FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout  
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout FeB Bordas para criar o Layout
FeB Bordas para criar o Layout
 



(Pesquisar fics e autores/leitores)



 




 

::Menu da Fic::

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo


Capítulo muito poluído com formatação? Tente a versão clean aqui.


______________________________
Visualizando o capítulo:

19. É natal


Fic: Os sentimentos de Rony NC17 RxH - Cap final


Fonte: 10 12 14 16 18 20
______________________________




Hermione se sentiu imensamente idiota pela cena de ciúmes protagonizada por ela mesma na sala da Sra. Weasley. Agradeceu intimamente por estarem apenas os três na sala.


Ponderou por alguns instantes e percebeu que a cena não tinha o menor sentido, afinal se Rony havia ficado irritado pela menção do seu namoro com Lilá era porque não fazia nenhuma questão de que seus pais soubessem, e se não fazia questão que soubessem era porque Lilá de fato não importava mais.
O problema era que aquele bendito beijo presenciado na sala comunal não saia da sua cabeça.


Talvez nunca admitisse com todas as letras para ninguém, mas era sim muito possessiva e saber que uma garota já havia sentido os lábios e o gosto de Ron a fazia tremer de raiva. Ainda era difícil digerir o fato de que Ron tivesse escolhido Lilá para trocar seu primeiro beijo.


Mas que direito ela tinha de cobrá-lo, afinal já tinha beijado Krum. E depois eles eram apenas amigos, Ron tinha o direito de beijar quem quisesse, assim como ela.



.................................................................


Rony ainda tentava entender o motivo da explosão repentina de Hermione. Às vezes, ele tinha a nítida impressão de que ela era de fato maluca.


Harry discordava, não achava que a amiga fosse maluca, no entanto tinha certeza de que ela era muito ciumenta.


Entraram no quarto de Rony em silêncio, vestiram o pijama, e, só depois de estarem devidamente acomodados em suas camas, resolveram falar um com o outro.


- Eu realmente não sei quem pode ter falado ao papai sobre... bem sobre a Lilá. Se Fred e Jorge ainda estudassem lá a resposta seria óbvia, mas como não estudam só resta a Gina.


- Mas ela disse que não foi ela. - Falou Harry convicto.                                           


- É, acho que não foi ela mesmo, se tivesse sido ela confessaria sem nenhum problema e ainda faria algumas piadinhas bem sem graça.


- E porque está tão preocupado com isso cara? - Harry suspeitava dos motivos do amigo, mas precisava perguntar assim mesmo, embora soubesse que ele não admitiria jamais.


- Sei lá, acho que meus pais não precisam saber esse tipo de coisa, até porque não era algo pra valer.


O ruivo realmente havia ficado irritado com o fato de seu pai comentar sobre seu namoro na mesa do jantar, pois não queria mais tocar nesse assunto, principalmente na frente de Hermione. Sem falar que era constrangedor demais falar de namoros para os pais, mas pior do que isso era remexer nesse assunto perto de Hermione. Tinha a estúpida sensação de que se ela esquecesse isso poderia dar uma chance a eles, embora nem mesmo soubesse se Hermione queria ficar com ele.


Ela havia fugido quando a beijou, mas... aceitou passar o natal na Toca. Ainda que isso não quisesse dizer nada. Hermione poderia estar ali por Harry e Gina. E era muito mais fácil para Rony acreditar na segunda opção.
Sua insegurança não permitia que enxergasse as coisas como elas realmente eram.



...............................................................


Quando Hermione entrou no quarto de Gina seu rosto ainda estava corado pela discussão. E sua expressão irritada não enganaria a ruiva.


Gina fitou a amiga sem dizer nada. Hermione teve a impressão de que Gina estava escolhendo as palavras certas antes de falar. Mas a ruiva não disse nada.


As duas arrumaram as camas e coloram os pijamas, mas só depois que se deitaram foi que Hermione se deu conta de que não estava com sono.


Ela não queria passar o dia de Natal brigada com Rony, mas eles não tinham brigado exatamente, sendo assim, não tinha porque se preocupar com isso.


Hermione sabia que Rony era um pouco lento para entender certas coisas, e se ela tivesse sorte talvez ele não tivesse percebido que ela estava com ciúmes.


Pegou o cartão que havia escrito para o ruivo e o leu novamente para se certificar de que estava adequado. Tentou não ser muito indiferente nem muito explícita ao escrevê-lo. Terminou de ler e considerou que estava relativamente bom.


Depois se pegou divagando sobre o presente que havia escolhido para Ron. E se ele não gostasse? Se achasse muito pessoal?


E se a idéia de ter comprado presentes trouxas para todos tivesse sido uma grande tolice? Bem, agora era tarde, os presentes já estavam comprados e amanhã já era natal, não havia nada que ela pudesse fazer.




.....................................................................



Na manhã seguinte, quando Gina a acordou teve a sensação de que a recém tinha fechado os olhos.


- Vamos Mione acorda, quero ver meus presentes. - Insistia Gina pela terceira vez, a sacudindo freneticamente.


Hermione sentiu vontade de dizer à amiga para deixá-la dormir em paz, afinal não precisava dela para ver seus presentes, mas a empolgação quase infantil de Gina chegava a ser contagiante e ela não pôde evitar de sorrir.


Havia uma pilha de presentes ao lado da cama de cada uma. Hermione levantou, lavou o rosto, escovou os dentes e voltou a se sentar na sua cama de armar. Tomaria banho depois de abrirem os presentes, ou Gina acabaria enfartando.


- Pronto, pode começar. - Disse Hermione rindo da ansiedade da amiga.


A ruiva realmente parecia uma criança, pulou no pescoço de Hermione, a derrubando na cama, quando abriu o estojo de maquiagens trouxas que a amiga havia trazido para ela.


E felizmente pareceu apreciar muito a presilha que Hermione havia ajudado Rony a escolher.


- Meu irmão não pode ter escolhido isso sozinho.


- Bem...digamos que ele recebeu uma pequena ajuda.


- É linda, adorei. Sabe Mione, eu nunca disse, nem diria e te mato se disser, mas o Ron é especial para mim. É claro que eu gosto de todos os meus irmãos, mas é que Ron e eu descobrimos as coisas sempre juntos, por sermos quase da mesma idade sabe, e sempre protegemos um ao outro das maluquices de Fred e Jorge.


Hermione deu um sorriso envaidecido enquanto Gina prendia a presilha no cabelo. O fato de Ron sempre ajudar e defender as pessoas que amava era uma das qualidades que mais apreciava no ruivo.


Quando finalmente terminaram de abrir todos os embrulhos, Hermione percebeu que Ron não havia lhe dado nada.


Inevitavelmente sentiu os olhos formigarem. Ele sempre tinha lhe dado presentes no Natal. Respirou fundo e disse para si mesma que não iria chorar. Talvez ele tivesse gastado todas as suas economias nos presentes da sua família. Sim, certamente tinha sido isso.


“Mas nem mesmo um cartão?!” Ela nunca fora de dar importância a presentes, e apenas um cartão a teria feito muito feliz. No entanto, nem isso ela tinha recebido.


- Hermione, olha o que Harry me deu. - Gina tinha a voz tremula e um sorriso enorme.


Hermione despertou dos seus davaneios e olhou para Gina, que tinha os olhos brilhantes e uma expressão radiante. Quando viu a mão da amiga não pôde deixar de sentir uma pontinha de inveja. Não sentiu inveja exatamente por causa do presente, mas porque Gina estava verdadeiramente feliz, Harry tinha tido finalmente coragem de pedi-la em namoro. Na verdade, Hermione se sentia muito feliz pelos amigos, afinal havia acompanhado toda a longa espera de Gina, assim como a descoberta de Harry.


- É lindo Gina. - Disse sincera, percebendo que sua inveja, era aquele tipo de inveja boa, pois estava realmente contente pela amiga.


Harry havia comprado um anel prateado com uma pequena pedra azul turquesa, uma jóia realmente linda.




...................................................................



Rony acordou extremamente ansioso, mas pela primeira vez na vida não era porque queria abrir logo seus presentes. Reparou que Harry não estava mais na sua cama. Levantou apressado e pegou cuidadosamente uma caixa preta de dentro do armário; sorriu para si mesmo e a colocou em cima da cama.


- Bom dia! - Harry acabara de entrar no quarto enxugando os cabelos rebeldes com a toalha.


- Feliz Natal Harry.


- Feliz Natal!


Rony pegou suas roupas e foi direto para o banheiro. Queria descer para café com uma aparência boa. O motivo disso: Hermione Granger!


Harry olhou para os pacotes de Rony e notou que o amigo não havia aberto nenhum. Sorriu ao constatar que Rony estava mesmo mudando.


O ruivo saiu do banho e fitou a pilha de presentes a sua frente com certo interesse. Olhou para Harry e viu que o amigo já estava abrindo os seus.


- E ai, Dobby te mandou meias de novo? - Perguntou divertido.


Harry ergueu o par de meias diferentes e coloridos e riu junto com o amigo.


- Você não vai abrir os seus? - Perguntou Harry largando as meias e pegando outro embrulho.


- Vou. - Disse Rony olhando mais atentamente para a pilha de pacotes.

Quando encontrou o que procurava não pôde evitar de sorrir. Apesar de todas as magoas, ela havia comprando um presente para ele.


- O que é isso? - Perguntou Harry curioso olhando a caixa que Rony havia acabado de desembrulhar.


- Um perfume trouxa... ganhei da... Mione. - As orelhas de Rony atingiram um tom avermelhado imediatamente; e ele se amaldiçoou por ser tão bobo. Afinal, não tinha motivo para ficar sem graça só porque Hermione havia lhe dado um perfume.


Harry abafou o riso quando percebeu o constrangimento do amigo, e limitou-se a dizer apenas "Hum".


Rony fitou o vidro transparente por alguns segundos e logo pegou o cartão que estava preso na embalagem.


Rony,


Uma grande amizade não termina por pequenas coisas, e se terminar é porque não era uma grande amizade.


Feliz Natal,


Mione.


Depois de ler o cartão pela terceira vez, sorriu satisfeito.


 





.....................................................................................................................

N. da A.: Gente, queria ter postado antes do natal, mas não deu.


Feliz ano novo para todos e continuem me incentivando...hehehe...


Bjs!!!!

Primeiro Capítulo :: Próximo Capítulo :: Capítulo Anterior :: Último Capítulo

Menu da Fic

Adicionar Fic aos Favoritos :: Adicionar Autor aos Favoritos

 

_____________________________________________


Comentários: 0

Nenhum comentário para este capítulo!

_____________________________________________

______________________________


Potterish.com / FeB V.4.1 (Ano 12) - Copyright 2002-2017
Contato: clique aqui

Moderadores:


Created by: Júlio e Marcelo

Layout: Carmem Cardoso

Creative Commons Licence
Potterish Content by Marcelo Neves / Potterish.com is licensed under a Creative Commons
Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Unported License.
Based on a work at potterish.com.