FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

30. As consequências


Fic: Os sentimentos de Rony NC17 RxH - Cap final


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________

Consequências....

 


Gina olhou o irmão sentando pesadamente em uma das poltronas e quis esbofeteá-lo.


Como era possível que uma mesma pessoa cometesse tantos erros? Se não fosse a clara semelhança física entre eles, ela poderia jurar que aquele energúmeno não era seu irmão!



Ah se Harry lhe dissesse algo como “A Cho teria feito (ou não teria)  isso ou aquilo”, ela lhe mostraria o quão poderoso era seu feitiço para arrebatar bicho papão.


Ela andou bruscamente em direção ao irmão.

Harry a segurou com um pouco mais de força pela mão, impedindo que avançasse e arrancasse as órbitas azuis e enfurecidas de Rony do rosto.


 


- Eu falo com ele. - confidenciou baixinho, próximo ao ouvido dela.


Harry ainda se lembrava da última briga séria entre os dois, quando ele e Rony haviam visto Gina aos beijos com Dino em um corredor. Definitivamente detestava essa lembrança, mas ela, com uma frequência maior do que ele gostaria, sempre voltava a atormentá-lo.



Gina bufou irritada, mas acabou concordando. Andou em direção a escada do dormitório feminino batendo os pés audivelmente.


Ao passar próxima à poltrona em que Rony estava sentado com os braços cruzados e cara de poucos amigos, fez questão de deixar claro o quanto considerava o irmão um parvo.


 


- Imbecil – sibilou lançando-lhe um olhar ameaçador.


 


Rony sequer se deu ao trabalho de responder, continuou olhando feio para a parede do lado oposto da sala.


 


Sentada em uma mesa afastada, Lilá observava o ruivo com um brilho inconfundível no olhar. Parecia imensamente satisfeita com aquela situação toda.


 


Harry se aproximou e sentou ao lado do amigo. Gina tinha razão, Rony era um imbecil, mas não diria isso ao amigo.


 


- O que foi? – perguntou mal criado sem olhar para Harry.



- Nada. – respondeu o outro, controlando sua vontade de socar o amigo.


 


- Por que está me olhando com essa cara então? Sibilou Rony entre dentes, espiando Harry com o canto dos olhos.


 


Harry apenas deu de ombros. Seria inútil tentar convencer seu melhor amigo de que ele tinha, mais uma vez, pisado na bola com Hermione. Dirigiu-se às escadas do dormitório masculino, deixando que Rony amargasse a própria estupidez.


 


Rony permaneceu sentado e imóvel. Aos poucos a sala comunal começou a esvaziar e ele agradeceu intimamente por isso, estava profundamente irritado e tudo que mais queria era ficar completamente sozinho.



Lilá guardou seu material demorando-se mais do que o necessário. Seus olhos não desgrudavam da figura alta, forte e ruiva sentada na poltrona próxima a lareira.

A garota sentiu seu coração se aquecer de uma forma reconfortante ao ouvir o ex-namorado dizendo a Hermione que ela teria recusado se encontrar com sabe-se lá quem. Ele estava certo, pois ela teria recusado mesmo.


 


- Anda logo Lilá. – apressou Parvati impaciente.


 


- Pode subir, eu vou daqui a pouco. – sorriu para amiga, esperando que ela entendesse suas intenções.


 


Parvati bufou lhe lançando um olhar reprovador, o qual Lilá fez questão de ignorar.


 


... 


 


O fogo na lareira crepitava preguiçosamente aquecendo o ambiente. Rony desviou os olhos do fogo e deparou-se com uma bola de pelos laranja enroscada perto do calor aconchegante da lareira.


Detestava aquele gato desde o terceiro ano. Não porque ele havia perseguido aquele maldito rato. Na verdade, teria sido um favor se o tivesse devorado.


Sua implicância com Bichento culminava do fato de que Hermione dava muito mais atenção àquela bola de pelos do que a ele.


No fundo, sabia que estava sendo irracional, Hermione vinha lhe tratando maravilhosamente bem... "Mas então porque aceitou ter encontros na biblioteca com Justino?"



Ele confiava nela, mas... aquele garoto a olhava de uma forma tão gulosa, tão cobiçosa. Seu sangue fervia só de pensar nisso.


Recostou-se mais confortavelmente contra as almofadas e piscou os olhos demoradamente, mantendo-os fechados por alguns instantes.

Uma voz o despertou, fazendo-o erguer o tronco do encosto.


 


- Desculpa, não achei que estivesse dormindo. – disse a garota de forma doce e suave.


 


- Er... eu não estava. – respondeu tentando não ser rude.




Droga, tudo que ele não precisava era ter que conversar com alguém; ainda mais se esse alguém fosse Lilá Brown! Sabia que ela havia escutado o que tinha dito à Hermione. Todos que estavam ali haviam escutado.


Só agora olhando para a ex-namorada parada a sua frente, sorrindo tolamente se dava conta do quanto havia sido estúpido.


 


- Está tudo bem? – perguntou Lilá verdadeiramente interessada.


 


- Sim. – respondeu sabendo que sua expressão o desmentia descaradamente.


 


- Bem... er se precisar de alguma coisa sabe que pode contar comigo. - Ela se abaixou e lhe beijou o rosto. – Boa noite. – Lilá sorriu ainda mais abertamente e se afastou depressa, desaparecendo antes que ele tivesse ânimo para lhe desejar boa noite.


 


Merlin, será que Lilá havia criado esperanças novamente? Era bastante provável. E a culpa era sua! Mais uma vez a culpa era sua. Passou a mão pelo rosto num movimento desesperado e aflito.


 


Seu peito estava dolorosamente comprimido. Queria subir até o dormitório feminino e sentir o cheiro, o gosto e o toque macio de Hermione; queria se perder nas sensações que só ela era capaz de despertar nele; queria dizer a ela o quanto era patético e ciumento.


 


.....


 


Hermione entrou no dormitório respirando pesadamente. Sua expressão era do  mais puro desgosto. Retirou o casaco e o jogou com força dentro do seu malão.


 


Ela tinha que confessar que apesar da cena de ciúmes protagonizada por Rony ter sido patética, estava adorando vê-lo enciumado, isso até ele ofendê-la a comparando à Lilá, o que era, no mínimo, desrespeitoso e ultrajante.



Ora, era óbvio que a colega de quarto teria recusado ajudar Justino ou quem quer que fosse. Afinal, para Lilá qualquer minuto que não estivesse grudada em Rony era um desperdício de tempo.


 


Parvati entrou no quarto sozinha e a olhou com piedade. Hermione sentiu-se profundamente humilhada. Não precisava que tivessem pena dela! Não precisava que a melhor amiga da ex-namorada do SEU NAMORADO tivesse pena dela.


 


Tirou o pijama do seu malão e evitou olhar novamente para Parvati. Seu coração falhou uma batida quando se deu conta de que Lilá não havia subido com a colega.



Sentiu-se ridiculamente patética. Era óbvio que Lilá jamais perderia a oportunidade de ficar sozinha com Rony depois de ouvi-lo dizer o que ele havia dito. Um nó se formou em sua garganta e a vontade de chorar pareceu sufocá-la. Tirou sua roupa e vestiu o pijama depressa. Queria enfiar a cabeça no travesseiro e não sair dali nunca mais.


Amanhã terminaria o namoro com Rony, afinal ainda tinha amor próprio!
Merlin, não queria fazer isso, não queria terminar nada. Mas que escolha ela tinha?!



Ouviu passos no corredor e limpou depressa a lágrima teimosa que escapou pelo canto do olho.



Lilá abriu a porta sem nenhum cuidado, sua intenção era que realmente a vissem chegar.



Hermione não queria olhar para aquela garota tola, mas o impulso a venceu. Ergueu levemente a cabeça do travesseiro e olhou discretamente em direção à cama da colega. 



Lilá estampava no rosto seu melhor sorriso, e Hermione precisou respirar fundo para controlar sua raiva e o impulso de estuporar aquela loira fútil e dissimulada. Ainda pôde ouvi-la cochichar alguma coisa para Parvati, como "pode ser que haja uma chance".


 


.....


 


Hermione desceu as escadas na manhã seguinte decidida a falar com Rony. Seu coração batia de uma forma dolorosa. Um sentimento de arrependimento a tomou por inteira. Nunca deveria ter se tornado namorada dele. Agora, eles provavelmente sequer voltariam a ser amigos. E como ela faria para continuar vivendo sem Rony?
Talvez estivesse sendo dramática, mas Merlin, se conheciam desde os 11 anos, e o amava como amigo antes de qualquer coisa! 



Enxergou Rony sentado de costas na sua poltrona predileta, ao lado de Harry.
Era só andar até lá e dizer a ele que precisavam conversar; simples assim! Mas ela não era madura o bastante para encarar aqueles olhos azuis e dizer a ele que não eram mais namorados sem chorar copiosamente, denunciando o quanto estava fragilizada e o quanto o amava.


 


Hermione notou que algumas pessoas na sala comunal a encaravam com curiosidade, talvez esperando uma reação atrasada pelo episódio da noite anterior.


 


Harry a observava com um olhar apreensivo... e Rony... bem ela não olhou para ele.


 


- Bom dia Harry. – cumprimentou ao passar por ele.


Andou decidida e altiva até o retrato da mulher gorda e desapareceu. Bancar a indiferente lhe pareceu a melhor alternativa e foi exatamente isso que fez.


 


Rony sustentava profundas olheiras, e seguiu cada passo de Hermione, até que ela desaparecesse pelo buraco do retrato, com redobrado interesse.



Andou ao lado de Harry até o salão principal no mais absoluto silêncio. Sentia-se a última das criaturas. Dessa vez, Hermione não o perdoaria.


 


Seus olhos se esbugalharam, num misto de pavor e ódio, ao se depararem com Hermione e Justino conversando animadamente próximos a mesa da Corvinal.


 


Hermione olhou com o canto dos olhos para a direita e viu um maço de cabelos flamejantes. Por um instante sentiu-se desprezível. Estava usando o pobre Justino para magoar Rony, e pela expressão no rosto dele estava conseguindo. Isso a encorajou a continuar.


 


- Te encontro às 6 horas na frente da biblioteca então. – ela olhou novamente na direção de Rony e jogando o cabelo graciosamente para trás do ombro andou até a mesa da Grifinória.


 


Harry olhava de um para o outro sem saber o que dizer ou o que fazer. Rony tinha o rosto contorcido em uma careta, seus lábios estavam apertados e os olhos faiscando perigosamente.











...........................................

N/A: Oi queridos leitores. E ai como estão?
Bom, eu tenho mais 15 dias para concluir minha monografia, torçam para que eu consiga, pois depois disso estarei livre para me dedicar as Fics....

O próximo cap provavelmente só vira em Junho, espero que vcs sejam pacientes e n desistam da Fic...hehehe....

Obrigada pelos comments e como sempre aguardo mais.... Bjssss

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.