FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

12. DECISÕES E INDECISÕES


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPITULO 12
DECISÕES E INDECISÕES

Hermione entreabriu os olhos e moveu-se para o lado. Ficar de lado sempre melhorava o mal estar. Um truque que usava desde a época de Tabata. Mas dessa vez havia algo a seu lado. Apavorada sentou-se de imediato.
-Deite-se, Hermione. Esta tarde. Durma.
Aquela voz na sua cama. Como nos velhos tempos...
-O que está fazendo? – perguntou para ele.
-Dormindo até onde possa me lembrar. – havia uma sombra de riso na voz dele.
-Mas aqui?
-Te troquei e me econstei para cuidar de você. Peguei no sono. Queria que eu ficasse no chão? – definitivamente ele sorria na escuridão.
-Tenho dois quartos de hospede caso não tenha notado!
-Ah, claro. Muito pudico da parte de alguém que espera um segundo filho meu.
-Eu não sei se isso é verdade! – disse rápida.- Pode ser uma virose...
-Qual é, Hermione? Até sua filha de quatro anos percebeu o obvio.
-Ela é mais inteligente que nos dois juntos, então não vale como comparativo. – disse revoltada.
-Quem sabe então dessa vez não nos suepremos?
Demoru a entener; ele já falava como se fosse certo. Como se...ele quisesse isso.
-Rony, por favor, vai pro quarto de hospedes.
-Eu só tirei os sapatos e o casaco. Não vou ataca-la. Relaxe e durma.
-Mas...
-Agora, Hermione.
Havia um tom tão autoritário na voz dele que a convenceu a fazer isso. Deitou nos travesseiros e fechou os olhos. Não conseguia relaxar. Ele estava em todos os cantos da cama. Seu perfume forte. Madeira e menta. Ele ainda usava o mesmo. O calor do corpo tão perto do seu...
-Eu não vou morder. – ele tornou a dizer na escuridão do quarto.
-Promete? – foi impossível não provoca-lo.
Sua risada ecoou pelo quarto e ela sorriu adorando ouvi-lo rir.
-Dessa vez você tem minha palavra.
-Então eu acredito. – virou-se de lado, na direção que ele estava deitado. – Boa noite, Rony...
-Boa noite, Hermione...

na manhã seguinte, Hermione acordou com o balanço da cama. Abriu os olhos e viu-se de frente para um par de olhinhos azuis muito brilhantes e um rostinho angelical. Tabby ainda vestia o pijama de urcinhos e tinha os cachinhos revoltou . ela estava ajoelada sobre a cama. Olhava dela para a pessoa a seu lado. Rony estava deitado de lado, seu rosto muito perto do pescoço de Hermione e um de seus braços estava passado sobre sua cintura.
-Bom dia, bebê.
-Bom dia mamãe.... – ela olhou para rony de novo e então para um rony que começava a despertar – bom dia, papai.
Era a primeira vez que ela o chamva assim diretamente para ele. Isso o surpreendeu tanto quando a Hermione.
-Bom dia, raio de sol. – ele disse sorrindo para a filha enquanto se afastava um pouco se espreguissando.
-Hoje é sábado – a menina disse, e se jogou entre os dois. – A gente vai passear hoje mamãe?
-Eu não sei, querida, não pensei em nada ainda... – disse sem saber bem o que pensar.
-a gente podia ir ver a mini vassoura que o papai me prometeu. O que acha, pai?
-Como você quiser, princesa... – ele olhava encantado para a menina tão a vontade entre os dois. – Onde quer ir primeiro?
-Hum...deixa eu pensar... – ela fez carinha pensativa e Hermione resolveu tomar a dianteira diso antes que perdesse o controle totalmente.
-Que tal seu chuveiro, heim? Escovar esses dentilhos de leite, tomar um banho e esperar a mamãe boazinha lá na cozinha com a tia Millie.
-Ah, mãe! A gente não pode tomar banho juntas? – dise fazendo cara de carente.
-Hoje não. – olhou para Rony.
-E o papai? – ela virou –se para Rony com olhinhos cheios de espectativa.
Ele ficou mudo olhando para Hermione em busca de socorro.
-Se o seu pai quiser... – deu de ombros.
-Oba! – Tabby gritou levantando como um raio – vou escovar os dentes e já volto!
Saiu correndo antes que ele dissesse algo.
-Hermione! – ele disse assustado.
-O que? – ela perguntou rindo. Estava usando uma camisola de algodão com a calcinha e o sutiã intactos. Pelo menos ele não a despira completamente na noite passada. Como se fizesse diferença, de qualquer forma.
-Eu não posso tomar banho com Tabby!
-Porque não? – fiou surpresa pela reação dele.
-Eu sou um homem, Hermione! Ela é só uma menininha...eu não sei dar banho numa menininha! Eu nem sei me comportar direito com ela!
-Rony, acalme-se – disse tentando não rir – Para Tabby a nudez é algo inocente. Você é o pai dela. Ela já toma banho sozinha então você tem que apenas brincar um pouco com ela e depois conferir suas orelhas e seu cabelo. Se não estiver cheio de espuma, é porque o banho terminou.
-Fácil falar. – ele disse emburrado.
-Se não quer é melhor dizer para ela logo. – recomendou.
-Porque não entra com a gente na banheira? Eu ficaria mais a vontade. – ele disse e ela o olhou acusadora - Você coloca um biquíni. Ou a roupa de baixo. Eu também. – havia um tom quase como se ele implorasse.
-Rony, nos não deveríamos criar expectativas nela. Não somos um casal, por favor.
-Ela já nos viu na cama, está cheia de exprctativas que iremos frustrar de qualquer mameira... – ele tentou barganhar.
Ela estava pronta para começar um sermão quando Tabby voltou correndo cheia de sorrisos. Não teve coragem de frustra-la.
-Ok. Vocês venceram. – apontou para a porta do baheiro como se falasse para duas crianças – Já para o baheiro, vocês dois!
Demorou um pouco vestindo um biquine antes de entrar. Tinha medo das langeris claras ficarem transparentes. Pudor bobo esse.
Quando os emcontrou no banheiro ele havia despido Tabby e preparava a água. Hermione mediu a temertatudo e tirou a toalha. Tabby riu.
-Biquine, mãe?
-Claro. Você não quer deixar o Rony envergonhado quer? – brincou e ela riu. As duas entraram na pequena banheira de idromassagem e ficaram olhando para Rony que parecia execpionalmente corado de tirar a roupa na frente das duas. Ainda mais que elas não paravam com os risinhos e os cochichos.
-Ôw!!!! Que água mais quente! - ele reclamou sentindo-s um frango sendo despenado.
-Eu gosto de água quente e Tabata também. – Hermione disse, com a pequena abraçada contra ela.
Ele olhou para elas duas e sentiu-se vencido. Eram dois votos contra um. Elas sempre se apoiariam de qualquer maneira.
-Mamãe? – a voz de Tabby parecia meio fraca, como se ela sentisse receio de algo – Posso perguntar uma coisa?
-É claro que sim!
-Eu vou ter mesmo um irmanzionho?
Hermione olhou para Rony sem saber o que responder.
-Ainda não sabemos, Tabby. – ele a salvou respondendo por ela – Você gostaria de ter um irmão?
-Se fosse um irmão vindo da mamãe e do meu papai sim. –ela disse séria – Mas só se a gente fosse uma família.
-Tabby...é complicado falar sobre isso com você. – Hermione começou a dizer.
-Porque? – a menina moveu-se na água, e foi para o pai – Se vocês se gostam e fizeram mais um neném, é porque querem ficar juntos!
Hermone abriu a boca para argujentar mas foi interrompida.
-Você tem razão, Tabby – disse Rony – tem toda a razão.
-Então a gente vai ser uma família se nascer um irmanzionho para mim?
-Vamos falar sobre isso quando soubermos se sua mãe está grávida ou não. Agora, o que acha da gente brincar um pouco?
Tabta olhou para ele com aquela cara de ‘não insulte minha inteligência, por favor. Eu não caio nessas bobagens de criança’, mas se conformou e entou numa guerrinha de água com ele.
Ficaram uma meia hora ali dentro. Hermione os deixou brincar e fechou os olhos aproveitando o calor da água para relaxar. Estava quase adormecendo quando eles dficaram silenciosos.
-Hummmmm...O que está aprontando Tabby? – ela sussurrou sem abrir os olhos.
-Nada, mamãe...
Mais risinhos. Hermione apenas sorriu. Gostava quando sua menina tinha impulsos infantis como qualquer outra criança. As vezes ela ficava muito série e adulta, e era difícil lidar com ela.
Abriu os olhos a tempo de ver ela e Rony brincando de colocar o rsoto dentro da água. Tabby veio a tona quase se engasgando. Olhou para a mãe com aquele enorme sorriso:
-O papai está me encinando a nadar...
-Na hidro? – estendeu a mão para que ele viesse para seu lado – Vou ver aulas para você, numa piscina de verdade o que acha? – abraçou a menina meio possessiva. Não queria que eles tivesse coisas em comum. Segredos seus. Atividades só deles. Ela era sua. Todinha sua!
Tabata olhuo para o pai que olhou para ela e estedneu a mão para que ela voltasse para o seu lado.
-Eu não posso ficare de um lado ou de outro. – a menina disse de repente. – Prefiro apresender com os dois.
-Não temos tempo para concikiar nosos trabalhos e... – Hermione tenou argumentar.
-Eu e sua mãe vamos conversar sober eisso. Agora, acho melhor sairmos e nos vestirmos. Ainda temos que levar sua mãe ao medibruxo. E você já esta ficando toda enrugada!
Eles riram e ele saiu da banheira e tirando com ele. Hermione sentiu-se mal. Aquela tontura que não passava. Se estivesse mesmo geravida teria de passar por tudo aquilo de novo. A dor, o medo, aa cirurgias. Ficou mais um tempo aproveitando o calor da água enquanto esperava a tontura passar.
-Hermione? – Um rony enrolado numa toalha a olhava curioso – Você não vem?
-Já estou indo...
-Está tudo bem?
-Tontura. Logo passa... – deu de ombros.
Ele ficou em silêncio e ela olhou para ele.
-O que foi Rony?
-Eu fico me perguntando se isso é o correto.
-Do que está falando? – disse amedrontada. Ele não estaria pensando em...? não. Seus pais haviam pedido que abortasse Tabby e ela quase morrera de tristeza ao ouvir siso dos próprios pais. Mas ouvir isso de Rony seria ainda pior.
-Nos dois criarmos Tabby sozinhos. Quero dizer, mesmo sem um outro bebê, ela sente falta de ter pais.
Ele notou sua surpresa pelo assunto e então ela sorriu.
-O que você estava pensando?
-Nada, Rony. Esquece. Eu...acho muito cedo para falarmos sobre isso.
-Eu acho que estamos falando com qautro anos de atraso.
Sentindo aquela verdade dentro da alma, Hermione moveus as pernas a água, fazendo com que esta se movese criando pequenas ondas.
-Sabia que essa banheira faz massagens? – perguntou tentando furir do assunto. – E se você quiser ela faz ondas também...
-Está me convidando para experimentar isso? – ele sentou na borda com uim olhar que dizia claramente que o assunto não morrera ali. Mesmo assim havia algo sedutor nele.
-Por mim, tudo bem. Eu passo o dia todo fora, mesmo – sorriu debochada – Embora que como auror você deve ter como comprar uma igual, ou melhor.
-Tem razão. – ele disse erguendo-se – Mas não paresse interessante uma hidro sem ter com quem partilhar.
-Não sei, Rony...eu aproveitei bastante a minha em Berlim, primeiro quando estava grávida, me relaxava a dor nas costas e depois com Tabby, quando ela ficava muito hiperativa. – disse debochando dele de novo.
-Sabe o que eu quis dizer! – ele retrucou tentando não sorrir.
-O que eu sei, Rony – disse ficando séria – É que não sei o que pensar agora. Você esta certo sobre Tabby. Ela prescisa de um lar. Mas não sei se seriamos esse lar. Pais que não se entendem. Eu menti para você. Você me despreza por isso. Sua família me odeia e agora vão pensar que sou tão promiscua que o seduzi apenas para obriga-lo a ficar comigo. Isso tudo faz com que um casamento não de certo, ainda mais sem...- engoliu em seco, as palavras eram tão mentirosas que mal saiam de sua boca - ...amor.
a postura dele mudou instantaneamente para a defensiva. Ele estendeu a mão para ela num conviente para que se levantasse.
-Vem, eu marquei ontem a noite, depois que você dormiu, uma consulta com a medibruxa que cuida da Ginny neses asuntos. Temos consulta daqui a uma hora.
Ela quis protestar, mas a situação não era tão boa a ponto de poder argumentar. Deveria dar graças por ele não estar furioso ou por não culpa-la.
Saiu da banheira diretamente para o calor de uma toalha felpuda.
-Desco em alguns minutos – Hermione disse depois de pegar as roupas dele de sobre a cama e entregar a ele, abrir a porta do quarto e esperar que ele saísse, não sem um detestável olhar de malicia.

































Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.