FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

2. REENCONTRO


Fic: A DESCOBERTA INESPERADA I


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

CAPITULO 2
REENCONTRO

Fazia três dias que todos haviam saído da enfermaria. A sra.Wesley havia feito questão que a menina ficasse com eles na Toca, enquanto sua mãe não fosse localizada.
Todos desconfiavam, que por não ver as netas, filhas de Gui, com muita frequência, nem ter filhos pequenos ela estava matando as saudades.afinal, tivera apenas Gina, que agora já era adulta. E finalmente, Rony havia arrumado uma companheira nos seus vôos diários depois do trabalho. Fora uma grata surpresa quando ela dissera toda intusiasmada, depois do almoço:
-Eu adoro voar. A mamãe não sabe que eu vôo. Eu encontrei uma vassoura que foi dela, jogada no sótão, daí eu apreendi a voar sozinha! A Tia Millie, minha baba nunca contou nada para a mamãe.
-Mas querida , trouxas não devem saber dos bruxos... – a sra.Wesley dissera.
-Ah...eu sei. Mas tudo bem. Eu achei um livro da mamãe e sua varinha, aprendia fazer feitiço do esquecimento. Tadinha da tia Millie, nunca lembra o que faz a tarde... – suspirou pesarosa, mas nada arrependida.
-Essa menina é um perigo. – disse Gina olhando surpresa para ela.
-Perigo ou não – disse um Rony intusiasmado – Vamos ver o que você sabe, mocinha. – pegou a menina e colocou sobre os ombros, saindo para o jardim.
Depois daquela tarde, virou costume.
Menos naquele dia.
Todos almoçaram e foram para a sala. Harry e Gina eram casados a quase dois anos. Mas estavam numa fase ruim. Muito trabalho. Pouco tempo juntos. A conversa cessou quando Alan Drek entrou pela porta.
-Ola, pessoal. – ele disse cansado porem aparentemente satisfeito. – Encontrei a mãe da menina.
Tabby ergueu a cabeça do jogo de xadres que travava contra Rony e arregalou os olhos.
-E onde ela está? – Rony quis saber.
-Ela mora em Berlim, mas quando a procuramos seus pais nos disseram que ela viajou para cá atrás da filha. Como mantivemos segredo sobre a recuperação dos rfens ela ainda estava na busca pela menina.
-A mamãe está muito brava comigo?
-Bem, não diria brava – Alan sorriu encorajador – Eu a encontrei num estado péssimo. Desesperada de medo pela filha.
-Eu imagino. – disse a sra.wesleyu pensando nos próprios filhos.
-E onde ela está?
-Está lá fora...esperando.
-A mamãe está lá fora? – a menina levantou-se como u raio. E saiu correndo da casa.
-Ah, essa mal agradecida, não pode nem entrar e saber o que aconteceu? – perguntou a sra. Wesley furiosa.
Todo saíram da casa, a tempo de verem Tabby correndo em direção ao carro trouxa estacionado perto da li.
-Mãe!!! – ela gritou.
A mulher se virou e pegou a menina nos braços, abraçando forte e apertado. Não dava para ouvir o que falavam. Mas era obio que ela chorava.
Tão obvio que Gina sussurrou:
-Eu não acredito...Essa é...é...Hermione?
-Bem, a semelhança não era conicidencia. – disse Harry indo em direção as duas. Havia raiva mas também saudade.
-Você está bem, Tabata? – ela perguntava- Eles machucaram você? Bateram em você?
-Não mamãe. O Tio Rony e o Tio Harry me salvaram! E depois a Tia Ginny me contou historias para dormir super super legais de bruxos! E a vó Molly fez bolo de chocolate com suco de abóbora para mim! Não é demais?
-Claro... – Hermione afastou os olhos, para que ela não visse sua emoção.
-Hermione? – Harry se aproximou encaandoa-a incrédulo.
-Olá, Harry. – ela mudou o peso da menina para o quadril, e olhou-o como se realmente não quissesse estar ali.
-Quantem tempo, heim?
-Sim, quanto tempo.
-Viu, mãe? É o Harry Potter! - a menina começou a tagarelar, agarrada no seu pescoço.
-Sim, querida, eu sei. Nos estudamos juntos. Lembra da foto que lhe mostrei?
-Ah...! então esse Harry Potter, é aquele Harry Potter????
-Isso mesmo. – Hermione passou a mão pelos cabelos da menina e por um minuto pareceu perida em pensamentos.
-Porque não entramos? – disse Gina – Tem muita coisa para conversarmos.
-Eu..na verdade estou com pressa. Tenho que voltar ainda hoje para casa...
-Ah, mãe! – a menina protestou – Eu quero ficar! - soltou de seu pescoço e quis descer – Eu nem pude andar pelo pátio ainda, ver o lago, nem conhecer o vampiro do sótão, nem a casa da arvore nem... – começou a inumerar nos dedos.
-Outra hora, Tabata. Realmente, prescisamos ir. – disse sem olhar diretamente para ninguém.
-Eu não vou!
-Não vai? – Hermione ficou surpresa.
-Não! Eu quero ficar com a vó Molly! – dizendo isso correu para ela e abraçou-se nas suas pernas com força.
-Tabata, não faz assim. Você nunca foi dada a esse tipo de manha!
-Eu não quero volta rpara aquela escola chata! Eu não quero mais ver o tio Vitor! Nem a boba da Millie! Eu quero um jardim!
A menina começou a chorar e isso pareceu abrandar o coração de Hermione, mas não seu método de ensino:
-Você sempre gostou da Millie, e não deve falar assim de quem se gosta, Tabata. E o Vitor adora você. É maldade sua falar assim dele. E os seus amiguinhos da escola? Você não gosta deles?
-Não! – ela esperneou.
-Só que acontece que você vai voltar comigo. Querendo ou não! – abriu a porta do carro e a olhou severa – Agora eu não estou mais pedindo, Tabata!
-Eu não vou! Você é má comigo! – ela gritou.
-Tabata. Eu não posso competir com um jardim enorme. Nem com um monte pessoas mimando você por três dias. Nem posso competir com uma casa braxa, quando a nossa é tão diferente. Mas não posso deixa-la ficar. E você é minha filha. Já conversamos sobre isso antes. Quando for maior nos tomaremos decisões e então sua vontade pode prevalecer, mas nesse momento, eu estou dizendo para que entre no carro. Agora.
A menina largou as pernas da sra.Wesley e fgungou alto e em bo mtom, lançando um olhar de morte para a mãe.
-Tchau, vó Molly. – estendeu os bracinhos para um abraço apertado.
Molly a passou para o colo de Gina.
-Tia Ginny...eu posso levar o livros que mexe?
-É claro que pode, querida! – deu-lhe um beijinho no rosto. Passou ela para Harry e conjurou um feitiço fazendo o livrinho de historias aparecer. – Está aqui. É seu.
Ela sorriu e abraçou Harry com força. Entao estendeu os braços para uim quieto Rony, que apenas observava a cena.
Escondeu o rostinho no pescoço dele e disse baixinho, mas não o bastante para que a mãe ouvesse:
-A mamãe é um saco! Ela não me deixa em paz!
-Não diga isso. – ele tentou conter um sorriso, lembrando dele mesmo pequeno resmungando pela casa sobre os pais – Ela só quer o seu bem.
-Sei. Vou sentir saudades, tio Rony. Você vai me visitar?
-Claro. – olhou de esgrelha para uma contrariada Hermione – Assim que for possível.
-Tá.
Novamente no chão, Tabby andou até o carro como se fosse para a forca. Com um suspiro demasiadamente alto e resignado, ela entrou. Hermione fechou a porta e com um leve comprimento entrou e deu a partida.


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.