FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

20. Planos


Fic: In Aeternum


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________


Capítulo 20- Planos


- Ronald Weasley-


Hermione não conseguia parar de sorrir. Rony permaneceu longos minutos apenas olhando para ela, sentindo-se imensamente eufórico apenas observando a reação que causara na garota. Sabia que ela talvez ainda quisesse jogar na cara dele as últimas semanas em que haviam ficado separados, mas observando a situação com mais calma ele entendia que ele mesmo precisara daquele tempo. Ele sempre tinha aquela sensação de pânico estranha quando precisava tomar uma decisão. Ele torcia para que, com o tempo, Hermione lembrasse apenas da conversa deles naquela sala fracamente iluminada, da chave do apartamento no chaveiro de um elfo cor de rosa, e do momento romântico que se seguiu, da sensação boa de saber que logo realizariam todos os seus planos.


Gina ainda parecia não ter entendido nada. Ela olhava de Rony para Hermione, como que esperando que uma briga se montasse a qualquer momento. Uma voz calma e quase cantante invadiu os ouvidos de Rony e ele não precisou pensar muito para deduzir quem era.


- Vocês quase perderam o jantar...sabiam?


Luna se sentou ao lado de Rony e sorriu sinceramente para ele. Ele sorriu de volta.


- Chegamos a tempo.


Hermione corou e desviou o olhar. Ela certamente estava se lembrando da ideia de Rony de irem para a Sala Precisa ao invés de jantarem com o restante da escola.


- O pessoal da Corvinal parece achar que eu pretendo fazer uma coluna de fofocas de Hogwarts no Pasquim- Luna arregalou os olhos enquanto falava.- Não param de me questionar sobre vocês.


Ela olhou para Gina e depois para Rony e Hermione. O garoto fingiu um acesso de tosse para não ter que continuar com aquela conversa.


- Algumas pessoas tem inveja por você ser nossa amiga.- Gina sorriu para a garota. Luna pareceu se alegrar com o comentário.


- Na época da Armada de Dumbledore, qualquer um nesse castelo daria qualquer coisa para poder nos entregar para Umbridge.


Rony adorava a sinceridade de Luna. Ele suspirou longamente e fitou a garota.


- Você tem razão, Luna. Muitas pessoas aqui parecem querer trocar de lado constantemente.


Luna afirmou com a cabeça e se serviu de mais pudim. Enquanto ela olhava sonhadoramente para o efeito do brilho de sua colher juntamente com a sobremesa, Hermione resolveu ganhar tempo.


- Na realidade, muito pouco mudou.- ela segurou a mão de Rony. O garoto deduziu que algo ruim estava por vir.- Alguns tentam esconder quem são verdadeiramente, mas não acho que podemos confiar em qualquer um apenas por essa pessoa afirmar que é de confiança.


- A-há!- Gina apontou o dedo para Hermione.- Finalmente vou poder jogar suas palavras contra você, Hermione.


Mas antes que Gina pudesse continuar, Neville veio correndo na direção deles. Parecia mais desajeitado do que nunca. Prontamente apertou a mão de Rony.


- Rony! Tudo bem?


- Tudo e com você?- Rony se levantou para cumprimentar o antigo colega.- Aparentemente o único que vingou da nossa turma, não é?


Ele achou que um elogio faria bem, já que Neville normalmente era deixado para segundo plano. O garoto pareceu feliz com o comentário de Rony.


- Acho que não fui o único.- Neville arranjava espaço para se sentar próximo a eles.- Gina me contou que você e Harry estão ganhando espaço na Academia de Aurores!


- Ah, bom- Rony pareceu murchar.- Não acredito que "ganhando espaço" seja a expressão apropriada. Mas, dizem que o começo nunca é fácil, não é?


- Pois é- Neville olhou para o teto estrelado por breves momentos e depois voltou a fitar Rony.- Vovó ficaria feliz se eu me tornasse Auror. Mas cá entre nós, se não fosse a AD eu jamais conseguiria fazer nada contra um feitiço das trevas...


- Não é verdade, Neville!- Hermione sorriu bondosamente para o amigo.- E mesmo assim, você ama Herbologia e tem realmente o dom para a coisa, não vejo porque desperdiçá-lo seguindo uma carreira que outros escolheram por você.


Neville ficou muito corado. Rony se sentiu inspirado pelo comentário de Hermione.


- É isso mesmo, cara. Pelo que escutei, você está se dando muito bem por aqui. Em breve estará substituindo a Profª Sprout.


- Não é para tanto!- o garoto tentava desviar a atenção dele, o olhar de Luna muito atento parecia o incomodar.- Chega de falarmos nisso. Vocês obviamente estavam conversando algo antes de eu os interromper...bom, sinto muito mas é que...acho que seria grosseria minha não jantar a mesa dos professores.


- Claro, claro- Gina piscou para Neville- Estamos acostumados com nossos amigos famosos.


O garoto pareceu ficar ainda mais sem graça. Rony e Hermione sorriram um para o outro: era muito bom ver Neville ser o centro das atenções.


- Estávamos falando sobre o fato de não podermos confiar em qualquer um...- Gina olhou ironicamente para Hermione.- Não é, Mione?


- Hermione Granger-


- Nós não vamos voltar para esse assunto, vamos Gina?- Hermione lançou um olhar significativo para a amiga.- Achei que depois daquilo que Neville havia dito você iria...


- Ficar com pena dele?- Gina desviou o olhar da amiga.


Rony apertou a mão de Hermione levemente.


- Por que Gina ficou mal humorada de repente?


Gina virou a cabeça bruscamente em direção ao irmão. Hermione falou baixinho.


- Ela desenvolveu um ódio quase patológico pelo Prof. Gareth.


Rony ergueu uma sobrancelha.


- Ah...sei...


Gina se levantou, dando o assunto por encerrado.


- Querido irmão- ela falou irônica- Posso falar com você um instante?


Rony franziu a sobrancelha e a seguiu.


- Acho que- Hermione olhou para a saída do salão, um pânico irracional a tomando- irei subir para a sala comunal. Boa noite, Neville! Luna...- ela mal teve tempo de se despedir dos dois, e já corria para alcançar os Weasley que estavam à frente.


-...não sei como explicar, Rony...só que...tudo que tem acontecido- Gina passava a mão nervosamente pelos cabelos- E além de tudo isso...minha paciência sendo testada...Harrry sempre foi famoso...mas a coisa está saindo de controle!


Hermione ficou mais atrás, querendo escutar.


- Você vai me desculpar...mas eu acredito que não é por isso que você está tão nervosa...


A garota silenciou.


- Gina...você sabe que Hermione vai apoiar você não importa o que-


- Eu não sei se posso confiar no Prof. Gareth...Rony eu...


- E apenas por essa insegurança você precisa odiar todas as pessoas que estão interessadas em Harry...e em mim?


- Eu não odeio...e...bom...já é difícil fazer Mione não perder a calma quando ela escuta aquelas Sonserinas falando de você. Imagina o que ela iria achar se eu contasse...


A garota pareceu ponderar por um instante, obviamente lembrando-se de algo.


-A propósito, você podia pegar mais leve...não?


- As garotas se jogam em cima...o que eu posso fazer? Não faço nada de errado..apenas estava conversando aquela hora quando-


- Eu posso saber- Hermione os alcançou- O que vocês tem de tão secreto que não podem compartilhar comigo?


Rony pareceu ficar paralisado.


- Mione...


Ambos tinham parado de caminhar, e Hermione se aproximou deles.


Rony olhou nervosamente para Gina, a garota lhe devolveu o olhar.


- Por que vocês duas não conversam calmamente na sala comunal?- ele deu um passo para trás.- Eu preciso falar rapidinho com o Hagrid e-


- Você está fugindo, Ronald?- Hermione olhou ameaçadoramente para ele.


- Óbvio que não, Hermione- ele olhou para a irmã- Gina...?


- Precisamos conversar, Mione.


Hermione cruzou os braços, impacientemente.


- Vocês Weasley estão me tirando do sério. Tantas conversas...e segredos sendo revelados...


- Por favor, Mione...- Gina parecia nervosa.


- Ok...


Rony sorriu carinhosamente para a namorada e se aproximou cuidadosamente dela, dando-lhe um beijo delicado na testa.


- Encontro você daqui a pouco...


Hermione ficou muito confusa. O que estava acontecendo?


Flashback


Hermione andava de um lado para o outro, impaciente, sua mão direita apertava furiosamente sua varinha.


Precisava fazer aquilo. Estava perdendo tempo.


Ela sentiu as lágrimas queimando os olhos novamente, e tentou olhar para as paredes, repentinamente tristes do seu quarto. Quando veria tudo aquilo novamente?


Um barulho a sobressaltou, passos se aproximavam. Ela ficou de costas para a porta, e tentou inutilmente afastar os traços de choro do seu rosto.


- Hermione, querida...o que está fazendo?- a voz de sua mãe chegou até ela.


- N-nada de mais...já estou indo, mãe...


Ela sabia que o pai e a mãe estavam provavelmente aproveitando o tempo de folga, e queriam a companhia da filha. Ela lembrou, sentindo uma pontada muito forte no coração, da noite anterior. Os pais falavam alegremente de seus planos para as próximas férias, enquanto Hermione esforçava-se para comer o que tinha no prato.


Eles não pareciam ter acreditado na seriedade que o assunto Voldemort possuia. Diziam para ela que tudo ficaria bem, que ela estaria segura na escola e que em breve tudo voltaria ao normal.


Ela não podia os julgar por pensarem assim- eram trouxas, e por mais que escutassem a agonia em sua voz e vissem o medo em seu olhar a falar da Guerra, jamais poderiam compreender perfeitamente bem do que ela falava.


Sua mãe acreditava que aquele seria o último ano da filha em Hogwarts, e insistia para que ela deixasse tudo organizado para que não houvessem correrias na última hora. Já seu pai, mesmo durante o jantar, lançou-lhe um olhar ansioso, daqueles dignos de alguém que sabe o que você está planejando. Se ele sabia ou não que ela estava disposta a colocar a vida em risco para auxiliar Harry, ele jamais colocou em voz alta. Hermione achava quase graça desse pensamento- mesmo que seu pai desconfiasse que ela planejava algo, ele jamais poderia desconfiar que era algo de tamanha grandeza.


Ela suspirou enquanto olhava as coisas que estavam cuidadosamente alinhadas no chão, quase escondidas debaixo da cama. Se ela fizesse aquilo rapidamente, sem pensar, seria quase indolor. Apenas precisava pensar que tudo estaria bem...tudo iria ficar bem...


Não era capaz de fazer aquilo... apagar a memória de seus pais? E se algo desse errado?


Como que buscando forças, ela repassou mentalmente a mensagem mandada através do Patrono de Lupin, que ela recebera durante a madrugada. Ficara sobressaltada, mas sabia que essa era a maneira mais segura de se comunicarem naqueles dias.


A voz que saía da grande luz prateada, era quase sobressaltada.


- Encontraremos você a 100 metros da casa, a seu pedido. Três horas da tarde em ponto. Tenha cuidado.


Ela havia mandado uma mensagem, deixando claro que não queria que a buscassem em casa. Se o seu plano desse certo, ela precisaria estar longe dali logo após executar o feitiço.


Ela sabia que Rony deveria estar tentando ajudá-la, mesmo longe, na Toca. Sabia que deveria ter convencido Lupin de que era importante que encontrasse Hermione longe de sua casa, mesmo não sabendo os reais motivos da garota. Sabia que ele não questionaria.


Pensar em Rony fez com que um fiozinho de esperança começasse a querer mudar seu humor. Em breve estaria ao lado dele. Seus pais ficariam em segurança- era esse pensamento que ela tentava manter em mente.


Ela fechou os olhos e mentalizou tudo que gostaria que seus pais acreditassem a partir de então.


" Wendell e Monica Wilkins...Vocês são um casal sem filhos, que cansados da rotina de trabalho resolvem se mudar para a Austrália, em busca de uma vida tranquila. Estão querendo isso há muito tempo, e não sabem porque esperaram até agora..."


Ela repassou aquela frase tantas vezes mentalmente, que estava praticamente decorada literalmente quando seus passos inseguros chegaram a sala, todos os seus pertences em uma pequena bolsa de contas que ela enfeitiçara para que tivesse um espaço muito maior do que aparentava. Não olhou para trás- não quis ficar nostálgica ao observar o quarto. Talvez aquela visão só tornasse tudo mais difícil. Ela gostava de pensar que logo estaria de volta- trazendo os seus pais, provavelmente muito confusos, para que voltassem a verdadeira realidade em que viviam.


Sua mãe se virou prontamente para ela quando sentiu sua presença na sala.


- Hermione, seu pai e eu estávamos pensando no que faríamos para jantar. O que você acha-


Hermione precisou manter todos os nervos sob controle quando viu o rosto assustado de sua mãe.


Sua mão tremeu, mas ela permaneceu com o braço esticado- a varinha formando um ângulo estranho, direcionada para o rosto de seus pais. Quando ela imaginara que precisaria fazer isso?


- Eu amo vocês...- ela sussurrou, certa de que ambos escutariam, já que o silêncio parecia quase machucar seus ouvidos.


Seu pai ficou sério, o corpo virado no sofá para olhá-la. Sua mãe ensaiou um sorriso, enquanto Hermione fechava e abria os olhos lentamente, querendo ganhar coragem.


Seu pai abrira a boca para falar- provavelmente para colocar algum tipo de desconfiança em voz alta. Afinal, ela não era proibida de realizar magia fora da escola?


Exatamente por isso ela sabia que teria muito pouco tempo depois daquilo. Uma lágrima quente desceu pelo seu rosto, mas ela tentou manter a voz firme. Sabia que o mais importante era mentalizar o feitiço, e não pronunciá-lo em voz alta.


- Obliviate.


Seu pai pareceu uma estátua viva, sua expressão ainda continha características de quem estava prestes a falar, seus olhos repentinamente vidrados. Sua mãe ficou quase assustadora, os olhos muito brancos.


- Vocês são Wendell e Monica Wilkins...precisam rapidamente arrumar suas malas ou não irão conseguir vôo algum para a Austrália, afinal vocês sonham em morar lá há bastante tempo.- ela já estava se virando para sair da sala.- Não há nada que prenda vocês dois a essa casa, portanto...


Hermione precisou reunir todas as suas forças para continuar.


- ...saiam o mais rápido que puderem. Finalmente poderão realizar o seu sonho.


Quem saiu rápido da cena foi ela, sem nem ao menos dar uma última olhada em seus pais. Precisava acreditar que eles ficariam bem- e foi com aquela esperança em mente que ela saiu porta afora, quase correndo, apertando a bolsinha firmemente em sua mão.


Faltavam apenas três minutos para o horário combinado- todo seu receio e medo de algo desse errado quase a atrasara. Ela começou a correr, as lágrimas nublando sua visão.


Não podia ter aquela última imagem...não gostaria de lembrar dos seus pais daquele jeito. Eles estariam seguros na Austrália...e ela estaria segura?


Sabia que não. Mas eles não estariam preocupados com sua filha, já que não se lembrariam de nenhuma.


Foi mais doloroso do que ela imaginava, passar correndo por aquela rua que fazia parte de muitas memórias da sua infância, o barulho de vozes e risadas ao longe fazendo com que ela se sentisse mais sozinha ainda.


Algumas crianças correndo em direção a uma casa com um grande jardim fez ela aumentar mais ainda a velocidade com que corria. Quando faltava apenas um minuto para o horário combinado, ela estava parada- ao seu lado alguns arbustos pontuavam um pequeno caminho de pedra. Mais a frente, algumas mesas de pedra enfeitavam o pequeno jardim do parque, vazio naquele momento.


Ela arriscou um olhar para o céu- terrivelmente cinzento. A chuva desabaria logo e o vento já parecia ansioso para que isso acontecesse.


Ela apertou os braços ao redor do corpo, mas não havia porque ficar ansiosa naquele momento. Sabia que eles viriam...faltavam poucos segundos agora.


Um estalo alto fez ela se sobressaltar e olhar para trás, afastando rapidamente o cabelo dos olhos para poder enxergar.


A mulher veio correndo até ela, os cabelos rosa chiclete balançando furiosamente. Ela tocou seu ombro, enquanto o homem a alcançou- ela não precisou ver as cicatrizes em seu rosto para saber quem era. E finalmente sentiu-se segura, quase protegida. Ela não pensou em seus pais naquele momento, precisava manter a imagem da Toca vívida em sua mente.


- Está pronta?- a voz de Tonks era baixa e ela quase não a escutou, mas afirmou com a cabeça, sabendo que precisavam partir.


Ela sentiu as primeiras gotas da chuva em seu rosto, enquanto apertava a varinha fortemente na mão direita,e sentia a sensação de que seus pés não tocavam mais nada- ela estava se deslocando rapidamente. Foi incômodo dessa vez, mesmo que durante todas as aulas e o teste de Aparatação ela tivesse se saído muito bem.


Em um momento seu corpo parecia dissolvido no ar e no instante seguinte, ela sentiu como se voltasse a lhe pertencer, e o aroma familiar de grama cortada e flores do campo a invadiu.


- Mione?- uma voz feminina gritou.


Ela olhou para quem a chamava, mas a garota de cabelos vermelhos estava sendo segurada pelo cotovelo por alguém muito mais alta do que ela.


- Ninfadora...- a voz de Lupin foi quase melancólica.


- Sim- a mulher respondeu. Agarrou Hermione pelo pulso e caminhou com ela, afastando a garota dos outros.


Antes que ela se desse conta, estava incapaz de se mover. O rosto de Tonks era assustado, e ao mesmo tempo parecia que ela queria se desculpar.


Por um instante ela pareceu capaz de rir, depois virou o rosto para trás e encarou Lupin.


- Desculpe...- ela viu o rosto de Tonks corar.- Não consigo lembrar...


- Rony!- Lupin passou a mão nervosamente pelos cabelos, obviamente divido. Hermione achou que ele gostaria de acreditar que a situação era engraçada, e ao mesmo tempo sentia-se imensamente ansioso.


Rony saiu da casa rapidamente, tropeçando duas vezes antes de alcançá-las.


- Por que ninguém me avisou que ela já estava aqui. Mas que-


Ele terminou a frase com três palavrões, e Hermione viu o rosto de Molly Weasley, ao lado de Arthur que ainda segurava Gina, inchar. Mas ela não o repreendeu.


- Rony, desculpe- Tonks parecia a única descontraída do grupo.- Não consigo lembrar...


Ele afastou a mão de Tonk de Hermione quase bruscamente. A garota se encolheu, com medo de toda aquela situação.


O que estava acontecendo? Por que todos estavam sendo arredios com ela?


O aperto de Rony foi gentil em seus braços, os olhos azuis ansiosos do garoto passearam pelo seu rosto. Por mais urgência que a situação gerasse, ela não pôde conter um frio na barriga agradável enquanto ele a encarava tão de perto.


- Rony!- Lupin gritou saindo de si, passos largos o aproximavam agora dos dois.- Faça a pergunta, qualquer um poderia se parecer com ela! Ande logo!


Rony suava frio. Ela tentou erguer uma mão, mas o máximo que conseguiu foi agarrar o braço dele.


- Rony...o que-mas ele não a deixou terminar a frase.


- C-como foi que você e Harry Potter ficaram amigos?


Ela ficou paralisada, querendo entender o porque da pergunta. O olhar assustado de Rony fez ela ter certeza de que precisaria responder. Sua mente rapidamente deixou tudo muito claro- eles precisavam ter certeza de que ela era a verdadeira Hermione.


- N-nós lutamos contra um Trasgo...no b-banheiro feminino...- ela viu o semblante de Rony relaxar, enquanto ele engolia em seco. A proximidade do garoto e seu jeito quase violento não deixaram espaço para que ela pensasse direito.- Dia das Bruxas...você derrotou ele derrubando o bastão...- ela sussurrou e ensaiou um sorriso para Rony.


O garoto pareceu perder a força nas pernas. Ele soltou seus braços e passou a mão na testa suada, parecia que acabara de enfrentar um bicho-papão.


- É ela...com certeza...- Rony olhou para Tonks.- Eu disse desde o começo que era ela...


- Não podemos ter certeza...- Lupin se aproximou e apertou a mão de Hermione.- Desculpe por isso...precisávamos verificar...e certamente não poderíamos ter perdido tempo naquela rua de trouxas...


- E aí, Hermione...beleza?- Tonks adiantou-se para ela.- Cara, desculpe...eu não conseguia lembrar da resposta...são tantas histórias. Não sei porque eu achei que eles haviam se conhecido salvando o Hipogrifo-


- Desculpe pela Ninfadora- Lupin quase gritou para interrompê-la, e passou um braço carinhosamente pelos ombros de Tonks. Hermione tinha os olhos arregalados, perante a quase revelação de Tonks de que eles haviam salvado Bicuço da execução. Como ela sabia todas essas histórias?


- Minha memória anda péssima...estão exigindo que todos nós saibamos a resposta para a pergunta secreta de todos...- Tonks sorriu para Hermione.


- C-claro...assim é mais seguro...- foi o que ela conseguiu responder.


Antes que ela pudesse fazer qualquer outra coisa, Molly e Gina já haviam a alcançado. A Sra. Weasley a abraçou fortemente, depois segurou seu rosto, analisando seus olhos.
- Está tudo bem com você, querida...?


- S-sim...


Gina lutou contra os braços da mãe e alcançou Hermione, igualmente a abraçando.


- Estávamos preocupados!- ela falou baixinho.- Rony quase teve um treco...


Mesmo assim, o garoto pareceu escutar e se aproximou.


- Mione...aconteceu alguma coisa?- o garoto também se aproximou para cumprimentá-la, mas de um jeito extremamente sem graça.- Onde estão suas coisas?


Ela ergueu a bolsinha de contas e deu dois passos para mais perto dele, ficando na ponta dos pés e o abraçando fortemente por breves segundos. Quando se afastou, o garoto tinha as orelhas vermelhas e parecia incapaz de continuar com qualquer raciocínio.


- Ótima escolha para a pergunta secreta, Rony...- ela o olhou nos olhos enquanto falava.


- Você enfeitiçou a bolsa de alguma maneira?- Gina olhava atentamente para o que Hermione mostrava, alheia ao fato de o rosto de seu irmão estar em ebulição próximo à ela.


- Explico tudo mais tarde...- ela sussurrou.- Rony...


O garoto se sobressaltou, mas antes que ele pudesse falar alguma coisa, Hermione continuou.


- Bichento ficou...- ela sentiu algo incômodo na garganta.- Eu não achei que deveria trazê-lo hoje...não sabia se algo daria errado...e...bom...você acha que alguém poderia buscá-lo?


- O que- Rony virou-se em direção ao pai.


- Vamos entrar?- Molly, que já estava próxima a Arthur.


Hermione sabia que não eram capazes de escutá-la.


- Eu pedirei para papai...ou alguém- Rony parecia excessivamente ansioso agora que todos iam para dentro de casa.- Irem buscá-lo.


Hermione entrou na casa, sentindo-se mais calma. Rony obviamente via que tinha algo errado com ela, caso contrário não seria a favor de Bichento vir para a Toca.


- Mione...o que aconteceu?- ele olhou as olheiras profundas que ela possuía, e pareceu adivinhar o caminho que as lágrimas haviam feito pelo seu rosto.


- Preciso conversar com você...- ela falou para Rony, não deixando que os outros escutassem. Gina a alguns metros deles levantou a sobrancelha, um sorriso irônico se formando.


Ele olhou ao redor, a cozinha parecia muito menor do que normalmente. Hermione já tentava pensar em alguma desculpa para sair daquela movimentação, mas antes que pudesse falar qualquer coisa...


- Mamãe, iremos ajudar Hermione a se instalar...- Gina já empurrava as costas da amiga.- Você me ajuda Rony?


Ninguém reclamou, e Rony seguiu as duas um pouco mais confuso do que deveria.


- Gina, o que você-


- Fique quieto!- ela subiu o primeiro lance de escadas e abriu a porta de seu quarto.- Pode deixar suas coisas aqui, Mione...


Hermione entrou lentamente, e depositou sua pequena bolsa na cama que usaria. Virou-se para Gina, o rosto surpreso.


- Gina, desculpe...eu preciso...


- Conversar com o Rony, eu sei...- a garota deu uma piscadela e esgueirou-se para fora do quarto.- Até depois.


Hermione sentiu o rosto corar, e não quis olhar para Rony.


- Vamos sair daqui...- Rony bufou impaciente, já virando-se de costas. O barulho que vinha da cozinha era insuportável.


Hermione achou que a subida das escadas seria silenciosa, mas se viu obrigada a quebrar o silêncio.


- Mal consegui falar com todo mundo..é impressão minha...ou todos estão...?-


- Perturbados? Ansiosos?- Rony riu, dando passagem para a garota. O quarto dele não estava tão bagunçado como costumava ser, mas parecia fora de ordem em alguns cantos.


- Sim...- ela suspirou, olhando ao redor.- Notícias do Harry?


- Ronald Weasley-


- Estão mantendo tudo abafado...sei que logo conseguiremos descobrir maiores informações...Fred e Jorge...


Ele parou de falar no momento que viu que a garota mordia o lábio inferior. Certamente não era sobre aquilo que ela queria falar.


- Mione...?- ele aproximou-se dela quando viu que a garota estava prestes a cair no choro.


- Desculpe...- ela tentou conter a voz.- Eu só...bom...é que eu precisava contar para alguém...


Rony sentiu seu corpo tremer. O que estava acontecendo?


- Mione...está tudo bem mesmo?


Ela se levantou e começou a caminhar pelo quarto, limpando as lágrimas que manchavam seu rosto.


- Eu precisava fazer isso...não poderia sair de casa e...e...


- Mione...?


Rony parou na frente dela, querendo que ela entendesse pelo seu olhar o quanto estava o deixando preocupado.


Antes que ele pudesse fazer qualquer coisa, ela se jogou nos braços dele, abraçando-o fortemente. Ele não soube dizer se ficara sem ar pelo aperto ou pela surpresa. Não era a primeira vez que ela tomava aquele tipo de atitude impulsiva, o deixando extremamente sem graça.


Dessa vez porém, ele sabia o que precisava fazer. Não iria agir como um insensível. Hermione obviamente precisava de ajuda.


- Tá tudo bem, Mione...- ele a abraçou de volta, sentindo seus músculos muito duros ao fazer isso.- Você pode falar comigo...


Ele arriscou acariciar os cabelos dela, arrependendo-se no momento seguinte. A fragilidade da garota despertava algo nele- ele parecia incapaz de controlar. Tinha vontade de arrancar aquela dor dela- queria ser capaz de fazer todo aquele sofrimento parar.


Ele inspirou profundamente, descansando o queixo no topo da cabeça dela. Mesmo enquanto chorava, o perfume dela ainda parecia capaz de fazer seu estômago dar cambalhotas. Ele lhe deu um breve aperto mais forte, quando sentiu que as lágrimas não paravam.


Não soube dizer quando tempo permaneceram daquele jeito. Rony não pôde deixar de ficar feliz com a intimidade que aos poucos estavam criando. Parecia que tudo que haviam passado até então estava os tornando mais fortes. Foi com esse pensamento em mente, que ele se permitiu segurar a cabeça da garota colada ao seu peito, enquanto percebia ela se acalmar, aos poucos.


Hermione permaneceu em silêncio durante longos minutos, correspondendo ao abraço de Rony. Ele sabia que ela era capaz de escutar seu coração, ainda mais com a aceleração repentina, quando a a garota aconchegou-se mais nos braços dele.


- Eu apaguei a memória deles, Rony...- ela falou baixinho. Rony ergueu a cabeça apenas alguns milímetros para que ela soubesse que ele prestava atenção.- Dos meus pais...


- Apagou...?


- Fiz eles acreditarem que eram outras pessoas...- a voz dela voltava a ficar embargada, e ela apertou novamente Rony contra seu corpo.- Eles devem estar indo para a Austrália a qualquer momento...


- Mione!- ele não pôde deixar de se sobressaltar perante a revelação. Tentou manter a voz suave.- Foi por isso que você quis que buscassem você fora da sua casa...?


Ela afirmou com a cabeça. Ele não precisou pensar duas vezes para agir como agiu. Curvou levemente o corpo e a abraçou do jeito mais sincero que pôde. Suas mãos agiram por vontade própria, apenas querendo que a garota não saísse do seu lado.


- Vai ficar tudo bem, Mione...quando tudo terminar...- ele engoliu em seco.-Você poderá encontrá-los...


- S-sim...- ela tentou conter um suspiro, quase um lamento.


Rony sentiu-se tão seguro de si, que parecia incapaz de quebrar o momento. Ele sentiu quase uma dor física quando a garota se afastou- apenas alguns centímetros para olhá-lo nos olhos.


- Obrigada, Rony...- ela sussurrou.


Com um pouco de receio, ele levou uma das mãos até o rosto dela e enxugou uma lágrima solitária. A garota sorriu para ele.


- Mesmo diante disso...eu preciso dizer...sua ideia foi muito boa, Mione...- ele sorriu para ela.- Assim eles estarão seguros...


Ela pareceu relaxar o corpo, enquanto encostava novamente o rosto no peito de Rony. O garoto a apertou novamente contra seu corpo, enquanto ouviam um barulho que anunciava alguém subindo as escadas.


Hermione se distanciou instintivamente, olhando para a porta. Rony a soltou como se um choque elétrico tivesse passado por suas mãos.


- Rony! Mamãe mandou você e Hermione descerem para que ela possa encher vocês de comida...- a cabeça de Fred apareceu na porta.- Olá, Hermione...


- Oi- ela tentou disfarçar a voz embargada.


- Tudo certo?- ele continuou, enquanto Jorge se juntava a eles


Rony afirmou com a cabeça, enquanto fez o caminho até a porta. Hermione o acompanhou, mas ela não parecia tão sem graça como ele.


Quando o alcançou, próximo as escadas, ela segurou sua mão. Rony não fez nenhum movimento para afastá-la, mesmo que seu rosto queimasse. Foram alguns breves momentos, ela apertou a mão dele, sinalizando que queria dizer algo.


- Você se importa...de não contar a ninguém...por enquanto?- ele mexeu o corpo, para que seus músculos relaxassem.


- Claro- ele a acompanhou, mantendo alguns centímetros seguros de distância entre os dois.


Hermione acelerou o passo e desceu as escadas mais rápido do que ele.


Rony passou a mão nervosamente pelos cabelos, não acreditando que sentira tudo aquilo em um momento tão difícil para Hermione. Por que ele ficava tão nervoso? Por que não era capaz de agir sempre assim com ela? A garota parecia sinceramente feliz,e lhe dirigiu sorrisos sinceros durante o resto do dia, como que em agradecimento pelo apoio.


Ele porém parecia incapaz de conter suas reação à proximidade dela. Parecia quase uma necessidade mantê-la segura, saber que estava bem.


Ele ficara tão tenso ao longo do dia, principalmente quando ela se aproximava, que uma dor de cabeça terrível o tomou nas primeiras horas da noite.


Ele queria ser educado e atencioso com ela...mas precisava se acostumar àquela Hermione frágil...e ao mesmo tempo carente. Ela se aproximava dele sempre que podia, e Rony sentia-se envergonhado com a maneira com que ela estava o tratando.


Talvez a única forma de se sentir melhor perante tudo aquilo era tratando a garota da mesma forma. Seria bom, para variar, que não houvessem brigas.


Talvez a garota estivesse vendo diante dela a última oportunidade de conseguirem se entender. Rony sentiu seu estômago despencar enquanto pensava no que tinham pela frente. Não havia certeza...não havia como afirmar que ficariam bem.


Suas brigas e desentendimentos com Hermione pareceram tão idiotas. Repentinamente, aqueles dias na Toca pareceram abrir um leque de oportunidades.


Precisava mostrar para ela o quanto se importava.




Ela seguiu Gina até a sala comunal, entendendo que a garota precisava desabafar algo.


Assim que chegaram, procuraram por uma mesa de estudos mais afastada. Hermione sentia o corpo começar a doer, devido à sua postura.


- Gina...você está me deixando preocupada...


- Não é nada para se preocupar, Mione...na verdade é uma boa notícia...eu acho...


Hermione apoiou os braços em cima da mesa, querendo demonstrar que tinha todo o tempo do mundo.


- Posso começar com uma pergunta, Gina? Já que você anda tão violenta quando se trata do Professor...?


Gina afirmou com a cabeça.


- Por que não confiar no Professor Gareth...? Por que repentinamente você acha que ele não tem razão no que fala e...se descontrolou com Harry quando ele falou em participar dos seminários...?


Gina colocou uma mecha de cabelo atrás da orelha.


- Tudo começou com uma breve conversa que eu tive com o professor. Da mesma forma que ele se aproximou de você, ele veio conversar comigo...saber detalhes sobre a guerra e toda essa história que já estamos cansadas de saber.


Hermione engoliu em seco, ficando ansiosa para saber o que estava atormentando Gina.


- Eu falei que ele conseguiria maiores informações com você, afinal...vocês estiveram ativamente na Guerra e eu não tive nada-


- Não é verdade, Gina! Você lutou muito e-


- Isso não é relevante...eu vou me perder se tentar justificar muito... T-tem um motivo para que eu tenha perdido a paciência...e tentado odiar e fazer vocês odiarem o Prof. Gareth.


Hermione ficou calada escutando. Gina olhou ao redor para a sala comunal, agora enchendo-se cada vez mais.


- E qual é esse motivo?


- Bom, primeiramente...e-ele- Gina suspirou- Me viu perdendo completamente o controle...com uma garota da Lufa-Lufa...digamos..bem...ela sobreviveu porque ele chegou bem a tempo.


- Do que você está falando...?- Hermione sentiu tremores pelo corpo. Havia algo muito estranho acontecendo com Gina...


- Eu não quis que você descobrisse o mercado negro que estava acontecendo aqui em Hogwarts...porque eu via como você tinha ciúmes daquelas Sonserinas com Rony...o fato é que...eu também não fui tão racional como costumava ser...


- Mercado...negro? Gina...?


- Alguns professores estão confiscando...mas os produtos voltam a aparecer. - Gina respirou fundo.- Algumas revistas horríveis tem ocupado seus últimos exemplares com nada mais nada menos do que...Harry...e Rony.


- Do que você está falando?


- Entrevistas falsas...onde inclusive citam nossos nomes...fotos dos tempos em que eles estavam em Hogwarts...essas sei que são verdadeiras...mas confiscadas sabe-se lá de onde...


- Gina...você está falando sério?


Hermione estava dividida entre a vontade de rir, e a de ficar fiel a amiga, que provavelmente deixava aquilo a ofender seriamente.


- Bom...nada disso seria importante, Mione- Gina estava muito vermelha, combinando com seus cabelos.- Se eu não tivesse perdido o controle vendo uma foto do Harry...numa dessas revistas de garotas...


- Isso foi no dia que você se descontrolou...?- Hermione deduziu.


- Sim...a garota estava com a revista...no banheiro da Murta que Geme...que parecia particularmente interessada...dizendo que já havia visto mais do que a foto mostrava...


- Havia visto mais...? Mas o que...- Hermione começou a sentir que todas as peças se encaixavam.


- Era uma foto realmente estúpida, na verdade- Gina desviou o olhar- Eu deduzo que seja de quando o Harry saiu daquela prova do Torneio Tribruxo...debaixo d'água...alguém deve ter tirado as roupas molhadas dele e feito ele se enrolar em uma toalha...bem...não mostrava nada na verdade...mas a garota parecia feliz com seu exemplar.


Hermione sentiu-se muito envergonhada naquele momento, vendo como Gina estava achando difícil falar aquilo. Ela imaginou como seria se estivesse no lugar da garota...começou a pensar nas revistas para jovens bruxas...Rony na capa...sentiu uma raiva estranha se formar...


- Você sabe que eu não sou assim, Mione...Eu não posso ser assim! Não quero me tornar uma dessas garotas irracionais...


- Eu entendo, Gina...todos temos o direito de perder o controle...


A garota sorriu para ela.


- Bom...eu e a garota discutimos quando eu tentei confiscar a revista dela...ela jogou na minha cara que a revista afirmava que eu e Harry estávamos brigados devido à distância...e eu não soube o que me fez agir daquele jeito...uma Lufa...tomando uma atitude como aquela?


- Vocês brigaram...?


- O Professor Gareth apareceu antes que lançasse algo mais poderoso que um Expelliarmus nela...- Gina cobriu o rosto com as mãos.- A partir daí...morri de vergonha dele...


Hermione entendeu o dilema da amiga.


- E por causa disso você resolveu tentar virar todos nós contra ele?


A amiga negou, e suspirou novamente. Olhou para Hermione, quase sem mover os lábios para falar.


- Ele não pareceu surpreso...resolveu me convidar para uma xícara de chá. Ele desviou a conversa...queria que eu ficasse mais calma..disse que não havia nada que se envergonhar já que as garotas leitoras dos malditos folhetins também estavam passando dos limites...


Hermione aproximou o corpo da mesa, sabendo que a verdade chegaria.


- Bom... com o tempo começamos a conversar sobre carreira e bom...- Gina deu de ombros.- Aí entra a parte que você não vai gostar.


Hermione franziu a sobrancelha.


- Eu não vou gostar?


Gina afirmou.


- Harry e Rony estão tentando me convencer há tempos de que eu deveria falar com você...aquele dia...quando eu e Harry brigamos por causa do Professor...e você e Rony...bem...


- Sim- Hermione não precisava que ela lembrasse da última briga dos dois, e das semanas separados.


- Eu contei para o Harry...na verdade, ele desconfiou que eu deveria ter algo contra o Professor...já que...bem...ele me conhece...sabe que eu não sou tão irracional como estava aparentando...


- Gina...- Hermione segurou a mão esquerda da amiga, já que a direita estava permanentemente fechada fortemente, e estava escondida debaixo da mesa. A garota andara assumindo aquela postura nos últimos dias, Hermione agora entendia e justificava aquela atitude devido ao nervosismo de Gina, guardando todos aqueles segredos para si.- Você pode me contar...


- O Professor me questionou sobre o time de quadribol da Grifinória...e perguntou porque o campeonato andara tão parado...afinal...apenas amistosos tem tomado a quadra esse ano...devido a tudo...- Gina deu de ombros.- Sei que você não é tão apaixonada por Quadribol, Mione...


- Eu sei que McGonagall quer retomar o campeonato das casas assim que os times estiverem Ok, mas infelizmente estão ocorrendo muitas mudanças e...- Hermione queria mostrar que sabia o que estava acontecendo.


- Mas mesmo assim, o professor reparou que eu não coloquei meus pés na quadra esse ano...e falou que o Quadribol seria uma boa opção para eu dispersar a energia acumulada...espairecer...


- E você falou para ele que estava parada...sem jogar há bastante tempo?- Hermione lembrou dos últimos jogos que assistira de Gina.


- Sim...- Gina parecia mais calma.- Bom...na verdade...desde então o Professor pareceu tomar minhas dores como dele e...


Hermione aguardou silenciosamente.


- Ele me deu uma notícia após isso...- Gina encarou Hermione.- Ele tem uma amiga que é preparadora física do Harpias de Holyhead...


- Esse nome me é familiar...- Hermione vasculhou a memória.- Isso não é...


Gina estava novamente corada. Hermione raciocinou muito rápido.


- Aquele time de quadribol...? Só de mulheres?


A garota afirmou com a cabeça.


- Me desculpe, Mione.- ela estava com as orelhas vermelhas, igualmente à Rony quando ficava nervoso.- Eu não queria realmente que você odiasse o Professor...eu mesma sabia muito pouco sobre ele até Neville nos contar tudo aquilo...não sabia...ou melhor, não sei se posso confiar nele...


Hermione aguardou pacientemente.


- E-ele falou que conseguiria um treino experimental...com o time...- Gina desviou o olhar e mirou a mesa.- Para que eu tentasse entrar...


- Gina!- Hermione quase soou histérica, tamanha sua surpresa.


- Bom, ele falou que todos na escola comentavam que eu era boa jogadora...a própria McGonagall contara para ele das vezes em que eu capturara o pomo com movimentos dignos de uma futura Potter...


Gina riu e Hermione a acompanhou.


- Harry está me dando todo apoio...quer começar a treinar comigo nos finais de semana...falou que é para eu ficar tranquila...que ele estará do meu lado...


- Gina, isso é ótimo!- Hermione sorriu animada para ela.


A garota pareceu muito surpresa com a reação da amiga.


- Hermione, eu fiquei com medo da sua reação. Achei que você talvez fosse...


- O que? Você achou realmente que eu iria dar um sermão em você...por você fazer o que ama fazer?


Gina pareceu muito envergonhada.


- Gina, essa oportunidade é única!- Hermione sorria abertamente, sentia o coração batendo rápido, compartilhando a felicidade da amiga.- Eu jamais começaria com um discurso sobre a melhor área para você seguir...eu sou sua amiga! E apoiarei você, independente de qual seja sua escolha!


- Ah, Mione!- Gina parecia emocionada.- Rony e Harry disseram o mesmo...que você ficaria feliz por mim...mas eu tive medo que você disesse que Quadribol não é carreira...afinal, você quis voltar à Hogwarts...para terminar os estudos...


- Isso foi a minha escolha, Gina! E eu fico muito feliz por você! E sei que você se dará muito bem!


Gina limpou uma lágrima no canto do olho com a manga da roupa.


- Eu vi que o Prof. Gareth também queria ajudar você na escolha da sua carreira...ele é muito prestativo sabe...eu não deveria ter agido feito uma idiota...


- É como se- Hermione continuou deduzindo- ele se sentisse responsável...como um tutor...por todos os seus alunos...


Gina afirmou com a cabeça.


- É verdade...Luna me falou que ele conversou com ela também...oferecendo todo apoio que ela precisasse...


Hermione franziu a sobrancelha.


- Será que isso é apenas uma característica dele? Ou será que há algo...?


Gina deu de ombros.


- Bom..isso não importa agora!- Hermione afastou algo invisível próximo ao seu rosto com a mão.- Chega de segredos...você e seu irmão já me sobrecarregaram com isso por hoje!


- Eu e...meu irmão?- Gina parecia confusa.


- Ahá, então você conta seus segredos para ele...mas ele não divide os dele com você...?


Gina encarou Hermione, sem falar uma palavra.


- Rony também está saindo do apartamento do Jorge...assim como Harry...


Hermione deduziu que Gina sabia da escolha do garoto, e Rony não pedira segredo.


- Ah, sobre isso...- a ruiva ficara vermelha novamente.


Hermione ficou parada. Parecia que estava perdendo alguma informação.


- Gina...pelo seu jeito...você...há algo ainda que você queria me contar...?


Gina respirava rápido, mas Hermione a admirava por ser assim, tão decidida. Obviamente algo estava acontecendo com ela, havia tantas coisas para serem ditas e ela estava vendo que por trás de todo aquele receio de contar as novidades para Hermione, havia a coragem da mais nova dos Weasley.


- Mione- a garota encarou a amiga.- Você entende por que eu me preocupava tanto com a sua reação à minha tentativa de entrar em um time profissional de quadribol, não é? Você sabe por que eu temia tanto a sua reação?


Hermione ficou calada, tentando pensar.


- Eu considero você uma verdadeira irmã, Mione.- Gina sorriu para ela.- Não apenas por você estar namorando o paspalho do meu irmão...considerando que isso demorou muito para acontecer.


- Gina- Hermione queria poder expressar o que estava sentindo em palavras, mas sentia que Gina ainda iria falar algo.


- Desde que eu entrei em Hogwarts você tem sido uma boa amiga...talvez até antes disso você já fosse alguém da família...e após todos esses anos...tudo que passamos juntas...eu fico realmente feliz por poder contar com você.


Hermione sentiu algo incômodo subindo à garganta. Não queria ficar tão emotiva de repente.


- Obrigada, Gina. Eu sempre considerei sua família minha segunda família...quase um refúgio...um lugar onde eu sempre me sentiria...em casa...


As duas compartilharam um olhar, Gina sorrindo sinceramente para Hermione.


- Então...sinto muito, Mione...preciso voltar ao assunto anterior...- a garota riu sem jeito.- Todo esse meu discurso...é parte de algo maior...


- E envolve a história da mudança de Harry.- Hermione deduziu. Não era preciso ser gênio para deduzir o que Gina queria contar à ela. Talvez, fosse algo parecido com o que Rony programara para eles dois.


Num movimento excessivamente lento, Gina colocou a mão direita em cima da mesa que compartilhavam. O punho permanecia fechado, como durante toda a conversa. Repentinamente, a garota abriu a mão, e Hermione pôde observar o brilho dourado e delicado no quarto dedo da mão direita de Gina.


- Eu queria que você fosse a primeira a saber- Gina sorriu abertamente para a garota.- Rony só sabe que Harry está indo para o outro apartamento...e ele seria muito lerdo para notar a aliança...eu achei sinceramente que você notaria...mas você estava tão revoltada com a briga de Rony que eu...


- Quando...?- Hermione sorriu para a garota.- Quando foi que ele pediu...?


Gina entendeu a pergunta.


- No último final de semana que fomos para Hogsmeade...


- Quando você me trouxe a barra de chocolate?- Hermione tentou lembrar.- Gina!


- Eu sei! Eu sei!- a garota ergueu as mãos defensivamente.- Desculpe só contar a você agora...bom...você e Rony estavam brigados...eu não achei uma boa hora contar...e agora...sei que vocês estão bem...então...


- Eu sou a primeira a saber...de verdade?- Hermione parecia eufórica.


- Achei que Luna notaria a aliança...e ela realmente olhou...mas você sabe como ela é...desviou o olhar e não comentou nada...


- Talvez achando que fosse algum amuleto para espantar Narguilés...


Ambas riram. Gina parecia ter o semblante mais relaxado.


- Nossa...quantas notícias para um único dia...


- Desculpe...não queria ter escondido tanto tempo essas coisas de você...


- Tudo bem, Gina!- Hermione segurou a mão dela com o pretexto de olhar o anel. Ela observou a pedra delicada no meio da jóia.- É tão lindo!


A garota sorriu.


- É mesmo, não?- Gina respondeu, alegremente.- Harry tomou a decisão repentinamente...acho que pensou que precisava demonstrar o apoio a minha tentativa no Quadribol dessa maneira...


- Então o apartamento é dos dois?- Hermione se sobressaltou repentinamente.- É oficial?


- Bom...estamos programando contar ao papai e a mamãe no feriado de Natal...


Hermione sentiu-se renovada, quase como se todos aqueles anos em Hogwarts merecessem momentos como aquele.


- Fico tão feliz por vocês, Gina!- ela sentiu a emoção aflorando novamente.- Não tenho como expressar em palavras!


Gina se levantou bruscamente, olhando alguém que entrara pelo buraco do retrato.


- É o Rony!- ela sussurrou, parecendo alerta repentinamente.


- Até que parte da história ele...?


- O time de Quadribol...o apartamento sendo do Harry- Gina olhou para amiga, quase pedindo socorro.- Você acha que...Harry ficaria ofendido se eu contasse...?


- Acho que ficaria aliviado...para ser sincera...- Hermione riu, divertida.


Ela sentiu dois braços fortes a envolverem pela cintura, um abraço forte e um breve beijo no pescoço- o suficiente para sua pele se arrepiar.


- Pelo jeito a conversa foi ótima- Rony sussurrou no ouvido de Hermione.


- Foi realmente boa. Finalmente estou entendendo o que estava acontecendo...


Hermione olhou para Gina, um sorriso nervoso no rosto.


Rony soltou a namorada e olhou para a irmã.


- Falei para você, Gina!- Rony parecia animado.- Mione tem a cabeça no lugar! Ah, Hagrid mandou lembranças...espera uma visita de vocês...


- Claro- Hermione olhou cautelosamente para o garoto.- Ahn, Rony...


- Você contou para a Gina- ele sorriu de um jeito quase infantil para a garota, falando muito baixo- sobre o nosso...quer dizer...sobre o apartamento?


Ele pareceu envergonhado de repetir aquilo. Hermione tentou sustentar o sorriso, mas começou a se sentir falsa.


- Sabe...o dormitório dos garotos deve estar vazio nesse horário...e ele não vira um tobogã como o das garotas...então...parece ser um bom lugar para conversarmos...


Rony pareceu confuso. Segurou a mão de Hermione quando ela tentou fazer o caminho até as escadas.


- Gina...?- ela apenas chamou a amiga, e a cena seguinte foi tomada por uma cachoeira de cabelos ruivos subindo as escadas rapidamente.


- Ronald Weasley-


Ele queria forçar Hermione a falar, ela e Gina pareciam estar muito diferentes. Hermione o guiou até o dormitório dos garotos, que ele e Harry haviam ocupado da última vez.


- Mione...?


Ele seguiu os passos da garota, sabendo que ela tinha um bom motivo para isso.


Quando ele entrou no quarto, fechou a porta atrás de si. Gina parecia nervosa, e Hermione igualmente- mas foi ela que tomou a iniciativa, observando que estavam sozinhos.


- Gina...bom...eu e Rony queremos lhe contar algo...-ela apertou a mão do ruivo. Ele entendeu. Só não sabia o porquê da urgência daquilo.


-Contar algo...?- Gina falou delicadamente.


- Rony...?- Hermione tinha um brilho estranho no olhar. Rony sabia que aquilo deveria ser apenas parte do plano da garota. Só não entendia qual era a intenção, mas conhecia Hermione muito bem e tinha certeza de que a garota estava aprontando alguma.


- Bom- ele olhou de Hermione para Gina.- Você sabe, Gina...que Harry está organizando a mudança para um novo apartamento...


Gina ficou muito vermelha. Ele tentou entender o porquê, mas resolveu obedecer o que Hermione pretendia, e ela obviamente queria que ele contasse sobre a sua mudança.


- S-sim..- a garota respondeu.


- Isso fez com que eu pensasse...e bom...você sabe há quanto tempo eu e a Mione...bem...- ele sentiu as orelhas queimando.


- Estão nessa indecisão toda...?- a garota completou.


- Haha- Rony censurou a irmã com o olhar.- O fato é que...


Gina sentou em uma das camas do dormitório. Rony imitou a garota, sentando-se na mais próxima de si.


- Eu já dei a entrada em um apartamento que achei que seria bom para mim...e...para a Mione...


Gina fez um movimento estranho, como se tivesse levado um choque. Rony viu Hermione prender a respiração.


- Já programei tudo com o papai...e acredito que não tenha problemas para quitar a dívida...


- Rony!- a garota sorriu abertamente.- Hermione realmente colocou juizo na sua cabeça oca!


Rony riu espontaneamente dessa vez.


- Bom... é isso.- ele deu de ombros.- Eu sempre me enrolo para falar...


Ele olhou para Hermione, como se a culpasse. A garota sentou ao lado dele rapidamente.


- O que Rony tentou dizer é que...o apartamento é dele por enquanto...ele está indo para lá logo...


Gina fez sinal de que entendia.


- Mas em breve...eu irei para lá também.- Hermione sorriu para a amiga. Gina sorriu de volta. Rony, observando aquilo, sabia que elas compartilhavam algum segredo.- Nós já havíamos conversado sobre isso...desde a última visita à casa de meus pais...eu...sabia que não voltaria para lá.


Gina levantou com um salto de onde estava, correu até Hermione e a abraçou fortemente.


- Eu fico muito feliz por vocês!


O abraço demorou mais do que o esperado, e Rony recomeçou seus cálculos mentais.


As duas se soltaram, ainda compartilhando um olhar.


- E então...?- Rony fuzilou Gina com o olhar.- Que parte da sua história eu não estou sabendo?


Gina se afastou lentamente, olhando de Hermione para o irmão.


- Então... ?


A garota ficou extremamente vermelha.


- O que faz você pensar que...?- Hermione começou, tentando roubar a atenção do garoto.


- Hermione, eu conheço você há bastante tempo...sabia desde o momento que você me trouxe para cá...que tinha algo relacionado com a Gina...


As duas engoliram, nervosas. Gina voltou lentamente para a cama em que estava sentada.


- Você está me deixando preocupado, Gina!


- Rony...não tem porque você ficar nervoso...- a garota olhou para Hermione, suplicando ajuda.


Ela prontamente se postou ao lado da amiga, ambas olhando assustadas para Rony.


Do que elas tinham medo afinal?Ele era tão explosivo assim?


Uma luz se acendeu em sua cabeça. Seu estômago revirou e as palavras saíram de sua boca antes que ele pudesse se conter.


- Ginevra...v-você está grávida?


Houve um momento constrangedor de silêncio, depois um barulho parecido com uma explosão. Gargalhadas de ambas as garotas sentadas distante dele, sua irmã e sua namorada, tomaram o dormitório.


- Rony, você é hilário!- Hermione contorcia-se.


Rony se levantou bruscamente.


- Então...o que-


- Rony- Gina aproximou-se dele.- Harry e eu estamos noivos.


Ela mostrou o anel, parando a mão a centímetros do rosto do garoto.


- Não há motivos para surtar!


O garoto recuou, ao ver a mão da garota.


- Noivos...?


Hermione prontamente estava ao seu lado, já enlaçara o seu braço no dele e ria divertidamente.


- Perto do que você imaginava...um noivado não é nada assustador, não?


Rony ficou parado, olhando para a sua irmã mais nova parada diante dele, de repente parecendo muito mais velha do que ele se lembrava.


- Gina!


- Não grite comigo, por favor! Nem diga que está sendo precipitado pois eu tenho certeza disso desde que conheci Harry!


- Não precisa exagerar!- Rony debochou.


- Para você era apenas uma queda, mas eu sempre gostei do Harry. Estamos muito felizes com nossos planos...ainda mais com a oportunidade no Harpias...


Ela olhou para Hermione, que sorriu de volta.


- E o que você achou?- Rony olhou para Hermione, como que buscando uma autorização para falar sobre o assunto.


Gina riu mais uma vez. Hermione censurou Rony com o olhar.


- Eu estou feliz com todas as novidades da Gina, Rony...e acho que como irmão você deve ao menos parabenizá-la!


Rony tentou sorrir, mas sentia-se excessivamente nervoso para aquilo.


- É que...eu...bom...vocês me pegaram de surpresa.!


- Sinto muito!- Gina parecia eufórica.


- Não pense que não estou feliz por vocês!- ele parecia quase agressivo.


- Eu sei, irmão!- Gina riu.


Ele ficou calado um instante raciocinando. Era bom saber que sua irmã ficaria com seu melhor amigo. Ele já passara da fase do ciúme de irmão mais velho e agora via diante de si um futuro em que Harry seria verdadeiramente seu parente. A família que ele pretedia construir ao lado de Hermione estaria permanentemente entrelaçada com a de Harry e Gina.


- Preciso falar com o Harry...eu não acredito que ele não me falou nada!- ele falou mais para si do que para as garotas.


- Ficamos com medo da sua reação...- Gina tentava fazer ele encará-la.


- Medo- ele debochou.


Hermione segurou a mão dele fortemente.


- E você Mione?- ele olhou para a garota.- Não está tonta com todas...essas...novidades?


- Sim- ela olhou para Gina.- E imensamente feliz.


Em poucos minutos, eles haviam descido novamente para a sala comunal. Rony tentando convencer as garotas que deveria ir ao corujal naquele mesmo instante mandar uma carta a Harry, mas Hermione o convenceu de que eles poderiam se falar melhor pessoalmente.


- Logo você estará lá!- ela debochara do garoto.- Não há porque ficar nervoso com ele, não era um segredo só dele para que pudesse sair contando.


Rony se jogou na sua poltrona favorita, enquanto Gina e Hermione conversavam animadamente no sofá. Logo ele estaria de volta à Londres, para sua rotina levemente desesperadora.


"Mas as coisas estão melhorando..."


Ele tentava se animar, ao ver que tudo estava tomando forma. Em breve, Gina e Harry estariam casados. Ele não entendia como aquele sentimento o deixava igualmente feliz. Era bom saber que o garoto finalmente estava encontrando um sentimento de família. Talvez essas coisas não importassem antes para ele, devido à sua imaturidade. E agora, ele entendia aquilo perfeitamente bem.


O desejo que ele tinha de ficar permanentemente ao lado de Hermione, era o mesmo que Harry e sua irmã tinham. Claro que ele sempre considerara Harry como da família, e ter aquilo oficializado não tornava mais real para ele. Mas era importante para sua irmã. Ele sabia o quanto era importante para uma garota um casamento: vestido de noiva, a primeira dança, fotos com os convidados.


Ele sabia que Hermione queria aquilo também, por mais diferente que ela fosse das outras garotas. Felizmente, aquilo não o assustava mais e ele começou a pensar com carinho no momento em que ele, com calma, sairia à procura do anel perfeito para Hermione.


Ele observou a namorada mostrar o chaveiro com o elfinho doméstico cor de rosa para Gina, que pareceu achar graça no presente de Rony. As duas continuavam falando de planos, enquanto Gina observava a chave de Hermione.


Elas começaram com o assunto filhos, mas Rony já havia passado por essa fase de insegurança também. Sabia que era novo...sabia que não precisava se preocupar com aquilo agora...da mesma forma que sabia que mais cedo ou mais tarde aquilo iria acontecer...e ele não precisava temer.


Fitou o fogo da lareira, sentindo-se imensamente confortável. Estar em Hogwarts, sentado naquela poltrona, fazia com que ele se sentisse voltando no tempo. Ele aproveitou a sensação, pensando que conseguira fazer tudo que precisava fazer naquele dia. A palestra no seminário de DCAT tinha sido muito boa, e ele descobrira que não ficava tão nervoso ao falar em público. Detestava pensar aquilo, mas o Prof. Gareth não era tão detestável como ele queria que fosse. Mesmo que ainda sentisse algo incômodo no estômago toda vez que pensava em como o professor era novo, e em como se importava com Hermione, ele precisava dar o braço a torcer: ele tinha boas intenções. Inclusive, ajudara Gina com toda essa história do Harpias.


Tudo estava bem com Hermione...eles começariam uma fase nova a partir de agora...ele se permitiu descansar a cabeça nos braços, olhando aquele fogo reconfortante. Sem se preocupar com o frio lá fora...ou com os compromissos que o esperavam no dia seguinte...ele deixou sua mente viajar.


Ele adormeceu naquela posição estranha...não sabia se estava sonhando ou não...mas diante de si...naquele mesmo tapete, em frente aquela mesma lareira, ele via algumas crianças muito jovens...deviam ter seus onze...doze anos...cabelos vermelhos...alguns castanhos...conversavam animadamente, falavam de seus pais.


- Meu pai e minha mãe foram da Grifinória!- o garoto falava animadamente, uma voz puramente infantil.


- Eles sabem, bobão...são sobrinhos deles!- a que parecia ser irmã do garoto, debochou.


Todos riram. Havia um garoto muito parecido com Harry...outro muito parecido com ele...


Ele deixou o sonho continuar...talvez não se lembrasse de nada quando acordasse...talvez quando conhecesse seus verdadeiros rostos nem ao menos se lembraria que sonhara com algo tão real...anos antes de tudo acontecer.




Flashback


Rony nunca pensou que poderia sentir aquela felicidade o invadir, considerando tudo que estava acontecendo. A presença de Hermione na Toca tornava tudo mais fácil, ele se via constantemente ansioso, querendo ficar ao lado da garota.


Na realidade, eles nunca haviam passado tanto tempo juntos como naqueles dias. Nas férias anteriores, mesmo que estivessem na mesma casa, havia algum tipo de barreira que os impedia de tomarem certos tipos de atitudes, como aquele longo abraço que haviam compartilhado no dia que Hermione chegara. Ainda havia certo constrangimento no ar, mas Rony sentia que ele próprio estava criando uma personalidade diferente.


Ele riu, enquanto virava o livro que tinha em mãos. O título "Doze Maneiras Seguras de Encantar Bruxas" que anteriormente lhe parecia tão idiota, agora parecia ter sido de boa ajuda. Começara a leitura apenas para entender o porque de todo o rebuliço de Fred e Jorge com aquela publicação. Depois, começou a perceber que por mais idiota que fosse a ideia de publicar um livro com um assunto como aqueles, quase como um manual, poderia ser de grande ajuda.


Todo o tipo de atitude que ele tomava, lembrando-se das palavras do livro, parecia criar um outro tipo de atmosfera. Algumas frases prontas e conselhos usados por ele, fizeram com que, inclusive, Hermione não derrubasse mais nenhuma lágrima nos dias que se seguiram. Como Gina fizera questão de jogar na cara dele, do jeito mais debochado que pôde, a garota parecia até mais feliz e sorridente, toda vez que Rony estava no mesmo recinto.


- Então...- a voz de Fred se seguiu ao estalo alto, que anunciava que ele acabara de aparatar diretamente no quarto.- Pensando em como poderá nos pagar por tamanha bondade?


O segundo estalo anunciou Jorge.


- Sabe...quem sabe possamos criar algum tipo de código...para sabermos quando você e Hermione estão aqui...- ele riu.- Aquele dia foi muita sorte termos esquecido as nossas varinhas lá embaixo...e vocês dois estavam aqui...sozinhos...


- Do que vocês estão falan-Rony tentou começar, as orelha já queimando.


- Nada, maninho.- Fred tirou o livro das mãos dele.- Vejo que já terminou a leitura.


- Eu não li.- ele tomou o livro de volta, e procurou por um esconderijo apropriado, sem acreditar na própria mentira que contara.


- Aham, claro.- Jorge repetiu o gesto do irmão, e ergueu o livro no alto.- Não pense em se livrar dele, Roniquinho...passe adiante...como fizemos com você...


Rony ficou em silêncio, enquanto Jorge jogava o livro na sua cama desarrumada.


- Mamãe mandou você descer...ela precisa de ajuda com os gnomos de jardim...- os dois já estavam saindo, então Rony não teve certeza de quem falava.


- Mas há poucos dias caçamos vários deles!


Os dois saírem sem responder. Ele olhou o livro por breves instantes e finalmente se decidiu por colocá-lo em uma gaveta, onde ninguém fosse futricar. Passar o livro adiante?


Ele fez uma anotação mental para que dar o livro à Harry em seu aniversário. Seria uma boa maneira de se livrar do exemplar...


Quando ele chegou à cozinha, encontrou o local vazio- todos deveriam estar no quintal, auxiliando nas tarefas. Quando ele estava quase saindo pela porta, sentiu que pisara em algo- e a coisa fazia barulho.


Parecia um rosnado... o barulho estridente fez com que ele saltasse para trás, alguns palavrões escapando de sua boca.


- Mas que m...


- Rony!- a voz de Hermione o sobressaltou. Ele virou o corpo para onde a garota estava, assustada, o rosto incrivelmente corado.


Ela olhou para os pés dele, e ele a imitou. Bichento acabara de sair dali correndo, a cara amassada parecendo mais feia do que nunca, o rabo em desalinho.


- Eu pisei no rabo desse...desse...- ele levou a mão a testa, querendo se recuperar do susto.


- Bichento!- Hermione tentou alcançar o gato, mas ele foi mais rápido e correu escada acima.- Rony...você...


- Desculpe, Hermione- ele falou em um tom mais agressivo do que deveria.- Eu não vi...eu não sabia...


- Não, eu que lhe devo desculpas...- ela se aproximou dele e aproveitou para afastar os potes de comida e bebida de gato no chão, que estavam ali obviamente para Bichento.


- Você não precisa se desculpar...- ele balançou a cabeça, sentindo a razão voltar.


Algo dentro dele gritou...parecia sua consciência falando...ele não sabia dizer ao certo...depois, lembrou-se que já lera aquilo em algum lugar.


"Mulheres gostam de elogios. Mas também apreciam homens educados e que se dirijam à elas com o respeito que merecem. Uma simples frase mal humorada pode fazer você perder tudo que tenha conquistado até então."


Ele tentou não pensar naquele livro, guardado em seu quarto naquele exato momento. O fato é que aquelas dicas estavam o ajudando, e ele precisava manter aquilo em mente.


- Meus pés são muito grandes para essa cozinha...considerando o quanto estabanado eu sou...


Hermione pareceu achar graça. Em qualquer outra época, aquilo seria o suficiente para começar uma briga. Rony nunca gostaria muito do gato, e mesmo depois de todos aqueles anos, Hermione pareceu surpresa de ver algum tipo de comportamento ameno por parte do garoto.


- Sua mãe me colocou contra a parede...- ela falou baixinho.- Quando Bichento chegou...


- Por que...?- Rony tentou raciocinar.


- Seu pai o trouxe. E...- ela suspirou- ...bom, ele mencionou a casa vazia...


Rony a guiou até a mesa, torcendo para que ninguém aparecesse. Hermione parecia estar novamente em um daqueles momentos sensíveis.


- Eu estava escondendo fotos e qualquer coisa que pudesse fazer meus pais duvidarem de que tinham uma filha...- ela olhou para a pia, desfocando o olhar.- E eles devem ter levado muitas coisas, além de roupas...livros...


Rony se surpreendeu em como Hermione sempre pensava em tudo. A inteligência dela continuava o surpreendendo.


- Seu pai percebeu...ficou preocupado...eles vieram conversar comigo...


- O que você falou?- Rony não quis aparentar ansiedade.


- Tentei não mentir...mas ao mesmo tempo eu não podia falar toda a verdade...


Rony aproximou a cadeira da mesa, descansando os braços e ainda encarando Hermione.


- Eu disse que iríamos viajar...Harry, você e eu...- Hermione mudou de expressão.- Eles não pareceram muito convencidos...falei que era algo importante...e que gostaria que meus pais estivessem seguros...ainda mais sendo trouxas...por isso os havia mandado para longe...


- Hermione...- ele sentiu pena da garota, sendo encurralada pelos seus pais, obrigando com que ela falassse.- Teríamos que falar alguma coisa...ainda bem que perguntaram a você...eu certamente acabaria entregando muitas informações...


- Sua mãe não pareceu muito feliz com a ideia...acho que ainda irá tentar nos convencer a ficar...- ela encarou Rony, com o olhar triste.


- Acho que ela não tem chance.


- Espero que ela cuide de Bichento, enquanto nós estivermos...


- Pode ter certeza disso...- Rony a tranquilizou.


- Rony...- ela olhou para os lados para ter certeza de que ninguém estava ali.- Já que estamos falando nisso...eu estive pensando...e bom...pesquisei algumas coisas...


- Pesquisou?- ele olhou abobalhado para Hermione.- Como...?


Hermione ergueu o rosto, vendo que alguém se aproximava, descendo as escadas.


- Conto maiores detalhes quando Harry chegar...


Rony sentiu seu estômago se contrair de uma forma desagradável. Tudo bem, iriam viajar os três juntos. Mas por que ele não podia saber?


Hermione parecia sempre ter uma carta na manga...sempre estava um passo à frente...como ela conseguia fazer aquelas coisas? Ter tantas ideias e bolar tantos planos?


- Mas, Mione...- ele olhou para trás ansioso, a pessoa fizera uma pequena parada no primeiro andar. Ele precisava se apressar.- Você não precisa fazer tudo sozinha! Me deixe ajudar!


Hermione sorriu para ele de um jeito nervoso.


- Não sei, Rony...


- Confie em mim, Ok?- ele estava perdendo a paciência.- Vou ajudar você a despistar minha mãe...e gostaria de ajudar nas suas pesquisas, mas acredito que você-


- Já sei!- ela controlou a voz, um brilho de ansiedade no olhar.- Obrigada por oferecer sua ajuda, já tenho uma missão para nós!


Rony sentiu-se um idiota, vendo que a mente de Hermione trabalhava rapidamente.


- Missão...?


- Não vai ser fácil- ela sussurrava rapidamente.-...mas é a única maneira que podemos...bom...na verdade...


- Mione!- Rony a apressou, a pessoa do primeiro andar movimentava-se rapidamente agora, parecia prestes a descer a escada.


- Sua mãe falou que Moody virá jantar...e ele será o líder na missão de resgatarmos Harry...- ela quase engolia as palavras.- Ouvi seu pai deixar escapar algo relacionado a poção polissuco...


- Polissuco?- Rony se sobressaltou.


- Não importa agora!- Hermione afastou o ar com a mão.- Você acha que pode me ajudar a roubar dele...?


- Roubar Moody?- Rony riu, seu semblante tornando-se assustado.


Agora alguém definitivamente descia as escadas. Hermione falou mais baixo ainda.


- Por favor, eu explico depois! Ele deve chegar hoje a noite para uma reunião.


- Quem vai chegar hoje?- a voz de Gina fez com que os dois pulassem na cadeira.


Rony ficou imediatamente vermelho, não reparara que ele e Hermione estavam tendo uma conversa tão suspeira. Os dois jogaram-se para trás, estavam curvados diante da mesa até então.


- Era você, Gina!- Rony não pôde se conter.


Hermione já estava em pé e lançou um olhar ansioso para Rony. Ela não precisava fazer isso...ele sabia que nem Gina deveria saber do plano deles.


A garota olhou do irmão para a amiga, parecendo nervosa.


- Vocês dois estão estranhos...- ela constatou.


Hermione já passava um braço ao redor de Gina a puxava para o quintal.


- Vamos ajudar sua mãe, Gina...


Rony esperou alguns minutos até ter certeza de que elas já estavam entretidas em alguma conversa. Hermione era boa com esse tipo de coisa, e se ela pretendia esconder um segredo de alguém, ela sempre conseguia.


Ele foi em direção a Fred e Jorge, que já estavam agachados, procurando os gnomos. Não pôde deixar de escutar a voz sobressaltada de Gina, enquanto se preparava para ajudar seus irmãos.


- Eu sou sua amiga!- a garota falava, enquanto Hermione tentava controlar o tom de voz da garota.- Pensei que você me contaria quando...


Até Fred e Jorge levantaram os olhos para as duas. Hermione estava muito vermelha, o rosto parcialmente encoberto pelos cabelos fofos. Mesmo daquela distância, Rony teve certeza de que ela estava tentando acalmar Gina.


Ao ver que até os gêmeos olhavam, Hermione puxou Gina pelo braço e ambas se afastaram mais ainda da cerca onde os garotos estavam. Jorge virou-se com alguma dificuldade para Rony, um gnomo muito gordo contorcendo-se na sua mão.


- Finalmente digno de seu sobrenome, hein!


Rony não ficou envergonhado dessa vez, e continuou com o que deveria estar fazendo.


Ele e Hermione estavam cheios de segredos, e perante os outros isso poderia parecer outra coisa.


"Quem me dera..."


Ele tentou afastar aquele pensamento, mas deixou escapar um sorriso. Que tipo de coisa Hermione e Gina estariam conversando naquele momento?Ele tinha certeza que não havia relação alguma com a viagem secreta deles ao lado de Harry.


O lugar pareceu ficar mais abafado, mesmo que nuvens grossas ocultassem o sol, anunciando outro dia chuvoso.


- Hermione Granger-


- Fico feliz que tudo esteja chegando ao fim...apesar de tudo...- Hermione apertou mais fortemente o corpo contra o de Rony, parecendo querer finalizar o assunto Hogwarts.


Ele começou a procurar pela chave no bolso, mas a primeira coisa que achou foi a varinha.


- Mione, não consigo lembrar onde deixei a chave...se eu usasse apenas um Accio rapidamente...ou um-


- Estamos no meio de vários trouxas, Rony!- a garota o repreendeu.


Ela passou as sacolas que tinha em mãos para ele, Rony ergueu uma sobrancelha.


- Aposto que você vai vir com um de seus truques...você acabou de falar que eu não podia usar magia!


Hermione bufou impacientemente. Já estavam diante da porta do prédio, o peso das sacolas de compras começava a incomodar: ela observou até mesmo Rony tornando-se impaciente, trocando as sacolas de mão.


- Não há truque nenhum...você colocou a chave no bolso esquerdo, Ronald...sua memória anda péssima...


- Como você lembra...?- ele olhou brevemente assustado para a garota, ambas as mãos ocupadas com as sacolas, incapaz de poder realizar algum movimento para alcançá-la.


Hermione surpirou e teve que conter um sorriso. Em um movimento muito rápido, ela colocou a mão dentro do bolso correto, onde sabia que encontraria a chave. Ela percebeu o corpo de Rony se contrair enquanto ela conseguia alcançar o chaveiro.


- Sabe, Mione...para aquele senhor do outro lado da rua isso pode ter parecido outra coisa...- Rony não conteve um sorriso.
Ela tirou a mão rapidamente do bolso da calça do garoto, sentindo o próprio rosto ficar muito quente repentinamente.


Hermione virou-se rapidamente, apenas para se certificar que não havia ninguém olhando.


- Não há ninguém lá, Ronald...- ela riu dessa vez. Colocou a chave na fechadura e a girou, correndo para dentro, fugindo do vento que castigava seu rosto.- Me passa algumas sacolas...


- Achei que nunca ia pedir- Rony passou a mais leve para ela.- Você sabe que poderia haver alguém do outro lado da rua...não sabe?


- Claro!- Hermione caminhou até o elevador e apertou o botão duas vezes.- Como se as pessoas nessa rua não estivessem suficientemete ocupadas...ficariam olhando para os outros...


- Você sempre me surpreende, Mione- Rony postou-se ao lado dela e beijou sua bochecha.


Entraram no elevador e Hermione prontamente apertou o número cinco. Rony recostou-se, parecendo cansado após o dia de compras.


- Talvez um dia possamos nos mudar para um povoado somente bruxo...poderei abrir qualquer porta com um Alohomora...e nenhum visinho vai ficar achando que você estava tentando abusar de mim em plena calçada...


Hermione riu, incapaz de se conter.


- Abusar de você? Você me faz rir das coisas mais idiotas, Rony...


- Hei, não comece me acusando...não tente virar o jogo- ele deu aquele sorriso.- Você que saiu colocando a mão no bolso da minha calça, com o pretexto de achar a chave...


Eles finalmente estavam chegando no apartamento. Hermione chegou à porta antes que o garoto e dessa vez ela mesma sacou a varinha e abriu a porta, sabendo que estavam sozinhos.


- Você acha mesmo que eu usaria um pretexto...uma desculpa tão idiota como essa...?


Ela ajudou Rony a colocar as compras sobre a mesa, observando a bagunça da pequena cozinha, com o nariz franzido.


- Você precisa manter essa cozinha organizada, Rony...eu não posso estar sempre aqui para fazer isso por você...


Ele largou a chave na pequena mesa próxima a porta após trancá-la e se aproximou dela.


- Por que não continuamos na conversa anterior...estava mais interessante...- ele abraçou Hermione pela cintura, aproximando o nariz da pele da nuca da garota.


- Você apenas está querendo fugir da conversa sobre suas tarefas domésticas...- Hermione tentou conter um sorriso, largando tudo que estava fazendo e se virando para ele.


Rony descansou o queixo no ombro da garota. Abraçou-a fortemente e começou a passar a mão direita pelas costas dela.


- Rony...- ela o repreendeu. Tirou a touca que protegia a própria cabeça do frio, e com um breve movimento tirou seu casaco e preparou-se para tirar o do ruivo.


- Então esse é o pretexto que você usaria...- ele sorriu, tirando o último braço do casaco, e se desfazendo do cachecol que vestia.- Tirar as roupas é um meio mais rápido de se chegar ao fim...não?


Ela riu, enquanto colocava todos os agasalhos no cabide próximo a porta. Ela foi até a sala, procurando pelo controle remoto do ar condicionado. Ligou numa temperatura agradável, enquanto escutava os passos do garoto atrás de si.


- Você acordou de bom humor hoje...- ela falou, enquanto organizava as almofadas do sofá.


Ela adorava os pequenos detalhes daquele apartamento. Gostava de lembrar da primeira vez em que estivera ali. A surpresa e a felicidade a tomando, querendo dividir espaço igual no seu coração. Adorou o sorriso de Rony, a alegria e satisfação estampadas em seu rosto.


O lugar era muito bom e bastante espaçoso. Ela não sabia porque ficara tão surpresa. Certamente Rony não gostaria de morar em um lugar muito pequeno, depois de passar anos em um quarto modesto da Toca. Ela sabia que ele pensava nos dois quando fizera a escolha. Inclusive, aceitando que Hermione colocasse diversas coisas que ele insisitia em chamar de bugigangas de trouxas. Porém, ele dera o braço a torcer. Aprendera a usar o ar condicionado e convencera ela de que sabia usar todo o resto, alegando que Jorge tinha muito daquelas coisas.


- Meu humor está ótimo...- ele se aproximou da garota.- Hoje teremos um jantar delicioso de Natal na Toca...eu tenho você só para mim nesse apartamento...e tenho todo o tempo do mundo à minha disposição já que estamos de folga na Academia de Aurores...


Hermione sorriu para ele, observando satisfeita o efeito que a nova vida estava causando em Rony. Ele estava diferente, obviamente, além de ter amadurecido parecia menos com o garoto que ela conhecera em seu primeiro ano em Hogwarts.


Enquanto se aproximava dele ela admirou o rosto com traços marcantes do garoto, seu cabelo ruivo um pouco mais bagunçado do que ele costumava usar...a barba ainda por fazer- mesmo que ela insistira que ele a fizesse antes de saírem para as compras de Natal pela manhã.


Ela começou a entender as brincadeiras maldosas dele, quando ele também fez o caminho em sua direção...os olhos pousados nela de um jeito convidativo. Ela precisava admitir- ela havia se apaixonado pelo Rony garoto, aquele que era excessivamente inseguro, andava com roupas desalinhadas e sempre brigava com ela. Mas agora, ela se apaixonava e re-apaixonava todos os dias, pelo Rony que ele se tornara.


- Você ficou silenciosa de repente...- ele finalmente havia a alcançado. Suas mãos, ágeis, já estavam em sua cintura. Ele inclinou-se delicadamente, alcançando o pescoço da garota.


Hermione fechou os olhos e deliciou-se com a sensação dos lábios gelados dele em seu pescoço. Alcançou os cabelos ruivos do garoto, e puxou se rosto para mais próximo ainda. Rony entendeu o recado, e beijou profundamente a pele exposta da garota, raspando os dentes delicadamente, apenas para depois beijar novamente.


- Você não precisa desse ar condicionado se quiser esquentar o lugar...- ele sussurrou no ouvido dela, enquanto colocava a mão gelada por debaixo de sua blusa.


Hermione extremeceu mas permitiu que ele continuasse. Ela passeou as mãos pelos seus braços, depois migrou para os seus ombros, sentindo a textura da roupa que Rony usava. Mesmo com os olhos fechados ela conseguia lembrar claramente da combinação que ele escolhera aquela manhã. A cor escura da blusa de lã, combinado com o tom da calça jeans. Lembrara que brigara com ele, argumentando que ele não precisava usar aquele par de sapatos que ele escolhera, alegando querer combinar com a roupa- e ela querendo que ele os guardasse limpos para usar no Ministério quando os feriados acabassem. Ele se tornara um homem tão elegante. Era simples em suas escolhas, mas mostrava para ela dia após dia como havia se tornado uma pessoa segura.


Era bom pensar que Rony finalmente podia escolher coisas como aquela, ele sempre usara roupas dos irmãos mais velhos, igualmente a todo o material escolar, varinha e provavelmente na infância, os brinquedos. Ele finalmente estava podendo criar o ambiente em que podia viver. Comprara inclusive presentes para todos que estariam na festa à noite na Toca, demorando-se mais para escolher o da mãe de Hermione- os dois dariam presentes juntos e entravam em atrito toda vez que precisavam escolher.


- Na verdade...eu já estou com calor...- ela falou, sem fôlego.


Rony buscou seus lábios, delicadamente, postando as duas mãos debaixo da blusa dela. Ela respondeu ao beijo, com uma maior empolgação do que o momento pedia, quase indignada pela calma que ele mantinha. Ela já estava ansiosa- com aquela sensação que o mundo iria acabar se ela não estivesse em seus braços. E ele continuava intacto, calmo- ela sabia que era uma tática para tirá-la do sério.


- Que horas você pretende ir para a Toca?- ele falou baixinho, separando seus lábios, e beijando a bochecha dela delicadamente, migrando novamente para o seu pescoço.


- Meu pai e minha mãe devem ir para lá no final da tarde...- ela falou, com um fio de voz, enquanto deixava suas mãos se perderem no cabelo do garoto.- Não precisamos chegar lá antes disso...


- Ok...- Rony segurou a nuca dela, fazendo com que seus lábios se encontrassem novamente.


Dessa vez ele fez o que ela pedia silenciosamente, e a beijou daquele jeito que conseguia fazer com que ela esquecesse de onde estava. Seus braços estavam presos no pescoço de Rony, enquanto ele puxava seu corpo para cada vez mais perto, as mãos rápidas ainda debaixo de sua blusa.


Antes que percebesse, ela já estava tentando tirar a roupa dele. Ele riu, mas ergueu os braços permitindo que ela o fizesse. Ela o beijou novamente, e ele ficou parado, uma mão massageando seus cabelos, fazendo todos os pêlos do seu corpo arrepiarem. Hermione passeou pelo corpo dele, seus dedos mal fazendo contato com a pele por debaixo da última blusa que ele vestia. Ele começou a realizarar a mesma tarefa da garota- a diferença é que ele era mais rápido e mais habilidoso, e em segundos ela estava menos vestida que ele.


Ela acabara de tirar a última blusa dele, aproveitando para raspar as unhas no peito dele, sorrindo ao ver toda a pele arrepiando. Rony segurou a mão dela e forçou ambos os braços da garota para baixo, depois segurou suas costas fortemente e colou os lábios na clavícula dela, trilhando um caminho de beijos. Hermione não conseguiu conter um gemido, quando Rony continuou com sua missão de tirá-la do sério, os beijos descendo cada vez mais, aumentando a intensidade e fazendo a pele da garota arder onde ele passara. Ela agarrou seus cabelos e ele entendeu o desespero dela.


Fez seus olhos se encontrarem, um sorriso torto no rosto. Hermione tentava conter todas aquelas sensações: era diferente agora, sabendo que estavam sozinhos, em um lugar apenas deles. Era maravilhoso saber que passariam o resto da vida juntos, e que poderiam ter muitos outros momentos como aquele.


- Ronald Weasley-


Ele observou o rosto corado da garota, adorando as reação que podia causar nela. Antes que ela protestasse, a tomou em seus braços e com o próprio corpo forçou que ela se deitasse no sofá. Ela se ajeitou durante uns segundos, parecendo querer controlar a respiração.


Ele permitiu que seus corpos ficassem muito perto, ainda sustentando o próprio peso com os braços.


- Sabe, Mione...- ele falava baixinho, adorando observar como até mesmo sua voz causava respostas por parte de Hermione.- Fazia tanto tempo que não ficávamos assim...


Ele passou as costas da mão pelo rosto dela, descendo pelo seu pescoço. Hermione fechou os olhos, sua respiração acelerando-se novamente. Ele sorriu e continuou a percorrer o corpo dela, sem receio. A conhecia tão bem agora, não havia motivos para parar. Fazia algum tempo que Hermione perdera o medo e a vergonha de estar assim com ele. Desde aquela noite inesquecível na Sala Precisa, onde haviam passado longas horas pontuadas por sussurros apaixonados e beijos convidativos, ele sabia que não havia mais nada que o puxasse para trás. Mesmo que no começo tivesse sido quase contido- e ao mesmo tempo ansioso- com o tempo eles haviam começado a criar outra forma de aprecisar aqueles momentos juntos.


Ficar com Hermione se tornava mais maravilhoso a cada dia que passava. Sempre que lembrava, durante o seu dia a dia, até mesmo no trabalho, que ela estava ao seu lado e o amava, era tomado por uma euforia. Uma vontade de sair correndo de onde estava e ir até ela.


Quando planejara que ela passasse as férias de Natal em seu apartamento, deitava-se toda a noite com um frio na barriga delicioso, apenas pensando na garota esparramada em seu sofá, ou nos dois na cama de seu quarto juntos. Desde o momento que ela chegara no dia anterior, ele não conseguia parar de pensar em estar apenas com ela. Não queria mais ninguém por perto, e não teria nem saído do quarto aquela manhã se ela não tivesse insistido muito, alegando que já haviam demorado demais com as compras de Natal, e dizendo que aquele apartamento logo estaria sem suprimentos.


Ele voltou a beijar os lábios da garota delicamente, enquanto lembrava da noite maravilhosa que tinham passado juntos- poucas horas de sono que certamente lhe fariam falta, já que precisavam enfrentar um jantar na Toca, mas fora por uma boa causa.


Mesmo assim, Hermione não parecia demonstrar cansaço- nem vontade de parar. Ele sabia que poderia recomeçar de onde tinha terminado.


Hermione puxava o corpo dele para mais perto do seu, uma das pernas já enlaçadas na sua cintura. Ele provocou a garota, mordeu seu lábios inferior e brincou com a língua procurando pela dela, fazendo movimentos quase ritmados, e cada vez mais profundos. Hermione suspirou e o puxou pela nuca, inclinando o corpo para cima, forçando o corpo de Rony contra o dela com a perna que ainda o segurava.


Ele sorria por dentro- gostava tanto de ver o descontrole da garota. Era quase surreal saber que a alterava daquele jeito. Adorava ver seus rosto rosado, sua boca entraberta enquanto ele explorava seu corpo.


Ele sentiu que seu corpo começara a ficar tenso, Hermione forçava a proximidade e ele não era mais capaz de se conter. Mais alguns instantes daquele jeito, e ele arrancaria a roupa dela de qualquer maneira.


Num movimento brusco, Hermione ergueu o corpo para a posição vertical, ambas as pernas formando um abraço dolorido na cintura de Rony. Ela separou seus lábios e puxou os próprios cabelos para trás. Parecia quase nervosa- tinha um brilho diferente no olhar.


Ela alcançou o pescoço dele- ele sabia que ela fazia isso para dar o troco. Adorava quando ela perdia o controle e geralmente quando isso acontecia, momentos maravilhosos se seguiam a isso.


Mas a garota estava tão diferente, tão eufórica. Ele tinha a impressão que conseguia ouvir as batidas do coração dela. Ela mordeu o pescoço dele violentamente. Ele encolheu o corpo em um momento institivo, mas ela colou o corpo mais próximo ao dele, ambas as mãos alcançando sua barriga.


Rony contraiu todos os músculos quando sentiu as mãos da garota abrindo a calça que vestia. Tentou segurá-la, voltar ao comando, mas Hermione já estava completando sua tarefa e antes que ele percebesse ela invertera completamente o jogo- e estava em cima dele.


Ele afastou alguns cabelos do próprio rosto para poder observá-la melhor. Ela tirou as peças de roupa que ainda vestia, e ambos ficaram em pé de igualdade. Antes que ele pudesse conter a garota, ela migrara ambas as mãos para as próprias costas, mantendo Rony imóvel com o peso de seu corpo.


Ela tirou as últimas peças que cobriam seu corpo em menos de dez segundos, e Rony assistiu, calado, ainda surpreso com a ansiedade da garota. Depois, as pequenas mãos de Hermione alcançaram a barriga dele, ele segurou seu pulso delicadamente.


- Não pense que ficará com alguma vantagem...- ela rapidamente o despiu, fazendo com que ele se sentisse, por um breve momento, muito exposto. Ela nunca fizera aquele jogo completo de tirar as roupas, eles geralmente estavam tão eufóricos que quando percebiam, já estavam completamente despidos.


Ele alcançou a nunca dela e começou a massagear em movimentos circulares, enquanto a mão da garota passeava da sua barriga até sua coxa. Ele fechou os olhos e contraiu novamente o corpo- quando os abriu, Hermione sorria para ele.


- Você adora me provocar, não é Ronald?- ela sussurrou. Era quase irônico ela falar aquilo naquele momento. Ambas as mãos da garota seguraram as dele, enquanto ela beijava o peito dele, depois o seu braço e seu antebraço. Ele se surpreendeu em como aquilo podia o deixar alterado. Ele já estava calculando todas as possiblidades e chances que tinha de conseguir voltar a dominar a situação. Seu corpo implorava por aquilo, ele estava sentindo como se pudesse irromper parar fora da própria pele a qualquer momento, se Hermione continuasse com aquele jogo.


Ela ergueu os olhos para ele, um olhar completamente diferente. Ele se assustou, mas não podia negar que estava gostando daquela Hermione mais atrevida. Ele conseguiu soltar uma das mãos e passou pelas costas quentes dela, arranhando sua pele, tentando de qualquer maneira, de uma forma quase desesperada, fazê-la voltar ao normal. Mas ele não queria que ela voltasse- ao mesmo tempo que a ansiedade do momento o tomava, a curiosidade o corria por dentro, e ele queria saber até onde ela iria.


Hermione soltou a outra mão dele apenas para deslizar a ponta de seus dedos por toda a extensão do tronco de Rony. Ele não precisou que alguém o segurasse dessa vez, suas mãos ficaram paradas bobamente no ar, enquanto a garota beijava sua barriga de um jeito convidativo.


- Herm-mione...- ele tentou se conter.


Com um último olhar para ele, a garota sorriu- um sorriso diferente de qualquer outro. Ele não queria mais ser racional. Hermione aparentemente tinha planos malígnos- e ele queria ser a cobaia de qualquer experimento que ela fosse realizar.


Os olhos dela sumiram novamente, ela recuou o corpo apenas alguns milímetros- ambas as mãos apertando as laterais da barriga de Rony. A única coisa que ele conseguiu fazer, enquanto os lábios úmidos da garota voltavam a sua missão exploratória, foi alcançar os cabelos dela e segurá-los fortemente, sabendo que aquilo não a deteria.


Ele não conteve o primeiro gemido- nem o segundo. Sua respiração acelerou e ele sentiu que Hermione estava se cobrando- todos aqueles momentos que ele a deixara fora de si.


Ele jogou a cabeça para trás, tentando chamá-la, implorar que ela não o torturasse mais. Mas a garota não parecia disposta a parar, mesmo que ele mantivesse um certo controle, segurando seus cabelos, de uma forma quase violenta. Ele trincou os dentes e sentiu todo o seu corpo se mover, arqueando a cabeça em um movimento suplicante- algo dentro dele gritava que ele jamais conseguiria fazer Hermione se sentir daquele jeito como ela estava o fazendo sentir.


Sua voz não saía- eram apenas tentativas frustadas de fazê-la parar, mesmo que ele não quissesse que ela parasse. Hermione parecia tomar os sussurros e quase súplicas dele como um convite para continuar, e ele permitiu-se apertar os olhos com força e finalmente soltou os cabelos da garota, confiando no controle dela.


Era no controle dele que ele não podia confiar.




Ele beijou as costas nuas da garota, enquanto abraçava mais fortemente o corpo dela de encontro ao seu. Hermione levou uma das mãos ao coração e empurrou o corpo levemente para trás.


Rony sentou-se sobre os joelhos, aninhando a garota de um jeito mais confortável no seu colo. Afastou os cabelos dela e afundou o nariz em sua nuca, inspirando profundamente.


Ela riu baixinho, a voz dela parecendo acender algo dentro de seu peito.


Ele passeou as mãos pelo corpo dela, achando muito provocante todo o suor que a tomava- parecia um convite para que não parassem.


Ele subiu suas mãos lentamente pela barriga dela, enquanto a garota jogava a cabeça para trás e apoiava no ombro dele.


- Você tem ideia de que horas são?- ela sussurrou.


- Não...mas não me interessa saber...


- Podemos estar atrasados..- ela parou a mão dele, que tornava-se novamente atrevida.


- E você está pensando nisso agora?- ele agarrou o corpo dela fortemente, forçando-a a deitar novamente na cama. Uma das mãos de Hermione tentou segurar a cabeceira da cama, enquanto Rony inclinava o rosto novamente na direção da nuca da garota.


- Rony- ela riu- deixe eu me virar, não consigo ver você assim...
Ele tentou conter um sorriso também.


- Estou me vingando...


Ele a soltou brevemente e a garota escorregou pelos lençois, afastando-se dele.


Ele se jogou ao lado dela, observando a tentativa lenta de Hermione de virar de barriga para cima.


Ela suspirou profundamente. Colocou um dos braços para cima de sua cabeça, e o outro ela levou ao rosto de Rony.


- Foi tão maravilhoso para você, quanto foi para mim?- ela sussurrou.


Ele se aproximou novamente dela, beijou-lhe os lábios brevemente, e tentou fazer cócegas no corpo da garota, que prontamente segurou sua mão.


- Maravilhoso não seria a palavra adequada...- ele sussurrou, os lábios apertados no rosto da garota.- Algo acima de perfeito...


Ela riu e abraçou o corpo dele fortemente.


- Eu amo você...- ela falou em meio a um suspiro.


Rony olhou para ela, afastou os cabelos do rosto da garota.


- Eu também amo você...


Hermione se remexeu incômoda no próprio lugar.


- Sinto muito quebrar o clima romântico- ela franziu a sobrancelha e o rosto todo formou uma careta- Mas preciso urgentemente de um banho...


Ele riu, sentindo o peito vibrar. Hermione acompanhou a risada, e tentou se levantar.


- Eu vou com você...- ele se levantou prontamente e antes que ela pudesse fazer qualquer movimento, ele já abrira a porta do banheiro do quarto.


Alcançou o chuveiro e o ligou, voltando com passos largos para onde Hermione estava.


Ela lentamente se levantava da cama. Ele fez o caminho até ela, e a puxou pela mão.


- Desse jeito vamos nos atrasar...- ele falou em tom mais enérgico.


- A culpa é sua...- ela riu enquanto caminhava para o banheiro, puxando uma toalha seca que estava no espaldar da cadeira mais próxima.


- A culpa é minha?- Rony a seguiu e segurou sua cintura antes que ela pudesse entrar no banho.


Hermione não respondeu e se soltou do abraço, entrando no chuveiro. Ela suspirou enquanto molhava o cabelo, sorrindo diante da água quente.


Rony adorou vê-la daquele jeito. Prontamente estava ao lado dela, sendo envolto pela névoa, o banheiro aos poucos tornando-se úmido.


- Acho que não estamos tão atrasados assim...


- Rony-


Ele abraçou o corpo dela fortemente, colando seus lábios. Hermione formou um sorriso enquanto tentava afastar o garoto.


- Mione, por favor...é o primeiro banho que tomo com você...


- E se quiser que exista um segundo comporte-se...preciso me arrumar...sua mãe não gosta de atrasos...


- Ainda temos tempo...- ele passou a mão de um jeito provocante pelo corpo da garota.


Antes que Hermione pudesse conter sua mão ou repreendê-lo, ele empurrara o corpo dela contra a parede do banheiro, tentando ser muito delicado ao fazer aquilo.


A garota não pareceu entender a seriedade do momento, e riu. Sua bochecha contra o azulejo muito branco, contraindo-se divertidamente.


- Rony...


Ele deixou a água cair sobre o próprio corpo, e depois colou seu corpo no dela.


- Você estava ficando gelada...- ele riu com sarcasmo.


- Sei- ela debochou, forçando o corpo a se virar.


Rony permitiu aquilo, mas continuou apertando a garota contra a parede gelada.


- Rony, assim eu realmente vou ficar com frio...


Ele tocou a pele dela que entrara em contato com a parede e sentir a temperatura mais baixa.


Uma mão ainda a segurava, mas a outra agilmente puxou a perna da garota pela coxa, encaixando seus corpos.


Hermione tentou rir, mas antes que ela tomasse tal atitude Rony a beijou novamente, a água quente do chuveiro esquecida.


N/A: Voltandoooo a trabalhar na fic! Mil desculpas! Fiquei sem conseguir usar o office- e continuo até agora- qualquer erro de formatação culpem o WordPad (que me quebrou um galho!) Estava tentando resolver esse problema e com as correrias de final de ano foi quase impossível! Mas mesmo que surja qualquer desânimo e vontade de jogar tudo p/ alto, meus leitores sempre me animam a continuar!


Fiquei muito feliz com as últimas reviews que recebi- sempre que leio ganho meu dia =D


Espero que o capítulo tenha suprido as expectativas de vocês!


Se o capítulo 20 está on hoje, é só porque vocês continuam acompanhando a fic ^^ Obrigada pelo apoio!


Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.