FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

24. A mansão dos Malfoy


Fic: De forma inesperada RxHr Cap final on


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Montagem por Sabrinna Camila
http://img59.imageshack.us/img59/1252/dfe.png


A MANSÃO DOS MALFOY


 


 


- Traidor, filho da mãe. Como ele pôde? – Rony parecia furioso e inconformado, quando os três aparataram no acampamento.


 


- Rony – a voz de Hermione era firme e triste ao mesmo tempo – ele estava tentando salvar a própria filha! Estava desesperado.


 


O ruivo respirou fundo, ainda resignado, assentindo em seguida, parecendo não querer discordar dela ou irritá-la; as coisas entre eles estavam longe de voltarem ao normal. Embora ele viesse se esforçando para que Hermione o perdoasse, ela parecia irredutível na sua decisão de tratá-lo como um intruso.


 


- Vamos, acho mais seguro mudarmos o local do acampamento. – Sentenciou Harry que ainda parecia confuso e irritado. Hermione o analisou por alguns instantes. Sabia que o amigo estava irritado por Luna ter sido sequestrada, e certamente carregaria mais essa culpa.


 


 


..................................


 


 


Os minutos que se sucederam após estarem novamente na barraca foram rápidos e confusos.


Era o fim, e essa era a única verdade na qual Harry, Rony e Hermione conseguiam pensar.


 


 


.......


 


 


 


- Narcisa, chame o Draco. – Pediu Belatriz, analisando, fascinada, os três prisioneiros amarrados.


 


Draco entrou na sala e parecia tão aterrorizado de olhar para Harry quanto Harry para ele.


 


- Então Draco, é ele? - Perguntou Lucius.


 


- Não... não tenho certeza. - Disse Draco inseguro.


 


- E a garota, é a sangue-ruim? – Interpelou Belatriz, se abaixando para enxergar melhor Hermione.


 


- Talvez seja. – A voz de Malfoy tremeu, hesitante, havia pânico em seus olhos acinzentados.


 


- Então esse é o Weasley. - Exclamou Lucius excitado. - Vamos olhe para ele, Draco. - Ordenou impaciente.


Draco não olhou para Rony, sabia que eram eles, não precisava olhá-los de perto. Virou-se de costas e disse num tom de voz baixo, quase num sussurro inaudível:


 


- É, é ele sim. – Rony pôde ver Draco fechar os olhos, o rosto se contorcendo em uma careta dolorosa.


 


- Eu sabia! – Exclamou Belatriz exaltada, sua risada aguda pareceu terrivelmente aterrorizante.


 


- Leve os prisioneiros para o porão, Greyback. – Ordenou Lucius, as palavras carregadas de satisfação.


 


Hermione sentiu seu estômago despencar, o braço de Rony amarrado ao seu lado estremeceu abruptamente. Ela apertou os olhos com força, deixando as lágrimas molharem sua face.  Sua cabeça pendeu para trás e encostou na de Rony, ela notou que ele tremia violentamente.


 


- Espere - disse Belatriz, rispidamente. - Todos, menos a sangue-ruim.


 


Greyback soltou um rosnado de prazer.


 


A voz de Belatriz penetrou a mente de Rony como uma lâmina afiada, fazendo o medo retumbar dolorosamente em cada célula do seu corpo.


 


- NÃO! - Gritou Rony. - Pode ficar comigo no lugar dela!


 


O som da risada sarcástica de Belatriz bradou assustadoramente pela grande sala da mansão. Ela se abaixou e deu uma bofetada no rosto de Rony, a pancada ecoou pela sala.


 


- Assim que eu terminar com a sangue-ruim, eu cuido de você, traidor do sangue imundo!


 


Hermione sentiu seu corpo tremer, o medo deslizando lentamente pela sua pele. Rony se mexeu ao seu lado, parecendo aflito, ela podia escutar a respiração acelerada dele. Greyback os puxou com violência, e em meio ao aperto confuso, Hermione sentiu um aperto forte na sua mão direita. Ela virou a cabeça, procurando os olhos de Rony, não conseguia enxergá-lo, mas o sentiu apertar sua mão com ainda mais força.


 


As batidas do seu coração eram tão furiosas que faziam seu peito arder.  Greyback se aproximou para soltá-la, o hálito pútrido do comensal contra seu rosto, a fez sentir náuseas. Ele passou o dedo sujo pelo seu rosto, e ela sentiu a unha afiada arranhar sua bochecha. Rony tentou se aproximar, arrastando Harry junto.


 


- Não encoste nela, seu porco. – O berro de Rony fez com que todos olhassem para ele, e Greyback soltou um rosnado desdenhoso. A forma como Fenrir Greyback se aproximava e mirava Hermione fez o estômago de Rony se contorcer, e ele se sentiu próximo de vomitar. Sabia que era inútil berrar e se debater, mas seu pânico era irracional. Ele não podia deixá-la ali sozinha, precisava fazer alguma coisa, e por que Harry não o ajudava? Olhou para Hermione e viu pânicos nos olhos castanhos.


 


- Eu cuido da sangue-ruim, leve-os. – Ordenou Belatriz, ignorando o protesto desesperado de Rony, puxando Hermione pelos cabelos e a jogando sem nenhum cuidado no chão.


 


Rony se viu sendo arrastado em direção às escadas. Ele tentou se soltar, se debateu furiosamente, mas o comensal era muito mais alto e forte do que ele e Harry juntos. A certeza de que tinha falhado mais uma vez com Hermione, fez Rony fechar os olhos com força. Ele sentia toda a impotência escorrer pelo seu peito, fazendo-o se amaldiçoar infinitas vezes.


 


Quando Greyback os jogou no porão, Rony se jogou contra as grades, ignorando os protestos de Harry, numa tentativa inútil de atravessá-las.


 


- HERMIONE!!! HERMIONE!!!!


 


- Rony? – A voz de Luna o fez se virar, os olhos vermelhos, injetados de raiva e dor.


Junto à garota estava Olivaras, e ambos, para o alívio de Harry, pareciam relativamente bem.


 


- Luna? Você está bem? – Harry se aproximou da garota, trazendo Rony que continuava amarrado a ele junto, para certificar-se de que ela não estava ferida. Ela assentiu com um sorriso fraco.


 


Por alguns instantes um silêncio perturbador preencheu o porão. Então Rony ouviu, como um punhal o atingindo, trazendo-o de volta a realidade dura e cruel, deixando-o ainda mais assustado e impotente.


 


O grito terrível de Hermione ecoou num volume máximo, fazendo seu desespero doer fisicamente.


 


- HERMIONE – Rony urrou o nome da garota com todas as suas forças, tentando inutilmente abafar os gritos assustadores que ecoavam pelo porão.


 


 


....................


 


Hermione viu seus amigos sendo levados para longe, estava sozinha, não havia nenhuma saída, era o fim, sabia disso. Ouviu Rony chamar seu nome, certamente era a última vez que escutaria a voz dele.


 


- Agora, somos só nós duas!


 


Hermione ergueu os olhos e fitou os negros da comensal, podia enxergar o ódio e a perversidade que habitavam neles, havia um mistura de desprezo e determinação naqueles olhos.


Um arrepio desagradável percorreu sua espinha, mas ela manteve o rosto impassível, tentando segurar as lágrimas e esconder o pânico que retumbava em seu peito.


 


Sentiu os dedos da mulher lhe puxarem pelos cabelos mais uma vez, fazendo-a ficar de pé.


 


- E, então, sangue-ruim, onde vocês acharam a espada?


 


A calma na voz de Belatriz aumentava a sensação de que o horror estava apenas começando e que sua morte seria lenta e tortuosa.


 


- Eu... eu... não sei… - Hermione gaguejou, porém manteve a voz firme.


 


- Não minta sujeitinha de sangue-ruim. – A voz aguda e estridente da mulher a fez recuar um passo, mas a comensal lhe agarrou pelo braço, apertando a varinha contra seu peito.


 


O grito de Hermione rasgou a vazio, e Draco se encolheu em um canto, parecendo assustado.


 


- Responda! Onde a achou?


 


- Eu... eu não sei – balbuciou Hermione sentindo suas forças a abandonarem. Ela pensou que estaria preparada, que suportaria o medo e a dor, mas nunca esteve tão enganada.


 


- Crucio.


 


Mais um grito ensurdecedor. A dor penetrante e afiada fez seu corpo vacilar, e suas pernas não foram capazes de mantê-la em pé. Hermione caiu de joelhos, ofegante, o corpo tremendo violentamente.


 


- Fale! Onde vocês conseguiram a espada? – Vociferou Belatriz, ficando sobre o corpo fraco e débil de Hermione. A garota sentia sua consciência a abandonando lentamente, e a voz da mulher parecia de repente distante. Fechou os olhos, sentindo as lágrimas molharem seu rosto. Havia outra voz, vinda de algum lugar, penetrando seus ouvidos, era uma voz desesperada que chamava seu nome ao longe.


 


A lucidez pareceu voltar por alguns instantes, embora todas as partes do seu corpo doessem desmedidamente.


 


- Eu vou perguntar só mais uma vez! Onde vocês conseguiram a espada? – Belatriz apontou a varinha para o braço de Hermione o qual segurava com força contra o chão, e a pele começou a se rasgar lentamente, dando forma a palavra “sangue-ruim”, o sangue vermelho vivo escorreu pela pele branca, formando uma poça no assoalho. - Onde?
 


http://s3.amazonaws.com/data.tumblr.com/tumblr_lexlp1vkh71qzgsd2o1_1280.png?AWSAccessKeyId=0RYTHV9YYQ4W5Q3HQMG2&Expires=1297098992&Signature=QpbOYvGI5qt7%2B2ZhKIZW7PivHXU%3D

 


- Nós achamos, POR FAVOR, PARE! NÃO – Hermione gritou mais uma vez, um berro agudo e apavorado.


 


- Diga a verdade! Crucio!


 


Ela não podia mais suportar. Seu corpo estava no limite, sentiu a dor provocar ânsias muito fortes. Quando o feitiço acabou, Hermione balbuciou fracamente algumas palavras, não era mais capaz de raciocinar, as palavras não pareciam fazer sentido.


 


- Nós achamos… eu... não, por favor... eu não sei...


 


- Você está mentindo, sua sangue-ruim imunda! Vocês entraram no meu cofre em Gringotes! Diga a verdade, diga a verdade!


 


Desta vez Belatriz não empunhou a varinha. Ela se abaixou e retirou um pequeno punhal de prata da bota. Se aproximou mais uma vez de Hermione e  a chutou com força nas costelas.


 


A garota gritou de dor, e quando sua voz sufocou num soluço estrangulado, ela pôde ouvir nitidamente seu nome cortar o silêncio.


 


- HERMIONE!


 


- Ron... – ela sussurrou num fio de voz, as lágrimas caindo copiosamente.


 


Era a voz de Rony, carregada de desespero e angústia. Hermione respirou fundo, tentando manter os olhos abertos, permanecia imóvel, a dor espalhada por todo o seu corpo.


 


Ele estava ali.


 


...................................................


 


Os gritos de Rony se tornaram tão intensos e ferozes que Harry por um momento teve a impressão de que o amigo sentia uma dor ainda maior que a de Hermione.


 


Rony urrou se contorcendo e se debatendo, tentando inutilmente se soltar.


 


- HERMIONEEEE, HERMIONEEEE...


 


- Rony, pare de berrar, precisamos pensar em algo. – Bradou Harry impaciente, mas Rony não parecia escutá-lo, continuava chamando pela amiga como se sua vida dependesse daquilo.


 


- HERMIONEE, HERMIONE! NÃOOOO! DEIXEM ELA EM PAZ... HERMIONE... – O desespero deslizou dolorosamente por sua pele, fazendo-o sentir o medo rasgar seu peito. Hermione precisava ouvi-lo, saber que ele estava ali, que lutaria por ela até o último suspiro, até a última batida do seu coração.


 


Quando finalmente Luna conseguiu cortar as cordas, ele se colocou de pé e tentou inutilmente desaparatar.


 


Mais gritos ecoaram pelo porão e Rony socou as paredes soluçando alto.


 


 


 


 


..............................................


 


 


- O que mais vocês pegaram? Belatriz segurou o punhal próximo ao pescoço da garota, encostando a lâmina afiada em sua garganta. – Fale, ou vou cortar sua garganta e vê-la sangrar até a morte como um porco abatido.  – Ela se aproximou ainda mais de Hermione, com um sorriso doentio num sussurro adicionou: – Uma morte trouxa é o que merece uma sangue-ruim como você.


 


Hermione abriu os olhos, engolindo o bolo em sua garganta, a saliva deslizou pela garganta como se a rasgasse. Reunindo todas as suas forças, deixou um murmúrio escapar.


 


- Nada...


 


- NÃO MINTA! CRUCIO!


 


A dor voltou, e Hermione se ouviu mais vez berrando desesperadamente, numa tentativa alucinada de amenizar a sensação insuportável que fazia seu corpo estremecer.


 


 


................................................


 http://img137.imageshack.us/img137/4467/tensosp.jpg


 


Outro grito assustador de dor de Hermione invadiu o porão, e Rony voltou a socar as paredes, fazendo os gritos dela se confundirem com os seus. Luna notou o sangue escorrer pelo braço do garoto, e se aproximou cautelosamente dele.


 


- Rony, você está machucando a si mesmo, como vai poder ajudá-la se estiver ferido? – A voz de Luna mantinha o tom calmo e sereno habitual, mas ela recuou alguns passos, parecendo ligeiramente assustada, quando Rony se virou em sua direção, os olhos injetados, cheios de dor e ódio. Por um instante a loira pensou que ele fosse socá-la, mas ele deixou um soluço estrangulado escapar e apertou com força os punhos, os nós dos dedos ficando rapidamente esbranquiçados.


 


 


.................................


 


 


- HERMIONE!


 


Em meio ao eco dos seus próprios gritos, ela pôde distinguir novamente seu nome.


 


Os batimentos cardíacos de Hermione também estavam descompassados e acelerados. O ruivo se aproximou dela lentamente, levou uma das mãos até a sua nuca e falou baixo, quase num sussurro, os lábios praticamente colados aos dela:


- Hermione… eu… eu gosto tanto de você


Quando ela abriu a boca para dizer algo, Rony a beijou. Um beijo calmo, doce…


 


- Como vocês entraram no meu cofre? Aquele duendezinho sujo ajudou vocês, não foi?


 


Hermione respirou fundo, procurando forças para falar.


 


- Não... Nós nunca estivemos no seu cofre… não é a espada verdadeira! É uma cópia!


 


- Uma cópia? – Belatriz a fitou com desprezo.


 


- Nós podemos descobrir se isso é verdade facilmente! – era a voz de Lucius Malfoy, e só então Hermione se lembrou de que havia mais pessoas na sala. - Draco, pegue o duende, ele pode nos dizer se a espada é verdadeira ou não!


 


- É melhor você estar falando a verdade, sua sujeitinha de sangue-ruim – a Comensal murmurou, num sussurro cruelmente calmo.


 


- Eu já posso pegá-la? – a voz ansiosa de Greyback, fez Hermione lembrar-se de que o lobo continuava ali, esperando ansiosamente pelo momento de recebê-la como um prêmio.


 


- Não! Ainda não.


 


Draco voltou à sala com o duende, a passos apressados, largando-o perto do pai e se voltando rapidamente para a poltrona próxima a lareira em que estivera até o momento, os olhos ainda assustados e receosos.


 


Belatriz se aproximou do duende, o mirando com desconfiança. Apontou a varinha para o rosto de Grampo e um corte profundo se abriu na face dele.  


 


- É sua última chance, garota insolente, diga como entraram no meu cofre!


 


- Mas nós, não – Hermione não foi capaz de concluir sua frase


 


- CRUCIO!


 


O grito de Hermione sobressaltou o duende que mirava Belatriz com ódio, tentando estancar o sangue do corte com a mão.


 


- O que foi isso? O que foi esse barulho no porão?


 


A voz de Lucius Malfoy soou distante e irreal, e Hermione fechou os olhos, cansada demais para continuar lutando com sua consciência que a abandonava definitivamente.


 


Acordou quando sentiu seu corpo sendo puxado com força, sem nenhum cuidado.


 


-NÃO!!!!


A lâmina afiada rasgou de leve sua pele do pescoço, e Hermione abriu os olhos, sentia-se incapaz de mover qualquer músculo, estava fraca, mas podia distinguir a voz de Rony. Não saberia dizer se o que via era real ou não. Rony e Harry estavam ali. E ela poderia ter sorrido se a dor não fosse tão intensa. Rony estava ali, ele sempre estivera... Ela o ouviu gritar seu nome, ele se importava... Ele estava ali, e lutava por ela...


 


Tudo aconteceu tão depressa, e ela não conseguia assimilar, não era mais capaz de distinguir a realidade.


 


- Ah, Hermione, não


 


Os dedos de Ron acariciaram seu rosto com carinho. E em seguida ela se viu sendo carregada por um par de braços fortes, e o aconchego daqueles braços, a fez fechar os olhos mais uma vez, pensando em como tudo parecia quente e reconfortante naquele momento.


 


- Inferno sangrento – bradou Rony desesperado ao vê-la desmaiar em seus braços. - Vai ficar tudo bem, eu prometo, eu prometo... – o garoto sussurrou desesperado próximo ao ouvido dela, apertando-a em seus braços, enquanto a carregava para longe daquele inferno.


 


Hermione teve a impressão de ouvir um sussurro próximo ao seu ouvido, uma voz, a voz de Rony. E de repente lhe pareceu que tudo iria ficar bem...


 


 





.........................................

N/A: Finalmente, o capítulo 24 nasceu :)
 


A melhor parte de escrever e poder agradecer o carinho e a gentileza dos leitores mais bloody brilliants da FeB:


Pipoca Lissandra Alvarenga Swerts 


Viviane Barreda


Priscilla Moreira


Carol Peeters 


 Tia Carolis


Laura Tonks


Michelle M. Rossi


Suzane


Ana Vitoria Queiroz Gomes


Bianca Granger Weasley


Letícia M. Klein


Flor-de-Lis


Layze 


MariDani


Joanaa 


Natie_Weasley


Carolina Gomes 


Olívia892


Sabrina Weasley


Gesica Campelo Pereira


Rai de Oliveira 


LuanaGrint


Mione Forever


Raquel Pereira


Susan Snape


izabelle uchoa barros 


Gente, muito obrigada por cada palavra de incentivo. Fico sem palavras para agradecer, e bem acho que o mínimo que posso fazer é colocar o nome de cada um nos meus agradecimentos.


E um super muito obrigada a Viviane Barreda pela betagem do capítulo :) 
Não foi possível inserir o áudio com os gritos do Ron, sugerido pela Vivi, por isso deixo o link, para que vcs possam acessa e ouvir.
Dizem que esse áudio é do jogo! Uma pena que no filme eles tenham abafado o desespero do Ron, espero que o capítulo tenha deixado claro o quanto foi doloroso para ele, porque eu interpretei dessa forma, como um momento de extrema dor para o Rony. http://bit.ly/ho5dBA


Agradecimentos espciais também a Sabrinna Camila, que gentilmente, criou uma capa linda para o capítulo :)

Um grande beijo a todos...


Ah! A fic está próxima do fim! Provavelmente teremos mais 2 capítulos!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 2

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por Sheilinha Araujo em 28/06/2012

SEM PALAVRAS!!!! SOU SUA FÃ

Nota: 5

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

Enviado por fabiane lopes em 11/05/2011

ta lindo ta show amei maravilhosoooo

Nota: 1

Páginas:[1]
:: Página [1] ::

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.