- De jeito nenhum. Disse ela cética.


- Pra alguém que sempre acordou de mau humor você ta bem animada. Disse Emily, arqueando as sobrancelhas em surpresa.


- E com fogo no rabo. Disse Jayden, recebendo um tapa na nuca pelo comentário.




~


 


- Credo... aula dupla de Poções com a Sonserina... é pedir pra morrer! Reclamou Matt, assim que eles haviam se sentado nas mesas.


 Uma das muitas coisas que fazia com que as aulas de Poções fossem horríveis era o ambiente. As masmorras eram frias, escuras e mesmo com a grande massa de estudantes circulando, toda vez que alguém falava muito alto, fazia um eco assustador. Os sonserinos já estavam acostumados com aquele lugar, já que a Sala Comunal deles era ali embaixo, mas os alunos das outras casas sofriam por ali.


- Nem fale. Não sei como eu consigo agüentar. Disse Louise, enquanto separava seus pergaminhos.


 No mesmo instante, o professor de poções entrou na sala, e como se ninguém tivesse entrado, os alunos continuaram a conversar normalmente. As aulas de poções eram chatas, mas o professor Conan era um dos mais simpáticos e liberais da escola, mais até do que o professor Matthews. Sempre fazia piadas, gostava de brincar com os alunos, mas na hora em que passava os rolos quilométricos de pergaminho para escrever, ou quando anunciava os pequenos testes práticos na sala, ele não brincava nem um pouco.


- Bom dia, turma! Sejam bem vindos a mais um tedioso ano com a minha ilustre persona. Disse ele, bem humorado, fazendo o pessoal rir. – Sem mais delongas, abram, por favor, o livro-texto na página 137.


 Qualquer aula, não importasse o professor ou disciplina, sempre passava numa lentidão sem tamanho. Nessas situações, parecia sempre que o relógio fazia um complô contra os alunos. Os ponteiros passavam tão devagar, que contar os segundos já não era tão convidativo quanto assistir às aulas. Depois da aula dupla de Poções, uma corrida até a estufa de Herbologia, e da sempre hilária aula prática de Feitiços, a hora mais esperada do dia – tirando o final das aulas – havia chegado. O almoço.


 Assim que deu meio dia, os corredores se encheram de alunos famintos pelo banquete do almoço. Era difícil andar naquele mar de gente, mas com um pouco de paciência era possível chegar ao Salão Principal.


- Ta, eu não achei que fossemos escapar de um monte de deveres no começo do ano... Disse Pete, tentando se conformar. – Mas tanta coisa assim? Não vamos ter tempo de fazer nada no fim de semana! Reclamou ele.


- E o que você esperava? Estamos no 7º ano! Disse Matt, obviamente.


- Eu esperava descanso! Disse James, antes que o amigo pudesse falar algo.


- Ta. Mas a não ser que vocês queiram voltar pra Hogwarts ano que vem, vão ter que abdicar dos descansos longos no fim de semana. Disse Louise, abraçada ao namorado.


- Quando eu estava no 1º ano, achava que tantas aulas assim só existiam com um objetivo: o de nos matar... mas olha só! Estamos vivos! Disse Lena, sarcástica.


- Concordo. Disse Pete, assim que os cinco conseguiram sair do corredor da sala de Feitiços.


- Grande proeza, não? Disse James rindo.


 Quando chegaram ao Salão Principal, avistaram o pessoal sentado no fim da mesa e foram se juntar à eles.


- E então, meus pupilos, como foram as primeiras horas? Perguntou James, sentando-se em frente à Albus e Emily.


- Normais... tirando a nossa prima fogosa aqui... Comentou Lucy, rindo.


- EI! Eu não sou nenhuma fogosa! Exclamou Rose indignada para a prima.


- Qual é! Até eu percebi que você tava encarando o professor “Bundinha Gostosa”. Disse Albus, revirando os olhos.


- Então você também estava olhando? Perguntou Rose, rindo.


- “Bundinha Gostosa”? Perguntou Fred, franzindo a testa. – Credo.


- Adorei o apelido Al! Disse Lena, enquanto o resto do pessoal ria.


- Continue assim, e eu vou ficar com ciúmes de você com o professor! Brincou Emily com o namorado.


- Mas que ele tem uma bundinha gostosa, ele tem... Afirmou Dominique, enquanto Louis fazia uma careta de nojo para a irmã.


- Ainda no tópico sobre glúteos... a minha é MUITO mais gostosa. Disse Jayden, enquanto bebia um gole de suco de abóbora.


- Até parece. A minha bunda ganha de todas aqui! Disse Peter, como se fosse óbvio.


- Esqueçam isso plebeus, e venerem a minha bunda, porque ela sim é a mais gostosa e... maleável. Disse James, convencido. – Podem perguntar a minha mãe.


- Se for assim, a minha também é! Albus disse.


- Que nojo! Exclamou Lily – Agora é que eu não como mesmo!


- Eu não vou falar nada! Não quero que você fique convencido. Disse Louise, rindo do namorado.


- Será que da pra mudarmos o assunto, por favor? Perguntou Roxanne.


- Já que é assim... hoje de manhã quando eu acordei, eu recebi uma carta da Molly! Disse Lucy animada para os primos.


- Falando na sua irmã, porque ela não foi ao almoço do domingo mesmo? Perguntou Hugo, com a boca cheia de spaghetti.


- Molly viajou, esqueceu? Perguntou Rose ao irmão.


- Ela disse que não poderia estar adorando a Irlanda mais do que já esta. Está morrendo de saudades, e que se não fosse pelo tempo que o curso toma, ela viria passar uma temporada por aqui, mas disse que também está ótima do jeito que está acomodada com o Jason, já que ele tem uma casa por lá.


- Se Molly não tivesse só 18 anos, eu tenho certeza que esses dois já estariam casados e com uma penca de filhos! Brincou Roxanne.


- E ai, mais novidades? Perguntou Lily.


- Não, só isso...


 Antes que Lucy pudesse dizer alguma coisa, James tomou a palavra na mesa e recebendo a devida atenção dos amigos.


- Sendo assim, vamos ao que realmente interessa. Disse ele.


- E o que realmente interessa? Perguntou Matt desconfiado.


- Isso não pode ser coisa boa... Disse Pete, rindo.


- É o seguinte... naquele domingo de noite, eu – por falta de palavras – bafei uma coisa que há muito tempo já devia estar em minhas mãos! A nossa salvação até o resto do ano, e que eu vou pensar duas vezes antes de passar pro meu irmãozinho... Disse ele, provocando uma expressão de confusão no rosto de Albus.


- Senhoras e senhores, sem mais delongas... a capa de invisibilidade do meu pai! Concluiu ele, orgulhoso do feito, e abriu os braços esperando as congratulações.


- James, o que deu em você? Perguntou Lily, séria. – Perdeu o sentindo da razão?


- Sério, o tio Harry vai te matar... vai te matar feio. Disse Rose, rindo um pouco da desgraça do primo.


- Ah... como eu esperei por isso... Disse Albus, sonhador.


- Jamie, acho que você exagerou um pouco... Disse Louise, olhando pro namorado.


- Não, espera ai meu povo! Pensem de novo nas coisas que vamos conseguir fazer com essa capa nas mãos? James apelou aos amigos.


- Ele ta certo. Disse Helena. Era possível ver o brilho de animação nos olhos da morena.


- Lena, já chega de açúcar pra você! Disse Louise, tentando não rir.


- Mas... Lena tentou falar, mas James a interrompeu.


- O que acham de uma pequena festa de começo de ano? Perguntou ele, esperançoso.


 A agitação foi inevitável. Era óbvio que com a capa de invisibilidade do pai de James as coisas iriam facilitar pra todo mundo. Achar um lugar no castelo não ia ser muito difícil. Com as “habilidades marotas” de James, Peter e Matt de burlar regras e infringir todo o estatuto de Hogwarts, eles nunca seriam pegos. Mas dar uma festa ia exigir muito trabalho, teriam que descobrir um jeito de como arranjar comida e bebidas, e principalmente, escolher com cuidado quem convidar e como organizar a entrada. Isso sim é que iria complicar as coisas.


- E como isso vai acontecer, gênio? Perguntou Dominique, por mais que tivesse adorado a idéia.


- Só precisamos ter cuidado pra que a notícia não se espalhe muito, o resto pode deixar comigo.


- Você sabe que se alguém descobrir isso você é expulso do time, não é? Perguntou Albus, preocupado com a Copa das Casas e deixando que o seu resto de bom-senso falasse.


- Relaxa Al, não vai acontecer nada... e do que adianta pensar negativo? Disse James.


 Após um silêncio em que todos maquinavam animadamente sobre como seria a festa, Rose falou.


- Eu não acredito que estou concordando com isso. Disse a ruiva. – Sério!


- Ah, não! Nem vem Rose! Foram muitos os que exclamaram desapontados.


- Vocês se esqueceram do fato de que eu sou monitora?


- Bem, é claro que não... Jayden começou a falar, mas foi interrompido pela ruiva.


- Pergunta retórica, imbecil.


- E eu sei lá o que é isso! Exclamou ele, indignado. – O que importa é que você vai concordar.


- Você TEM que concordar! Disse Lily, sorrindo de ponta a ponta.


- Lily, até você? Você é a salvação da família! Disse a ruiva.


- Não se engane, Rose. Disse Albus com um pequeno sorriso no rosto, balançando a cabeça negativamente para a irmã mais nova, a qual lhe dava murros através do pensamento.


- Só... diga que vai pensar no assunto... tá bem? Perguntou James, enquanto ele, a namorada e os três amigos se levantavam e seguiam para o próximo período de aulas.


- Tá, mas não vou fazer promessas. Rose respondeu e assistiu o primo e os amigos se afastarem.


- É melhor a gente ir logo, ou não conseguiremos bons lugares na aula. Disse Emily.


 Os cinco levantaram e saíram do Salão Principal com os braços carregados de livros. A próxima aula era de Poções, com a Sonserina. “Nossa, hoje só pode ser o meu dia...” Pensou Rose, atormentada só de imaginar a aula com os “amigos” sonserinos. O horário de segunda-feira não estava sendo dos melhores. Bem, pelo menos eles tiveram mais sorte do que James e o pessoal, que pegaram as duas primeiras aulas de Poções com a Sonserina.


 Essa era a primeira vez que Rose se pegava pensando na relação de ódio mútuo entre a Grifinória e a Sonserina. Ela sabia que os alunos da Corvinal e da Lufa-Lufa também não “adoravam” os sonserinos, mas essa rixa entre a Grifinória e a Sonserina era algo tão amargo e cheio de orgulho, um sentimento que os alunos de ambas as casas só faziam alimentar a cada dia, era diferente. Ela tinha presenciado a cena entre James e Malfoy, e não fora a primeira vez que ela via algo parecido, mas mesmo assim, ver o primo agir de um jeito que só fazia com que ele se assemelhasse mais e mais com Scorpius, bem... não era bonito de se ver.


 Rose entrou na sala de Poções com o pessoal e sentou-se numa das carteiras do fundo junto com Emily e Lucy, e na carteira de trás, sentaram Jayden e Albus. Não demorou muito e o professor Conan entrou apressado carregando uns papéis na mão e pedindo silêncio aos alunos.


- Boa tarde, crianças! Esse ano eu quero ver mais interação entre as casas, portanto... há uma lista ao lado do estoque de ingredientes, onde cada uma vai achar o seu par pelo resto do ano, depois que lerem a lista por favor, sente-se com o seu par e abram na página 19 do livro! Disse ele, eficiente, voltando à escrever em alguns papeis sobre a mesa.


 Rose levantou-se com as duas amigas e foi até onde a lista estava pregada. Ela estava com um péssimo pressentimento em relação à isso.


“Rose Weasley e Scorpius Malfoy”


 O nome Scorpius Malfoy flutuou em sua mente, e ela tentava processar a informação. Rose ficou em estado catatônico, até que Lucy a tirou do transe com um estalo na frente dos olhos, que mais como um balde de água fria.


- Rose! Estava aonde? Perguntou Lucy, tirando a amiga do transe repentino.


- Não sei, mas com certeza eu acabei de chegar no inferno. Disse ela, com os dentes cerrados de raiva.


 O que era aquilo tudo? Algum complô? Porque de repente o universo estava tramando contra ela? Aquilo só podia ser castigo.


- Então, ta esperando o que Weasley? Perguntou Scorpius atrás dela, sua voz não era impaciente.


Rose o seguiu até uma das mesas vagas em silêncio. O que ela tinha feito pra merecer aquilo?


- Não vai falar nada? Perguntou ele, sem olhar pra ela, enquanto abria o livro na página indicada pelo professor.


- É o que eu pretendo! Ela disse, irritada.


- Uma pena, pois vamos trabalhar juntos o ano todo, então eu meio que espero que você copere, porque eu não estou nem um pouco afim de me dar mal em Poções. Ele disse, separando um béquer.


- Só você, é? Egocêntrico.


- Parece que sou só eu mesmo, já que você não dá a mínima pra o trabalho! Ele retrucou.


- Você acordou com um espírito suicída hoje não é? Pelo menos é o que eu acho...


 Á esse ponto, Rose estava praticamente gritando na cara dele, que não respondia no mesmo tom, mas matinha um sorrisinho debochado na cara, ainda sem olhar nos olhos dela. Não demorou nada pra que os dois atraíssem a atenção do resto da sala. Albus e Jayden tentavam esconder o riso e as meninas não acreditavam no que viam.


- Posso saber o que está acontecendo aqui? Perguntou o professor, que levantou-se de onde estava e agora está na frente dos dois.


- Nada senhor, só não sabia que jumentos eram aceitos em Hogwarts. Disse ela, olhando pro loiro.


- Pois bem, eu também não sabia que você morava num galinheiro, Weasley. Ele disse, sério.


 Não teve ninguém que não risse dos comentários, e para evitar mais transtornos, o professor resolveu apartar a discussão.


- Muito bem, o que vocês acham de se encontrar todos os dias para a detenção e lá poderem discutir sobre a fauna mundial... com certeza será melhor do que na minha aula. Disse o professor, calmo como sempre.


- Mas...


- Sem mas. Por favor, façam silêncio e começem a prática. Agora.


Inferno. Rose havia acertado em cheio no lugar aonde estava.




N/A: Ai meu Deus, to morrendo de vergonha! Obrigada a todos que não desistiram da fic! MUITO OBRIGADA! Não sei nem por onde começar mas, vamos lá. Eu passei de ano - WOHOOO! :D - e agora sou uma menina do 1º ano, que coisa bonita né? E eu fiquei totalmente em crise, sem conseguir escrever nada. Isso ai não foi bonito. Sempre que tentava escrever não saía nada... e mesmo que eu escrevesse alguma coisa, só ia sair merda. E entre merda e nada, eu escolhi nada :P Resumindo, eu sinto muitíssimo, e prometo que se acontecer algo parecido outra vez - Deus queira que NÃO! - eu vou dar um aviso pra vocês, tá? (: Mas agora, é águas passadas! Espero que tenham gostado do capítulo. Não foi o melhor que eu pude fazer, mas também não tá horrível. Comentários e críticas são SEMPRE bem vindos(as), e eu amo todos vocês! Ah, primeira notificação: as atualizações sempre serão nos fins de semana, tá? (: Vou tentar postar um capítulo por fim-de-semana, pode sair no sábado ou no domingo, mas vai sair! Se não sair, eu aviso.




xoxo. Nat W.

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.