FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

15. Mistério da Porta de Vidro


Fic: Aqueles Momentos Pós RdM


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

N/A: Agradecimentos a minha amiga e filha Gah por me ajudar cada dia mais nessa fic!

**

Mistério da Porta de Vidro

Sim, Harry James Potter, eu irei amá-lo até o fim dos tempos.

Acordei de repente com o carro parando.

_Chegamos – Falou o Senhor Granger saindo do carro e abrindo a porta para eu sair.

_Quatro minutos de viajem? – falei curiosa.

_Você só precisava ir para um lugar que ninguém fosse te ver, um beco é um ótimo lugar.

Então, eu saí do carro e olhei em volta. Estávamos num tipo de Beco escuro, com várias latas de lixo, mas relativamente limpo. O Beco estava entre dois prédios aparentemente abandonados, e ninguém parecia estar perto dali.

_Sua família fez questão de passar aqui mais cedo para dar uma geral, sabe, não seria legal se você sujasse seu vestido com os lixos do chão... Fora os ratos...

Depois dessas palavras, passei a ter mais cuidado aonde pisava.

_Bom, mocinha, a nossa... – Percebi a cara de confusão dele – Nossa Condução sairá daqui a exatamente três minutos. Alguém virá pegar o carro depois.

_Mas estamos bem adiantados... Vou chegar uns 15 minutos antes!

_A Condução que sairá da casa da sua amiga é só mais tarde.

_Por quê?

_Nem eu sei...

Eu ia tentar saber mais alguma coisa dele, mais achei que não iria arrancar mais nada. O que me restava era esperar... Ah se tivesse algo para passar o tempo, a música estava tão boa...

_Meu CD! O Senhor pode, por favor, retirar o cd para mim do carro?

_E a senhorita pretende levar ele aonde? – ele falou rindo para mim.

_Não sei... Mas eu posso deixar na casa da Luna.

_Ah sim... A menina... - Falando isso, ele abriu a porta do carro e o CD saiu do nada de dentro do carro. Olhei interessada, mas não deu tempo de ver mais nada, ele o pegou e rapidamente saiu do carro e fechou a porta.

_Tome. Bom... Falta um minuto... Minha filha disse que era para eu não me assustar, que eu iria rodar muito. Espero que você entenda que na minha idade isso é complicado... Temos que tocar em alguma coisa sim?

_Sim Senhor. Temos que tocar na chave, eles devem ter falado algum objeto, não?

_Não me chame de Senhor! Então... A Segunda Lixeira, por favor!

Estava acostumada com Chaves de Portal bem estranhas, mas era a primeira vez em que seria uma lixeira.
Toquei na borda lixeira com minhas próprias mãos, já que não ia usar luvas. Por incrível que pareça, ela parecia impecavelmente limpa e sem lixo dentro.

O Senhor Granger tocou a lata comigo, provavelmente se sentindo potencialmente abobado por estar assim.

Esperamos em silencio. Pensava em como ele devia estar se sentindo, mas eu também estava muito estranha. Meu vestido de noiva arrastava no chão daquele beco, sem, no entanto, sujar. O Beco não era tão pequeno, mas parecia habitado por muitos bichos que eu nem queria pensar. Ele não dava impressão de ser sombrio, mas mesmo assim mais a noite devia ser assustador.
Então, senti aquele maldito puxão na barriga, e a sensação de tudo indo embora a minha volta. Com o tempo aprendi a usar chaves sem cair com tudo no chão, mas mesmo assim tudo ficava mais difícil quando se está vestindo um vestido de noiva de muitos quilos. Mesmo assim, senti meus pés no chão novamente em pouco tempo, mas as coisas ao meu redor ainda rodavam um pouco.

Pisquei os olhos várias vezes, até a imagem a minha volta ficar totalmente parada. Estava na sala da casa da Luna, e parecia que ninguém estava ali. Olhei para o lado e vi o Senhor Granger sentado no chão, com a mão na cabeça.

_O Senhor está bem? – falei ajudando-o a levantar

_Sim... Só bati a cabeça quando cheguei... É... Muito estranho.

Ajudei-o a sentar no sofá mais próximo, enquanto sentei ao seu lado.

_Não... não se preocupe. Você tem que estar impecável mocinha. Eu vou a cozinha pegar uma pedra de gelo... Enquanto isso a senhorita arruma seu véu e seu vestido, e se fosse você eu abriria aquele armário – falou ainda meio tonto, apontando para um tipo de armário de guardar louças à frente.

Enquanto eu olhava curiosa para o armário, e abria a boca para perguntar do que ele estava falando, o senhor Granger já estava de pé indo à direção a cozinha.

Fiquei sentada aturdida. O que estava acontecendo? Era o dia do meu casamento e estava na casa da minha amiga Luna, esperando o Senhor Granger se recuperar de um tombo por causa da chave de portal que era uma lixeira, e enquanto isso eu teria que abrir o armário? Eu já estava tonta de tantas voltas que teria que dar, onde já se viu uma noiva usando Chave de Portal?

Então eu me olhei. Agradeci mentalmente por vestidos de noiva bruxas vir com feitios Anti-mancha e Anti-amarrotamento. Levantei do sofá e vi meu véu em cima da mesa, peguei-o pelos grampos e prendi por trás do meu cabelo. Ele não era grande, mal chegava a minha cintura, então, tudo ficava mais fácil, eu mesmo consegui prendê-lo. Depois de eu me assegurar que estava bem preso, fiquei de pé e constatei que estava pronta. Olhei para o sofá e vi que o meu CD e o potinho com as memórias estavam lá, intactos. Peguei o CD e deixei no lugar onde antes estava o véu, e fiquei com o potinho nas mãos.
Então me lembrei do armário. O que diabos tinha ali? Fui à direção dele devagar, com meu vestido enroscando às vezes nos móveis. Com cuidado, cheguei nele e o toquei, percebi que as portas eram de vidro, mas trabalhadas com diversos desenhos em tinta, o que não deixava ver de fora o que tinha dentro. O barulho de portas rangendo quando comecei a abrir, e então... Eu vi, uma bacia de pedra... Uma penseira. Tudo fez sentido então. O motivo de estar adiantada, as memórias num potinho...
O que me restava fazer? O que tinham previsto que eu faria. Eu veria aquelas memórias, vestida de noiva ou não, do jeito que fosse, eu não deixaria pra ver aquilo depois.
Eu peguei o potinho, abri-o e derramei as memórias dentro da penseira. Pelo que eu pude ver, devia ter várias memórias ali...
Olhei o liquido prateado. Como eu ia entrar na pensei vestida de noiva? Mas todos meus pensamentos a respeito disso foram embora quando eu vi o rosto de Harry mais novo se formando dentro da penseira.
Respirei fundo e encostei minha mão no liquido.



N/A: Capitulos curtos gente, é que eu tento dividir um assunto principal por Cap, entendem? :\
Emfim, o que terá nas memórias?

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.