FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. FAZENDO AS PASSES NOVAMENTE...


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPITULO 19
FAZENDO AS PASSES NOVAMENTE...



Ambas tinham os rostos vermelhos e com um choro ameaçando escapar, porém a raiva as mantinha firme no propósito de não mostrarem uma a outra, como estavam magoadas e tristes com aquela situação toda.
-Tia Ginny... – ouviram uma vozinha frágil e se calaram na hora.
Hermione quis morrer. Tabby vinha segura pela mão de Fred e parecia chocada vendo-as brigarem.
Mas ao contrario do que outra criança faria, ela não correu para a mãe ou chorou, apenas soltou-se de Fred e andou até seu avô, Artur, sentando-se em seu colo.
-...Oi papai. Oi mamãe.
-Vamos embora, Tabby? – Rony disse se aproximando para que ela voltasse com ele.
-Não, papai, a tia Ginny e a mamãe estão conversando. Deixa elas.
-Elas não estão conversando, Tabby, estão brigando. Se ofendendo e tirando minha paz. – ele desabafou, sentando perto de Harry no sofá.
-Por isso mesmo, papai. Deixa as duas.
-Eu não tenho mais nada para falar com essa mulher. Sinto muito, Tabby, que ela seja sua mãe. Sempre será bem vinda na minha casa, mas sem ela!
-Isso vale para você, Harry! – Hermione disparou – Minha casa é sua também! Desde que mantenha essa desbocada bem longe de mim!
-Ora, sua...! – calou-se antes de dizer a palavra feia, por causa da sobrinha.
-Vem, bebê, vem aqui, eu estou com saudades de você. – Hermione estendeu a mão para ela, mas ela abraçou-se mais ao avô. – Tabby, o que foi?
-Eu não quero ficar no meio disso, mamãe. Não falo mais nem com uma, nem com outra.
-Tem certeza? Seu pai comprou uma casa enorme, com um jardim como esse da Toca. E tem um quarto super lindo para você e outro para a gente decorar para o maninho. O que acha? Não quer ir para lá?
-Não esqueça dos cavalos, Hermione. – Rony disse sorrindo ao ver os olhos da menina se arregalarem brilhando de espectativa.
-Ah, é mesmo! Temos cavalor, Tabata! Uma égua linda chamada Duda e um cavalo chamodo Tempestade. E...tem um potrinho coisa mais fofinha...
-É verdade, mãe?
-Não deve perguntar a mim, mas ao seu pai. Prescisa ver, Tabata, é lindo!
A menina pareceu dividida entre fraquejar e se deixar levar pelo impulso infantil de ver os cavalos, ou manter-se firme no intuito de reconsiliar sua mãe com sua tia preferida (e única, claro).
-Mas a Tia Ginny não vai poder ver os cavalos, mamãe?
-Não nessa vida, Tabby! – Hermione disse olhando com ódio para a cunhada.
-Então que graça tem, mamãe? Tia Ginny adora cavalos como eu. E você, mãe, não é tão fã assim, é? Que vai andar comigo? Heim?
-Esinamos Millie a cavalgar, o que acha? – sugeriu sentindo-se vitoriosa.
-Mas ela tem medo até de barata, mãe! Ela não vai querer!
-Contratamos um cavalarisso, o que acha? – tentou mediar para não ter que ceder.
-Mamãe! – Tabby protestou como se sentisse que a mãe merecesse um puchao de orelha.
-Hermione, - Rony levantou-se e se aproximou fazendo com que ela o olhasse desconfiada – Lembra do que você disse que queria fazer? Foi idéia sua chamar minha família e a sua para conhecer a casa nova num almoça lá em casa. Porque não esquecemos essa discução sem propósitos e recomeçamos tudo de novo?
-Você está do lado delas! – ela acusou, recebendo um sorriso condencendente dele.
-Não, eu estou do seu lado.
-Apenas porque tem medo que eu o mate dormindo! – disse baixinho, entrando no jogo dele.
Rony sorriu chegando mais perto e a abraçando pela cintura. Segurou uma das suas mãos jutno ao peito, acariaciando a pele para distrai-la da briga.
-Isso também. Mas vamos lá, sua filha está pedindo uma trégua. E eu também.
-Não é minha culpa se elas duas pensam que podem me ofender e destratar o tempo todo e...
-Shmmmmmm. – ele pos o dedo nos lábios dela pedindo silêncio. – Esquece. – sussurrou em seu ouvido – Seja superior.
-Está querendo me confundir e me vencer não é? – ela sorriu de volta já não tão certa do porque estar brigando se era tão bom ficar abraçada a ele daquele jeito.
-Um convite, Hermione, e elas começam a ceder. Por favor, de o braço a torcer só dessa vez.
Fechando os olhos enquanto tentava engolir o próprio orgulho, ela se virou para a “sogra megera” e Ginny e tentou não parecer como um auror dando voz de prisão:
-Eu e Rony viemos aqui para buscar Tabby e convidar a todos para conhecer a casa. Pretendo fazer um almoço amanhã para nossas famílias. E esse convite é para todos, mesmo. Gostaria que fosse sra.Wesley. e você também, Ginerva.
-Não nessa vida – debochou Ginny.
Harry a olhou reprovador e disse apenas:
-Estaremos la´, Hermione. Nao se preocupe. Gostaria que levássemos algo? – perguntou gentil.
-Não, Hermione já encomendou um bufe... – Rony olhou atravessado para o bufo de sua mãe – Não tivemos tempo para prepar nada, mãe, estávamos em lua de mel, esqueceu?
-Como poderia? – ela ironizou – Bem, eu levarei algo para comermos.
Sentindo-se ofendida pela indireta, Hermione sorriu e disse o mais sádica possível:
-É como eu disse, é uma reunião apenas para amigos e parentes, sendo assim...Alice, você não está convidada.
Rony revirou os olhos sabendo que recomeçaria tudo outra vez.
-É claro que está! Alice é uma prima distante, não é, mãe? – perguntou Ginny vitoriosa.
-Claro, filha da sua tia Carmem. – a matriarca devolveu feliz em ofender.
-Bem, com certeza ela deve ser do seu lado da família – respondeu Hermione mal encarada.
-Olha, aqui... – Ginny aproximou-se perigosamente de novo e parou porque Harry a segurou, puxando-a para o sofá junto com ele.
-Chega vocês três! - pela primeira vez, o sempre calado e imparcial sr.Wesley se manifestou. – Nós teremos muito prazer em ir ao seu almoço, Hermione. E sei que Alice concordara que é melhor não ir dessa vez. Talvez em outra oportunidade. – vendo a esposa inflar como um balão ele continuou – Por favor, Molly! Hermione está esperando o seu neto! Será que não merece nem um pouco de atenção e compreensão? Rony nos contou como foi complicada a gravides de Tabby, - ele disse diretamente para Hermione – Espero que se sinta bem vinda nessa casa, assim como meus netos.
-Eu sinto tantos transtornos, sr.Wesley – disse quase chorando – Acho que não deveria ter vindo.
-Pois eu digo ao contrario! É bom ter toda a família reunida! Daqui a pouco Gui e Carlinhos estão chegando e mais tarde suas esposas. Porque não ficam para o jantar?
Hermione olhou para ele implorando para não aceitarem.
-É claro que ficaremos, pai. – Rony disse olhando para ela com um enorme sorriso. –Não é Hermione?
-Ah, sim, obrigada pelo convite... – respondeu sem graça.
Um pesado silêncio estendeu-se na sala, quebrado unicamente pelas perguntas intermináveis de Tabby sobre a casa nova. Em determinado momento, Rony a puxou pela escada em direção aos quartos. Entraram no seu antigo quarto, igualzinho ao passado.
-Você lembra? – ele perguntou com terceiras intenções.
-Hummm....se a sua mãe soubesse o que fazíamos aqui depois que todos dormiam... – ela disse sorrindo enquanto ele a abraçava. – Rony, eu não sei se seria boa idéia....
-Minha mãe está entertida lá embaixo falando mal de você, Mione. Nem vai sentir nossa falta!
-Não é isso...essa briga toda, essa tensão...eu fiquei um pouco indisposta...
Ele se afastou, notando só agora que ela estava bastante pálida.
-Vem, deita aqui. – ele a fez deitar e ajeitou os travesseiros – Quer que eu chame a medibruxa?
-Não, rony, não é presciso....- baixou os olhos sem saber o que dizer – Eu achei que devese esperar e contar só quando Mary estivesse aqui, mas...já tem algumas semanas que eu sinto dores, Rony. As mesmas que eu sentia durante a gravides da Tabby.
-Você acha que o sisto voltou? – quem impalideceu foi ele.
-Eu tenho certeza.as dores são mais fracas e não creio que devemos nos preocupar ainda. Mas não quero esconder isso de você.
-Não esconda nada de mim, Hermione, eu não esconderei nada de você. O que acha? É um bom trato?
-O melhor deles. – sussurrou emocionada, enquanto ele a beijava suavemente.




Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.