FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

46. AS FÉRIAS – NC18


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Aviso!!!!
Antes de lerem, eu aviso que aqui tem cenas NC18, e quem não gostar, ou achar que isso ficou fora de contexto na fic (como eu achei), siga a diante e ignore, ou me avise que eu reescrevo!!!
Fiz a pedidos de um amigo tarado, que adora fics NC18!! Mas, não sei se ficou bacana...

Abraços!


CAPITULO 46
AS FÉRIAS

Ela sentiu-se encantada pelo lugar assim que chegaram. O agradável ar italiano em cada pequena rua de interior, com plantações, ar puro. Muito verde e parreiras de uvas. Ao longe ela via o mar e desejou poder ir logo vê-lo de perto. Não que nunca houvesse estado numa praia, mas porque aquele mar parecia mais azul do que todos os outros que ela já havia visto.
-Então o que achou?
Ela se virou sorrindo, na pequena sacada da casa em estilo colonial que Harry alugara para eles.
-Eu achei maravilhoso. Assim como você. – ela disse deixando-o abraça-la e beija-la. – sabe o que seria ainda mais maravilhoso, Rony? – ele maneou a cabeça sorrindo - Você me levar lá embaixo na praia, selar um trecho de areia com um feitiço de privacidade e fazer amor comigo ali, embaixo do sol, ao ar livre. O que você acha disso?
Ele a olhou surpreso e então um enorme sorriso se formou em seu rosto e ela quis poder retrata-lo em uma foto.
-Você, Hermione Granger a menina certinha, querendo transar ao ar livre? No meio do dia????
-Não, seu bobo. Eu, Hermione Wesley, sua mulher, nem mais tão certinha assim, quero ver o sol na sua pele enquanto você me ama... – ela se aproximou sedutora, sem deixar margens para riso. – Ah, vamos, rony, você mesmo disse que a gente precisava de um tempo nosso...Não vai querer perder esse dia lindo falando sobre nossos problemas, vai? A noite a gente conversa... –ela se aproximou e deslizou beijos suaves pelo pescoço dele e ouviu um suspiro resignado.
-Ok, você vai me engabelar de novo. Mas ouça bem, Hermione, você não vai escapar assim tão fácil! – ela o viu sério e percebeu que estava perdida – Agora, vamos logo que você me deixou em ponto de bala!!!
Ela riu da sua urgência, sentindo em seu próprio corpo a mesmo vontade que ele sentia.
Ele a apressou de tal modo que ela quase esqueceu o filtro solar. Quando ele terminou de selar um trecho da praia com um feitiço de privacidade, onde quem olhasse veria apenas uma barraca trouxa vazia por dentro, ele olhou na sua direção e soltou uma gargalhada.
-O que foi? – perguntou indignada.
-somos bruxos, Hermione. Então me diga, porque está passando filtro solar se pode fazer um simples feitiço de proteção?
Ela ficou sem palavras um minuto. Ele tinha razão...ou talvez nem tanto.
-Bem, eu achei que você gostaria de passar esse liquido molhado e escorregadio por todo o meu corpo...e que eu fizesse o mesmo em você...- ela viu o momento exato em que a mente dele visualizou isso. – Mas se você não quer... – ela deu de ombros.
-N-Não...que é isso, eu faço sim, vai ser até interessante... – ele disse com voz rouca de desejo e quem arfou foi ela.
-Tá bom. Eu vou deitar aqui... – ela se deitou de bruços na manta que ele estendeu na areia assim que escolheram o melhor lugar, bem em frente ao mar.
Ela quase perdeu o ar, quando ele derramou uma quantidade generosa de bronzeador nas suas costas, gelando-a momentaneamente. Mas então suas grandes e grossas mãos começaram a espalha-lo por seus ombros e braços.
Ela suspirou alto.
-Estou fazendo direitinho? – ele provocou.
-Hum-hum... – tão direito que ela poderia sofrer combustão espontânea a qualquer momento.
Ele deslizou as mãos mais abaixo contornando seus quadris sem pressa, passou bons minutos alisando sua bunda e suas coxas. Ela havia vestido o biquíni, para não andarem com muita roupa pela praia, e ele deslizou os dedos pelo pequeno tecido da cacinha como se estivesse dividido entre parar e continuar.
Mas desceu mais, alisando suas coxas e suas panturrilhas. Ela riu suavemente quando ele alisou seus pés e então parou.
-Rony... – ela sussurrou sem abrir os olhos, sentindo-se perdida numa nuvem de tesão puro.
Ela teve uma sensação estranha e então percebeu que estava nua.
Entreabriu os olhos a tempo de vê-lo colocar a varinha a seu lado na manta. Sorriu. Ele sempre foi ótimo em fazer suas roupas sumirem quando namoravam.
-Hermione... – ele disse com voz rouca enquanto se ajoelhava atrás dela e afastava suas pernas suavemente – Eu não posso esperar, desculpe... – ele ainda sussurrou antes de entrar todo em seu corpo.
Ela foi pega de surpresa, pois ele sempre brincava com ela antes de ato final, mas gemeu rendida, pois aquela brincadeira de passar bronzeador a deixara excitadíssima.
-Hummm...rony...isso é muito bom... – sussurrou, com o rosto escondido entre os braços. Ele a sentiu empinar o traseiro em sua direção e sorriu, acelerando os movimentos.
Hermione entreabriu os olhos, fixando-os em volta, na areia, na imagem distante das casas que apesar de poucas, circundavam a praia, e no sol. O forte sol que tornava sua pele sensível e a fazia queimar ainda mais. Soltou um longo gemido quando ele deu um empurrão mais forte, gemendo.
Ela não teve duvidas, ele havia gozado.
-Eu sinto muito, Mione... – ele sussurrou, ofegante, caindo sobre ela exausto – Não esperei você...eu não pude me controlar... – suas mãos vagaram por todas as curvas dela, e ela suspirou, virando-se de lado para fita-lo. Apesar de um pouco frustrada, ela sorriu contemplando-o totalmente corado, suado e satisfeito. – Você não tem idéia de como eu me senti...do como é lindo vê-la assim...
-Tudo bem. – ela disse com a voz rouca de desejo, contemplando-o assim, nú, a pele brilhante ao sol, que começava a avermelha-lo. Outro suspiro e ela apanhou a varinha perto de onde estava e apontou para ele – protetis pele. – deslizou a mão pelo peito dele depois de largar a varinha e disse – Sua pele é muito sensível, precisava de mais proteção...
Tentou não olha-lo demais, ou se aproximar, e deixa-lo descansar um pouco, mas não pode esperar.
Deslizou as mãos mais abaixo, aproximando o rosto do pescoço dele.
-Ah, Hermione... – ele gemeu, jogando a cabeça para trás, enquanto ela o tocava de forma extremamente íntima.
Ela sorriu entre os beijos que distribuía em seu pescoço e ombro e sussurrou:
-Tem certeza que fez o feitiço de privacidade bem forte, não é?
-Bem, se não o for, ao menos estaremos dando um show e tanto... – ele riu provocando-a.
Ela sabia que ele jamais a deixaria nua em público. Rony era o mais machista de todos os homens que ela já conhecera na sua jovem vida. Embora, que fosse inegável sua dedicação em se controlar e viver bem ao lado de uma mulher tão determinada e independente.
-Deita, amor... – ela sussurrou, chupando sua orelha.
Rony deitou na manta sobre a areia, com olhos brilhantes como se ele tivesse novamente seis anos e estivesse esperando o papai-noel, atrás de seus presentes.
Bem, ela não tinha nenhum presente para ele, mas sabia que o faria extremamente feliz...
Gentilmente, ela sentou-se e engatinhou sobre a manta, até seu rosto estar na altura daquela parte que tanto adorava.
Rony tinha um pênis longo e grosso, macio e gostoso de segurar. Era perfumado, com um cheiro de homem limpo e bem cuidado. Era pálido, com pequenas veias saltando quando o sangue o tornava mais rijo, e a glade era triangular e ligeiramente mais larga que o restante. Não tinha muitos pêlos e os poucos eram ruivos, obviamente.
Ela pensou sinceramente em escrever uma odisséia em homenagem ao pênis dele. Poderia ficar elogiando-o eternamente.
Provavelmente um daqueles absurdos que o amor nos faz pensar e sentir.
Lentamente, para provocá-lo, ela o colocou na boca, fazendo-o apoiar-se nos cotovelos para ver melhor. Ele adorava vê-la fazer isso, desde o tempo em que namoravam em Hogwarts.
Sorriu, ainda sem tirá-lo da boca, quando ele gemeu e começou a se mover involuntariamente contra ela.
-Uhmmm... – ela sussurrou, massageando ele com as mãos – Como eu gosto dele, Rony...
-E ele g-gosta de você... – ele disse entrecortado.
-Uhmmmmm... – ela circundando-o com a língua antes de dizer atrevida – Mesmo?
-Você duvida? – ele disse sorrindo assim como ela.
-Hum-hum. – ela soltou-o e subiu sobre as coxas dele, sentindo ele estender as duas mãos para agarrar seus seios com vontade, tão logo eles entraram em seu campo de alcance. – Me mostra, rony...me mostra, como ele gosta de mim...
Ele não respondeu imediatamente, olhado para ela, assim, sobre seu corpo. Banhada pelo sol quente da tarde, com os longos cabelos encaracolados caindo sobre suas costas e ombros, seu olhar brilhante diretamente nos seus.
Ele a puxou sobre seu pênis e segurou firme seus quadris para baixar sobre ele, encaixando os corpos ardentes.
-Ahghhhhmmmmm, Ronnnnnnyyyyyyy!!! – ela gemeu particularmente sofrida ao sentir-se sendo arrombada por ele. – É, tão bom, tão bom...
-Você é maravilhosa, Mione...vem, cá... – ele a fez deitar o dorso sobre ele, enquanto se empurrava nela como um louco.
-Rony!!! – ela quase gritou, quando ele a girou, sem solta-la e a jogou contra a areia, fora da manta. –Não para! Não para!
Ele acelerou os movimentos de vai e vem, enquanto ela o agarrava pelos cabelos, trazendo-o mais para perto, se é que fosse possível.
-tãobomvcétãobomtãobomtãobomtãobom... – ela sussurrava frases desconexas enquanto sentia seu corto crescendo e crescendo dentro dela.
Mas como sempre, chegou o momento em que ela não viu ou ouviu mais nada, incapaz de controlar o próprio corpo, ela arquejou contra ele, gemendo e implorando por mais, até finalmente o orgasmo a tomar e relaxar todo seu corpo sob o dele. Manteve os olhos fechados enquanto ele terminava, gemendo e caindo exausto sobre ela.
Acabou rindo e ele moveu-se fitando-a intrigado.
-O que foi? Porque está rindo?
-A areia, Rony, estamos ‘empanados’ você notou?
-Deliciosamente, ‘empanados’, você quis dizer. –ele a corrigiu, roubando-lhe um beijo intenso – Eu selei um trecho do mar também. O que acha? Quer dar um mergulho?
Hermione concordou, um pouco corada em andar nua em direção ao mar.
Mas ele parecia tão feliz, que ela não soube negar.
Até participou de uma guerra de água, sem reclamar, apenas para ver seu sorriso e sentir que era capaz de faze-lo tão feliz, da mesma forma que ele á fazia feliz...













Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.