FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

6. Dia de Chuva


Fic: Vida De Adolescente


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Capítulo VI




Seis horas da manhã e o sol me toca
Com a paz que renova tudo em minha volta
Som a noite inteira com a lua refletindo
No fim do túnel a luz que cerca o meu caminho

Já tá tudo pronto pra trip decolar
E na bagagem traz sorte pra somar
Pela sensação de liberdade é conduzido
Limita o seu pudor e libera seu libido

E o jogo virou
E a casa caiu
Causando a mil por hora e nada abala
E o jogo virou
A mente se abriu, eu vou voar
O mundo gira e bota sempre tudo no lugar


Eu desliguei meu despertador e comecei a rastejar para fora da cama.
Me sinto renovado! Também, comparando com anteontem, eu dormi que nem um porco.
Botei uma calça jeans, uma camiseta e um boné com aba. Depois desci para o café da manhã.
-Bom dia, mãe! – falei pulando direto os últimos dois degraus da escada e indo me sentar.
-Bom dia, Ron. – ela disse me servindo mingau. – Como essa casa fica vazia sem a Gininha...
Puxa saco ¬¬. Tenho certeza de que se eu fosse dormir na casa do Harry ela nem notaria.
-Bom dia, família! – falou Fred descendo as escadas junto com George.
-Vocês acordados há essa hora? – eu perguntei surpreso.
-Nós temos trabalho para fazer. – respondeu George se sentando na minha frente. – Ô mãe, cadê o jornal?
-Na sala, por quê?
-É que eu e o George queremos comprar uma loja lá no centro. E talvez trabalhar lá por boa parte do tempo.
-E onde fica a faculdade nisso? – ela perguntou se afastando do fogão para encarar os dois.
-Er... A gente tem que te contar uma coisinha...
-Ah, não! Vocês tiraram nota vermelha de novo?! Eu não sei mais o que eu faço com vocês! – ela disse botando a mão na testa.
-Na verdade, mãe, nós não fomos mal nas provas! – disse George se levantando e indo de costas em direção as escadas junto com Fred.
-Isso é maravilhoso! Mas, então, o que vocês têm que me contar?
-Que nós na verdade fomos... Expulsos...
Minha mãe mudou para pálida, vermelha e roxa em uma velocidade tão rápida que pensei que ela iria passar mal. Logo depois, ela ficou com aquela cara que assustaria qualquer criancinha (criancinha? Eu mesmo me assusto quando ela faz essa cara).
-Mas, olha só! Nós já vamos abrir nosso próprio negócio, vamos ganhar dinheiro. Vai ser praticamente a mesma coisa, não?! – perguntou Fred, agora já praticamente correndo escada a cima.
-FRED E GEORGE WEASLEY!!! – minha mãe gritou começando a perseguir os dois pelas escadas. Fazia um bom tempo que eu não a via tão irritada. – PODEM IR VOLTANDO OS DOIS!!
Melhor eu ir para a escola antes que sobre para mim. Tomei o meu leite em um só gole e corri para a garagem.
Mas eu tenho que concordar, minha manhã fica muito chata sem a Gina para me incomodar...
Liguei o carro e, em alguns minutos, consegui ver a grande placa de pedra com os dizeres “Hogwarts School – A melhor escola da Inglaterra” um pouco a frente. Estacionei o carro e caminhei em direção às escadas de mármore.
-Fala aí, Roniquinho! – falou Draco surgindo do nada e dando um soco no meu ombro. – Tudo combinado para o recreio?
-Sim, Draco. Eu já teria que ver mesmo por causa da Lilá.
-Vai ser muito engraçado, ainda não consegui imaginar a Lilá tentando dar um mortal.
-Mortal, Draco? Acho que ela tem que aprender a ficar equilibrada sobre os dois pés antes. – Harry falou se intrometendo.
-Da onde você veio, ô assombração? – perguntei fitando Harry com as sobrancelhas arqueadas.
-Isso influencia em alguma coisa?
-Nã...
-Então deixa quieto. – ele tampou a minha boca com a sua mão antes que eu pudesse retrucar. – Onde está a sua irmã?
-Isso influencia em alguma coisa? – perguntei só para provocá-lo como ele fez comigo.
-Responde logo, Rony...
-Ela dormiu na casa da Mione, mas eu ainda não a vi.
-Eu tenho quase certeza que vi a ruiva entrando no colégio. – disse Draco dando de ombros. – Mas a Granger não estava junto.
-Ela deve estar por aí. – falou Harry. – Nós vamos indo, temos computação com a gata daquela professora. – Harry me arrastou para a sala de aula ao escutar o sinal bater enquanto Draco ia falar com o Zabini.
Hermione não apareceu na primeira aula. E nem na segunda.
Eu cheguei a ver Gina nos corredores enquanto me dirigia para a aula de História, a última antes do recreio. Hermione não estava junto com ela. Tentei me aproximar para perguntar aonde aquela menina tinha ido, mas estava tão tumultuado nos corredores que não consegui me aproximar de Gina. Provavelmente Hermione tinha ficado doente e a Sra. Granger teve a bondade de trazer Gina à escola.
A aula foi a mesma chatice de sempre, a única coisa que mudou (e que sinceramente me deixou um tantinho chocado) foi o professor me chamar no final da aula para me elogiar.
-Parabéns, Sr. Wesbey.
-É Weasley, senhor.
-Você tirou a nota máxima do trabalho que dei para vocês no início da semana. O que foi uma grande mudança, principalmente vindo de você (não precisa me chamar de burro também não, ok?!). Mas enfim, eu gostaria de saber o que você fez para melhorar tanto a sua nota.
-Hum... Eu... Estudei?
-Outra desculpa, por favor, Sr. Waleys.
-Ok, a Hermione me ajudou. – admiti ignorando o fato de ele ter me chamado pelo nome errado.
-A Srta. Granger?
-Sim. – agora todo o crédito que eu recebi vai pro beleléu -_-”.
-Então, a partir de agora, ela será a sua dupla de estudos.
Ok, agora eu estou confuso :/.
-Ã?
-Ela é uma ótima aluna e muito prestativa. – Essa é nova. Agora ele anda reparando nos alunos ¬¬’. – E, como a sua nota subiu consideravelmente com a ajuda dela, quero que ela lhe dê algumas “forcinhas” para as tarefas, estudos etc.
Rapaz! Agora ele liga para as notas dos seus alunos também! Quanta evolução em apenas alguns minutos. Se bem que talvez ele queira menos pirralhos para dar aula de recuperação durante o verão. É, faz mais sentido.
-Então você quer que eu praticamente tenha aulas extras?
-Exatamente!
Me mata.
-Então, por favor, fale isso quando a encontrar. Já pode se retirar, Sr. Waesbley.
Eu saí da sala de aula ainda meio em transe. Tudo bem, a Mione é minha amiga, mas... Cara! São AULAS EXTRAS! Isso é, no mínimo, um pesadelo para qualquer garoto entre 10 a 18 anos.
Legal, o Harry não me esperou. Ele já deve ter ido para o ginásio com o Draco.
Eu corri atravessando a escola inteira para conseguir chegar ao ginásio. Quando eu entrei, vi uma grande massa formada por meninos de todas as idades que você pode imaginar. Deveria ter umas 300 pessoas ali (só do sexo masculino). Eu ultrapassei a grande onda de pessoas para chegar à Draco, Harry, Neville e outros meninos da minha turma que estavam bem lá na frente, diante de um palco onde as meninas mostrariam o que sabem para tentar entrar no trio.
-Alguém já se apresentou? - perguntei pegando umas batatinhas do salgadinho de Neville.
-Ainda não. – ele respondeu de boca cheia. – Mas provavelmente não vai demorar muito.
Dito e feito. Logo depois, Luna subiu no palco com um microfone na mão.
-Uau! – ela falou no microfone fazendo todos ficarem quietos. – Bom, eu não sabia que viria tanta gente assistir. Enfim, bem-vindos ao concurso de líderes de torcida!
A platéia assobiou e começou a gritar.
-Nesse concurso, nós – Cho e Pansy subiram no palco – iremos escolher apenas uma garota sortuda e talentosa para se juntar a nossa equipe! Então, sem mais delongas, vamos começar logo com isso. Afinal, temos apenas 20 minutos de recreio, não acham que deveriam aumentar?!
Toda a platéia (inclusive eu) começamos a gritar em concordância. Luna riu e voltou a falar.
-Ok, agora chega de gracinhas. Vamos começar. – Cho se abaixou no canto do palco e fez uma música invadir o ginásio ligando o aparelho de som. – A primeira que vai se apresentar será a Ana Abbott! – Luna leu o nome em um papel que segurava e bateu palmas se dirigindo para o canto do palco junto com as outras.
Logo depois, a Abbott surgiu de uma porta que tinha no palco. Ela era uma menina com o rosto rosado e com os cabelos loiros presos em marias-chiquinhas. Ela caminhou até o centro do palco, vestindo roupas laranja-abóbora, assim como os pompons que segurava. Nós, da platéia, ficamos esperando ela começar. Ela levantou os dois pompons para cima e começou a gritar:
-EU QUERO UM H, EU QUERO UM O, EU QUERO UM G... – ela gritava sobre a música com uma voz terrivelmente fina e irritante. Enquanto continuava soletrando, ela só balançava os pompons de um lado para o outro.
Eu tapei os meus ouvidos com força. Essa era pior do que eu pensava. Já no final da palavra ela começou a pular no mesmo lugar.
-EU QUERO UM T, EU QUERO UM S! H.O.G.W.A.R.T.S., VIVA A HOGWARTS!! – ela bateu palmas para si mesma e jogando beijos para a platéia saiu saltitando do palco.
-Er, ok. Agora vamos para a próxima. - falou Luna coçando a nuca e olhando novamente para o papel que segurava. – Mila Bulstrode! – respondeu por fim batendo palmas.
Uma garota miúda, usando um largo moletom azul marinho entrou no palco. Ela caminhou tropeçando até o meio e então fitou a platéia. Eu consegui ver gotas de suor surgindo na sua testa enquanto ela tentava ajeitar o colarinho do moletom. Ela olhava toda hora para os lados e sem nenhum aviso simplesmente pulou do palco e saiu correndo ginásio afora começando a soluçar.
-Pelo visto só estamos assistindo as profissionais hoje. – ironizou Draco fitando a barra da calça de Mila desaparecer pela porta. – Se elas pelo menos usassem saia...
-Acalme-se, Draco. Esqueceu que vamos ver o grande espetáculo da Lilá hoje? – lembrou Blás fazendo todos dali rir (leia-se: todos menos eu).
-Atenção, pessoal! – falou Pansy no microfone chamando a atenção de todos para o palco novamente. – Temos problemas! Faltam apenas uns três minutos para acabar o recreio e nós temos que voltar para aquelas aulas chatas. – todos da platéia soltaram exclamações furiosas. – Mas... – ela sorriu. – Como todas nós adoramos vocês, Luna está ligando para o gabinete do diretor, pedindo para liberar esses dois últimos períodos só para nós.
Toda a platéia explodiu de vivas. Alguns minutos depois Luna apareceu no palco com um sorriso no rosto.
-Dá para se dizer que temos sorte de ter Dumbledore como diretor, pois creio que se fosse Snape ele não teria liberado agora a pouco esses períodos. – todos aplaudiram e assobiaram com a confirmação. – Como eu acredito que nós não iremos demorar tanto tempo para resolver isso aqui, assim que terminarmos vocês terão o tempo que sobrou livre para ir para casa ou ficar de bobeira com os amigos!
-Isso aí!!!! – ouvi Harry gritar ao meu lado.
-Manda ver, Luna! – gritou Neville abanando para ela, que corou levemente e fingiu não ter escutado.
-Bom, então vamos continuar!
Luna continuou chamando as garotas. Todas elas iam até lá, caiam de bunda e voltavam. Realmente, nenhuma sabia o que fazer. Talvez menos uma morena, era até bonitinha, que sabia dar algumas estrelinhas. As gêmeas Patil também eram boas, mas como só sabiam se apresentar em grupo foram desclassificadas, pois elas só aceitariam uma delas (se bem que eu acho que era para a Cho não arrancar os cabelos da Padma). Depois disso eu parei de prestar atenção e fiquei conversando com o Zabine.
Chegavam cada vez mais pessoas para assistir, pois tinham ido para as suas salas de aula, descobriram que não haveria aula nos últimos períodos e vieram para cá. Foi então que eu vi Gina tentando chegar até nós.
-Gina! Onde você estava? – perguntei quando ela chegou ao meu lado.
-Por aí. – ela disse simplesmente dando de ombros. – Eu já perdi a Lilá?
-Ainda não. – respondeu Draco.
-Ainda bem, nunca mais vou ter essa chance. – ela falou roubando um salgadinho de um estranho que estava passando por nós. Estava tudo tão amontoado que ele nem percebeu.
-Onde é que está a Mione? – perguntei procurando por ela no meio da multidão. Imaginei que ela tinha vindo com a Gina.
-Ela não foi à aula? – Gina perguntou surpresa.
-Não a vimos hoje.
-Hum, daqui a pouco ela deve aparecer, só deve estar matando aula. Pela primeira vez na vida ela resolveu ser normal. – Gina disse rindo. Mas logo depois revirou os olhos e murmurou alguma coisa parecida com “Exagerada...”.
Alguns minutos depois Luna chamou.
-E agora, a última pessoa de hoje: Lilá Brown!
Todos aplaudiram, pela primeira vez iria uma menina a qual todos consideravam bonita.
Lilá caminhou até o centro do palco como se tivesse desfilando, piscando para a platéia e dando tchauzinho. Ela usava um conjunto de saia e top de couro cor de rosa, super justos no corpo. E eu realmente acho que essa é a saia mais curta que ela tem (e olha que ela tem MUUUUUUUUUUUUITAS minissaias). O cabelo dela estava solto com chapinha, tinha algumas mechas cor de rosa e prendia a franja com presilhas em forma de estrelas prateadas (Mil vezes pior do que a Sharpay para você ter noção, menina! O que foi?! Homem não pode ver HSM, não?? ¬¬).
Ela logo me encontrou e deu um berro:
-Uon-Uon!!! Olha eu aqui, ó!!!! – ela abanava as duas mãos freneticamente na minha direção. Eu senti meu rosto arder de vergonha ao ver todas as cabeças do ginásio virar na minha direção. Eu dei um tchau discreto e Luna interrompeu Lilá.
-Lilá, continue, sim?
-É mesmo, me desculpe, Luluxa.
Consegui ver Luna mostrar, sem Lilá ver, a língua com nojo por causa do novo apelido.
-Arrasa, Lilá!! – gritou Gina ao meu lado – Literalmente... – completou rindo junto com o Harry.
E então ela começou...
Primeiro ela juntou os dois pés e as mãos na frente do corpo, enquanto batia o pé direito no chão no ritmo da música que tocava. Depois, ela separou os dois pés pulando e jogou as mãos para o alto.
-1, 2, 3, GO, HOGWARTS!!! – e então ela levantou a perna direita para frente, mais ou menos uns 90° e, pegando impulso, começou a correr para frente (em direção a platéia) se inclinando para tentar dar um mortal quando...
Acabou tropeçando no cabo do aparelho de som, começando a perder o equilíbrio, e para não cair no chão, correu meio tonta trocando os pés, e ainda inclinada para se equilibrar. O problema é que não deu certo e ela acabou caindo em direção à platéia, bem no colo do Simas.
Simas conseguiu segurá-la antes que ela caísse no chão, e Lilá botou a mão na testa tentando passar a tontura. Seu rosto ficava cada vez mais vermelho enquanto absorvia o fato de ter caindo que nem uma avestruz bêbada do palco e todos terem visto sua calcinha fio dental de bolinhas pretas.
-Lilá, disfarça... Desse jeito o Rony vai descobrir do nosso caso. – Simas disse ainda a segurando no colo. Todos riram (mais do que já estavam) e ela começou a dar tapas no seu ombro.
-Que merd* de caso o que?! Me solta seu tarado! – ela ficou se sacudindo.
-Calma, amor, eles não precisam saber o quando as nossas relações acabam ficando hots, se é que você me entende e...
Todos do ginásio acabaram explodindo em risadas – inclusive eu. O Simas sabe ser realmente engraçado e, era estranho, mas eu nunca tinha sentido muito ciúme da Lilá como acontece com a minha irmã. Lilá ficou completamente vermelha de raiva e acabou dando um tapa na cara do Simas para conseguir se soltar, o interrompendo. O barulho do tapa correu por todo o ginásio em uma espécie de eco e todos ali se calaram abruptamente. Logo depois todos começaram a fazer “OH!!!!!!” e a rir ainda mais. Lilá já estava escarlate.
-Estúpidos! – ela resmungou saindo do ginásio, provavelmente preferindo nem falar comigo depois desse micão. Simas ainda esfregava o rosto por causa do tapa e Gina se segurava em Harry para não cair de tanto rir.
-Bem, pessoas, a Lilá foi à última. – Luna falava no microfone apertando a barriga por causa das risadas. – Nós agora iremos nos reunir para descobrir quem foi a escolhida e depois vocês já podem ir embora.
-Espere! – falou Cho surgindo da porta do palco.
Ela murmurou algo no ouvido de Luna.
-Mesmo?!
A chinesa fez que sim com a cabeça e Luna botou a mão na boca, surpresa.
-O que está acontecendo? – perguntei a Draco, que deu de ombros.
-Um minuto, gente, parece que temos uma coisinha para resolver. – falou Luna novamente no microfone e depois sumiu pela porta junto com Cho.
O barulho começou total no ginásio. Todos se perguntavam o que estava acontecendo. Até os meus amigos. Eu olhei para Gina e vi que ela tinha um sorriso de orelha a orelha.
-Mas o que...? – eu ia perguntar por que ela estava daquele jeito quando Luna voltou para o palco.
-Gente, parece que temos uma... Inscrição de última hora.
Fitei Gina e o sorriso dela estava cada vez maior. Que diabos era aquilo?
Cho pareceu cochichar com alguém na porta e então caminhou até o rádio para trocar de música. Disturbia – Rihanna, identifiquei na hora.
-E com vocês... Hermione Granger!
Todos ofegaram de surpresa. Os olhos de Draco estavam completamente esbugalhados, os meus deveriam estar iguais aos deles. Ainda estava tentando entender, eu deveria ter escutado errado. Hermione, líder de torcida? Um absurdo. E acho que todo o resto do ginásio (que ainda prendia a respiração) concordavam. Gina parecia ser a única que não estava surpresa.
E, então, Hermione caminhou para o centro do palco.
Se antes o ginásio tinha apenas ofegado, você não tem nem idéia da reação de todos agora. Todas as pessoas que eu olhava estavam com as bocas abertas, e muitos meninos babavam. Ao ver que eu também estava nesse estado tratei de fechar a boca. Aquela nem de longe era Hermione Granger, mas sim a miss universo versão 17 anos.
Os cabelos castanhos estavam soltos, caindo em cachos perfeitos mais ou menos na altura dos ombros, e não mais aquele ninho que costumava ser. Seus lábios eram rosados e cheios no batom que ela usava, e tinha uma maquiagem leve, mas que valorizava os seus olhos, que, pela primeira vez, eu notei que eram de um lindo tom de chocolate.
Estava usando uma blusa justa, e não mais os seus moletons velhos. Valorizava-lhe o corpo, que antes parecia não ter curvas. Usava também um short, que ia até a metade da coxa (mais descente do que todos que a Lilá tem).
Hermione corou ao notar o modo com que todos a olhavam.
-Vamos lá, Mi!!! – Gina gritou.
Hermione se virou para Cho e pediu para recomeçar a música que agora já estava no meio.
E então ela começou a bater o pé no ritmo da música.

Bum bum be-dum bum bum be-dum bum
What's wrong with me?


Ela olhava devagar para os lados como se interpretasse uma peça de teatro e mexia a boca do modo que parecia que era ela que estava cantando. Realmente, ela seria uma boa atriz.

Bum bum be-dum bum bum be-dum bum
Why do I feel like this?
Bum bum be-dum bum bum be-dum bum
I'm going crazy now


Nesse momento ela botou as mãos nas raízes do cabelo e fechou os olhos, ainda interpretando a música.

Bum bum be-dum bum bum be-dum bum

E, então, ela saiu correndo dando um mortal no ar e caindo em pé. Todos ofegaram, inclusive as próprias líderes de torcida.
Agora ela já não cantava mais, e sim dançava no ritmo da musica. Ela combinava o ritmo com os seus passos perfeitamente, dando mortais e diferentes tipos de saltos nos tempos certos, sem nunca cair no chão. Teve uma hora que ela deu uma cambalhota no chão, se levantou sem usar as mãos e deu três mortais seguidos, em alguns poucos segundos.
Mesmo depois de tantos saltos e giros ela ainda não perdia a sua graciosidade, dando a impressão que ela tinha o mesmo peso de uma pluma. Seus cabelos, agora totalmente suados, balançavam de um lado pro outro de acordo com os seus passos precisos.
A platéia prendia o ar, sem ter consciência dos seus atos.
E eu de repente tirei 3 conclusões que agora eram obvias para mim;

1ª: Hermione Granger é bonita - fato
2ª: CDFs também podem virar lideres de torcida – ou dançar bem, que seja
3ª: Não era porcaria nenhuma de prima na foto do orkut dela.

Além de estar dando um arraso no palco, Hermione também conquistou o carisma de quem estava assistindo. Ela nunca parava de sorrir e combinava passos de dança na coreografia, não ficando apenas aquela coisa de ginástica olímpica como todas as outras fizeram (se bem que nem dava para chamar aquilo de ginástica, estava mais para “Como pagar mico em publico; dez lições que podem ser aprendidas até 30 segundos, ou seu dinheiro de volta!”).
Quando vi a musica tinha acabado e Hermione estava ofegante na beira no palco fazendo uma reverencia de agradecimento (ainda com os seus dentes brancos à amostra). Todos aplaudiram e não se conseguia escutar quase nada por causa disso. Pude ver Lilá na porta do ginásio, provavelmente voltara para ver os resultados e viu Hermione dançando. Ela estava com os dentes trincados e os punhos fechados.
-É isso ai Mione!! Uou!!!!– Eu gritei abanando para ela, que me viu e acabou ficando mais corada ainda.
-Bem, acho que não restam dúvidas, não é mesmo? - Luna perguntou, ainda com os olhos um tanto arregalados. – Parabéns, Hermione, você ganhou! – e Luna foi abraçar a sua mais nova amiga sorrindo. As outras duas ficaram para trás, ainda em estado de choque pelo fato de que uma CDF agora andaria com elas.
-Obrigada, Luna. – ela falou retribuindo o abraço.
Gina e Neville foram os primeiros a invadir o palco para abraçar a amiga logo após a Luna. Eu subi depois, dando um impulso para abraçá-la, mas depois pensei melhor e enfiei as mãos no bolso ficando levemente corado. Hermione pareceu não ter notado nada.
-Parabéns, Mione! – falei sorrindo.
-Obrigada, Ron. – ela retribuiu o sorriso.
-Então foi por isso que faltou aula, é? – eu perguntei dando um soquinho fraco no seu ombro, mas mesmo assim a fazendo cambalear um pouco. Nós estávamos saindo do palco e Hermione estava sendo cumprimentada por todos.
-Qual é, eu ia parecer uma palhaça. Olha essa roupa! – ela apontou para si mesma. – A Gina me fez vestir isso para ter alguma chance, não é à toa que demoramos tanto no shopping.
Sabe, acho que a Mione não se enxergou de verdade com essa roupa. Palhaça? Por favor...
Nós passamos por Draco, que tinha ficando para trás. Ele ainda tinha a boca escancarada e fitava o palco agora vazio. Deve estar em estado de choque...
-Tirei nota máxima no trabalho que você me ajudou! Obrigado de novo. – falei me lembrando do prof. Binns.
-De nada. – ela falou sorrindo. Nós agora estávamos indo em direção ao estacionamento, chuviscava, e eu finalmente percebi que o inverno tinha chegado fechando o máximo possível do meu casaco. Hermione, mesmo com calor por causa da dança, tremia levemente de frio. Sem nos tocarmos, a gente tinha acabado se separando dos outros.
-Ah é, ele pediu que, se você quisesse, para me ajudar com história. Ele se surpreendeu com o trabalho que você fez nessa última vez. – eu sorri sem jeito.
-Claro! Por mim tudo bem. – ela falou.
-Sério? Bom, então vamos combinar um dia desses, você vai lá em casa e a gente estuda.
-O... Ok... – ela falou batendo os dentes. – O... Ou, vo... você, popo-de ir lá e, em, ca... casa.
-Você está congelando. – disse tirando meu casaco.
-O que você está fazendo?! – ela perguntou revoltada tentando segurar o bater de dentes.
-Dando o meu casado para você. – falei oferecendo-o para ela. – Pegue.
-Bota isso de novo. Não sou uma criança...
-Você vai ficar doente e não vai ter ajudado em nada ter ganhado esse concurso.
-Eu sou forte. Não vou pegar um resfriado por ter ficado cinco minutos na chuva.
-Hermione, deixe de ser teimosa. – eu falei olhando sério para ela. Ela arrancou o casaco da minha mão e o botou a contra gosto.
-Satisfeito?! – ela perguntou mal humorada.
-Sim. – falei dando um sorriso debochado e tentando ignorar o frio que eu sentia.
-Você que vai ficar doente agora. – e ela bufou como uma criança emburrada me fazendo rir.
-Você é uma figura. – disse dando uma descabelada nela.
-Meu dia fica perdido quando não descubro que tem pessoas que se divertem com a minha desgraça. – ela falou irônica ajeitando os cabelos de novo. - Agora é melhor eu ir andando, senão perco o ônibus de novo. Tchau, Ron. – ela me deu o casaco de volta.
-Nem esquenta. Pode ficar com ele. Amanhã eu pego de volta.
-Obrigada, então. – falou o colocando de novo o casaco e foi correndo para o ponto de ônibus. – Até depois! – gritou já longe.
-Ronald Billius Weasley! – gritou Lilá, surgindo atrás de mim logo depois. Ela estava incrivelmente vermelha e tremia de raiva. – Posso saber por que você estava com ela em vez de comigo?!!!
-Lilá, ela é a minha amiga e ganhou o concurso. Eu tinha ido cumprimentá-la e...
-Pior ainda!! Ela roubou o meu lugar! Eu deveria ser a líder de torcida! E você ficou todo “Viva, Mionizinha, você ganhou” e blábláblá, enquanto eu paguei o maior mico e você nem para tentar impedir o Simas de falar aquelas bobagens!
-Relaxa, Lilá. Ele só estava brincando. E a Mione e eu somos amigos.
-Relaxar?! Aquele idiota me chamou de PUT*!
-Por favor, Lilá... Deixa de ser exagerada.
-E aquela NERD metida à gostosa está roubando o meu namorado diante dos meus olhos. COMO EU POSSO RELAXAR?! – ela gritou na minha cara, ignorando o que eu tinha dito antes.
-Lilá?! Você está bem? Da onde tirou isso? Que parte de minha amiga você não entendeu?
-Para mim, ela está muito mais do que amiga! Dormiu na sua casa, coisa que eu nunca fiz! Foi no seu aniversário – sendo que vocês se falavam há um dia –, você deu carona para ela e não vou nem comentar na inhaca que aquele professor velho ainda ajudou a fazer! – ela gritava sem parar para respirar – E o que foi isso agora?! VOCÊ NUNCA ME DEU O SEU CASACO QUANDO ESTAVA FRIO!! NEM MESMO AGORA! E AÍ ESSA COISA CHEGA E VOCÊ DÁ PARA ELA DE TODO BOM GRADO.
-Lilá, você está parecendo um urso polar por causa desse casaco de pêlos brancos. A Mione não estava usando nenhum.
-Urso?! URSO??!! DAQUI A POUCO VOU VIRAR A BALEIA AZUL, NÃO É?! CLARO, AGORA QUE A MIONE – ela disse o nome com nojo – TIROU OS PANOS, VOCÊ FICOU BABANDO EM CIMA DOS PEITÕES DELA E FICOU ME ACHANDO UM OGRO!
-Como se a Lilá não tivesse peitos... – murmurei para mim mesmo revirando os olhos.
-PORQUE SE VOCÊ NÃO ME QUER, TEM QUEM QUEIRA! SE EU COMEÇAR A FAZER UM STRIP AGORA, VAI JUNTAR UM BANDO DE BABÕES PARA TE PROVAR ISSO! – e não é que a louca começou a tirar o casaco mesmo?! – IUHU!! QUEM QUER VER UMA GOSTOSA SE PELAR NA CHUVA?!
Como reação automática, todos do sexo masculino se amontoaram em volta dela enquanto essa dançava sensualmente. Senti meu rosto queimar de raiva e quando Lilá já estava ameaçando abrir os botões da sua camiseta eu a puxei pelo braço e a tirei a força de lá.
-O que foi? Mudou de idéia, é?! – ela perguntou se agarrando no meu pescoço. – Voltou a me preferir do que a Granger? – ela começou a passar a mão perigosamente sobre o meu peito.
-Eu nunca disse que a Mione era mais do que amiga. – eu falei a deixando numa distância segura e começando a botar nela o casaco de pêlos novamente.
-MENTIRA! – ela de repente se afastou de mim e gritou apontando o dedo na minha cara.
-Chega, Lilá, ok?! CHEGA! Vá dormir, você só está cansada. Eu vou procurar a minha irmã. Fui! – e eu me virei e saí sem a deixar responder. Minha paciência tem limites também!
-EU... ODEIO... A HERMIONE GRANGER!!!! – ela gritou.
-Vai continuar o show, Lilá?!
-CALEM A BOCA! – escutei ela berrar de longe. Ela anda muito paranóica. Por favor, ter medo de eu me, er, apaixonar pela Mione? Ela anda vendo coisas.
Eu caminhei até o carro e encontrei Harry e Gina encostados nele aos altos papos.
-Finalmente, maninho. A Lilá tá de TPM? – Gina perguntou entrando no carro.
-Não, ela é assim mesmo 24 horas por dia... – respondi entrando no carro também.
-Então quer dizer que ia rolar strip, é?
-Cala a boca. – respondi irritado. Essa menina me apronta cada uma.
Hoje o Harry resolveu se sentar no banco de trás, e ele e a Gina ficaram tagalerando todo o caminho até eu levá-lo para casa. Depois Gina ligou o rádio e, para a minha surpresa, botou em um pagode.
-Você também?! – perguntei incrédulo me referindo ao Harry e ela. – Acho que isso deve ser contagioso... – é, parece que chegou a época de Gina trocar o gosto musical de novo.
Eu entrei na rua da minha casa, ainda meio distraído com toda essa história da Hermione ser a nova líder de torcida e tals... Agora a chuva apertara bastante, dando direito a trovões e raios.
Eu e a Gina entramos em casa e fomos para a cozinha. Sacudi meus cabelos tentando sem sucesso secá-los e logo vi que tinha um bilhete em cima da mesa.

Roniquinho e Gina,

Eu e Arthur, que saiu mais cedo do trabalho, vamos para o aeroporto pegar Gui. Sim, mesmo depois de ter te visitado Rony no seu aniversário, ele resolveu vir para cá de novo. Já não era sem tempo, fazia literalmente anos que ele não vinha nos ver. E parece que ele tem uma surpresa para nós.
Então não nos esperem até depois do jantar, pois seu irmão quer almoçar com a gente em um restaurante e depois ir até o centro de Londres, já que faz muito tempo que ele não vai lá.
Beijos, Molly.

PS: O almoço e a janta de vocês estão no forno, desculpem por não poderem comer algo feito na hora à noite.


-Parece que só vai ser nós dois em casa hoje. – falei botando o bilhete novamente em cima da mesa. – Vamos comer?
Depois do almoço, eu fui ver um pouco de TV, enquanto Gina falava com o Harry por MSN no meu computador (o dela acabou queimando ontem à noite).
-Oi, Roniquinho! – disse Fred em um dos meus ouvidos me fazendo dar um pulo.
-Ok, de onde vocês dois vieram? – perguntei respirando fundo, enquanto eu recuperava o tom de pele normal que eu tinha antes do susto.
-Janela da cozinha. – respondeu George dando de ombros. – Mamãe nos deixou de castigo e a gente escapuliu até uma imobiliária. A gente não tinha certeza de quando ela ia voltar, então nós preferimos vir pela janela.
-O que vocês foram fazer numa imobiliária?
-Achar um lugar para abrir a nossa loja. – disse Fred. – Nós temos algumas economias, e Sirius vai nos dar o dinheiro que faltar por causa de uma aposta que nós fizemos.
-É, o Sirius é um cara legal... Principalmente quando ele está meio dormindo e acaba fazendo coisas sem pensar.
-Ah, sim! Quando a loja estiver pronta, você terá que trabalhar para a gente! – falou George animado dando um tapa nas minhas costas e me molhando todo.
-Já tinha me esquecido disso... E obrigado por me molhar. – falei irônico trocando de canal.
-Eu acho que foi uma boa idéia, George. Nós vamos gastar menos do que com um funcionário de verdade.
Eu deixei os dois falando sobre a loja e subi para o meu quarto.
-Gina, cai fora. – falei querendo expulsar ela do computador.
-Por quê?
-Meu quarto, meu computador, minha cadeira, minha eletricidade... Quer que eu continue?
-Então você vai ter que me deixar convidar o Harry e a Mi para virem aqui *-*. – ela falou imitando o gatinho do Shrek.
-Por mim está ok, eles são meus amigos também. – eu falei dando de ombros e carregando ela para fora da minha cadeira.
-Uou, me deixa convidar eles primeiro. – ela disse voltando para o computador.
5 minutos depois...
-Ok, acho que já foi tempo o suficiente.
-Tá, só deixa eu me despedir de todo mundo.
15 minutos depois...
-Tá, agora TCHAU! – eu falei a arrastando da cadeira para fora do quarto e bati a porta. Fui até o meu guarda-roupa trocar de blusa (que estava molhada) e botei um moletom.
Então eu resolvi tocar um pouco de violão. Eu tinha que praticar, já estava ficando sem jeito. Abri a minha velha partitura e peguei uma musiquinha que eu já não tocava há algum tempo.
Depois de alguns minutos tocando, escutei a campainha soar lá embaixo. Eu deixei meu violão de lado e desci as escadarias.
-Ok... Eu acho que não vinha bônus no meu pedido. Pelo menos vocês não avisaram que estavam com uma promoção.
-Ah, cala a boca, Tomatinho, e nos tira logo dessa chuva. – disse Draco apertando com força uma das minhas bochechas. – E, sério, nunca mais fale isso de novo. Promoção...
Eu o ignorei.
-O Draco estava lá em casa, espero que não se importe. – falou Harry entrando logo atrás e tirando o casaco molhado.
-Bom, já vai vir todo o povão pra cá mesmo. – eu disse esfregando a minha bochecha. – O meu irmão vai chegar de noite.
-Qual deles? – perguntou Harry se jogando no sofá ao lado de Draco.
-O Gui.
-Oi, Harry! – falou Gina descendo as escadas.
-E aí, ruivinha. Gostei da blusa.
-Ah, oi para você também, Malfoy. – ela disse de mau gosto se sentando ao lado de Harry, enquanto Draco piscava para ela. Odeio isso ¬¬.
-Nem liga, Gi. Ele é retardado assim mesmo. Mal de família, sabe? – disse Harry levando um soco no ombro dado por Draco.
-Não se esqueça que o seu padrinho é meu tio de 2º grau, eu acho... O que me leva ser parente distante seu.
-Não, porque o Sirius me batizou, então eu não tenho o seu sangue.
-Já acabaram com o debate da árvore genealógica de vocês? – perguntei ficando levemente irritado.
-Bem, o que vamos fazer?
Parecia que um raio tinha caído no meu quintal, pois o som do trovão me deixou surdo por alguns segundos.
-Como o dia está bonito hoje. – comentou Draco esfregando os ouvidos.
-Parece até que está de noite de tão escuro. – murmurei.
A campainha tocou novamente e Gina foi atender. Não demorou muito e ela voltou trazendo uma Hermione com os cabelos totalmente molhados junto.
-Oi, gente. – disse Hermione sorrindo e se sentando ao lado de Draco, o único lugar vago.
-Olá, Hermi. Sabia que eu adorei você com aqueles shorts? – falou Draco botando o braço descaradamente atrás do ombro de Hermione. De repente, aquela coisa dentro do meu estômago, que eu descobri que existia ontem no shopping, voltou à vida e começou a pular feito um louco me dando uma sensação horrível.
-Que bom que gostou, Drake, - ela falou chegando muito perto do rosto de Draco e botando a mão sobre a sua face. Por que essa merd* não pára de se jogar contra a parede do meu estômago?! - Pois essa será a única lembrança que você vai ter de mim usando um. – e ela apertou a bochecha de Draco (como aquela sua tia baranga chata faz) fazendo o próprio exclamar de dor ou surpresa, eu ainda não descobri.
Todos nós começamos a rir, menos Draco, que ficou emburrado e com a bochecha incrivelmente vermelha.
-Era só falar, não precisava partir para a agressão.
-Desculpa, Drake. – a Mione disse rindo e piscando travessamente para mim.
-Que presente é esse Mione? – perguntou Harry e só então eu vi um embrulho laranja disforme em suas mãos.
-Já ia me esquecendo. O seu presente atrasado, Rony. – ela falou me entregando o pacote.
-Não precisava... – falei enquanto rasgava o papel de embrulho.
-Então, o que achou?
Fiquei totalmente sem fala encarando o grande abrigo laranja do Chudley Cannons, meu time do coração. Fiquei literalmente namorando ele na vitrine durante uns dois anos, mas nunca pude comprar, pois custava mais de 300 reais. E agora eu tinha ganhado ele, de minha amiga de apenas três dias.
-Rony?
-Uau! – foi a única coisa que eu consegui dizer, ainda hipnotizado pelo laranja vivo.
-Isso na língua do Rony significa “Adorei! Muito obrigado”. – esclareceu Gina, fazendo Hermione rir. Eu finalmente saí do meu transe dando um olhar feio para Gina.
-Muito obrigada mesmo, Hermione. Eu queria comprar isso há anos! Mas não precisava gastar tanto dinheiro.
-Nem esquenta, minha mãe tem uma pequena fortuna, herança do meu avô. E, como somos amigos, acho que você merece algo bom.
-Ih, to estranhando... – murmurou Draco no meio de um ataque de tosse fingido.
Logo depois Harry e Gina também começaram a nos azucrinar deixando eu e a Mione completamente corados.
-Eu vou lá guardar isso. – falei tentando fugir de todos aqueles “ihhh” e “Lilá tem que tomar cuidado”. Sério, por que todos insistem em pensar besteira? Pô, somos tri amigos e só!
Quando eu voltei, todos tinham voltado para uma conversa normal.
-Mas como é que você sabia fazer aquilo tão bem, Mione? – perguntou Harry se referindo ao concurso.
-Faço ginástica olímpica junto com a Gina. É o único esporte que eu gosto.
De repente a nossa conversa na detenção começou a fazer sentido.
-E ela é a melhor da turma! Eu tive que insistir para ela tentar ser líder de torcida, porque eu tinha certeza que ela ia ganhar.
E a conversa que eu escutei pelas orelhas extensíveis também se clareou depois disso.
-Isso é legal. Não sabia que você sabia fazer outras coisas além de tirar notas boas!
-Obrigada, Malfoy. Eu acho...
Outro trovão, que nos fez tremer.
-Eu tive uma idéia! – exclamou Gina se levantando do sofá com um salto. – Olhe só esse dia! É perfeito!
-Se você está se referindo a tomar banho sem gastar dinheiro... Eu tenho que concordar com você, Ginevra.
Gina fez uma careta para o Malfoy por ter falado seu nome em voz alta.
-Não estou falando de tentar deixar seu cabelo menos oleoso, Malfoy. – disse Gina fazendo Draco soltar uma exclamação.
-Meu cabelo é perfeito e incrivelmente brilhoso, ok? –disse Draco fazendo uma voz incrivelmente gay, mas Gina apenas o ignorou.
-O que vocês acham de alugarmos um filme de terror e assistir?
-Sim!
-Ótima idéia!
-Nem pensar!
-Você tem medo, Hermione? – eu perguntei desafiadoramente.
-Não, eu só acho muito chato ouvir pessoas gritando sem motivo. – ela disse dando um risinho nervoso.
-Sei...
-Eu aposto que consigo ficar o filme todo sem gritar! – ela falou me olhando desafiadoramente.
-Epa!
-Escutamos a palavra aposta?
Os gêmeos surgiram do topo das escadas e desceram escorregando pelo corrimão.
-Ok, o que estão apostando? – perguntou Fred.
-Que eu consigo ficar o filme de terror inteirinho sem gritar. – disse Hermione antes que eu falasse que nós não tínhamos apostado nada.
-Então você quer mesmo apostar?
-Por quê? Está com medo de perder?
-Nem um pouco!
-Gosta de chocolate?
-Sim.
-Então quem perder vai ter que comprar uma caixa para o perdedor. Daquelas bem caras com licor de tudo.
-Feito. – eu falei apertando fortemente a sua mão.
-Agora que já terminaram, quem vai alugar o filme? – perguntou George e automaticamente todos os olhares se viraram para mim.
-Tudo bem, eu vou. – falei me dirigindo para a porta.
-Eu vou com você. – disse Hermione me seguindo.
-Vocês: façam pipoca, negrinho e tudo de bom para o filme. – falei antes de abrir a porta.
-Pronta para perder?
-Nenhum pouco. – ela disse sorrindo. – Ah, aqui está o seu casaco. – ela falou enquanto a gente passava pelo cabide. – Eu tinha deixado aqui para secar. Obrigada de novo.
-De nada. – eu falei botando o casaco e saindo para a rua. A chuva estava cada vez mais forte e, se alguém olhasse para o céu, iria apenas ver milhares de relâmpagos. Nós dois entramos no carro e eu liguei o motor. – Não vai achando que eu vou ter pena de você. – falei dando ré para sair da garagem. – Eu vou pegar o filme mais assustador que tiver lá.
-Tudo bem, eu agüento. – ela disse debochando da minha cara enquanto enrolava o cabelo molhado e botava para um dos ombros.
Em uma das sinaleiras eu a fitei, pensativo. Mesmo ela já estando sem maquiagem e ter voltado a usar os seus moletons velhos, eu simplesmente não conseguia mais ver Hermione como antes. Era como se a imagem dela no palco tivesse sido gravada na minha mente e eu agora não conseguia mais imaginar ela como uma simples CDF com uma juba de leão, mas sim a minha amiga que arrasara no concurso de hoje. Talvez a Hermione verdadeira seja mesmo a que apareceu no palco, mas que só agora tinha dado as caras.
Saí do meu “modo filosófico” porque Hermione não parava de repetir que o sinal já tinha aberto.
-Onde fica a locadora?
-Logo ali no final da rua. – falei estacionando o carro. – Melhor estacionarmos aqui. Não quero outra multa.
-Como assim OUTRA multa, Ronald Weasley? – ela perguntou botando as mãos na cintura e ficando parecidíssima com a minha mãe.
-Eu estacionei o carro em lugar proibido e acabei levando uma multa. Vamos logo. – falei tirando a chave da ignição e saindo do carro. Ainda chovia muito, então abri o guarda-chuva.
-Você está com esse carro desde terça! Como pode já ter levado uma multa?? – Hermione falava tentando me acompanhar para ficar em baixo do guarda-chuva também. – Isso vai sujar a sua reputação como motorista! Pode até perder a carteira! Além de que os seus pais não vão gostar quando chegar pelo correio... – e ela continuou com o seu discurso. Como alguém pode ser tão mandona?!
-Hermione, só foi uma multa, eu não atropelei ninguém! – disse revirando os olhos.
-Mas isso é no começo. Daqui a pouco você vai sair por aí dirigindo bêbado e apostando corrida nas ruas! Se Molly ficar sabendo disso... Eu não quero nem pensar e...
Aquilo já estava me irritando. Sem ter total consciência dos meus atos, eu simplesmente larguei o guarda-chuva no chão e tapei a boca de Hermione com as mãos. Ela se calou na mesma hora.
-Já entendi... – falei bem devagar como se fosse para uma criança de cinco anos. Senti seu rosto ficar quente entre as minhas mãos e ela franziu as sobrancelhas. -Eu consegui tirar carteira, também não sou nenhum doente mental. – murmurei.
Ela falou alguma coisa parecida com “Me solta, eu estou encharcada, seu besta” e eu ri divertido e notando que também estava totalmente molhado.
Hermione cruzou os braços, irritada, e então eu vi que estava seguro destampar a sua boca. Depois eu me abaixei e peguei novamente o guarda-chuva.
-Mas é o que parece... – ela falou distraída vindo para debaixo do guarda-chuva e torcendo as roupas molhadas. Agora ela já tinha começado a recuperar o seu tom de pele normal enquanto a raiva ia embora. – Quer dizer... No dia em que eu dormi na sua casa, você estava quase roncando em cima do volante.
-Eu aposto que quando você tiver o seu carro vai bater no primeiro poste que tiver porque você vai estar tão ocupada incomodando os outros que nem vai notar! – falei revidando.
Ela soltou uma exclamação furiosa e começou a dar tapas no meu ombro.
-Ok! Eu estava brincando! – falei correndo para a locadora enquanto ela me perseguia tentando bater nas minhas costas.
Eu abri a porta e entrei fechando o guarda-chuva. Hermione entrou logo atrás torcendo os cabelos.
Eu olhei as estantes procurando o filme mais assustador que tinha. Hermione fitava distraída os filmes de romance.
Peguei um filme e paguei a diária antes que o dono da loja tivesse um ataque cardíaco porque estávamos deixando o chão cheio de lama. Eu e Hermione voltamos para o carro, dessa vez mais rápido, pois já não podíamos ficar ainda mais encharcados.
A chuva não diminuiu. Talvez tenha apenas aumentado, deixando o número de trovões e raios ainda mais assustadores. Em alguns minutos, nós já tínhamos chegado em casa e entramos correndo, deixando o guarda-chuva encostado na porta.
-Até que enfim! – disse Draco, enquanto trazia cobertores e almofadas e colocava na frente da TV. – O guarda-chuva estava furado? – perguntou ao ver como nós dois estávamos molhados.
-Não. – disse Hermione me dando um tapa.
-Hei!
-Onde estão Gina e Harry? – ela disse indiferente, ignorando a minha exclamação.
-Cozinha. – Draco falou e eu logo identifiquei que era de lá que vinham todas as risadas.
-Eu vou ajudá-los. – falei indo para a cozinha enquanto Hermione botava o filme no DVD.
Ok, eu preciso completar que fiquei um tanto chocado ao ver a cena da cozinha? Bem, estava com um cheiro forte de bolo queimado, tinha leite e ovos quebrados no chão e tudo estava coberto de farinha. TUDO, nem as cortinas e janelas escaparam.
Harry estava no chão, com Gina em cima dele, enquanto tentava sujá-lo de chocolate. Ele segurava os dois pulsos de Gina com apenas uma mão, para impedi-la de sujá-lo mais ainda e, com a outra, fazia cócegas em sua barriga. Os dois pareciam ter 70 anos, por causa do cabelo branco e rolavam de tanto rir.
Enquanto eu e Hermione estávamos na locadora, simplesmente passou um furacão pela cozinha, sem o tapado do Draco perceber.
-GINA WEASLEY!!! – eu gritei ficando incrivelmente vermelho. Gina parou de rir imediatamente e Harry parecia ter virado uma estátua. – Que parte do cozinhar VOCÊS NÃO ENTENDERAM?!
-Credo, Rony, você parece a mamãe.
-Não, Ginevra. Acredite, você já teria virado presunto se fosse a mamãe!
-Presunto?
-Calado, Harry, você também fez merd*. – eu respirei fundo. – Vocês vão limpar isso aí sozinhos e eu vou ver ali na dispensa se tem algo para comer que não precise preparar. – completei dando um olhar para o fogão, que estava sujo de cobertura de chocolate.
-O que houve? – perguntou Fred aparecendo na cozinha e soltando um assobio acompanhado de George.
-É, isso aqui está pior do que várias coisas que eu e o Fred já fizemos.
-E isso está incluído na vez em que botamos fogo na cortina do quarto de Percy.
-Aquilo foi muito engraçado...
-... Menos a cara da mamãe depois.
-Mas enfim, quando vamos ver o filme? – perguntou George esfregando uma mão na outra.
-Quando isso aqui ficar limpo. – eu lancei um olhar a Harry e Gina, que agora já tinham se levantando, mas ainda estavam sujos.
-Ok então. Rony, vai ajudar esses dois a limpar.
-O que?!
-E, Hermione, você pode dar uma forcinha aqui?
-Claro. – ela gritou lá da sala entrando novamente na cozinha e soltou uma exclamação. – O que aconteceu aqui?!
-Pergunta para os dois idiotas! – falei apontando.
-Duvido que agora você pegue alguém, Harry. Parece um velho! – falou Draco, entrando na cozinha também. – Mas você ainda está uma gatinha ruiva.
-Vá catar bost*, Malfoy! – Gina falou ficando corada por baixo na farinha.
-Bem, melhor a gente começar logo com isso.
-Eu e o George vamos pegar comida na dispensa, o resto pode arrumar a cozinha! – falou Fred saindo dali junto com George.
-E eu vou ajudá-los! – gritou Draco saindo correndo dali também.
-Bando de amigos... E eles ainda dizem que são meus irmãos... – eu murmurava enquanto varria a cozinha.
Ficamos um bom tempo arrumando tudo. Hermione soltava algumas exclamações desaprovadoras ou dizia algo parecido com “Quanta irresponsabilidade, se a Sra. Weasley ficar sabendo...” entre outras coisas.
Gina e Harry limpavam o balcão e os armários sem dar um pio, e muitas vezes se trocavam olhares significativos.
Depois do que me pareceu horas, nós finalmente conseguimos limpar tudo. Não deixei Harry e Gina tomarem banho para não perdermos mais tempo, então eles só trocaram de roupa. Mas seus rostos e seus cabelos continuaram sujos de chocolate, farinha e manteiga.
Eu, Hermione e os gêmeos nos sentamos no sofá entre as almofadas e nos tapamos com um cobertor. Draco ficou em uma poltrona ao lado com uma bacia de pipoca só para ele.
Nós não deixamos Harry e Gina se sentar no sofá também, pois havia um grande risco de ficarmos sujos. Então, nós os empurramos para o chão, no tapete da sala. Eles pegaram algumas almofadas e, depois de reclamar muito, finalmente se acomodaram entre os cobertores e assistiram ao filme.
-Pronta para perder? – perguntei a Hermione, enquanto comia uma batata Ruffles.
-Acho que você já me perguntou isso... Não, e você? – ela me encarou com um sorriso sapeca no rosto.
-Nem um pouco. Você vai ver, eu vou ficar surdo no final desse filme.
-Só se for com os seus próprios gritos.
Não tive chance de retrucar porque o filme tinha começado.
Como eu esperava, o filme era um horror. Sangue, morte, cadáveres e assassinos que surgiam do nada. Gina estava agarrada no Harry e só faltava pular no colo dele (6). Draco tinha os seus olhos arregalados e comia cada vez mais e mais pipocas. Fred e George, que eu descobri depois que já tinham visto esse filme milhões ³³³ de vezes, fingiam que eram um casal estava se pegando.
-Oh, Fred, como você é gostoso...
-Não, você é mais!
-Ah! Como eu te amo! Você é a berinjela que faltava na minha salada. (?)
-E você é o queijo da minha goiabada!
-Oh! Beije-me, garanhão!
-Vocês querem calar a boca?! – perguntei irritado ao ver a namorada do personagem principal ser decapitada dentro do elevador. – Mamãe não vai gostar se eu vomitar em cima do tapete dela. – Harry e Gina se afastaram o máximo de mim.
O tempo ajudava no clima. Trovejava muito e estava completamente escuro depois que fechamos as cortinas. Hermione apertava a minha mão com força toda vez que levava um susto para não gritar. Até eu fiquei com medo.
Para a minha infelicidade total, Hermione deixou os meus dedos roxos de tanto apertá-los, mas não gritou. No fim, ridículo e emocionante, o personagem descobria quem tinha assassinado os seus pais e vai se vingar, mas acaba sendo morto como todos os outros.
Harry se levantou e acendeu as luzes. Eu nunca tinha visto Draco tão pálido em toda a minha vida.
-Bem, eu adoro chocolate preto e licor de cereja. – Hermione falou em um fio de voz e me encarou com uma expressão vitoriosa. Eu lhe fiz uma careta.
-Sério... Vocês não acharam esse filme assustador, né? – perguntou um dos gêmeos. Harry e Gina tinham os olhos muito arregalados e Draco deu uma risadinha nervosa.
Ninguém respondeu.
-Bando de medrosos...
-Bem, gente, eu e o Draco temos que ir. Até depois! – o medroso do Harry falou se levantando rápido. Draco o seguiu e, depois de pegarem os casacos, foram embora.
-Eu ainda não acredito que você passou o filme todo sem gritar.
-Quem é a medrosa agora? – Hermione perguntou ainda com aquele sorriso no rosto.
-Bem, eu te dou uma caixa de Ouro Branco e você pode jantar hoje aqui. Tudo bem? Leve em conta que a comida da minha mãe é maravilhosa.
-Eu aceito. Mas só porque eu não resisto à comida da Sra. Weasley.
-Se ela quisesse, ela poderia comer aqui de qualquer jeito. – falou Gina.
-Você podia me ajudar, maninha. – cochichei para Gina irritado. Ela riu.
-Devemos fazer isso mais vezes. Nunca vi o Malfoy tão apavorado.
-Desde que você não destrua a cozinha.
-Ai, Rony, pára de dar uma de Percy! Eu nunca tinha me divertido tanto. – Gina disse subindo as escadas. – Agora, se me dão licença, eu tenho que tomar banho.
-E eu e o Fred vamos dar uma ligada para a imobiliária, assim podemos confirmar a nossa loja no centro.
-Eu te ajudo a arrumar a mesa. – Hermione falou me seguindo para a cozinha.
-Bem, a gente vai ter que comer a comida de meio-dia. – eu falei pegando as coisas da geladeira e depois botando no forno para esquentar.
-Tudo bem... – ela falou começando a botar as coisas na mesa. – Deve ser melhor do que a sua macinha miojo.
-Está reclamando dos meus dotes culinários?! – falei fingindo estar irritado. – Pois se você não se lembra quem faz o melhor cereal com leite pelas redondezas sou eu!
-Grande coisa... Eu sei fazer salmão só lendo livros.
-Duvido.
-Também, mas abafa o caso...
Nós dois rimos.
-Vai no treino amanhã?
-Sim, a Luna me ligou avisando que nós vamos treinar junto com vocês. Você já falou com ela?
Tive um leve flashback de quando eu flagrei Luna e o Harry se agarrando no armário do zelador, e ela só falou um simples “Hunf, dá licença?” com os lábios ainda grudados no dele.
-Nunca falei direito...
-Bom, antes eu pensava que ela era uma chata, como a Chang e a Pansy. Mas ela é realmente querida. Foi muito prestativa comigo. Tem até um jeito meio desligado.
-Hum... Sempre tive essa impressão dela, de patricinha, mas eu não posso reclamar. A minha namorada é uma.
Hermione falou alguma coisa parecendo irritada.
-O que?
-Nada não... – ela disse sacudindo a cabeça. – Só me lembrei de coisas... Nada demais. – ela deu de ombros. – Agora eu vou ter que arranjar tempo para as líderes. E com os exames se aproximando... Não quero nem ver.
-Se aproximando? Falta muito ainda.
-Mas é por esse pensamento que você fica de recuperação. Quando você vê, já é no dia seguinte e você ficou muito ocupado dormindo.
-Deixa de ser CDF, Mione...
-Ora! Fica zoando com a minha cara, mas depois não sou eu que tenho que passar o verão todo na escola! Não entendo vocês, preferem ter provas a mais e ainda ficar o verão todo tendo aulas de recuperação.
-Ok, já entendi! – exclamei. – Vamos jantar.
Peguei a comida no forno e botei na mesa. Eu e Hermione começamos a comer e, uns 3 minutos depois, Gina e os gêmeos desceram. Ela estava com uma toalha na cabeça e usando camisola.
-Você vai ver o Gui vestida desse jeito?
-Ele é o meu irmão, Rony. – ela falou dando de ombros.
-O Gui está vindo? – perguntou Fred surpreso.
-Você não sabia? Por que acha que a mamãe saiu?
-Compras... Sei lá. – falou dessa vez George.
A porta de entrada bateu com força fazendo nós todos darmos um pulo. Não demorou muito e mamãe entrou em casa.
-Jesus, Maria, José... – falei botando a mão no coração.
-O que foi? Virou padre agora, maninho?
-E eu que pensava que você era macumbeiro.
-Oi, mamãe. – falei ignorando os dois. – Cadê o Gui?
-Eles já vão entrar. Hermione, querida! – Hermione se levantou para cumprimentar a minha mãe, ficando levemente azul por causa do abraço. – Eu não sabia que você vinha! Eu poderia ter deixado alguns lanches ou um jantar descente preparado para você.
-E a gente merece o que? Os restos do lixo? – perguntou Fred mal-humorado.
-Pare com isso, Fred! Parece até que eu deixo você desnutrido.
A porta foi novamente aberta, revelando o meu pai e Gui completamente molhados.
-Nossa, que temporal! Fazia tempo que não chovia assim. Ah, olá...
-Hermione, Sr. Weasley. – disse a própria sorrindo.
-Ah, sim, Rony e Gina falam bastante de você.
-Olá, eu sou o Gui. O outro irmão do Rony e da Gina.
-Prazer.
Ouviu-se um grito e um barulho de algo caindo na lama do lado de fora. Todos nós encaramos a porta.
-Meu cabele!! Este horrrivel! Meu vestide carrríssimo que comprrrei lá na France! – alguém gritava do lado de fora. E, pelo barulho, provavelmente tinha tentado se levantar e tinha acabado caindo de novo.
Gui saiu correndo para o lado de fora. Eu e os meus irmãos nos encaramos confusos. O que estava acontecendo?
-Já vai, querida!
Querida?? O.o
Gui logo apareceu novamente pela porta. Só que, agora, segurava pela cintura uma mulher loira, com um vestido azul de aparência cara e com o rosto, cabelo e corpo sujos de lama. Ela murmurava algo em francês e parecia furiosa.
-Gente, essa aqui é a Fleur, minha noiva. Nós viemos morar aqui com vocês.
Meu queixo chegou ao chão e Gina deixou seu prato cair e se espatifar, espalhando cacos de vidro e comida para tudo quer lado. Os gêmeos estavam púrpuros e Hermione sorria pensando que aquilo era a coisa mais normal do mundo.
-Onde fique o meu quarrto? Esperro que tenha um banheirro só parra mim. – falou a tal da Fleur jogando os cabelos ensopados para trás e empinando o nariz.
-Mas que diabos de noiva é essa que você nunca nos contou a respeito?! – gritou Gina se levantando da mesa e ficando na mesma cor dos gêmeos. Suas sobrancelhas estavam juntas, deixando toda a sua irritação aparente. – E ela chega já achando que é a dona do mundo!
-Orra! Como ousa falarr assim comigo?! – falou Fleur em um tom de voz ameaçadoramente frio caminhando até Gina e a encarando cara a cara. Só faltava as duas soltarem faíscas pelos olhos.
Não sei o porquê, mas algo me diz que elas não vão se dar bem...

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2023
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.