FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

28. CIÚMES


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPITULO 28
CIÚMES


-Ele é muito atraente, não é? – lhe disse uma voz a suas costas.
Hermione franziu as sombrancelhas, vendo quem era. Uma mulher alta, bem mais alta que ela. Longos cabelos negros, tão longos quanto os dela próprio, embora que muito lisos. Tinha uma delicada franja sobre os olhos puxados. Deveria ser oriental, embora tivesse uma boca carnuda e bochechas cheias e pálidas. Vestia-se de modo discreto, porém muito elegante. Carregava um livro pesado na mão. Como manter comensais em masmoras gélidas. O novo best seller de um conhecido auror, descendente do criador de Askaban, a prisão bruxa.
-Desculpe, eu não me apresentei. Me chamo Yumi Nataka. Acabei de chegar da Ucrânia. Disseram-me que encontraria Harry Potter nessa inauguração e como vê, não resisti – sorriu sinpatica, exibindo o livro – Adoro ler.
-Eu também – respondeu ainda confusa, ela olhava fixamente para ambos os homens, uma sensação ruim dentro dela cresceu – Sou a proprietária. Hermione Granger...
-Muito prazer. Fez um ótimo trabalho. – ela olhou para ela sem realmente vê-la – Mas não posso deixar de dizer que me impressiona como a sorte nos conduz. Eu achei que não o veria mas depois de termos trabalhado juntos a poucos dias, na Ucrânia. Sabe, é uma desses homens apaixonantes! Eu...é o destino me ligando a ele, eu acho.
-Fala de Harry Potter?
-Oh, não! Ele é homem casado! – sorriu – Falo de Ronald. O ruivo, conversando com ele. O que você como mulher acha? – ela lhe sorriu empolgada – Expressivos olhos azuis, que brilham sinceridade, uma voz máscula, mãos grandes...é incrível o que uma mulher pode notar em um homem quando está interessada – riu novamente, sem notar que sua parceira de conversa não fazia o mesmo. – Você não imagina o senso de humor dele! E o jeito...também é um auror muito bem cotado. Acho...que estou me apaixonando por ele... – ela sussurou, como se isso também a surpreendesse. – olhou para Hermione que exibia uma expressão amarga, e ainda sem notar nada disso – Acho melhor comprimenta-lo antes que o outra mulher o pegue antes de mim! – sorriu novamente e avançou na direção dele, enquanto as pernas de Hermione a prenderam no chão.
Olhou em volta e notou Gina ali perto de olhos arregalados. Tabby estava com ela e sua expressão era intrigada.
-Porque não disse nada para ela? – Gina perguntou.
-Eu... e o que eu diria?
-Que ele é casado? – ela sugeriu irônica.
-Rony tem direito a ter amigas...isso não quer dizer nada, Gina – disse com voz tremula.
-Mas ela está interessada nele. – disse olhando a forma como ela falava com Harry e Rony. – a propósito, eu vou lá, não estou gostando do modo que ela está tocando no Harry! – disse avermelhando. – Você vem? – disse olhando-a firmemente.
Hermione pretendia evitar uma cena, mas ao olhar novamente, viu a mulher tocar o braço dele desde o ombro até o punho. Rony afastou-se suavemente, mas ela não notou. Apenas seguiu a passos duros na direção deles. Praticamente arrastou Tabby pela mão. Odiaria o papel que faria ali, mas não podia se controlar.
-Oi, Harry! – disse olhando cínica para eles. Gina abraçou o marido e faltou pouco guarda-lo dentro do bolso de sua blusa. – Eu decidi ir para casa agora, Rony, você pode me levar? - olhuo diretamente para o marido.
-Está sentindo-se mal novamente? – ele perguntou preocupado.
-Não, eu estou bem, mas já fiz um social...está bom pra mim. Amanhã eu fico o dia todo. – segurou seu braço possessiva.
-Harry, querido, não vai nos apresentar sua amiga? – gina ironizou.
-Ah...bem... – ele as olhou confuso. Ainda mais pela expressão assassina de Hermione - Essa é Yumi Nataka, auror na Ucrânia. Nos ajudou a resolver nosso caso, a poucos dias, quando viajamos. Bem, Yumi, essa é minha esposa, eu falei dela, Gina Wesley, irmã do Rony.
-Muito prazer, é muito bom conhece-la! – estendeu a mão afeiçoosamente, e olhou de volta para Rony – Vocês dois são muito parecidos! Só poderiam ser irmãos! Você é tão bonita, Gina! – ela disse olhando para Rony, numa clara cantada, mal disfarçada.
-Errrr... – Harry limpou a garganta – Essa é a proprietária da livraria...
-Hermione Granger! – Yumi completou – Acabamos de nos conhecer, não foi? Ainda a pouco?
-sim, claro – Hermione respondeu, sentindo Tabby puxar a barra de sua saia, querendo colo. Ela sentia muito, mas não estava num bom momento ali.
-Sim, era o que eu dizia, Hermione Granger Wesley. – Harry frizou a última palavra, ao que Yumi arregalou os belos olhos negros – Esposa do Rony. Essa é Tabata sua filha.
-E do Rony, obviamente – Hermione frizou, - E esse, - contornou a barriga com a mão, olhando cínica para ela – É alguém que ainda não decidimos o nome, mas ocila entre Artur e Harry... – sorriu falsamente, sem humor nenhum – futuro filho homem do Rony.
-Ah...Parabéns... – Yumi disse baixo e constrangida – Acho...que eu vi uns conhecidos...eu...foi bom vê-los novamente.
Ela saiu quase correndo dali. Hermione soltou o braço de Rony também andou na direção oposta.
-Ô, pai! – Tabby chamou irritada, vendo-o meio sem ação, enquanto Hary e Ginny o encaravam –A gente já vai com a mamãe? – disse pesarosa.
-Você quer ficar? – disse absorto.
-Quero! Eu posso??? – quase pulou.
-Claro...depois algum tio te leva de volta... – respondeu indo atrás de Hermione.
-O que foi isso??? – ele a puxou para a saleta lá nos fundos e a fez parar.
-O que??? Uma mulher vir ate mim dizer que conheceu o homem da sua vida na Ucrânia e o que o destino o fez para na sua frente com seus belos, expressivos e cinceros olhos azuis????
-Ela disse isso? – ele sorriu, achando graça.
-Sim, bem antes de confessar que estava se apaixonando por esse homem! – disparou – Porque não disse que é casado? – disparou novamente.
Notando que era mais sério que ele pensava, Rony parou de sorrir e respondeu:
-Não achei que fosse necessário, nos não conversamos muito...
-Mesmo? Porque ela sabia que Harry é casado?
-Eles trabalharam mais próximos. Eu a vi duas vezes, e falamos pouco.
-Sei. – desdanhou irritada.
-Acha que eu me insinuei para ela? – disse incrédulo.
-Não. Eu sei que não – dise mais irritada ainda – Ela se interressou. Você não pode fazer nada. Nem eu. Isso acontece. Vai sempre acontecer. Podemos ir agora?
-E porque está brava comigo? – ele disse incrédulo.
-Porque estou gorda, inchada, ela é linda, curvilinia e...exótica! – quase gritou.
Ele riu. Não deveria ofende-la, mas foi a gota d’agua.
-Hermione... – ele a puxou para seus braços, mas ela não deixou.
-Me deixa!
-Hei! – infelizmente ele não conseguia parar de rir – Está sendo boba!
-Acrescente isso na lista dos meus defeitos. – ela resmungou cedendo e escondendo o rosto no seu peito, agarrando-se a ele, enquando escondia lágrimas que corriam em seu rosto.
-É uma lista tão pequena, que nem vale a pena. – ele disse galante.
-Mentiroso...
-Eu? O homem dos olhos cinceros? – voltou a rir, e ela ficou mais chateada ainda. – Eu não estou interessado nela. Satisfeita?
-Hum-hum...
-Assim como você não está interessada no idiota do Krum.
-Hum-hum...
-Estamos de bem?
-quando você virou o maduro da nossa relação? – ela disse chorosa –Antigamente eu era a sensata e você o cabeça de vento...
-E ainda sou. Mas até finjo bem, não finjo?
-Não...ela tem razão. – tocou seu rosto olhando dentro dos olhos dele – Seus olhos sempre foram sinceros. – sua boca pode mentir – tocou seus lábios com os dedos. – mas nunca os seus olhos.
Ele ficou emocionado. Ela sabia. Sentia. No seu abraço apertado. No seu modo de toca-la.
Ela ficaria ali por horas. Mas a vida os chamava a realidade.
-Desculpe. – era uma mocinha loura, de não mais de quinze anos, ela vestia um uniforme com o nome da loja – Sr.Wesley, os convidados gostariam de comprimenta-los. Devo dizer que saíram?
-Não, Ingrid, nos já vamos – ele respondeu – Ok?
-Ok. – concordou, e saíram para a agitação da livraria, com as mãos dadas.



Anoitecia quando as portas da Floreios se fecharam. Dentro da livraria, um pequeno numero de pessoas ainda conversavam, enquanto as funcionarias arrumavam as estantes e listavam as vendas.
Piero, as gêmeas e Tabby haviam ido para casa com Alissar e Dobby.
-Quando as gêmeas vão para casa? – Vitor perguntou para Hermione, que estava sentada a seu lado num degrau da escada que levava ao segundo andar.
-Não sei...Fler e Gui foram viajar. Acho que voltam logo... – deu de ombros.
-Não me parece que deva ficar tanto tempo com elas. – ele disse novamente.
-Eu gosto das meninas. – disse incapaz de ignorar. – Além disso me faz ter uma idéia de como será no futuro, quando rony e eu tivermos mais filhos. – disse olhando diretamente para ele.
-Pensam em...ter outros? – ele perguntou em voz baixa.
-Rony sempre quis uma grande família e eu adoraria ter muitos filhos com ele. E você mesmo viu, a casa é enorme. Tem espaço de sobra. E você, Vitor, não pensa em ter seu próprio filho com Mary? – sugeriu decidida a demonstrar que não sentia nada além de amizade por ele.
-Mary falar nisso agumas vezes... – ele olhou para a porta da livraria, por onde podiam ver a rua e a faxada das outras lojas pelo vidro. – Mas eu não querer filhos.
-Como não? – disse surpresa – Você me disse que queria. Lembra-se? Logo depois que Tabby nasceu, você disse que um dia teria seus filhos, também!
-Sim, mas isso foi quando achar que você e eu fossemos criar Tabby juntos. – ele a olhuo diretamente.
Hermione suspirou.
-E eu disse que isso nunca aconteceria. – disse rapidamente, querendo evitar ter que ouvir sobre os sonhos e planos dele .
-Eu saber disso. – ele disse visivelmente magoado. – Achar que é hora de ir embora. – levantou-se do degrau.
-Eu pensei que Mary viesse para a inauguração, Vitor. Eu estou preocupada com ela. Não deu mais noticias. Eu esperava que ela fosse me ajudar com o bebê.
Ele a olhou como se tivesse incerto do que dizer.
-Mary e eu terminar antes de eu vir para ca. Ela me disse que não quer vê-la mais Hermione.
-Como? – ergueu-se surpresa – Do que está falando?
-Ela pedir que trouxesse Piero para vê-la. Porque ela e ele iram se mudar antes que as aulas dele recomeçassem. – disse. Era possível ver seu prazer em dizer isso.
-Eu não sabia... – sentiu vontade de chorar – Porque não me contou antes?
-Teriam me deixado ficar se soubessem? Ele daria um jeito de me mandar embora!
-Talvez...mas isso não muda o fato que fiquei esperando por ela esses meses todos! Eu estava ansiosa para vê-la! Como pode fazer isso, Vitor? Eu sempre fui sua amiga, sempre o quis bem! Como pode me enganar assim?
-Você só ter olhos para aquele lá.... – disse com rancor.
-Eu quero que vá embora lá de casa, Vitor. – disse decidida a não se deixar levar pela amisade que sentia por ele – Eu fico com Piero. Vá embora, por favor, ainda hoje se for possível.
-Hermione... – ele tocou seu braço mas ela se afastou com rancor.
-Sinto muito, Vitor...mas não quero mais vê-lo. Veio aqui apenas para destribuir intrigas e me perturbar! – lágrimas correram em sua face – Eu me enganei quanto a você. O erro foi meu...!
Nervosa, saiu de lá. Rony havia ido até o depósito no fundo da livraria, para conferir o estoque, e ainda deveria estar lá.
Andou rápida até a porta do depósito e ouviu vozes.
-Você precisa contar, Rony! Não foi apenas um momento! Você sabe disso!
-Olha, Yumi, chega disso, vá embora, por favor.
Sim, era a voz de Rony. Mas porque ele estaria ali dentro conversando com aquela mulher? Conversando não, disse a si mesma ao espia-los por entre uma estante. Ela estava tão próxima, e ele segurava seus braços, como se tivesse perdido a paciência.
-É claro que vou embora, mas não pense que ira escapar de mim! A culpa é toda sua, Ronald! Deveria ter me contado que era casado, e não ter me usado daquela forma! Sabia muito bem que eu viria atrás de você depois daquela noite!
-Aquela noite foi um erro, eu estava confuso. Esquece.
O coração de Hermione se partiu. Ele a traira. Fechou os olhos agoniada, alguma parte sádica dentro dela se obrigando a ouvir cada frase dita por eles dois.
-O que para você foi um erro, para mim foi importante e inesquecível. Ronald, você é um homem tão bom, tão...foi tao maravilhoso estar com você daquela forma...talvez eu jamais o esqueça. Entende porque não posso abrir mão de você? Eu não conheço sua mulher, mas crio sua filha e até esse menino que vai nascer. Eu posso ser uma boa mãe. Não precisa continuar com ela!
-Vai embora, Yumi, por favor, não me obrigue a tira-la daqui a força.
A mulher o olhuou com amargura. Aparatou com um suave ‘ploc’. Rony ficou ali olhando para o vazio por instanetes. Então retomou seu trabalho como se nada houvesse acontecido.
Hermione se perguntou o que deveria fazer. Ele a traíra. Deveria gritar. Brigar. Estopora-lo. Abandona-lo.
Mas só essa possibilidade a fez arfar. Não podia ficar longe dele.
Mas poderia aceitar uma traição? Eles haviam casado a tão pouco tempo...
Lágrimas correram silenciosas por seu rosto, enquanto o observava calada. Poderia ficar longe dele novamente? Para sempre?
No passado eram namorados, mas agora dividira uma vida com ele. Sabia o que era acordar a seu lado, procurar seu abraço e te-lo ali a seu lado...
Desolada, saiu silenciosa para que ele não a visse. Nem ela sabia porque não dizer nada. Apenas voltou para a floreios e sorriu para as quatro meninas que trabalhariam para ela, que a felicitavam antes de ir embora. Sorriu para Harry quando ele perguntou se estava tudo bem, e sorrira também para os gêmeos e para Gina quando se despediram.
E foi com um falço sorriso na face que seguiu Rony para a lareira, e voltaram para casa.



OBSERVAÇÃO: Gente, não é nada do que está parecendo! Tadinho do Rony!









Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.