FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 

(Pesquisar fics e autores/leitores)

 


 

ATENÇÃO: Esta fic pode conter linguagem e conteúdo inapropriados para menores de idade então o leitor está concordando com os termos descritos.

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

4. Gina, quer casar comigo?


Fic: Amor sempre amor. COMPLETA


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Antes da leitura quero agradecer de coração a aqueles que comentaram...eu fico super feliz com isso. E agora estou com mais "gás" pra dar continuidade a essa fic. Muito obrigada a Clau, Flor, Poison, Liih, Hellen e Orion.
Liih, Orion e Hellen sejam bem vindos!!! Comentem bastante, se quiserem criticar tb. Todos estejam a vontade aqui!
Valeu mesmo!

E agora chega de conversa...rsrsrsrsrsrsrs...vamos a leitura!!!
(coitadinho do Potter)

*****************************************************

Festa de Potter

Gina espalhava todas as suas roupas pelo quarto. Não sabia o que usar. Era a festa de Potter. Harry Potter. Tentou combinar uma saia preta e uma blusa verde, não gostou. Colocou um vestido branco com flores azuis, “muito sem graça” achou. “Eu preciso de algo que me deixe sedutora” completava. Viu uma sandália alta prateada e correu ao maleiro do guarda-roupa, onde ficavam algumas peças que não costumava usar. Retirou uma bolsa e abriu com um sorriso maior do mundo. “Como pude esquecer” pensava a ruiva. De lá retirou um vestido vermelho escuro com alças finas e a parte da saia solta, chegava ao meio das coxas. “É esse” concluíra.

Ela havia comprado o vestido para comemorar seu terceiro ano de namoro com o Dino, mas não usou, pois Dino resolveu brigar com Neville no dia anterior a comemoração, por conta de ciúmes, e ela só de raiva não compareceu ao encontro.
Desceu a escada um pouco envergonhada, não sabia o que os seus irmãos iriam achar daquela roupa, eles somente a viam de calças ou bermudas. Logo ao pé da escada deixando um Rony atordoado estava Hermione com uma saia branca justíssima acima do joelho e uma blusa aberta atrás preta, calçava uma sandália não muito alta. Ao ver a amiga, a morena abriu um sorriso e logo em seguida olhou para Harry que tinha acabado de chegar e ainda cumprimentava os Weasley.

- Olá, Harry! – a morena cumprimentou chamando a atenção para ela e a ruiva que agora se encontrava ao seu lado.

- Como vai, Hermione? – Harry respondia sem tirar os olhos da ex-namorada. Esta deu um pequeno sorriso e voltou a conversar com Hermione.

Harry sentou-se junto ao ruivo que continuava a babar pela morena e abrindo um pouco a camisa azul de botão que usava olhou de relance para as pernas da ruiva.

- Está calor aqui, não é Rony? – tentava uma conversa para tirar sua atenção da menina.

- Hã? Calor... Ah é calor. Está, está sim. – respondia o ruivo desconcertado tomando uma cerveja amanteigada. – Vou pegar uma dessas pra você. – levantou a garrafa para o amigo.

Jorge conversava com sua cunhada Penélope e olhava furtivamente para o moreno de olhos verdes se permitindo rir da cara do mesmo. Penélope percebendo onde estava a atenção de sua companhia, aproveitou que seu sogro mandava todos para o jardim onde aconteceria a festa, sorriu arteira e logo fez uma proposta a ele.

- Vamos nos divertir? – olhava para o moreno e em seguida para a ruiva.

- No que você está pensando, cunhadinha? – Jorge já mostrava que havia gostado da idéia, caminhando para fora da casa – Seu marido vai ficar louco.

- Ele sabe como sou. – fez a cara mais inocente que encontrou e barrou a saída de Jorge. – Eu sou um anjo. E em seguida chegou mais perto do cunhado para explicar seu plano.

Jorge olhou onde seu pai se sentava e o mesmo tagarelava sem parar com um colega de trabalho. Andou a passos lentos para a cozinha e retirou do bolso um frasco que guardou ao receber na loja uma caixa do seu irmão Carlinhos. Deu uma olhada para a entrada e de lá avistou Penélope fazer o sinal de “barra limpa”, esperava a Sra Weasley chegar. Jorge andou até as bebidas e colocou um pouco do conteúdo do frasco em um copo e completou com suco de abóbora. Penélope arrancou o copo da mão de Jorge e foi logo servir a Harry que tinha uma garrafa de cerveja amanteigada nas mãos.

- Harry, essa cerveja esquenta. Toma. Suco de abóbora bem geladinho. – deu um sorriso satisfeito ao ver Harry trocar a cerveja pelo suco. – Eu percebi que você estava ficando muito...suado.

- Obrigado, Penélope. – Tomou um gole do suco. – Muito bom! Quem fez? – Penélope o virou na direção da ruiva e ele começou a perder a linha dos pensamentos.

- Quem fez foi Gina. – Ficou bem próximo do ouvido dele. – E por falar nela. Ela está uma gracinha com o vestido.

- Huhum - Harry a olhava com tanto desejo que o senhor Weasley percebeu. – Vou até lá falar com ela.

- Vai sim! – Penélope ria do coitado agora sob o efeito do licor da paixão.

- Pe! – Jorge a chamava – Veja! Meu pai está de olho no Harry.

- Ihh. E não está com uma cara boa. – Penélope se preocupava. – Também olha pro menino. Está com uma cara de tarado devasso!

- O que aconteceu? – Jorge coçava a testa. – Coloquei só um pouco, não era para ter todo esse efeito. – indo em direção a Gina. – Será que o efeito é maior se gostar de verdade da pessoa?! - Penélope só concordava com a cabeça.

- Gina, – a tirou de perto de Harry que estava falando da noite e sua sensualidade a luz da lua. – não fique sozinha com Harry.

- Mas por quê?

- Ele tomou um pouco do licor da paixão.

- NÃO! – Gina ficou vermelha. – O licor está muito forte, mamãe errou na dosagem.

Penélope agora olhava Harry com medo. Ele tinha a expressão de ódio. “Provavelmente por termos tirado Gina de perto dele” pensava.
O Sr. weasley que até então não se pronunciara e só observava as ações, deduziu toda a preocupação formada na expressão de seu filho Jorge.

- Vocês! O que fizeram? – ele estava olhando para Harry. – Qual a brincadeira? Licor?

- Pai, o problema não foi o licor em si e sim a concentração dele. – e passou a relatar o acontecido.

- Vocês dois... – apontava para o filho e a nora abanando a cabeça. – Merlin! – olhava para o moreno que agora estava com o braço por cima do ombro de sua filhinha e um sorriso bastante ousado. – Não deixem sozinha com ele! – mandava o Sr. Weasley.

- Querida Gina. – Jorge a abraçara retirando o braço de Harry da mesma – Vai ajudar a mamãe com os salgados. – e saiu arrastando a irmã pela sala a fora. Penélope passava as mãos pelos cabelos e olhava para o seu marido conversar animadamente com Carlinhos que acabara de chegar.

- Pra onde Jorge levou a minha Gina? – Harry parecia soltar fumaça pelas orelhas. Penélope o fitara curiosa.

- Para a cozinha, você não ouviu? – ela retrucou – Acalme-se ela virá para conversar com você assim que puder.

- Tomara que não demore! – Harry massageava as mãos como se estivesse pensando em um plano. – Não quero ficar somente na conversa... – e riu alto da cara de terror se formando em Penélope.

- Escuta, Harry – baixava a voz – Não pode levar Gina assim pra qualquer canto. Ela é especial, não é? – tentava um modo de ganhar a confiança dele para manipulá-lo.

- Sim. Claro que ela é, por i...

- Não, Harry. Pessoas especiais como Gina devem ser tratadas com todo o carinho.

- Mas é justamente isso que eu quero fazer com el...

- Para menino! – ela aumentou a voz e controlando logo em seguida. – Você deve surpreendê-la, fazer tudo muito especial.

- E por isso vai ser a minha primeira vez e a dela tambe...

- Não, não, não! – cortava a menina já irritada com a insistência do garoto. – Dê um tempo a ela para se arrumar então. – não via outra saída – Eu...ajudo você nessa situação.

- Ah! Obrigado, Pê! – apertava as mãos dela com toda a força. – Eu gostaria muito de ter Gina toda arrumada para mim... – encerrara sua fala com todo o desejo e romantismo juntos.

- Encara a verdade. – Jorge balançava a cabeça em protesto. – Não foi lá uma ideia boa! Dar Gina de presente? Onde estava com a cabeça?

- Ah! O doido tarado perturbado não tirava isso de nenhuma forma. Eu fiz o que pude. Mesmo se eu falasse que Gina era um trasgo, ele ia dizer que era uma fantasia para uma noite mais “caliente.”

- Cala a boca Pê! Vamos vigiá-lo de perto. – suspirava – E perder a festa toda.

****

Um loiro se vestia apressado, olhava o relógio de cinco em cinco minutos. Dobrava a manga de sua camisa branca e em seguida abotoava sua calça preta. Calçou os sapatos pretos e deu uma olhada no espelho. “Estou lindo como sempre” pensava convencidamente, “Não acredito que vou à festa do Potter!” - Só por causa daquela sujeitinha que insistiu tanto dizendo que era bom para minha aparência depois de tudo. As pessoas iam me olhar de outro modo. – esbravejava o loiro. – Ainda bem que alguns fotógrafos vão lá para registrar este momento fatídico. – continuava falar sozinho.
Penteou os cabelos e aparatou na estrada que levava a toca. Agora quase todos conheciam o caminho de lá, desde a guerra. Rumou para o portão avistando uma boa quantidade de pessoas. “Devem ter colocado feitiços anti-trouxas para estarem tão à vontade assim.” concluía o loiro ao ver suas bandejas flutuarem por entre os convidados cheias de bebidas.
Parou na entrada e pensando em como seria recebido deu os primeiros passos se mostrando a duas garotas que eram filhas do colega de trabalho do Sr. Weasley.

- Draco?! – espantara-se uma delas – O que você faz aqui?

- É uma festa, não? – ele fitou a garota loira que se levantara e o abraçava. – Tudo bem Morgana?

- Tudo sim. Lembra da minha irmã Naomi? – ela apontava uma moça de cabelos castanhos claros.

- Como ela cresceu! – admirava-se Draco.

- Faz cinco anos que não nos vemos. Ela agora tem quinze anos.

Hermione comia um pouco de doce de coco – não era uma comida de bruxo, mas como os Weasley gostavam de trouxas... – olhou em direção a entrada e viu um loiro sendo abraçado por uma das filhas do sr. Frog. Lembrou-se que eles tiveram um casinho pouco tempo antes dele ir embora para Alemanha. Sentiu uma pontada no coração. Ciúmes.

Draco ao cumprimentar Naomi. Saiu em busca de outra garota. Olhou a decoração, estava tudo em branco e dourado. Os bancos geralmente eram próprios para três pessoas e tinham aqueles em locais mais reservados para duas pessoas. Viu algumas fitas passarem por cima do caminho que levava a entrada da casa e reparou que a maioria dos convidados era da família ruiva. Sorriu. Parou um momento sua caminhada e viu Rony bebendo e olhando fixamente para Hermione que ria bem alto com a conversa de um dos primos Weasley. Draco sentiu uma pontada no peito. Ciúmes. Dirigiu-se a ela, afinal fora a mesma que o convencera a ir lá, então ela deveria dar atenção a ele, e a mais ninguém.

- Granger!

- Malfoy! Que bom que você veio. – Hermione fingia surpresa, mas a felicidade era verdadeira – Deixa eu te apresentar, Sotero-Malfoy, Malfoy-Sotero.

- O que esse infeliz está fazendo aqui? – Rony ficou vermelho – Não me lembro da minha mãe falar que tinha convidado algum Malfoy.

- Calma Ron, eu o chamei. – Hermione falava – E Harry concordou.

- É Rony. Hermione falou comigo.

“Então teve que pedir permissão ao Potter.” pensava enfezado o loiro.

- E por que não a mim? – Rony passou do escarlate já tava quase marrom.

- A festa é minha, Rony. Sua mãe me deu permissão de chamar quem eu quisesse.

Rony bufou e virou-se indo protestar com sua mãe.

- Liga não, Malfoy. Ele melhora com o tempo. – Harry apertava a mão do loiro.

- Aposto que sim. – Draco respondia sem nenhuma empolgação.

- Bem, é melhor pegarmos alguns doces que estão passando pois, estou morrendo de fome. – Hermione avançara para uma bandeja que flutuava atrás de Draco. Ele olhou em volta e viu a sua antiga namorada o olhar com curiosidade.

- Vai querer, Draco? Harry? – mostrava alguns doces de abóbora com morango em taças.

- Não, obrigado. – responderam os dois.

- Quer dizer, – Draco segurava o braço de Hermione – quero um desses. – apanhando uma das taças e alisando a mão da morena.

Hermione ficou chocada e ao mesmo tempo alegre com aquele toque. Harry franziu o cenho e pegou a varinha fazendo letras aparecerem no ar formando uma frase: Vai me explicar isso, Hermione. Sorriu ao ver Hermione segurar Draco para o mesmo não se virar e dar de cara com a frase que ele formou. Draco a olhou questionando e ela sorriu em volta dizendo que era muita felicidade em ver ele ali sem ter que se xingarem. Harry saiu de mansinho e desfez a frase, sendo pego por Penélope.

- Só estou aqui porque você me mandou, praticamente.

- Eu não mandei nada. – olhava a garota loira. – Acho que a loira ali não te esqueceu.

Draco nem se dera o trabalho de olhar. – Só tivemos uma pequena história.

- Pequena, mas marcante pelo visto.

- Nada. Tem outra que foi muito mais... – olhava a morena profundamente. – Esqueceu, Granger, do nosso passado – sorriu.

- Não tem como... – segurou o braço do loiro. – Vamos sentar ali? – apontava um dos bancos para duas pessoas que ficava embaixo de uma árvore frondosa.

Enquanto conversavam animadamente uma loira e um ruivo se mordiam de ciúmes. E um moreno se revoltava dando chiliques para uma ruiva se aproximar dele.

- Eu a quero! – gritava na área detrás da casa e um outro ruivo o segurava pelos braços. – GINAAA!

- Ai Merlin! Mãe, o que faço? – Gina estava com tanta pena do garoto, mas sabia que para sua integridade física era melhor manter distância.

- Minha querida, o único jeito é deixar o efeito passar. – a mãe suspirava – Que belo presente de aniversário deram a ele. – ironizou.

- A sorte é que tem feitiço de isolamento acústico, porque senão... – Jorge tentava manter o controle – Cara, Gina não pode vir agora. - falou pra Harry.

- Eu sei. Ela não gosta de mim. – largou-se no chão – Não sei o que faço para reconquistá-la.

Jorge começando a achar engraçada a situação, pensou em tornar as coisas mais...MAIS – Bem, posso te ajudar. Mas terá que fazer tudo do jeito que eu mandar, hum?

- Beleza! – os olhos dele brilharam.

Gina que via a cena de um Harry sorrindo abobalhado e seu irmão “nada travesso” conversando, pensou que boa coisa não viria. “Afinal, como Jorge conseguiu que ele se calasse?” Preferiu livrar sua mente de alguma idéia que porventura ocorresse e se retirando da janela resolveu levar os salgados para a festa.
Dez minutos depois quando conversava com uma de suas tias escutou uma cantoria vinda da parte detrás de sua casa. “Não é possível?!” Gina olhava ao redor e percebia que a maioria dos convidados também já tinha dado conta do som leve e romântico que ia ficando mais alto. “Não pode ser a minha música preferida!” Gina falava baixo consigo mesma e sua mente a fazia ter calafrios pensando que isso tinha a ver com seu irmão fazendo Harry sorrir abobalhado.
Lá por detrás de uma árvore frondosa na qual um casal parava a conversa para observar a cena, aparecia um garoto com cabelos desarrumados sorrindo, suas mãos estavam para trás escondendo algo. A música aumentava, todos agora olhavam com grande interesse e graça no que ocorria. Gina ficara mais vermelha que os cabelos – se isso for possível – tinha um sorriso amarelo e o olhar pronto pra fuzilar o dono da idéia que ela sabia que apareceria logo atrás. Jorge andava devagar analisando de longe sua irmã, estava certo que iria escutar depois, ou melhor, usaria a varinha para se proteger dos muitos feitiços que seriam lançados nele. Sem mais nenhuma cautela, deu inicio a cantoria:

Tu és divina e graciosa
Estátua majestosa
Do amor
Por Deus esculturada
E formada com ardor...

Gina queria matar seu irmão e Harry continuava a vir em sua direção. “Nunca mais vou gostar dessa música” pensava a ruiva. “O que eu vou fazer agora? Harry está pronto pra me atacar!”

Draco se acabava de rir da cara de Gina e Hermione embora estivesse sorrindo também o repreendia por rir dos outros. O loiro não agüentava a cena. – Que papel idiota é esse que Potter está fazendo?!

- Eu não sei. – Hermione parara de rir abruptamente. – Tem coisa do Jorge aí. – resumia.

Harry havia chegado junto de Gina, muito rápido para o gosto dela. Mostrou as flores que escondia em suas mãos e Gina sem dizer nada entrelaçou seu braço no de Harry e ele continuava a canção que Jorge havia começado:

Perdão se ouso confessar-te
Eu hei de sempre amar-te
Oh flor, meu não peito resiste
Oh meu Deus, o quanto é triste
A incerteza de um amor que mais me faz penar
Em esperar em conduzir-te um dia ao pé do altar...

- Gina, quer casar comigo?
****************************************************
Comentários
Orion- Rony fez besteira sim com Mione, vamos ver no q vai dar. Já q vc sabe como as mulheres agem, CUIDADO! kkkk E tá aí, em pleno "Galo" o cap chegou...Bjs
Hellen- Vou tentar n demorar a postar mas é q "sonserino e grifinória" tá tomando meu tempo...enfim. Mas Kika vai rodar um pouquinho pra atingir alguém...vamos acabar c ela...kkkk. Bjs
Liih- Que bom que gostou! Acho que vai ter muita confusão por aí...Rony do jeito q tá, n quero nem pensar...kkkkk. Agora Draco mansinho...vamos ver até onde, se bem q ele fica me falando o tempo todo q mudou sim, eu particularmente n acredito. Bjs
Poison- Mistério! Mas a amizade de Draco e Mione no passado foi uma coisa de louco mesmo...kkkkk. Bjs
Clau - Gostou de quem tomou o licor? Agora, esse licor ainda vai dar muito trabalho por aí... Bjs
Raíssa - Florzinha do coração, fingindo que n sabe, né? kkkk Bjs

Não esquecam, comentários e votos, claro! kkkkkkkkkkkkkkk
Bjs a todos

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 17) - Copyright 2002-2022
Contato: clique aqui

Moderadores:



Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.