FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

51. UM FINAL MAIS QUE FELIZ


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPITULO 51
UM FINAL MAIS QUE FELIZ


Para quem relutar em viajar, Hermione estava bem contrariada em voltar. Sentia saudades dos filhos, mas também sentia saudades daqueles dias incríveis vividos com Rony.
Estavam se preparando para entrarem na lareira e voltar para casa, quando ele lhe sorriu compreensivo, provavelmente sentindo o mesmo. Ele foi à frente, para ver se estava tudo ok do outro lado. Seria terrível cair em cima de uma lareira acessa, já que começava a esfriar em Londres e eles não avisaram a hora que voltariam.
Hermione mal podia esperar para abraçar Tabby, os gêmeos, saber de Gina e Harry, ver seus pais, Mary, Pietro e até mesmo Vitor!
Quando foi sua vez, ela entrou na lareira e disse as palavras rapidamente sentindo-se ser sugada pelas chamas mágicas.
Do outro lado, a primeira coisa que ela viu, foi à sala bagunçada.
As gêmeas de Fler estavam desenhando no chão e não deram muita bola para sua chegada.
Que comitê de recepção, pensou. Ouviu gritos vindos da cozinha e arregalou os olhos.
Para seu alivio Gina apareceu na sala e correu para abraçá-la.
-Hermione, que bom que voltou!
-Estava morrendo de saudades de todo mundo! – viu que ela estava pálida - O que está havendo?
-O pior que você pode imaginar! – ela suspirou e despencou no sofá – Minha mãe. Está na cozinha e eu no seu lugar não entraria lá!
-Vai me dizer o que está havendo?
-Tabby voltou hoje pela manhã... – ela começou a contar.
-E onde ela está? –animou-se pretendendo vê-la o mais rápido possível.
-Está dormindo! São quase nove da noite, Hermione! – ela disse ficando irritada. Típico temperamento Wesley. – você pode vê-la depois, agora precisa ouvir o que está acontecendo aqui...
-Mione! – Harry apareceu na sala, e Gina revirou os olhos.
-Harry! – ela o abraçou e olhou-os curiosa – Vocês dois...?
-Nem pensar! – disse Gina ficando vermelha e inflada como um balão – Estamos separador e muito felizes assim!
Harry baixou a cabeça e Mione ficou com pena ao ver sua expressão.
-Então... O que está fazendo aqui? Rony avisou que chegaríamos agora? – estranhou.
-Não – Gina respondeu por ele – Eu o chamei! Essa família está um caos e por enquanto ele faz parte dela! Tem obrigação de estar aqui aturando todas as brigas!
-Isso é o que ela acha – ele disse ficando indignado – Eu só vim por que... – pareceu perder a coragem de falar e se calou.
-Vai me dizer o que está havendo?
-Rony foi lá pra dentro – disse Harry suspirando – Foi tentar acalmar Molly. Não que eu ache que algo possa acalmá-la!
-Fler e Gui – disse Gina – Guilherme a deixou há três dias atrás. Disse que não suportava mais viver com alguém que não o ama.
-E agora, Fler está correndo atrás dele – Harry completou.
-E Gui quer o divórcio a todo custo. – ela completou por ele novamente – Assim como eu também quero – disse sem olha-lo – Acha que mamãe ficaria feliz com dois divórcios na família? - disse resignada.
-Não esqueça do Carlinhos... – ele disse com o mesmo tom que usavam antes de se separar, quando estavam conversando e se completando sem mesmo notar.
-Ah, é mesmo! Hermione, mamãe está furiosa com você!
-Comigo? O que eu fiz dessa vez? – perguntou chocada.
-Carlinhos está apaixonado! Disse que vai se casar ainda essa semana! Um casamento relâmpago!
-E o que eu tenho a ver com isso?
-O que ela tem a ver com isso, Harry? – ela o olhou sorrindo, esquecida momentaneamente que o odiava.
-Ah, eu não sei, Gina. O que seria mesmo? – ele sorriu e ela sorriu para ele também.
Mas aí lembrou que o odiava e afastou os olhos.
-Carlinhos se apaixonou na Albânia por uma mulher que conhece a menos de duas semanas, menor de idade, aborto e com a metade da idade dele!- Gina anunciou.
-Quem....? Oh, Merlim! – ela arregalou os olhos, sentando-se no sofá surpresa – Mônica!
-Isso mesmo, Mione, a babá da sua filha. A que você mandou com ela para Albânia. E foi lá que eles se conheceram. Carlinhos ficou de dar uma olhada na Tabby enquanto ela estivesse lá e aproveitou para dar umas olhadinhas na Mônica também! – Gina disse e Harry riu com ela.
-E onde ela está? Digo, onde Mônica está agora?
-Está na casa dela eu acho... – Gina disse e Harry a olhou de um jeito estranho – Ou não?
-Carlinhos pediu para não contar... – ele disse muito baixo e as duas se aproximaram dele. – Ele e Mônica foram até Hogsmose para se casarem em segredo.
-E você deixou? – Gina gritou – Mamãe vai morrer quando souber! – abrandou o tom de voz.
-Eu não podia dedurá-lo! Carlinhos sabe o que faz! Ele já é adulto!
-Mas Mônica não – completou Gina – só espero que não acabe mau... – ela afastou os olhos dos dele -...seria terrível para ela...
Hermione olhou de um para o outro e sentiu vontade de brigar com eles, mas se conteve.
-E você, Gina. Como está o bebê? – fez carinho na barriga dela e Gina sorriu, ficando brilhante ao falar sobre isso.
-Está muito bem! Madame Albertina me disse que estou quase entrado no terceiro mês! Eu mal posso esperar para a barriga começar a aparecer!
-Você está linda, sabia? – Hermione disse – abatida, mas linda. Mais brilhante. Seus cabelos, seus olhos...você está iluminada! Não está Harry?
-Sim... – ele disse analisando a mulher com olhar apaixonado – Está tão linda...
Gina olhou para ele por um longo momento e havia magoa em seu olhar. Rancor.
-Às vezes uma mulher não precisa de jóias para ficar bonita – disse irônica – Vem, Hermione, vamos subir. Você deve estar louca para ver os gêmeos...
-Estou mesmo! – confessou e as duas levantaram indo para as escadas.
Antes de chegarem ao terceiro degrau ouviram um grito abafado:
-Ah, aí está você!!! – Molly Wesley veio em sua direção como um dragão descontrolado – Está satisfeita?
-Do que está falando, Sra.Wesley? – resolveu não rebater e começar uma briga que não levaria a nada.
-Meu filho! Está envolvido com uma mulherzinha que você colocou na vida dele!!!
-Seu filho é bem grandinho para saber o que é melhor para ele, Sra.Wesley! Mônica é uma menina maravilhosa, muito honesta e gentil! Eu confiei minha filha a ela, e a única coisa que posso dizer sobre eles é que espero que sejam muito felizes juntos!
-Você defende esse comportamento, não é? Aposto que fez de propósito! – ela disse furiosa – A empurrou para o meu filho!
-E porque eu faria isso? – disse surpresa – O que eu ganharia com isso???
-Sabia que eu não aprovaria esse casamento!
-E qual a diferença? Seus outros filhos estão casados e isso não é o fim do mundo!
-É diferente! – ela gritou de volta.
-Por quê? – Hermione a desafiou sabendo que chegara a grande hora de enfrentar sua sogra de frente – Porque eu gosto dela e ela de mim? Por que somos amigas? Ou apenas pelo fato de que você me odeia e não suporta a idéia disso? Eu sinto muito, Sra.Wesley que tenha que ser assim. Eu não posso odiá-la, por mais que me trate mal! É mãe do Rony, sem você ele não existira e não poderia amá-lo, e não amar a mãe dele! É uma pena que tenhamos que nos tratar tão mal, mas eu já me conformei. Agora, me culpar pelas ações de seus outros filhos...ah, isso já é demais!
Molly a fitou calado por instantes e então desabou em lágrimas:
-Oh, Merlim, me desculpe, Hermione! – a puxou para um abraço, deixando-a surpresa – Estou tão perdida! Meus filhos estão se desencaminhando de tal modo... – ela soluçou.
-Tudo vai ficar bem, Sra.Wesley... – ela disse incerta do que dizer – Apenas confie neles para resolverem seus próprios problemas...
-Mamãe, Hermione está certa – disse Rony se aproximando e fazendo sua mãe olha-lo com olhos marejados – Somos adultos agora. É o nosso destino, certo ou errado.
Molly tocou seu rosto e sorriu entre as lágrimas.
-Eu fico tão feliz por você, Rony. É tão feliz. – olhou para Hermione – Vocês dois.
O clima de reconciliação foi quebrado por Harry.
-Talvez haja uma coisa que possamos fazer por Carlinhos. – todos olharam para ele e ele sorriu com olhos brilhantes – Venha, Rony, precisamos fazer uma coisa!
Gina andou para junto deles, mas ele segurou seus ombros e disse sorrindo para ela como uma criança feliz.
-Não, você não vai. É uma coisa que nós dois temos que fazer. Na verdade, Fred e George também! E a Fler, onde anda?
-Está na casa nos dois pais dela... – Gina respondeu curiosa.
Harry sorriu ainda mais e andou para a lareira, com os cunhados intrigados logo atrás.






-O que eles estão aprontando? – perguntou Gina para o espelho pela vigésima vez.
Hermione terminou de prender os cabelos de Tabby com uma fita rosa, na manhã seguinte. Deu um olhar descompromissado para Gina, e ouviu Molly Wesley dizer rancorosa.
-Seja lá o que for, Artur já sabe, mas não quer me contar!
-Eu acho que é o casamento do tio Carlinhos – disse Tabby como uma linda mocinha que era. Ela vestia um vestido rosa, cheio de florzinhas e perolazinhas bordadas. Virou-se para a mãe - Papai disse que seria a aia! Eu e as gêmeas.
-E o que mais seu pai lhe disse? – Gina sentou-se ao lado da menina na cama, alisando o vestido curto de tule tomara que caia, com as mesmas florzinhas por todo o corpete. Era branco com rosa, muito delicado e caia perfeitamente nela.
-Disse que tio Harry escolheu nossos vestidos, e que ele até estranhou ele saber fazer isso... – todas riram dentro do quarto, pois era um típico comentário de Rony – E que deveríamos estar prontas às dez horas da manhã, pois o casamento do tio Carlinhos é as onze. Alguém vem nos buscar.
-E o que mais? – Gina insistiu.
-Mais nada, tia Ginny – Tabby sorriu matreira.
-Você se bambeou para o lado deles, não foi? – ela ralhou para a sobrinha, enquanto ela ria e fugia das cócegas que ela começou a lhe fazer.
Hermione apenas sorriu, cuidando para que os cabelos longos, ficassem o mais controlados dentro da pequena presilha que os prendia de um lado, deixando-a com um agradável ar adolescente. Sua roupa era quase igual à de Gina, com exceção das duas alcinhas finas prendendo-os nos ombros.
Olhou para Molly e a viu vestir o casaco de tule sobre um conjunto de cetim prata, muito vistoso e que a remoçava uns dez anos.
Ela parecia triste em não poder cuidar pessoalmente do casamento do filho, mas ao mesmo tempo em expectativa.
O choro de Luke fez as quatro olharem para o berço com os bebês. Elise estava sentadinha no colchão brincando com uma fadinha de pano, e o irmão, não tão precoce deitado, choramingava.
-O que foi, Luke? – Hermione aproximou-se do berço.
-Mamãe! – disse Tabby – Luke vai sujar seu vestido! – disse impaciente – eu cuido do meu irmão! – disse com ar superior.
-Ok, mocinha...vai em frente!
Contendo o riso, as três a observaram ficar fazendo graça para o irmão até ele rir. Elise olhava a irmã atentamente até ouvirem um sonzinho suave:
-Tadddyyyy!!!! – Elise batia palminhas e olhava para a irmã repetindo mais forte – Tabbbby!!!
-Elise falou! – gritou Gina, pegando a menina no colo – Você falou, bonequinha!!!!
-Olha só a bonequinha falante da tia!!!
Hermione estava um pouco em choque. Ela era precoce, já engatinhava, sentava e ameaçava os primeiros passos, e agora falara sua primeira palavra.
-Ela disse meu nome, mãe! – Tabby começou a pular – Ela disse meu nome!!!
Estavam comemorando quando Alissar aparatou no quarto avisando que Fred e George estavam lá embaixo as esperando.



Carlinhos havia escolhido uma Igreja antiga, com uma porta ampla e majestosa. Toda a entrada estava enfeitada com flores silvestres. Elas aparataram nos degraus, ouvindo o som agradável de uma música instrumental para o ambiente. Tabby logo saiu correndo com Fred, que se esforçava para equilibrar os gêmeos enquanto sumia de suas vistas.
Foi quando notaram Guilherme vindo na direção delas, vestido com um terno branco, em estilo túnica.
-Gui, filho, você sabe o que seus irmãos estão aprontando? – disse Molly apreensiva.
-Não tenho nem idéia. Eles mandarão essa roupa e me mandaram ficar aqui esperando vocês...
-É melhor entrarmos logo – disse Hermione fazendo menção de abrir as portas e entrar.
-Não! - gritou George apavorado – Esperem só mais um pouquinho... – ele parecia meio desesperado. Olhou em volta e avistou mais duas pessoas aparatando ali perto. – Ah, agora sim!
Era uma Mônica muito envergonhada. Ela vestia um vestido parecido com o que elas usavam. Vinha acompanhada por Dobby, que logo sumiu, junto com Fred, aparatando para dentro da Igreja.
Em segundos as enormes portas se abriram, e a primeira coisa que Hermione viu, foi a Igreja lotada, entre bruxos e alguns trouxas, seus pais, Mary, Pietro, Millie, além de outras pessoas desconhecidas.
Logo em frente a elas,estavam quatro meninas, segurando buquês. Entre elas as gêmeas de Fler e Tabby, que sorria de orelha a orelha.
Gina tapou a boca surpresa, notando antes dela quem estava no altar.
Foi quando Hermione ouviu a voz grave do sacerdote bruxo ecoar por toda a capela produzindo uma acústica alta:
-Amigos, estamos aqui nessa bela manhã, para celebrar a união entre amor, esperança e família. Celebraremos a confirmação e a reconfirmação dos votos de amor e fidelidade de cinco casais, que vêem através da palavra de Deus, conciliar o sentimento maior de perdão e fraternidade.
Perdida nas palavras do baixinho homem vestido com túnica azul clara, Hermione finalmente avistou o que trazia lágrimas aos olhos de Molly e deixara Guilherme pálido como gesso.
No altar havia cinco figuras em expectativa. Carlinhos com um sorriso invejável, retribuído por Mônica, que parecia impaciente em mover-se, mas esperava suas colegas se decidirem. Harry estava ao lado dele, com um tom amarelado na face, como se esperasse que Gina o estuporasse por estar ali, Rony a seu lado com um olhar de profundo amor que a comoveu e trouxe um sorriso de alivio e alegria a seus lábios ao se dar conta da surpresa que ele lhe fizeram ao lado de Rony, uma Fler vestida como elas, mas com o rosto banhado em lágrimas sem coragem de fitar ninguém. Artur estava bem no meio, com um olhar nervoso como se de repente tivesse medo de ser rejeitado pela esposa de tantos anos.
Mais ao lado, Fred e George, com suas namoradas eram os padrinhos, obviamente de Carlinhos e Mônica, uma vez que os outros já eram casados.
-Mamãe? – Tabby se aproximou e estendeu o buquê, como se quisesse faze-las se decidirem. Ela sorriu para a mãe quando Hermione pegou o buquê e sorriu para ela, encantada com a felicidade que sentia. Pegou a mão da filha e começou a andar em direção ao altar, para que as outras também a seguissem.
Olhou para o lado, e viu Gina, quase em lágrimas, a seu lado, mais além Mônica, Molly de braço enganchado no de Gui, como se precisasse de apoio para agüentar tanta emoção.
Foi um curto trajeto até o altar, e Hermione não afastou os olhos de Rony. Nem ele dos dela.
Entregues a seus noivos, o sacerdote disse:
-E é com o mais profundo respeito e alegria, que hoje partilharemos da comunhão das almas e da realização dessa cerimônia de casamento de Carlinhos Wesley e Mônica Sâmara. Pedimos a Deus e a Merlim que abençoe essa união e a conserve para toda uma vida. – o padre alcançou a mão de Carlinhos e a uniu a de Mônica.
Carlinhos corou e baixou a cabeça, obviamente engasgado de emoção, mas então encheu-se de coragem:
-Eu peço, Mônica, que me aceite como seu marido. Mesmo que eu não seja o homem que sonhou, mesmo que eu seja fraco demais para enfrentar seu pai – as pessoas na Igreja riram baixo, mas ele corou ainda mais – Eu juro faze-la feliz e viver todos os dias da minha vida para amá-la, respeitá-la e ser-lhe fiel na alegria, na tristeza, na doença e na pobreza, até que a morte nos separe.
-Bem, essa frase era minha – disse o sacerdote e novamente as pessoas riram, e ele continuou – Bem, você, Carlinhos Wesley, aceita, Mônica Sâmara como sua legitima esposa?
-Sim, eu aceito. – ele disse firme.
-E você, Mônica Sâmara, aceita Carlinhos Wesley como seu legitimo esposa?
-Sim, padre, eu aceito. – ela fungou tão alta, que algumas pessoas riram.
O padre sorriu, e virou-se para o próximo casal. Gui não olhava para Fler, olhava para baixo e ela chorava baixinho, provavelmente imaginando ter estragado tudo entre eles.
O padre a olhou e ela encheu-se de coragem dizendo com voz entrecortada, enquanto sua mão era posta sobre a dele, que finalmente a olhou.
-Eu vim aqui hoje...para dizer que amo meu marido, não pelo que ele era quando nos conhecemos, nem pelo que eu me iludi achando que seria no futuro. Eu o amo pelo que eu vi no seu coração no primeiro dia em que nossos olhos se encontram. Eu vim aqui para confirmar diante de Deus tudo que sinto, para que não haja mentiras, ou dúvidas... – ela parou um segundo, pois as lágrimas embargaram sua fala – Eu...só quero dizer que te amo, Gui, que minha vida é você...que eu te aceito como meu esposo, e vou aceitar por todos os dias da minha vida, não importa o que aconteça. Não importa o que os outros pensem. Eu te amo.
Ele a olhou profundamente antes de dizer com a voz mais forte que poderia tamanha era sua emoção.
-E eu aceito a você, Fler. Para toda a vida.
Fler sorriu tão lindo que muitos homens ali, que se esforçavam para não se encantar por sua metade veela, suspiraram.
-Então eu os declaro marido e mulher novamente. – disse o padre, parecendo ansioso para terminar logo com aquela looooga cerimônia.
Ele tentou pegar a mão de Gina que não deixou, manteve os olhos baixos e se recusou a olhar para Harry.
Pressentindo o escândalo, o padre olhou para Harry que disse:
-Essa cerimônia foi realizada para que todos possamos afirmar nosso amor e tentar esquecer o passado ou simplesmente mostrarmos a todos como somos abençoados. Mesmo quando dizemos coisas tolas ou nos deixamos levar pela raiva ou medo. Eu tive medo, Ginerva. Eu ainda tenho medo. Não sou o Harry Potter forte que todos pensam. Eu não temo comensais, não temo lutar – Gina olhou para ele como se fosse impossível não mais faze-lo – Mas eu temo uma coisa na vida: você. – ela arregalou os olhos e ele pegou sua mão aproveitando sua distração – eu temo o tamanho do amor que sinto cada vez que te olho. O sentimento que eu sinto quando ouço sua voz, quando penso no filho que teremos. Mas agora eu descobri que tem um medo pior que esse, o medo de não tê-la mais. Da minha vida ter perdido o sentido. De nunca mais poder olhá-la, ou sentir seu olhar sobre mim. Eu preciso de você, Ginerva. Preciso do nosso filho que vai nascer. Não posso mais ficar só. Não posso mais ser o menino que sobreviveu a Voldemort e que tem medo e chora pelos pais. Eu tenho que ser seu marido, de verdade, com todas as responsabilidades disso. Não me abandone.
Gina não respondeu nada. Jogou-se nos seus braços, num abraço não previsto. Mais pessoas riram na platéia, mas era para esconder a emoção que todos sentiam.
-Bem, bem.. – disse o padre – Aqui estamos nós novamente, Artur – ele disse sorrindo enquanto Artur pegava a mão da esposa e a beijava delicadamente.
-Eu poderia dizer o quando minha vida é incrivelmente completa a seu lado, Molly. Eu poderia dizer dos filhos maravilhosos que temos, do lar que construímos, mas não seria preciso. Todos sabem disso. Eu sei que lhe digo isso todos os dias quando lhe digo que a amo. Por isso apenas vou dizer, que você é a mulher da minha vida, e mesmo que pudéssemos voltar ao passado, ainda assim eu faria tudo igual. Tudo de novo.
-Artur... – ela sussurrou, emocionada, mas dessa vez sem chorar – O que seria da minha vida sem você? – ela acariciou seu rosto – Não haveria outra vida para mim, simplesmente porque não a vida sem você a meu lado.
Artur beijou novamente sua mão, entrelaçada a sua.
Hermione estava tão envolvida com todos eles que quase pulou quando o padre pegou sua mão e a colocou na de Rony. Teve vontade de pedir que parasse. Ela não agüentaria outra declaração dele, ainda estava se refazendo de ouvi-lo dizer que a amava todas as manhãs, quando acordavam. Mesmo assim, sorriu quando ele sorriu para ela.
-Agora é minha vez – ele disse solenemente e ela quase riu – Eu não posso pedir perdão ou dar perdão, porque no nosso casamento não há mais lugar para culpas, ou ressentimentos. Quando Harry perguntou se eu queria casar novamente com você eu me perguntei se ele estava ficando louco! Eu sempre irei querer casar com você, Hermione. Eu não só te amo, ou preciso de você. Eu existo pra você – ela sorriu e suspirou – E se eu souber que posso faze-la sorriu para mim, ou suspirar para mim, eu serei um homem feliz.
-Eu... – ela o olhou direto nos olhos, ficando séria – Eu te amo desde que éramos jovens, desde crianças. Eu te amo desde antes de saber o que era amor. E por isso, irei dizer sim, quantas vezes você quiser. Eu te amo, Rony.
O padre deu uma tossidinha, limpando a garganta apertada e disse rouco:
-Aqui, todos estamos, para poder finalmente unir e reunir esses casais no sagrado matrimônio. E com os poderes a mim investidos por Deus, eu os declaro maridos e esposas!
Um coro de palmas fez tremer as paredes da Igreja. Mas os casais no altar na notaram.
Perdidos em beijos especiais de final de história romântica. E aquele era sim, um final. Um final para as dúvidas, para as tristezas, para as intrigas.
Era um fim para uma linda história de amor. Para que essa história possa seguir por si só, vida a fora...


FIM


OH, NOSSA, EU ACABEI!

OBS 1: Como toda bela história de amor, tem que ter um casamento no fim, né? Acho que esse capitulo foi todo Harry/Gina e Gui/Fler. Apaixonei-me pelas declarações deles, do tamanho do sentimento que coloquei neles.

OBS 2: Agradeço de todo o coração todos os comentários, os votos, as presenças silenciosas, porém significativas, que tanto me alegraram. Todos os dias, ver comentários sinceros e de incentivo me fez querer mais e mais agradar e causar emoção a todos vocês!
Eu poderia agradecer a um ou outro, mas não faria jus a todos vocês! Por isso um singelo: OBRIGADO A TODOS VOCÊS!!!!

OBS 3: É CLARO QUE VAI TER EPÍLOGO!!!!


OBS 4: Vou fazer uma propagandinha básica: A partir da semana que vem, segunda feira 05/11/07, vou começar a postar outra fic longa. O titulo será: Aventuras em Hogwarts, e terá vários capítulos, postados como essa fic aqui.
Será R/Her novamente, mas ainda na escola. Terá muita aventura, H/G e muita coisa legal! Por isso, não deixem de conferir, ok?
Ah, tem mais fics minhas aí no site, por isso não deixem de dar uma olhadinha!!! As fic ficaram meio abandonadas porque me dediquei a essa totalmente, mas em breve terão atualizações!!!!

MUITOS ABRAÇOS E AGUARDEM O EPÍLOGO!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.