FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

49. NÃO HÁ DÚVIDAS


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


CAPITULO 49
NÃO HÁ DÚVIDAS

Yumi ainda sorria satisfeita, quando viu Hermione retornar ao quarto.
-Olha, eu não quero brigar, ok? – disse enquanto vestia o vestido e apanhava os sapatos – Eu não tenho nada a ver com os seus problemas. Eu sou solteira. Entendeu? Ronald é quem é casado! Ele é quem lhe deve satisfações dos seus atos. Eu não.. – deixou cair os sapatos quando se virou e a viu com a varinha estendida na sua direção – Hei abaixe isso, você não quer me machucar!
-Porque não? Eu conheço diversos feitiços, Yumi. Sou uma bruxa impecável. Ronald não lhe contou isso? – disse irônica – Eu poderia acabar com você aqui mesmo, e depois fazer parecer um acidente! Quem desconfiaria de um auror famoso e sua frágil esposa? Heim?
-Eu sei como deve estar se sentindo – Yumi disse com voz um pouco tremula – Mas aconteceu. Ronald não agüentou. A atração foi demais e...
-Eu não quero saber! – gritou histérica.
Tão rápida quanto no passado, ao caçar as hercrux ela virou-se para Rony, ainda na cama, alheio a tudo e gritou:
-Finite encantate! – e voltou a apontar a varinha para a outra. – Agora você vai me contar exatamente o que foi que você fez!
-Eu não sei do que você está falando! – a outra gritou também, enfurecida.
-Hermione? – rony puxou o lençol se cobrindo ao ver as duas, e sua expressão de confusão aumentou ainda mais quando olhou para Yumi.
-ronald, diga a louca da sua mulher para me deixar ir! Quando meu tio souber que tentou me coagir ele vai...
-Ele vai o que? – Hermione disse furiosa – Vai ficar sabendo como você atacou um dos seus melhores aurores, o enfeitiçou e armou para ele? Ele vai saber, o que acho que você também sabe, que é crime inafiançável, atacar aurores!
-eu não o ataquei! – Yumi gritou – Nós transamos! Aceite isso!
-O que? – Rony levantou da cama, chocado, ainda sem ação.
-Fica fora disso, rony – Hermione grunhio – Eu sinto, Yumi, mas você só vai sair daqui depois de confessar o que fez!
-E posso saber quem vai me obrigar??
-Eu! – Hermione lançou um feitiço sem som, que fez a varinha dela, que estava do outro lado do quarto voar até suas mãos. A quebrou com um das suas mãos livres e disse sádica – Oh, desculpe, foi um acidente, querida! É uma pena, não é? Era uma varinha tão bonita!
-sua vaca! – yumi gritou, ameaçando se aproximar, mas parando ao lembrar-se quem a ameaçava, o porquê e sobretudo, suas possibilidades de sair dali direto para o hospital. – Me deixa ir embora!
-só quando confessar!
-Hermione, o que está acontecendo aqui? – rony disse, começando a pensar com clareza.
-Você não notou ainda? – ela gritou com ódio – eu peguei vocês dois na cama!
-Na...cama? – ele a olhou surpreso – Mas eu não...
-Nem tente se desculpar, Ronald! – ela disse com fúria – Eu sem bem que é o culpado aqui!
-A única culpada aqui é você, que é uma péssima mulher! – respondeu Yumi desafiadora – Se desse o que rony precisa, ele não teria me procurado!!!
-O que eu sei, é que vou dar o que você precisa, Yumi – ela disse maquiavélica - eu já disse, se não me disser exatamente o que fez, eu irei chamar seu titio querido aqui!!!!
-Acha mesmo que o ministro da Ucrânia se daria a esse trabalho só por causa de você? – a outra debochou.
-O que você acha? Ele viria, rony? – Hermione provocou de volta.
-Viria sim – ele disse sincero.
-Pegue o espelho portal, Rony. E o chame aqui. Diga que é urgente. Ele pode aparatar, não pode?
-Pode sim, ele não é tão estúpido, quanto todos pensam – ele rosnou com ódio, ao começar a entender o que acontecia ali.
-Rápido, Rony! – ela exigiu vendo Yumi empalidecer assustadoramente – Quero ele aqui vendo o que a sobrinhazinha querida dele aprontou!
-Eu já disse que não fiz nada! Ronald! Assuma o que fez! – ela começou a gritar histérica.
-Sua...! – ele ameaçou avançar nela, mas um olhar para Hermione e parou.
-Vamos, me conte sua história – ela disse com um tom suave que provocou arrepios em Rony.
-Eu..Eu só vim pra cá porque...porque...porque Ronald me chamou! Disse que teríamos bastante tempo juntos! Você não vê? Ele me enganou também??? Fez-me promessas! Disse-me que se separariam quando o bebê nascesse e eu...eu..acreditei nele!
-Ah, tá! Agora que você explicou eu fico mais aliviada! – ela ironizou, enquanto Rony trazia o espelho portal até ela. – O que me interessa é saber o que o seu titio vai achar de tudo isso!
-eu já disse, ele não terá nada a dizer! Eu estou inocente nessa história!
-Inocente? - Hermione a olhou com um olhar assassino que a fez se encolher contra a parede a medida que ela se aproximava.
Hermione encostou a varinha em seu pescoço e continuou:
-Se não estou enganada você cometeu pelo menos três grandes crimes contra as leis da magia!
-Eu não fiz isso... – yumi sussurrou enquanto lágrimas corriam de seus olhos.
-Primeiro! – Hermione gritou acima dos seus soluços – Uso de feitiços de confusão em aurores treinados. Segundo: seqüestro e manipulação de provas contras aurores treinados e terceiro e não menos importante: invasão de propriedade privada com uso de magia!
-Eu não...você não pode me acusar de nada... – ela gemeu, assustada.
-Hermione... – ele disse com voz envergonhada que a fez olhar para ele.
Rony tinha a expressão terrivelmente amuada segurando o lençol contra o corpo. Não teve coragem de olhá-la nos olhos.
-Eu não sei o que ela fez comigo enquanto eu estava confuso.
Hermione olhou para Yumi e tentou conter as lágrimas, dizendo meio engasgada:
-Parece que tem mais um crime não é? Abuso sexual, ou pior, estupro!
-Ah, por favor! – Yumi riu debochada – Acha que eu preciso estuprar um homem?
-eu acho que precisa enfeitiça-lo para dormir com você! – Hermione gritou de volta, fazendo-a se calar. – Isso deve lhe garantir um bom tempo em Askaban!
-Dois anos para cada crime – disse rony, ainda sem conseguir olha-las.
Ele se afastou até a cama e sentou na borda, incrédulo e chocado.
-Hum...oito anos, Yumi? O que acha? Seu titio vai interferir por você? Será?
-O ministro vai deixa-la apodrecer na cadeira! – Rony disse ficando indignado – Ele nunca a suportou! Jamais teria cuidado dessa vagabunda se não houvesse ficado órfã!
-É você quem escolhe, Yumi – Hermione disse o mais doce que pode – Conta a verdade e sai daqui, esquece que existimos, ou conta para o ministro. O que vai ser?
Yumi começou a chorar, perdendo aquela pose arrogante e Hermione esperou ela se controlar para ouvir o que ela diria.
-E-Eu...conto...Mas não me entregue pro meu tio! Ele jamais me perdoaria!
-Então... – Hermione respirou fundo – Pode começar a falar. Estou muito interessada no que tem a dizer.
-Hermione – rony se aproximou e tomou a varinha de suas mãos.
Ele havia se recuperado do susto e da fragilidade de ter sido atacado dessa forma e tomava o lugar que era seu naquele momento.
-Sente-se ali – ele disse sem olhar para Yumi.
Ela sentou-se na cadeira próxima a cama os olhando assustada. Hermione apenas o observou calada. Ele conjurou dois feitiços e colocou duas coisas sobre a cama.
Viu Yumi recomeçar a chorar ao ver o que era.
-Isso é poção da verdade. Você vai tomar agora.
Ela concordou e estendeu a mão para apanhar, mas Hermione não deixou, pegou da mão dele e se aproximou dela, fazendo-a engolir a poção, como fazia com Tabata, quando a menina se recusava a beber remédios. Porém nada gentil.
-Isso é uma espécie de penseira que usamos para gravar as confissões. – ele disse para Hermione.
-Isso é mesmo preciso? – Yumi disse soluçando.
-Acha que eu a quero nos perturbando novamente? – ele disse sem olha-la – Isso será minha garantia para me livrar de você pra sempre!
Hermione achou que era hora de se calar e apenas deixa-lo fazer seu trabalho. Apesar de sentir-se ferida, e ela não podia negar que para ele era pior, como homem saber que havia sido abusado daquela forma.
-Pronto – ele disse encarando Yumi – Eu a vi na praça entre as pessoas nos seguindo. É disso que me lembro. Fui até você para manda-la embora antes que Hermione a visse e isso acabasse com nossas férias. Porque eu não a chamei aqui. Eu não a desejo. Eu não a quero. E lhe disse isso não disse?
-Sim, você disse – ela confessou sobre efeito da poção.
-Nós éramos amantes? Somos amantes? – ele tornou a perguntar.
-Não, nunca fomos amantes.
-Eu lhe dei esperanças de sermos?
-Não. Eu apenas...me apaixonei.
Hermione ficou um pouco surpresa. Achava que fosse apenas um capricho dela.
-E porque você veio?
-Eu queria achar um jeito dela nos dar um flagrante. No inicio achei que um beijo seria o bastante, mas quando vi a oportunidade de mais, eu não resisti.
Ele afastou o olhar dela, como se fosse demais olhar aquela mulher e não esgana-la.
-Eu quero saber o passo a passo. Como você fez?
-Eu lancei um feitiço de confusão. – confessou – Depois um de alheamento. Disse que era ela, e você não teria como distinguir se era verdade ou não. Viemos para cá, eu armei todo o cenário para ela ver. Taças na sala, comida na cozinha...a gente no quarto.
-Nós fizemos? – ele perguntou baixo, como se estivesse envergonhado.
-Você achou que era ela. – disse simplesmente.
Ele se calou, e Mione notou que fazia força para não bater nela. Mas uma coisa ainda a intrigava.
-Você tem certeza que fizeram sexo, Yumi? Um homem vitima de dois feitiços de confusão? Não sou medibruxa, mas conheço o efeito desses feitiços. São muito fortes.
-Eu...
-Fizeram sexo? – ela insistiu.
-Não. – confessou.
-E o que fizeram? – ela perguntou sentindo alivio e fúria ao mesmo tempo.
-Eu o despi e lhe dei alguns beijos, mas ele caiu desmaiado na cama. Arrumei o flagrante e fui tomar banho...esperar que chegasse e pensasse o pior. Eu só...eu só não sei porque não pensou! – ela confessou desconcertada – Onde foi que eu errei?
-Onde você errou? – Hermione se aproximou perigosamente com vontade de bater naquela cara bonita até deixa-la machucado como seu coração estava naquele momento – Você errou no momento que tentou se envolver com Ronald! Acha realmente que eu o entregaria de presente pra você????
-E porque não? – ela disparou – Ele não é homem para você! Você é tola, sem graça, feia...Uma traça acabada! Seus filhos são tão sem graça quanto você! Sua vida é isonsa! Eu daria a ele uma vida de aventuras, de prazer e glamour! Como ele merece!
-Eu não vou discutir com uma mulher como você. – ela disse por fim, cansada desse joguinho – Eu quero que saia das nossas vidas, está entendendo? Procure um homem para você, se é que existe criatura capaz de amá-la! Vai embora, desaparece! Eu não quero sentir seu cheiro pelos próximos séculos! Fui clara?
-Muito – ela respondeu furiosa, com chispas nos olhos – E agora? O que eu vou fazer sem minha varinha? Como vou embora daqui?
-Pega uma carona, um ônibus, um avião...dane-se você! – hermione gritou de volta, inconsolável por ela ainda ser capaz de provoca-la.
-PORQUE TINHA QUE QUEBRAR MINHA VARINHA??? – ela se levantou e as duas se encararam.
-PORQUE TINHA QUE TINHA QUE SE METER NA MINHA VIDA??? – Hermione gritou de volta.
-Chega, Hermione... – Ronaldo tentou segurar seu braço, mas ela se soltou, e aproximou-se da outra.
Yumi deu um sorrisinho debochado.
-Está rindo do que? – Hermione perguntou quase avançando nela.
-De você! Tem mais alguma coisa patética e engraçada aqui além de você?
-Sua vaca! – ela gritou e avançou, esquecida de que poderia usar sua varinha para cala-la.
Conseguiu acertar um tapa bem dado na cara dela, mas quando tentou dar outro, Rony a segurou pela cintura a afastando.
-Parem!
Yumi avançou também, tentando atingui-la e ele se colocou entre as duas. Nesse levou alguns tapas e Yumi a olhou zombando dela, enquanto o olhava com volúpia, sem que ele notasse.
-Eu não vou desistir – ela disse alto e em bom tom.
-Não vai? Não vai? – Hermione sentiu a raiva a sufocar e lágrimas correrem em seu rosto de tanto ódio – Vadia!
-Posso ser o que você quiser, mas ainda assim, vou conseguir o que eu quero! O gostinho que eu tive hoje, me abriu o apetite!
-Tira ela daqui, rony, tira, ou eu nem sei o que eu faço! – ela chorou de raiva, quando ele a segurou pela décima vez.
-Silenciari – ele lançou o feitiço na outra que arregalou os olhos, falando coisas que não entendiam, pois ela estava temporariamente sem voz.
-Calma, Hermione – ele tentou abraça-la mas ela se esquivou, dirigindo a ele a raiva que sentia. – Eu preciso leva-la para casa.
-O que???? – perguntou horrorizada.
-Pelo respeito que tenho pelo tio dela, eu preciso leva-la.Yumi não entende nada de trouxas, e além disso vou mostrar a penseira para ele.
-V-Vai? – olhou para ele quase não acreditando nele.
-Ela não vai parar. Ele tem seus métodos para conte-la.
-Ok.. – ela disse baixinho – Mas coloca uma roupa, primeiro! – disse se conformando.
-É o que eu pretendia fazer... – ele riu suavemente, tocando seu rosto molhado de lágrimas e fazendo-a olhar para ele. Ela não quis – Hermione, olha para mim, eu volto logo.
-Hum-hum... – olhou para ele e o abraçou, sentindo-se aliviada por não ser nada daquilo que parecia.
Ele deu um beijo suave na sua testa e rumou para o banheiro, para vestir-se.
Hermione olhou para a mulher vestida em desalinho, sem os sapatos, os cabelos alvorotados, sem maquiagem e com o rosto inchado do choro.
Ela afastou os olhos e olhou para a parede durando os poucos minutos em que ele demorou para voltar.






































Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.